1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Vivemos na Matrix? Cientistas encontraram uma forma de descobrir isso

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 17 Out 2012.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Será o universo uma simulação? A ideia de que fazemos parte de um mundo artificial, criado por algo bem maior que nós, já foi objeto de discussão de filósofos como Platão e Descartes, por exemplo.

    Platão criou o mito da caverna. Segundo ele, o nosso próprio mundo seria uma sombra, uma projeção de um mundo perfeito, que poderia ser alcançado pelo pensamento.

    Descartes fez a pergunta “e se tudo que a gente vê e sente forem sensações criadas por algum demônio?”. Com isso, ele nos convida a desconfiar dos sentidos, e chega à máxima “Cogito ergo sum” (“Penso, logo existo”), querendo dizer que ele é real por que o pensamento dele é real também.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    levam as pessoas a se perguntarem o que há de real nesta hipótese de um mundo “simulado”.

    Por exemplo, o princípio antrópico, que diz que o universo é feito de maneira tal que a vida possa existir, é uma das coisas que nos fazem pensar em uma simulação de computador.

    Simulando nosso universo

    Nós mesmos já fizemos simulações do universo – fazemos isto para entender sua história e funcionamento, e tentar adivinhar o seu futuro.

    Pense na
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , que replica os 13,75 bilhões de anos do universo, por exemplo. Essa simulação tem um problema: sua escala é muito grande,
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    nela tem a massa de 200 milhões de sóis, e só assim para simular um cubo de 1 bilhão de anos-luz de lado durante toda a idade do universo, começando 24 milhões de anos após o início do Big Bang.

    A simulação que melhor imita a natureza é a simulação da teoria da cromodinâmica quântica (TCQ). A TCQ explica como funciona a força nuclear forte, como quarks e glúons são ligados para formar prótons e nêutrons, e como estes formam núcleos que interagem entre si. É o que tem de mais fundamental no universo.

    Mas as simulações mais perfeitas que conseguimos fazer de TCQ, mesmo usando os mais poderosos computadores disponíveis hoje, são de mundos muito pequenos, de alguns femtômetros (um femtômetro tem 0,000 000 000 000 001 metros), insuficiente para simular uma simples célula.

    Se conseguíssemos ampliar a simulação para alguns micrômetros (0,000 001 metros ou um milhão de vezes maior que um femtômetro), poderíamos simular uma célula humana com tudo que tem no seu citoplasma, núcleo e membranas. É só usar um computador capaz de simular um mundo mil septilhões (10[sup]27[/sup], um milhão maior para cada dimensão do espaço) maior.

    Descobrindo a simulação

    Se o nosso universo for realmente uma
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    feita em um computador insanamente poderoso, ainda assim devem haver pistas que revelariam a verdade, limitações inerentes às simulações, ou “falhas na Matrix”.

    Se examinássemos o universo com cuidado, encontraríamos estas falhas. É nisto que
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    os cientistas liderados por Silas Beane, da Universidade de Bonn na Alemanha. Segundo eles, para simular um universo, ele tem que ser representado com um conjunto de pontos que se movem em um espaço 3D e no tempo. Se o nosso universo for uma simulação, sua grade deve ser perceptível em alguma ordem de grandeza. Se você for examinando coisas cada vez menores, deve chegar a um ponto em que não haverá nada menor, por que já chegamos ao tamanho da grade.

    Analisando o que já conhecemos de física, sabemos que processos de alta energia penetram dimensões cada vez menores conforme ficam mais energéticos. Mas dentro de uma simulação, nada pode ser menor que a grade em que ela está rodando, então deve haver um limite máximo para a energia das partículas para que elas não fiquem menores que a grade da simulação.

    E existe um limite máximo no espectro de partículas de alta energia, chamado de limite Greisen-Zatsepin-Kuzmin ou limite GZK, o que é um indício da existência da grade. Pelo valor do limite GZK, esta grade teria pontos distantes em 10[sup]-12[/sup] femtômetros – um próton tem 1 femtômetro. Isto significa que não há nada para ver a distâncias menores que esta.

