1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Virginia Woolf

Tópico em 'Autores Estrangeiros' iniciado por Anica, 29 Ago 2009.

  1. Anica

    Anica Usuário

    [align=justify]Virginia Woolf (Londres, 25 de Janeiro de 1882 — Sussex, 28 de Março de 1941) foi uma das mais importantes escritoras britânicas. Estreou na literatura em 1915 com um romance (The Voyage Out) e posteriormente teria realizado uma série de obras notáveis, as quais lhe valeriam o título de "a Proust inglesa". Faleceu em 1941, tendo cometido suicídio.

    Virginia Woolf era filha do editor Leslie Stephen, o qual deu-lhe uma educação esmerada, de forma que a jovem teria freqüentado desde cedo o mundo literário.

    Em 1912, casou-se com Leonard Woolf, com quem funda, em 1917, a Hogarth Press, editora que revelou escritores como Katherine Mansfield e T.S. Eliot. Virginia Woolf apresentava crises depressivas. Em 1941, deixou um bilhete para seu marido, Leonard Woolf, e para a irmã, Vanessa. Neste bilhete, ela se despede das pessoas que mais amara na vida, e se mata de forma triunfante.

    Virginia Woolf foi integrante do grupo de Bloomsbury, círculo de intelectuais que, após a Primeira Guerra Mundial, se posicionaria contra as tradições literárias, políticas e sociais da Era Vitoriana. Deste grupo participaram, dentre outros, os escritores Roger Fry e Duncan Grant; os historiadores e economistas Lytton Strachey e John Maynard Keynes; e os críticos Clive Bell e Desmond McCarthy.

    A obra de Virginia é classificada como modernista. O fluxo de consciência foi uma de suas marcas mais conhecidas e da qual é considerada uma das criadoras.

    Suas reflexões sobre a arte literária - da liberdade de criação ao prazer da leitura - baseadas em obras-primas de Conrad, Defoe, Dostoievski, Jane Austen, Joyce, Montaigne, Tolstoi, Tchekov, Sterne, entre outros clássicos, foram reunidos em dois volumes publicados pela Hogarth Press em 1925 e 1932 sob o título de The Common Reader - O Leitor Comum , homenagem explícita da autora àquele que, livre de qualquer tipo de obrigação, lê para seu próprio desfrute pessoal. Uma seleta destes ensaios, reveladores da busca de Virginia Woolf por uma estética não só do texto mas de sua percepção, foi reunida em língua portuguesa em 2007 pela Graphia Editorial, com tradução de Luciana Viégas.

    Obras:

    * A viagem (The Voyage Out) (1915)
    * Noite e dia (Night and Day) (1919)
    * O quarto de Jacó (Jacob's Room) (1922)
    * Mrs. Dalloway (1925)
    * O Leitor Comum (The Common Reader) (1925 - Primeiro volume)
    * Rumo ao farol (To the Lighthouse) (1927)
    * Orlando - Uma biografia (Orlando: A Biography) (1928)
    * As ondas (The Waves) (1931)
    * O Leitor Comum (The Common Reader) (1932 - Segundo volume)
    * Flush (Flush: A Biography) (1933)
    * Os anos (The Years) (1937)
    * Roger fry (1940)
    * Entre os atos (Between the Acts) (1941)
    * Contos Completos (1917-1941)
    [/align]

    (
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    )

    ***

    Recomendo MUITO MUITO MUITO leitura de
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    e
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    . Aproveitando as recomendações, não esqueçam que na saraiva a tetéia da edição de contos completos da Virginia pela cosac naify
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    (eu já comprei o meu :timido: )
     
  2. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    Quando comprei meu exemplar de obras completas da Jane Austen (na Saraiva do Shopping Crystal por módicos 52 reais) tinha também a edição Woodsworth(melhor nome de editora EVER) de obras completas da Virginia Woolf... mas eu num comprei (snif), eu li alguns contos quando menina, e adorei o jeito dela escrever... colocarei Mrs. Dalloway na lista (que está ficando meio grande...)
     
  3. Falando em Mrs. Dalloway... a minha monografia foi exatamente sobre o livro de Virginia Woolf.

    Por falar nisso, já assistiram As Horas? Tem tudo a ver com o livro. :sim:
     
  4. Liico

    Liico Usuário

    tenho uma dúvida, durantes anos tenho um trecho que li uma vez de Virgínia Woolf sobre uma personagem chamada Laura Brown, sobre como ela se sentia prestes a entrar numa peça sem ter decorado suas falas e etc...
    sou apaixonado por este trecho, porém, não sei de qual livro da VW ele é.
    alguem pode me dar uma ajudinha?
     
  5. Anica

    Anica Usuário

    Eu acho que não é da Virginia Woolf, mas do Michael Cunningham (autor do livro As Horas, no qual o filme que o Cristiano comentou foi baseado).
     
  6. Exatamente Anica :sim:


    Laura Brown é uma personagem interpretada por Julianne Moore no filme As Horas.

