1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

"Vermelho Brasil"

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Bombadille, 24 Fev 2003.

  1. Bombadille

    Bombadille Usuário

    Bom, Primeiro eu vi esse livro (Vermelho Brasil) na Fnac do dom pedro e fiquei curioso, depois eu vi uma entrevista do Jô Soares com o autor, que é um francês, que ganhou o maior prêmio de literatura do seu país, contando como foi a conquista do Brasil pela versão dos Franceses.
    Eu queria saber se alguém jah leu esse livro, ou conhece alguém q leu e gostou? O que vcs acharam?
     
  2. Nimloth

    Nimloth *Supernatural*

    A entrevista da Epoca desta semana também é com o autor, o francês Jean-Chistophe Rufin, também fiquei curiosa a respeito de Vermelho Brasil.
    Parece que ninguém aqui leu o livro, por isso busquei informação na Net, o link abaixo é da editora do livro, tem a sinopse e algumas opiniões de quem já leu.
    :D
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  3. Bombadille

    Bombadille Usuário

    É, parece q ninguem leu, mesmo... faz jah bestante tempo q eu criei o tópico!!
    ah, valeu pelo site! :wink:
     
  4. Bombadille

    Bombadille Usuário

    Olhem só:
    8-)
    O romance vencedor do Goncourt 2001 – o mais importante prêmio literário francês

    "O livro mantém os olhos dos leitores insones, como se estivessem lendo Robinson Crusoé." - Le Nouvel Observateur

    " Jean-Christophe Rufin conta [esta história]com competência e paixão." - Le Monde des Livres

    "O grande trunfo desse livro é que, ultrapassando a fronteira do romance histórico, Jean- Christophe Rufin sabe contar uma história prodigiosa e pouco conhecida à sua maneira. Fala com mestria da política, da religião e da economia da época, mas sem deixar de usar sua imaginação, suas idéias e experiência de vida e as conexões, quando necessárias, com o mundo em que vivemos atualmente."

    " Vermelho Brasil é uma obra-prima: deixe-se canibalizar por este grande romance." - Magazine Litteraire

    "Uma saga à la Alexandre Dumas."

    "Esse médico romancista sabe prender os leitores de forma visceral." - Paris Match

    "Um livro de seiva e de sangue, onde o espírito e a matéria se fundem, desenveolvem-se, florescem, e se devoram à imagem de uma selva, à imagem das civilizações. Um desafio. Um banquete." - Le Figaro Litteraire

    O Romance da conquista do Brasil pelos franceses

    Um dos fundadores do programa humanitário Médico sem Fronteiras, o escritor francês Jean-Christophe Rufin, depois de morar dois anos no Brasil, voltou para seu país cheio de impressões poéticas e muita inspiração para escrever sobre a efêmera expedição "França Antártica", comandada por Villegagnon na baía da Guanabara, no século XVI. Mergulhou numa pesquisa histórica e criou o romance Vermelho Brasil que lhe rendeu o Goncourt de 2001, o mais prestigioso prêmio literário francês.

    A conquista do Brasil pelos franceses é um dos episódios mais extraordinários e menos conhecidos do Renascimento. Por volta de 1550, o francês Villegaignon traçou planos para estabelecer uma colônia francesa na baía de Guanabara onde os calvinistas viveriam livres da perseguição religiosa.

    O romance Vermelho Brasil conta a trajetória de Just e Colombe, duas crianças que embarcam na expedição francesa ao Brasil, iludidas pela esperança de reencontrar o pai, mas que na verdade servirão de intérpretes para a tripulação junto às tribos indígenas. Uma história emocionante da descoberta de um mundo novo e da difícil experiência de se adaptar a uma outra cultura, num exercício de perseverança e aceitação das diferenças.

    De forma magistral, Jean-Christophe Rufin transforma a saga de Villegaignon num romance histórico de aventuras em que tudo parece desmesurado, tamanho o exotismo da paisagem, a singularidade dos personagens e o inusitado dos acontecimentos. A narrativa conduz o leitor pelo cenário da baía selvagem do Rio, ainda entregue às matas e aos índios canibais, seguindo os passos do fascinante cavalheiro de Villegaignon, chefe dessa expedição, nostálgico das Cruzadas, impregnado de cultura antiga, precursor de Cyrano ou de d'Artagnan.

    Escrito numa linguagem perpassada de fina ironia, com descrições esmeradas de paisagens deslumbrantes e uma ação vertiginosa, Vermelho Brasil pode ser lido como um romance de formação. Acompanhando as surpresas que o destino reserva a Just e Colombe, esse livro põe em cena duas concepções opostas do homem e da natureza. De um lado, a civilização européia, conquistadora e universal, que se quer libertadora e se descobre assassina. Do outro, o mundo índio, com sua sensualidade, sua noção de harmonia e sua visão do sagrado.

    Sucesso de vendas em toda a Europa, Vermelho Brasil já ultrapassou a marca de 500 mil exemplares vendidos .

    Jean-Christophe Rufin nasceu em 1952. Médico, pioneiro do movimento humanitário "sem fronteiras", viveu dois anos no Brasil, no Recife, como adido cultural do consulado da França. O escritor publicou ensaios sobre o Terceiro Mundo e romances como Causes Perdues e Labyssin.
     

Compartilhar