1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Vathek

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por imported_Kelvin, 8 Mar 2011.

  1. imported_Kelvin

    imported_Kelvin Usuário

    Não é sem propósito a afirmação Borges acerca do enredo final desse livro, principalmente no que concerne às suas últimas 10 páginas. Com um certo orientalismo (termo que não existia na época), o livro ecoa passagens das mil e uma noites, recém chegadas à Europa na época de Beckford, bem como guarda algumas semelhanças com o conto árabe de Voltaire (Zadig). A inversão da caminhada dantesca e o eco faustiano na construção do personagem principal, por si só justificam a leitura desse livro, que segundo Borges dá de brinde uma antecipação dos esplendores de De Quincey, Poe, Baudelaire e Huysmans. De fato, o julgamento de Beckford é cruel. Seu livro, outrossim, é fantástico.

    Segue link da wikipedia sobre o livro e sobre a biografia do biblófilo, William Beckford:

    http://en.wikipedia.org/wiki/Vathek

    http://pt.wikipedia.org/wiki/William_Beckford
     
  2. imported_Rafaela

    imported_Rafaela Usuário

    Vi esse livro na biblioteca, uma coleção portuguesa. Ele é considerado romance gótico. Quero ler, mas agora só nas férias mesmo. Nem terminei O Primo Basílio e a prova é no fim do mês!
     
  3. imported_Kelvin

    imported_Kelvin Usuário

    Rafaela, a edição que li também é portuguesa. De capa preta, da editorial estampa (Lisboa, 1978), comprada via estante virtual. O livro e fininho (143 pgs). O que vc está achando do primo Basílio ? Comprei a obra completa do Eça (Nova Aguilar), mas ainda não decidi por onde começar ?
     
  4. imported_Rafaela

    imported_Rafaela Usuário

    É essa coleção mesma Kelvin! É muito boa. E O Primo Basilio é melhor do que eu esperava! A história até te prende. É muito bem contado tb, só que eu prefiro o Romantismo ao Realismo.
     
  5. Tataran

    Tataran Usuário

    Esse texto de Borges sobre Vathek realmente é bem interessante. Está nas Outras Inquisições que terminei há menos de uma semana.
     
  6. Clara

    Clara O^O Usuário Premium

    Li Vathek este mês e achei bem bacana.

    É certo que o personagem principal, o califa Vathek, é um bocó sem princípios nem coragem, do qual não se pode nem dizer que é maléfico e que usa uma inteligência superior para o mal.
    Não. Ele é simplesmente uma criança crescida, ranhenta e mimada, que choraminga sempre que as coisas não são do jeito que ele quer.
    Nem aquele papo de possuir um "olho terrível", que pode matar alguém só com um olhar, convence.

    Agora, o que gira em torno da história do califa de merda é realmente assustador.
    O demônio Giaour é horrendo, a descrição de quando ele espera um sacrifício no abismo é de causar pesadelos.
    Mas personagem de terror é mesmo a mãe de Vathek, Carathis.
    Acho que ela é o modelo pra todas as megeras e bruxas que surgiram na literatura posterior a "Vathek".
    Particularmente na parte em que sai em busca do filho a bordo daquele camelo monstruoso e na companhia de suas escravas.
    Apenas esses personagens, nessa passagem, daria um conto de terror magnífico.

    Enfim, "Vathek" tem alguns problemas como o personagem principal não convencer e as mudanças repentinas na história que parece ir pra um lado e de repente muda tudo, talvez isso se deva ao fato de (dizem) ela ter sido escrita em três dias e duas noites.
    Outra coisa que incomoda um pouco é o fato de as pessoas ruins serem todas mulheres ou negros.
    As pessoas negras da história, aliás, são totalmente sem inteligência nem vontades, existem só pra servir aos propósitos dos personagens principais que, embora se passe no Islã, são todos brancos.

    Mas se você consegue passar por cima disso e gosta de uma boa história de terror, "Vathek" é indicada. :yep:

    Uma dica: se ler a edição da L&PM, que possui duas introduções do Jorge Luis Borges, deixe pra ler os prólogos depois porque, num deles, o Borges conta a história toda, até o final. =/

    Pergunta pra quem já leu "Vathek": alguém sabe o motivo de os escravos do mal só possuírem um olho na cara? :think:


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  7. Calib

    Calib Visitante

    Comprei esse livrinho numa promo de 3 dilmas.
    Ainda não li, mas se o Borges paga pau deve ser bom. =)
     
    • LOL LOL x 1

Compartilhar