1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Visão sobre a morte!

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Madame Ko, 10 Nov 2006.

  1. Madame Ko

    Madame Ko "o Processo Ludovico"

    :disgusti:Morte é Vida

    A vida é uma contagem regressiva, mesmo que estejamos contando sempre os dias que passam ao invés de contarmos quantos nos restan. Esse é o principal motivo que nos faz não dar valor ao que temos de mais precioso, nos fazendo deixar tudo para o dia seguinte ao invés de aproveitarmos cada instante.
    Viver deveria ser simplees, mas nós fazemos com que haja uma gigantesca complexidade. Ao nascermos, nossos pais provavelmente imaginam milhares de possibilidades para que tenhamos um futuro promissor, além de fazerem o máximo para que sejamos felizes e bem sucedidos.
    Apesar disso, muitas pessoas acham que a morte tira o sentido da vida, porém, uma reflexão profunda assola totalmente essa questão. Se o homem fosse imortal, a mesma relatividade do significado sobre a vida iria prevalecer, pois o ser humano tem em sua mente um conceito de que tudo que realmente tem valor devedurar para sempre, mas essa não é a verdade. Namorar ou ter um relacionamento com uma outra pessoa tem algum valor? Sim, claro que tem, mas não dura para sempre, da mesma forma que trabalhar em uma grande empresa e fazer obras solidárias também não são eternas, mas fazem a diferença e tem um valor incontável, por isso afirmo que o sentido da vida está nas pequenas coisas.
    Osproblemas da nossas vidas começam a ocorrer quando adquirimos um certo nível de conhecimentos e passamos a refletir sobre nosso redor. Quando você era criança, quais eram suas preocupações e seus problemas? E hoje? Quais são seus problemas? Vários? Mesmo assim, você se suicidaria caso “fracassasse” e não conseguisse a aprovação para fazer pós-graduação?
    Por incrível que pareça, o maior índice de mortes entre jovens no Japão se dá justamente aos suicídios que ocorrem em virtude do “desgosto” causado pela não aprovação para a entrada na universidade.
    Isso é um problema? Sim, com certeza é um problema, mas a maneira como cada ser pensante a encara é diferente.
    No Brasil isso seria possível? Hahaha...
    A conclusão que tiramos disso é muito óbvia. Em nosso país, nenhum jovem tira sua própria vida, porque o fato de não ser aprovado em uma universidade publica é algo tão comum quanto estar desempregado.
    Os fatos que são taxados corriqueiros, como por exemplo, a morte de cinco crianças que por infinito azar, acabam perdendo suas vidas ao atravessarem a rua, ou até mesmo, a questão das pessoas que morrem de fome e frio, além das guerras causadas pela Doutrina Bush, que causam milhares de mortos – 200 mil no Iraque, 1,5 milhões no Vietnã – já não causam mais espanto.
    O espanto trás impacto, o impacto trás sentimentos, os sentimentos nos fazem sofrer, conseqüentemente, sofremos por não estarmos preparados.
    A morte é inexoravelmente e implacavelmente democrática.
    O que isso significa? Significa que todos que nascem morrem. Comum não? Obvio também??
    Mas porque algo tão comum nos faz sofrer tanto?
    Isso acontece porque não a aceitamos, mesmo sendo ela a única certeza da vida.
    Albert Einstein está morto?
    Pelo meu ver, ele não está morto, porque seus pensamentos e idéias ainda estão entre nós, não obstante, uma pessoa que vive e não é lembrada não necessariamente esteve entre nós. Portanto, uma pessoa que está em nossos corações NUNCA irá morrer.
    Aqueles que amamos nunca morrem, apenas partem antes de nós.

    Ko.
     
  2. Falassion

    Falassion Usuário

    "Morte é vida".. Uma frase estranha mas que, se tu analisar, tem sentido sim.

    Como você mesma falou, mesmo que uma pessoa morra, seus pensamentos, idéias e etc. continuarão junto de nós. Ou seja, quanto mais íntimo da pessoa tu és, "menos ela morre", menos ela "some".

    Agora, um novo questionamento: devemos nós ficar matutando essas coisas? Ficar discutindo coisas tão.. misteriosas e, ao mesmo tempo, corriqueiras.

    Será que não seria mais "Interessante" apenas vivermos, tentando ser felizes como podemos? =]
     
  3. Jango

    Jango Branca! Branca! Branca!

    No fim tudo passa. Se é que existe um fim. Daqui a 1000 ou 10000 anos ninguém se lembrará de nós ou de nossos atos. Sonhar com eternidade é loucura.

    Onde começa e onde termina a viagem não é importante. Importante é como você viaja.
     
  4. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    Com excessão do Japão e de alguns países nórdicos onde a taxa de suicídios é muito alta, em lugares misaráveis, em guerra ou com desigualdade social gritante, o que causa sofrimento nos dias de hoje não é a morte em si e sim o agente causador dela. Basta ler jornais ou navegar pela rede para ver o número de pessoas que são mortas da forma mais cruel ou estúpida pelos motivos mais fúteis. Quando se perde alguém muito querido por alguma fatalidade ou doença, o sofrimento é grande e com o tempo aceitamos a perda. Agora, quando essa mesma pessoa nos é arrancada de forma violenta e sabendo o quanto ela era estimada, a dor é muito grande e jamais aceitamos tal fato. Hoje em dia se morre por muito pouco e ninguém parece se importar. Somos apenas estatísticas nos levantamentos da polícia e jornais.
     
  5. Beriadar

    Beriadar And I will see it all before

    Bom, a morte é necessária. O planeta é pequeno e a natalidade é estrondosamente crescente. Esse é um ponto de vista, estatístico, claro, talvez o menos importante, mas sim, um ponto de vista.

    Cada qual com sua crença, enxerga a morte de uma maneira. Não a morte, quem sabe, mas o que vem depois dela. E será que importa? Bom, se sim, talvez seja o que MAIS importa. Pois o conceito de eternidade não existe em vida.

    No mais, eu vou aproveitando a vida, da melhor maneira. Planejando, desenvolvendo, evoluindo, coinciente de que um dia acaba. Ou, de que um dia muda.
     
  6. Edrahil

    Edrahil Usuário

    A morte é a única certeza da vida.
     
  7. Bel

    Bel Moderador Usuário Premium

    Na verdade são duas certezas: morte e impostos :dente:
     
  8. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    3 - morte, impostos e cartão de crédito! XD
     
  9. Jujuba!

    Jujuba! Habitante de Othrya

    Hmmm... podemos filosofar por milênios sobre isso.

    Morrer é tão natural quanto nascer - o medo da morte é, acima de tudo, o medo do desconhecido.
     
  10. lipetavares

    lipetavares Olórin

    Não tenho medo da morte pq tenho algumas convicções religiosas e não temo o desconhecido pelo fato destas convicções. O que tenho medo é passar momentos grandes de sofrimento antes da morte, por exemplo uma doença muito grave ou ficar horas agonizando depois de algum acidente sem ser socorrido...
     

Compartilhar