1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Waking Life

Tópico em 'Cinema' iniciado por Meia Palavra, 11 Dez 2010.

  1. Meia Palavra

    Meia Palavra Usuário

    Waking Life incita discussões. Talvez seja pelas opções do diretor e roteirista Richard Linklater. Aqui o diretor norte-americano opta por utilizar a técnica da rotoscopia (desenhar sobre imagens pré-existentes). Essas imagens oscilantes, quase turvas, parecem já funcionar como um argumento, pois Linklater nos coloca exatamente no foco da narrativa, os SONHOS. Um foco desfocado, que permeia toda história, mantendo o espectador hora desperto, hora sonhando, imbuído pelas reflexões que mais parecem o livro da vida, uma espécie de tratado de todas as idéias ocidentais que tiveram destaque no grande roteiro da humanidade.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     
  2. Diva

    Diva Usuário

    O real é inapreensível. Tudo o que se tem é imagens daquilo que é a realidade. Nela mesmo é impossível de se chegar. Se no dia-a-dia, é utópico se falar em "realidade", não deixo de me perguntar porque tantas pessoas exigem realidade na ficção - que não tem esse nome por acaso - quando criticam um filme mais experimental.

    É como se o que fossem acostumadas a ver - em termos de ficção - fosse mais "real" do que um filme como Waking Life, por exemplo.
     
  3. Rodovalho

    Rodovalho Usuário

    Bom, geralmente quando eu pressiono o botão do interruptor a luz apaga. Posso dizer que essa é a realidade. O que eu gosto no filme é que o sonhador parece se encontrar com outros sonhadores, como se o sonho fosse um lugar interativo. Quando terminei de assistir esse filme eu fiquei pensando se na verdade eu seria o sonho de outra pessoa. Apenas a personagem secundária. Mas no final das contas, sempre acordo sendo eu mesmo pra ser um mero coadjuvante encenando várias peças em cada sonho novo da platéia.
     
  4. Diva

    Diva Usuário

    Vai continuar sendo o que você imagina.
     

Compartilhar