• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Em qual você se enquadra?

  • Onívoro

    Votos: 24 72,7%
  • Vegetariano (ovo/lacto)

    Votos: 4 12,1%
  • Vegetariano estrito

    Votos: 0 0,0%
  • Vegano (vegetariano estrito que defende animais)

    Votos: 0 0,0%
  • Àsvezesvegetariano

    Votos: 2 6,1%
  • Vegetariano Àsvezesvegano

    Votos: 3 9,1%
  • Nem sei

    Votos: 0 0,0%

  • Total de votantes
    33

Lissa

Chocolatier Honoris Causa
Porque eu sou contra o veganismo: motivo simples, veganismo é,pura e simplesmente, fanatismo alimentar e eu sou contra qualquer tipo de fanatismo. Alémdisso os veganos são altamente incongruentes em sua defesa pelo seu fanatismo alimentar (além de serem extremamente chatos tentando covencer outras pessoas a seguirem suas crenças alimentares errôneas...🤔)
Cara, existem veganos e veganos, né. Sim, tem vegano que não faz recorte de classe e é super elitista (esses eu tenho vontade de quebrar os dentes). Sim, tem vegano namaste-hippie-good-vibes-gratiluz-vamos-abraçar-árvores que xinga indígenas e outros povos originários que vivem de caça. Sim, tem vegano de apartamento que sustenta a indústria predatória e compra "hamburger de planta" advindo de cadeia exploratória do mesmo jeito, porque a indústria está em área desmatada e não tem compromisso com reflorestamento. Sim, tem vegano insuportável fiscal de prato que diz que você, por comer seu bifinho, é o responsável pelo fim do mundo.

Agora, troca todos esses "sim, tem vegano que..." por "sim, tem gente que...". Hipocrisia não é exclusividade de veganos.

Eu, por muito tempo, tive esse pensamento simplista sobre os veganos. Mas fui conhecendo alguns perfis de veganos periféricos e classe média baixa que mostram o dia a dia deles, inclusive como são os pratos e as refeições diárias (já segui várias sugestões até). Então, sim, tem vegano insuportável, tem vegano ecochato e tem vegano super legal. E tem vegano que você nem sabe que é vegano também. Ninguém é obrigado a mudar sua dieta nem seu paladar só porque alguém mandou, isso vale pra onívoro, pra vegetariano, pra vegano, pra crudívoro e pra qualquer estilo de vida alimentar que exista. Custa tanto assim não se meter no prato do coleguinha?
 

Neithan

Ele não sabe brincar. Ele é joselito
Se for por questão de dinheiro, ser vegano é muito mais barato que comer carne. Você vai num hortifruti e com R$50,00 compra comida pra semana toda, enquanto num açougue compre 1,5kg de carne. Tem muita receita boa e barata sem ingredientes de origem animal.

O problema é que a galera quer ser vegano comendo o mesmo que Bela Gil, aí complica.
 

Mercúcio

Usuário
Se for por questão de dinheiro, ser vegano é muito mais barato que comer carne. Você vai num hortifruti e com R$50,00 compra comida pra semana toda, enquanto num açougue compre 1,5kg de carne. Tem muita receita boa e barata sem ingredientes de origem animal.

O problema é que a galera quer ser vegano comendo o mesmo que Bela Gil, aí complica.

Não sei se é tão por aí.

O cara que adota esse modo de vida está abraçando uma puta restrição, né? Então, se o cara quer comer um bolozinho no café da tarde, danou-se, porque tem leite e ovo. E aí ele vai ter que buscar ingredientes alternativos que ele não vai encontrar num hortifruti qualquer: farinha de não sei o quê e sei lá das quantas daquilo outro. E, dependendo, esses ingredientes alternativos podem ser caros sim. Por outro lado, tem várias outras coisas que você consegue produzir por conta própria, se tiver disposição pra aprender e se puder dedicar tempo...