    Mas se existe uma grade, devem existir outros fenômenos influenciados por ela. Um dos fenômenos apontados seria a tendência dos raios cósmicos de viajar seguindo os eixos desta grade. O resultado seria que veríamos mais raios cósmicos vindo de direções que coincidam com os eixos da grade, ou seja, a distribuição estatística da direção dos raios cósmicos serviria para encontrar a orientação da grade.

    Esta é uma medida que podemos fazer com a tecnologia que já possuímos. Mas se as medições feitas com esta tecnologia não encontrarem uma grade, não significa que ela não esteja lá; pode ser que seja tão complexa que não possamos sequer imaginar como ela é. E mesmo que encontremos uma grade, isto também não significa que vivemos em uma simulação, já que ela poderia ser o resultado de alguma lei da natureza que ainda não conhecemos.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Ótimo Ótimo x 3
  2. Neoghoster Akira

    Neoghoster Akira Brandebuque

    Penso que não é dessa vez nem tão cedo que conseguiremos burlar ou descobrir uma simulação como essa em ação.

    Existe um número muito grande de perguntas fundamentais por toda parte que ainda precisam ser respondidas ou razoavelmente definidas antes de abordar uma tarefa com essa envergadura.

    Cada elemento do universo (e nós nem estamos falando da existência ou da última realidade que pode conter nosso universo e espaços ainda mais antigos com potencial para dar origem a um universo) está separado de outro elemento pela distância exata de um universo, com infinitas conexões em que cada característica, até mesmo o cheiro de um bife é contabilizado pela natureza como força que age redistribuindo os recursos pelo espaço. Ou seja, a simulação final precisaria do poder de processamento de um universo (impraticável). Inclusive está relacionado ao que penso sobre o comportamento de experimentos e resultados. Se nem todo experimento pode ser replicado (por exemplo criar um big bang autêntico para criar um universo exatamente igual ao nosso) então nem todo resultado e prova é replicável ou copiável o que implica dizer que a imprevisibilidade é uma característica extremamente sensível e específica destinada a satisfazer todas as forças do sistema. Por exemplo, algumas das características encontradas em crianças super dotadas são originalidade, criatividade e imprevisibilidade na solução de problemas.

    Não sabemos que recursos são esses nem o que é matéria escura, nem energia escura nem a distribuição nem se podemos tomar como padrão aquilo que vale em nossa região do universo (algumas teorias falam que as leis também podem variar) Inclui-se nisso a desconhecida natureza básica da energia, o mistério da inteligência, da consciência e de outras forças que se equilibram, sem dúvidas, mas que ainda somos muito limitados e não temos nem sequer medições feitas por sondas enviadas ao espaço entre as galáxias para comparar dados.

    Ah, sim. tem uma reportagem boa na Newscientist desse mês (The Surprise Theory of Everything - A Teoria de Tudo Surpresa). Fala sobre alguns desdobramentos da lei da termodinâmica quando colocada em paralelo com a física quântica. A história tem muito o que render. O link é uma amostra (número limitado de zooms, mas dá para ler pelo menos esta reportagem)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    Última edição: 18 Out 2012
    • Ótimo Ótimo x 1
  3. Siker

    Siker Artista Comercial / Projetista Gráfico

    Muita coisa interessante aí, e que não entendo :lol:

    Só queria mesmo comentar sobre o "Penso, logo existo", que é visto como uma verdade absoluta, mas eu vejo como algo muito pessoal, isso não prova para outras pessoas que eu existo, só prova a mim mesmo, e neste caso, como ter certeza de que o "eu" existe? Ao meu ver o mais correto seria: Penso, logo alguma consciência existe.
     