    Ela é mãe do poeta Richard (Ed Harris).
     
  7. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    ela parece meio nova pra ser a mãe do Ed Harris....
     
  8. Liico

    Liico Usuário

    Eu assisti as horas, mas achava que a história de Laura Brown contada no filme, e contada neste trecho de fato eram escritos pela VW.
    obrigado pelo esclarecimento, nem sabia que existia livro de As Horas.
     
  9. Valeu Liico XD



    Kika, Julianne Moore usa um tipo de maquiagem que simula o envelhecimento.

    Nas partes do filme que mostram o passado de Richard, a maquiagem não é necessária, pois o personagem é interpretado por uma criança (Jack Rovello).
     
  10. Liico

    Liico Usuário

    “Reunindo coragem como se estivesse prestes a entrar na água fria, fecha o livro e coloca-o sobre o criado-mudo. Não desgosta do filho, não desgosta do marido. Vai se levantar e ser alegre. Ela, Laura, gostava de imaginar (é um dos seus segredos mais cuidadosamente guardados) que também possuía algum brilho, só um tiquinho, embora saiba que com certeza a maioria das pessoas anda pela vida com semelhantes suspeitas sem jamais divulga-las(…)Laura levanta-se da cama(…)Pára vários degraus acima do fim da escada, (…), como se estivesse nos bastidores, próxima da hora de entrar em cena e atuar numa peça a qual não está adequadamente vestida e para qual não ensaiou como devia. (…)"

    tá aí o trecho, peguei do meu perfil do orkut.
     
  11. Anica

    Anica Usuário

    Gente,abram um tópico para falar do filme As Horas lá no subfórum Cinema (ou do livro no Literatura Estrangeira), mas não prolonguem o off-topic aqui, sim? O tópico é sobre a Virginia Woolf.
     
  12. Valeu Anica :sim:


    O tópico já está lá pessoal XD
     
  13. Tuca.

    Tuca. Usuário

    Comecei a ler Virginia Woolf enquanto esperava o filme As Horas chegar em dvd. Comecei com Mrs. Dalloway, que adorei; depois li Orlando, cujo final não entendi direito; e, logo em seguida, li Flush - memórias de um cão, livro bem tocante. Anos depois, li A Casa de Carlyle.

    Tenho que reler o livro de Clarissa e me aventurar por "As ondas" ou "Ao farol", mas no momento eu e a autora não estamos no mesmo ritmo.
     
  14. G.

    G. Ai, que preguiça!

    oi pessoal, gostaria de saber se há aqui um grande apreciador da obra de Virginia.
    mais especificamente queria saber se toda sua obra vale a pena ser lida e... sei lá mais o quê?
    Então, se puderem me ajudem nessas perguntas:timido:!
    Obrigado!!!
     
  15. Mavericco

    Mavericco I am fire and air. Usuário Premium

    Vale sim. Virginia é uma mestra do século XX. Seu fluxo de consciência é tão (ou mais) refinado e quase tão impactante quanto o de Joyce (ainda que ela tivesse odiado o Ulysses).

    Eu só não sei direito que obras te indicar pra ler... Eu considero "The Waves" (As Ondas) como a obra-prima dela. Todo feito a partir de monólogos que se entrecruzam como ondas no mar ou como instrumentos musicais. Tem também "To the lighthouse" que, pelo que li, parece ser muito bom também, e cujo fluxo de consciência é mais "fidedignamente moderno" que o de The Waves. "A Room Of One's Own" parece ser um bom livro de não-ficção, sendo listado em 4º lugar como o melhor dos Non-Fictions pela Modern Library. Mrs Dalloway usa da mesma ideia do Ulysses (provavelmente de forma menos "espinhenta") de acompanhar um dia na vida de uma pessoa; Orlando eu conheço só de nome. E tem também o Flush, que creio ser o livro mais popular da Virginia Woolf, e do qual minha mãe chorou no final.
     
  16. G.

    G. Ai, que preguiça!

    heehee.
    Obrigado!
     
  17. Francine Ramos

    Francine Ramos Usuário

    Eu gosto muito de "A viagem", é um romance mais comum, o primeiro dela.
    Gosto também de "Orlando" e o "Contos Completos" também vale muito à pena.
    "As Ondas", como já citaram aqui, realmente é uma obra-prima, magnífico!
     
  18. Calib

    Calib Visitante

    Para quem gosta de Virginia Woolf...

    http://www.submarino.com.br/produto/1/23800892/?franq=102414&utm_source=buscape&utm_medium=cpc&utm_campaign=bp&WT.mc_id=Buscape&WT.mc_ev=Click&coup_num=17-BP032-00001-0037727493
     
  19. Mavericco

    Mavericco I am fire and air. Usuário Premium

    R$ 26,91?!!
    Quando o preço original é de.... 30 conto? o___O
    Essa sim foi uma EXCELENTE dica =D
     
  20. Calib

    Calib Visitante

    Experimente pôr 4 itens no carrinho.

    (espero que tenham bastante em estoque)
     

Compartilhar