Eu jamais me tornaria vegano, mas tenho uma cunhada vegana que é fera na cozinha e passei a admirar uma coisa:

Nessa era de alimentação ultraprocessada, nós perdemos drasticamente em variedade na nossa cultura alimentar. Sabe aqueles ingredientes que as nossas avós utilizavam e que hoje em dia é uma luta pra se achar? Ingredientes que constavam dos livros de receitas antigos e hoje você não acha nos hortifrutis, coisa que às vezes você acaba tendo que arranjar uma muda com alguém e cultivar por conta própria?

Como os veganos têm essas restrições a produtos de origem animal e isso é bastante limitador, eu vejo, pelo menos a partir da experiência dessa minha cunhada, que eles exploram muito mais opções, ora resgatando alguns desses ingredientes esquecidos, ora inovando com o uso de outros tantos, resultando numa cozinha bastante criativa, por um lado; mas também com algo de tradicional, na medida em que faz esse resgate e contribui pra enriquecer a nossa cultura alimentar.

Sem ter deixado e sem pretender deixar de comer carne, graças a esse convívio, eu ampliei os meus horizontes com relação à alimentação. E esse foi um preconceito que eu superei, de que comida vegana necessariamente é ruim.
 
Última edição:

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Nessa era de alimentação ultraprocessada, nós perdemos drasticamente em variedade na nossa cultura alimentar.
Não só uma era de alimentação ultraprocessada, como também de vida cada vez mais "verticalizada" onde as pessoas mesmo morando em grandes cidades, foram cada vez mais largando a casa térrea com quintal razoavelmente espaçoso que dava pra plantar e cultivar várias coisas variadas, pra ficar confinado a um espaço mais reduzido no concretão e aí com aquele pensamento "Pra quê plantar se no mercado "X" ali perto tem tudo que preciso?". Só que esse "tudo" que esses grandes mercados vendem pode até ser prático e rápido pra se preparar, mas não necessariamente é o mais saudável.

Ainda que esse apartamento tenha uma varanda, mini-quintal ou sacada que permite plantar algumas coisas em vasos, não é a mesma coisa que plantar diretamente no chão e tendo uma possibilidade real de poder colher uma variedade muito maior sem pesticidas ou consevantes.
 

Mercúcio

Usuário
Não só uma era de alimentação ultraprocessada, como também de vida cada vez mais "verticalizada" onde as pessoas mesmo morando em grandes cidades, foram cada vez mais largando a casa térrea com quintal razoavelmente espaçoso que dava pra plantar e cultivar várias coisas variadas, pra ficar confinado a um espaço mais reduzido no concretão e aí com aquele pensamento "Pra quê plantar se no mercado "X" ali perto tem tudo que preciso?". Só que esse "tudo" que esses grandes mercados vendem pode até ser prático e rápido pra se preparar, mas não necessariamente é o mais saudável.

Ainda que esse apartamento tenha uma varanda, mini-quintal ou sacada que permite plantar algumas coisas em vasos, não é a mesma coisa que plantar diretamente no chão e tendo uma possibilidade real de poder colher uma variedade muito maior sem pesticidas ou consevantes.

E não só isso, @Fúria da cidade . Vivemos um processo de perda de intimidade com a cozinha.
Minha esposa é nutricionista e por causa da pesquisa de mestrado dela acabei tomando contato com essa discussão: até umas décadas atrás, a média de horas que os brasileiros dedicavam a atividade de cozinhar era muito maior do que hoje. Não lembro, de cabeça, os números do estudo que apontou isso (posso procurar depois e editar aqui), mas a diferença é drástica...

Então, além de se ter parado de produzir o próprio alimento, como você apontou, em meio a essa aceleração do ritmo de vida, sobretudo nas grandes cidades, as pessoas tendem a comprar comida pronta, comida congelada, fast food, etc etc. Não é à toa que as geladeiras de hoje destinam um espaço muito maior para o congelador, não é mesmo? Lembra das geladeiras antigas, como era reduzido esse espaço?