  4. Mercúcio

    Mercúcio Well-Known Member

    Gente, mas é tão óbvio que é uma simulação. E eu nem preciso desses cálculos complexos pra provar isso.
    Nosso mundo é um jogo de The Sims jogado por Deus. :yep:
    Quem nunca abriu a porta da geladeira e de repente se perdeu em pensamentos... ficou ali olhando pro nada, fechou a geladeira e saiu? É porque Deus mandou que nós nos alimentássemos e depois cancelou a ação. Óbvio. :mrgreen:

    Resolvido o mistério. Próximo. u.u
     
    • LOL LOL x 9
    • Gostei! Gostei! x 2
  5. Vëon

    Vëon Do you know what time it is?

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


     
  6. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Na verdade o Existente por Si Mesmo é unicamente Deus, mas nós também existimos... enquanto participamos de Sua existência. Uma relação de dependência ontológica, de necessidade. Subsistimos Nele, por Ele. Isso é Tomás de Aquino.

    Os Padres formularam toda uma teologia se baseando nas Escrituras falando como existimos realmente, não como ideias na mente de Deus ou marionetes, mas dotados de livre-arbítrio e consciência. O que nos condiciona não é o corpo físico nem o mundo material que em si são criações divinas, portanto boas se utilizadas em harmonia com o nous, o coração espiritual (o norteador do intelecto e núcleo da alma). O condicionamento vem da nuvem que cega o nous para as coisas espirituais e se fixa na matéria, embrutecendo a alma e tornando-a escrava das paixões do intelecto decaído e das sensações físicas, emocionais e imaginativas.
     
  7. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    "Eram os deuses glitches?"
     
    • LOL LOL x 1
  8. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Não deu pra concluir.

    Então, o obscurantismo pelo qual passa o nous não existia originalmente (ab origine), quando o homem desfrutava da imortalidade edênica mas ao cair no engodo da serpente no mito, Adão comete a transgressão pela qual perde a imortalidade. O que herdamos não é nenhum 'peccato originale', mas a corrupção, ou seja, envelhecimento e morte que afetam tanto o homem quanto o cosmos, além do obscurecimento do nous. A Queda significa a entrada do devir, do tempo, da oposição entre sagrado e profano, da abolição do tempo eternamente sagrado e do espaço e realidade eternamente transcendentes que se tornam realizáveis apenas em dependência das teofanias que vem oferecer ao homem decaído oportunidades de reavivar seu nous e, através de revelações constantes, ir progredindo na theosis até a manifestação do Ser na sujeição ao tempo, ao devir, à corrupção e à morte, o Logos Divino, o Verbo, Filho do Pai, que vem na carne pra transfigurá-la, vem morrer pra matar a morte, vem abolir as oposições e inserir o homem em um novo relacionamento com as energias divinas.

    O homem é eternamente dependente de Deus, mas pode se tornar Deus, não pela Sua essência (ousia) incompreensível, absoluta, incomunicável, mas pela purificação, iluminação e deificação do nous operadas pelas energias divinas, os raios do Sol luminoso. Pela ascese, oração e compartilhamento da Graça incriada presente no corpo teantrópico de Cristo (a saber, a Igreja), todas as matrixes são gradualmente abolidas e a Luz Imperecível Se revela ao nous, e o une a Si.

    Metanoia (arrependimento da alma)
    Nepsis (sobriedade do nous)
    Katharsis (purificação pelas energias)
    Theoria (contemplação das energias)
    Theosis (deificação pelas energias, pela Graça incriada)

    São os 'degraus' da espiritualidade que reintegra o nous à sua condição perdida.
     
  9. Vëon

    Vëon Do you know what time it is?

    too boring; didn't read
     
    • Gostei! Gostei! x 3
    • LOL LOL x 1
  10. Excluído045

    Excluído045 Banned

    your loss
     
  11. adrieldantas

    adrieldantas Relax and have some winey

    É divertido pensar que vivemos na matrix, eu mesmo vivo nela. I'TS FUN!
     
  12. Pearl

    Pearl Usuário

    Se te oferececem a pílula vermelha você tomaria?
     
  13. ricardo campos

    ricardo campos Debochado!

    Físicos encontram evidências de que realidade pode ser uma mera simulação virtual;

    Por Anderson Kreutzfeldt,

    Quem diabos está jogando “The Sims” com a gente?​

    Acredite se quiser: Físicos encontram evidências de que a nossa realidade pode ser uma mera simulação virtual. Fazemos nós parte do melhor videogame já criado?

    Não, você não leu errado. De acordo com estudiosos cientistas da Universidade de Bonn, certos aspectos do nosso mundo físico são sustentados por elementos que indicam que a nossa realidade pode não ser nada mais do que uma simulação computadorizada.
    A ideia de que somos apenas figuras sustentadas por tecnologias e intelectos superiores parece meio absurda, não é mesmo? O fato é que o cientista planetário Rich Terrile (NASA) acredita veementemente na teoria de que nossa vida não é nada mais do que um videogame.
    Silas Beane foi o pesquisador que liderou um grupo de físicos que levantou uma hipótese muito interessante. Segundo as pesquisas, a teoria que mais ganha força é a de que somos uma simulação dentro de outra simulação dentro de outra e assim sucessivamente, com um cenário enriquecido em detalhes, que provavelmente se parece muito com a vida dos nossos “criadores”, para dar a impressão de realidade absoluta.

    Aparentemente, vivemos em um universo artificial e somos incapazes de nos darmos conta desse fato.

    Existe uma teoria chamada “Teoria de campo reticulado” (teoria de física contrária à noção de tempo e espaço continuum da qual temos conhecimentos). Os pesquisadores se basearam nessa teoria para lançar a ideia de que uma simulação de computador (ou um videogame, se preferirem) das próprias leis físicas, que em determinado momento parecem contínuas e que seriam obrigatoriamente inseridas em um retículo espacial, uma adição para a simulação na qual podemos estar vivendo neste momento. Esse retículo tridimensional avança em pequenos passos temporais que limitam a quantidade energética que as partículas virtuais possuem dentro do sistema. Em outras palavras, um recurso virtual que impões “limites”, que poderiam ou não existir para os nossos amados e anônimos criadores.
    Isso realmente acontece em certos processos de física quântica que envolvem uma grande quantia de energia (nos raios laser, por exemplo, ou em um feixe de elétrons). Esse retículo limita a energia para que as partículas ocupem seu próprio espaço, com um máximo de energia para que nada nesse “sistema” seja menor do que este permite.

    “Se o cosmos é uma simulação numérica, deve haver pistas no espectro de raios cósmicos de alta energia” – dizem os teóricos – ou seja, os raios cósmicos viajariam ao longo dos eixos de uma estrutura, de modo que não conseguiríamos vê-los equalizados em todas as direções.
    Com a tecnologia atual e os recursos dos quais a humanidade dispõe, não podemos assegurar definitivamente que estes pesquisadores estão certos ou errados, porém somos plenamente capazes de verificar dentro de algum tempo de estudo, como se orienta a estrutura em que o nosso universo foi criado (ou é simulado, se preferirem).

    É uma ideia alucinante e um bocado assustadora, porém, os cálculos de Silas Beane e dos outros pesquisadores deixaram lacunas que não podem ser ignoradas. O principal contra-argumento á teoria dos físicos é que o suposto computador que criou todo nosso universo poderia ter sido criado de qualquer maneira, visto que foi desenvolvido por inteligências e tecnologias muito superiores à nossa, de modo que as técnicas se demonstrariam imperceptíveis a nossos nanicos cérebros humanos.

    É claro, acreditar ou não nessa teoria vai de cada um. Mas, se os cientistas estiverem mesmo certos e somos produtos de uma simulação que funciona como uma espécie de videogame, devemos perguntar-nos: Quem diabos está jogando “The Sims” com a gente, porque, que fiquem avisados: o jogo possui alguns bugs como Justin Bieber e Neymar.
    O que você acha? Esquisito? Ficção Científica demais? Deixe seu comentário, participe da discussão!

    *****
    FONTE:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Fonte:literatortura.com

    Alguém (moderação) melhora a edição do texto aí.:yep:)

    :think:

    Matrix ? Será ?
     
    Última edição por um moderador: 8 Mai 2013
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Ótimo Ótimo x 1
  14. Grimnir

    Grimnir Usuário

    Re: Físicos encontram evidências de que realidade pode ser uma mera simulação virtual;

    Em primeiro lugar:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Em segundo lugar:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Em terceiro lugar:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Dito isso, a ideia é sem dúvida fascinante e muito antiga. Sinceramente acho que vai continuar a ser uma teoria, já que não parece ser exatamente "testável". Além disso, se vivemos numa simulação, será que o código inclui a possibilidade de descobrirmos que vivemos numa simulação? Ou será que o código incluiu a possibilidade de imaginarmos que vivemos numa simulação, mas como a ideia é tão absurda, ninguém vai acreditar nisso mesmo?

    Se uma inteligência superior simulou o nosso universo, será que podemos imaginar a possibilidade de provarmos isso? Esse poderia ser o objetivo final da simulação, ou seja, que o simulado consiga ver através do espelho e encontre o seu Criador. De qualquer forma, se esse for o caso, acho que ainda faltam alguns milhões de anos evolutivos - isso se chegarmos até lá.

    Uma das muitas teorias sobre o Multiverso fala sobre a possibilidade de existirem infinitos universos, sendo que cada um deles é definido por um determinado conjunto de "constantes universais". Esse poderia ser um subproduto de uma simulação, né? Do tipo: Simular todos os tipos possíveis de universos e ver o que que dá no final. Se bem que isso não parece muito científico, ainda mais para uma entidade ou consciência supostamente superior.

    Na verdade, puque fas içu, alienígenas?

    Finalizando:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Desculpa se escrotizei o tópico!
     
    • LOL LOL x 1
  15. Siker

    Siker Artista Comercial / Projetista Gráfico

    Re: Físicos encontram evidências de que realidade pode ser uma mera simulação virtual;

    É comum jogos aperfeiçoarem a IA de seus personagens, interessante imaginar uma IA (nós) tão evoluída que se torna capaz de perceber inclusive que está dentro de um jogo...

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  16. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    editei o post pra não ficar com fonte preta.

    eu tinha que dar um ban de 3 dias por quem compartilhasse link desse lixo do literatortura.com aqui na valinor. :disgusti:
     
  17. Ranza

    Ranza Macaco

    Cara, juro que um dia vo conseguir discutir tais coisas. =/
    Mas vou ler todos os posts
     
  18. Lindoriel

    Lindoriel Saurita Catita

    Eu acredito que vivemos numa "simulação" e a verdadeira vida não é a material. E faz tempo já. Rs.

    Se a ciência confirmar algo a esse respeito, pra mim não será novidade.
     
  19. Excluído049

    Excluído049 Excluído a pedido

    Essas teorias de que estaríamos vivendo num minecraft gigante não são novas. Nós, católicos, sempre cremos que Deus é verdadeiramente o único que existe por si próprio; os homens são sim seres racionais, dotados de livre arbítrio, mas limitados a um universo mantido por Ele. Esse mundo é incapaz de existir por si. Deveras, se Deus, por um segundo sequer, parasse de direcionar Seu pensamento para a manutenção do Mundo, simplesmente nunca teríamos existido.
     
  20. Grimnir

    Grimnir Usuário

    Só vale a pena clicar no link do Literatortura pra procurar a fonte original (MIT Technology Review). Pra poupar o trabalho, clica logo
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    . O texto é infinitamente melhor e assim ninguém precisa ler os comentários deploráveis no Literatortura, tipo esse:

     
    • Gostei! Gostei! x 1
    • LOL LOL x 1

Compartilhar