1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Veja você .

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Tayana, 17 Nov 2010.

  1. Tayana

    Tayana Usuário

    “- Veja você onde é que o barco foi desaguar
    - a gente só queria o amor...”

    Ás vezes, parada no tempo, eternizo-me pensando em você. Um moinho de vento sopra-o em minha direção sem ao menos me dizer o porque. Meu coração é conhecedor do que fomos, e acredita no sentimento de amor que um dia nos uniu. Mas passam-se os dias, os meses... E o teu sorriso ainda é parte do que vejo, e o teu abraço é o que me acolhe quando eu me deito. Por horas quero acordar do que se diz acabado para continuar a viver o que se fazia presente, mas este, não mais existe. O seu olhar ainda me fascina, e o seu cheiro ainda se esconde em meios aos meus suspiros escondidos. Suas mãos ainda acariciam meu rosto e seguram firmemente as minhas. Não há como dizer que você não existe mais em mim, ou que o seu significado já se faz resoluto. Seria imprudente ignorar o que é real. A priori éramos um, e sinceramente, hoje nem sei o que somos. Entretanto, algo me faz acreditar que “um” sempre seremos, porém força pra carregarmo-nos, admito que nos faltou quando mais precisávamos. Não quero mentir, e nem negar o meu amor. Pensar em você me traz sentimentos indecifráveis, mas a saudade já se desfaz em meio à grandeza do universo. Fico perplexa diante da imagem do que um dia foi, e que agora se traduz como água e óleo. Reconheço a falta que me fazes. Dar-te-ia quase tudo só pra saber o que reside em teus pensamentos e se eu ainda faço parte deles. Dói em mim ver-te passar ao outro lado quando poderias vir ao meu encontro. Esse orgulho ofusca o brilho de uma estrela, e o egocentrismo que se apresenta comumente entre nós, limita o crescimento de uma flor que se traduzia no mais belo e puro amor. Desejo que sigamos nossa jornada, mas confesso-te que o meu coração padeceu ainda mais ao te ver caminhar por ai, segurando outras mãos. Confesso-te que esse barco navega em um mar de lágrimas feitas por um conflito gritante entre minha emoção e razão. Já fiz a minha escolha e agora arco com suas conseqüências. Aprendi que o amor é quem cura todas as feridas, e ele vem curando as minhas. Amor este, que terá sempre a chama acesa em meu coração independente da direção do vento. Porque apesar das circunstâncias, já te disse uma vez, e sua veracidade estará sempre presente; Amo-te.

    Clarissa Panerare
     

Compartilhar