E, bem... se você cozinha em casa, você tem meios bastante melhores de garantir uma alimentação mais saudável. Se você não cozinha, suas opções ficam mais limitadas...

Essa perda de intimidade com a cozinha se traduz inclusive na formatação dos livros de receita [foi este o objeto de estudo da minha esposa no mestrado: ela analisou livros de receita do século XIX até a atualidade, buscando apreender permanências e transformações nos hábitos alimentares dos brasileiros]. Quando você pega alguns livros de receita do início do século XX, era basicamente só os ingredientes... mal se detalhava o modo de preparo, porque o pressuposto era o de que o público ao qual se destinava aqueles livros já sabia cozinhar. Quando você pega os livros de receita atuais, o foco está exatamente no modo de preparo, naquela coisa bem no passo a passo, processo a processo, for dummies, de tal sorte que mesmo a pessoa que não sabe cozinhar consiga seguir uma receita...
 
Última edição:

Paganus

Ela é agora única no mundo
Prepúcio já chegou postando o que eu ia falar. Oh well.

Só complementando, para além das questões do espaço geográfico e urbano, e dos hábitos alimentares, vida cotidiana acelerada, você tem o contraponto disso na própria oferta. Se não há demanda... agora que isso está começando a ser revertido em alguns lugares, com o retorno de quitandas, feiras, mercados de produtos orgânicos, mas é tudo ainda muito caro e inacessível.
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Em outros tempos seria um absurdo pagar um preço razoável por hortaliças consideradas simples e fáceis de plantar e cultivar a custo praticamente zero, mas esse é o preço que se paga por uma mudança drástica de hábitos.
 

Finarfin

Usuário
E não só isso, @Fúria da cidade . Vivemos um processo de perda de intimidade com a cozinha.
Minha esposa é nutricionista e por causa da pesquisa de mestrado dela acabei tomando contato com essa discussão: até umas décadas atrás, a média de horas que os brasileiros dedicavam a atividade de cozinhar era muito maior do que hoje. Não lembro, de cabeça, os números do estudo que apontou isso (posso procurar depois e editar aqui), mas a diferença é drástica...

Nisso deve entrar também o fato de que a mulher passou a trabalhar fora de casa.
O ideal de esposa do passado, que cuidava da casa e da alimentação da família, não é mais hegemônico.
 

Vela- o Rousoku

Sirius Black
Achar alternativas veganas sempre foi um saco. Mas desde que a nova moça da família real inglesa declarou apreciação por comida vegana e desejo de criar o filho como vegano*, olha... que boom de produtos! Cada dia anunciam um treco diferente!


* (A rainha ficou full pistola, by the way.)
 

Lissa

Chocolatier Honoris Causa
Achar alternativas veganas sempre foi um saco. Mas desde que a nova moça da família real inglesa declarou apreciação por comida vegana e desejo de criar o filho como vegano*, olha... que boom de produtos! Cada dia anunciam um treco diferente!


* (A rainha ficou full pistola, by the way.)
Na faculdade mesmo, desde que eu entrei no meu curso (há 6 anos :wow: ), percebi que explodiram pesquisas de mercado na área do vegetarianismo/veganismo. E, desde que me mudei pra uma área mais central/nobre da cidade, percebi como tem mais de dez restaurantes exclusivamente vegetarianos ou veganos. Claro, apenas nessa zona nobre/central. Quando eu ainda morava no fim do mundo, a hegemonia era, e ainda é, do cachorro quente, da pizza e do xis. Com bastante carne, calabresa e queijo. Eu tinha apenas uma amiga vegetariana que morava perto de mim e pra ela pedir comida era sempre um evento, porque os poucos lugares que tinham opção vegetariana eram caros e a entrega era mais cara ainda.

