1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Viagem ao Fim do Milênio (A. B. Yehoshua)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Meia Palavra, 17 Nov 2010.

  1. Meia Palavra

    Meia Palavra Usuário

    Em seu livro ‘O judeu não-judeu e outros ensaios‘ Isaac Deutscher comenta ter ouvido de alguns judeus israelenses de origem européia que os sefarditas- judeus oriundos do Norte da África- são mais parecidos com os árabes do que com os próprios judeus e que, nos primeiros anos de Israel, tinham medo de que, em uma crise, eles se aliassem aos muçulmanos e não a seus compatriotas.
    Isso era um óbvio exagero mas ilustra o preconceito antigo, e que perdura até hoje, existente ente os próprios judeus. A. B. Yehoshua, autor israelense, aponta para esse preconceito em seu ‘Viagem ao Fim do Milênio’.

    O livro nos traz a história de uma sociedade comercial extremamente bem sucedida entre dois judeus, Ben-Atar e seu sobrinho Abuláfia, e um árabe, Abu-Lufti, durante o século X, as portas da conclusão do primeiro milênio do mundo cristão. Abuláfia percorre a África buscando mercadorias, que são avaliadas e levadas para a Europa por Ben-Atar, que também é o financiador de tudo, e então Abuláfia- que se mudou para a França depois do suicídio de sua esposa- encarrega-se de vendê-las no norte. Uma vez por ano encontram-se na Espanha, para partilhar os lucros e para o reencontro de velhos amigos que são.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     

Compartilhar