1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

A MENSAGEIRA DA LIBERDADE

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por jessebarbosadeoliveira, 4 Fev 2011.

  1. O sol da utopia
    É o pergaminho-lamparina
    Que pavimenta e norteia
    A alameda-alquimia por onde trilha
    A sempre liricamente rija alma peregrina:

    Ela se agasalha solícita
    Com o manto da esperança,
    Torcendo para que um dia
    O deserto da mente humana
    Vire frondosa e suntuosa Amazônia.



    Ah, seu impávido espírito
    Vive ao deleitoso sabor
    Da ígnea aventura:
    Por mais que seu barco-centelha
    Naufrague e afunde
    Nas profundezas abrasivas da úlcera,
    O amor pela vida
    Transforma este monumento á ideologia-candura
    Na fonte mais prolífica
    De imortalidade da magnânima luta.

    JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA
     
  2. Vinnie

    Vinnie Usuário

    Faz o contra-ponto com o seu outro poema "Respirando o deserto dos homens". Não gostei do começo; motivos próprios: não gosto da palavra "utopia". No mais, a coisa toda faz lembrar do hino nacional.


    Manda mais!!!:tchauzim:
     
  3. Rodovalho

    Rodovalho Usuário

    É difícil ler impávido sem pensar em colosso.
     

Compartilhar