Por isso o movimento ainda é muito concentrado em áreas nobres de grandes cidades e a periferia segue tendo a ideia (que não tá muito errada) de que veganismo é coisa de rico. Não conheço nenhum vegetariano ou vegano que não goste/saiba cozinhar, porque todos precisam montar seus cardápios semanais e preparar as refeições com antecedência. Por isso, pra mim, é mais um motivo que me impossibilita virar vegetariana. Eu não gosto de cozinhar e morro de preguiça de passar um dia inteiro picando legume. Eu teria de viver de Delivery e aí... :lol:
 

Melian

Período composto por insubordinação.
Eu não gosto de cozinhar
Eu amo cozinhar (odeio a obrigação de cozinhar; mas o ato, em si, me é muito aprazível). E não pretendo parar de comer carne (embora tente reduzir o consumo por questão de responsabilidade ecológica, social e tudo o mais), mas gosto de quase tudo (chuchu e peixe eu detesto; feijão, eu não gosto, mas se cozinhar no dia, e temperar bem, dependendo do dia, até como um cadinho).

Adoro ficar olhando pratos decorados que nunca poderei comprar, e coisa e tal. hahahaha (Sim, eu vou desvirtuar o tópico. O assunto é sério, importante, mas cês já falaram as coisas necessárias. Agora, falta alguém pra falar pelos cotovelos por aqui. Vim assumir a função). E nem precisa ser "coisa séria", não. Se tiver dinossauros ou alguma outra coisa de que gosto, eu já acho o máximo. (Só botam dinossauros em coisas de criança. Muito triste).

No momento, estou fascinada por este trem, que vi no Twitter:

1619218907791.png
 

Fianna

PrapedirsilêncioeuBERRO,prafazerbarulhoeumesmofaço
Cara, existem veganos e veganos, né. Sim, tem vegano que não faz recorte de classe e é super elitista (esses eu tenho vontade de quebrar os dentes). Sim, tem vegano namaste-hippie-good-vibes-gratiluz-vamos-abraçar-árvores que xinga indígenas e outros povos originários que vivem de caça. Sim, tem vegano de apartamento que sustenta a indústria predatória e compra "hamburger de planta" advindo de cadeia exploratória do mesmo jeito, porque a indústria está em área desmatada e não tem compromisso com reflorestamento. Sim, tem vegano insuportável fiscal de prato que diz que você, por comer seu bifinho, é o responsável pelo fim do mundo.

Agora, troca todos esses "sim, tem vegano que..." por "sim, tem gente que...". Hipocrisia não é exclusividade de veganos.

Eu, por muito tempo, tive esse pensamento simplista sobre os veganos. Mas fui conhecendo alguns perfis de veganos periféricos e classe média baixa que mostram o dia a dia deles, inclusive como são os pratos e as refeições diárias (já segui várias sugestões até). Então, sim, tem vegano insuportável, tem vegano ecochato e tem vegano super legal. E tem vegano que você nem sabe que é vegano também. Ninguém é obrigado a mudar sua dieta nem seu paladar só porque alguém mandou, isso vale pra onívoro, pra vegetariano, pra vegano, pra crudívoro e pra qualquer estilo de vida alimentar que exista. Custa tanto assim não se meter no prato do coleguinha?
Concordo com voce completamente,gente idiota existe sendo vegana, vegetariana ou carnívora. Mas o fato é que a natureza criou algo chamado "cadeia alimentar " a incluiu o ser humano dentro dela como um animal onivoro. Isso é um fato. Além disso nós somos mamíferos, outro fato, e a falta de consumo de leite e absorção de cálcio causa um sério problema:a oesteosporose(o que significa que a alimentação vegana nao é tão saudável como os veganos alegam...) O motivo para não tomar leite é completamente absurdo...Além do que os veganos são muito chatos e irritantes quando resolvem que parte da missão da vida deles e convencer quem não é vegano a passar para uma dieta vegana!
 

Valinor 2021

Total arrecadado
R$200,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo