1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Valinor entrevista Pandatur

Tópico em 'Comunicados, Tutoriais e Demais Valinorices' iniciado por Artigos Valinor, 25 Jun 2005.

  1. Artigos Valinor

    Artigos Valinor Usuário

    Dessa vez, entrevistamos Henrique Costa, o Pandatur do fórum Valinor. Ganhador dos prêmios de Melhor Colaborador Notícias, Destaque Tolkien no Fórum, Destaque do Fórum (júri e popular) e Maior Colaborador de Notícias no 1º Estrelas de Valinor, ele nos fala como começou a se interessar por Tolkien e suas obras, aproveitando para contar um pouco sobre sua vida.

    Colaboradores Fórum Valinor (CV) - Fale-nos um pouco de você. Nome, idade, profissão, essas coisas...

    Henrique Costa (HC) - Henrique Caldeira Costa, 19 anos. Graduando do 5º Período de Ciências Biológicas na Universidade Federal de Viçosa - MG Natural de Campo Belo - MG. Estagiário voluntário no Museu de Zoologia João Moojen.


    CV - Como conheceu Tolkien?

    HC - Bem... Em meados de 2000, um primo meu de Belo Horizonte me disse que iria ler um livro que, segundo um colega dele, "foi escrito pelo cara que influenciou o RPG". Eu me interessei e perguntei que livro era. "O Senhor dos Anéis (SdA)”, disse ele, "mas antes você tem que ler ‘O Hobbit’, que conta o que acontece antes de SdA". Fiquei intrigado com aquilo. Eu joguei RPG durante minha infância com meus primos, e o tal SdA parecia ser interessante. Comprei e li “O Hobbit” e achei maravilhoso. Em seguida, comprei os três volumes de SdA. Tudo começou assim.


    CV - E o que já leu de Tolkien?

    HC - "O Hobbit" (três vezes), "O Senhor dos Anéis" (quatro vezes), "O Silmarillion" (três vezes), "Contos Inacabados" (duas vezes), "Roverandom" e "Mestre Gil de Ham" (uma vez cada), além de diversos textos e cartas publicados na Valinor.


    CV - Por que você acha que gostou tanto desses livros?

    HC - Fantasia é algo que me atrai bastante. E como eu jogava RPG, ler sobre orcs, hobbits, e elfos é algo maravilhoso. Mas Tolkien também conseguiu criar tudo de uma forma tão intrigante que é fantástico. O grau de complexidade é um ponto intrigante, por exemplo. Você acaba de ler SdA e se depara com aqueles apêndices... são muito legais! Toda aquela cronologia, todo aquele amontoado de informações. É meio complicado expressar isso.


    CV – Qual livro da obra de Tolkien é o seu favorito?

    HC - "O Silmarillion". A narrativa mais "épica" por exemplo é um ponto. Mas acho que o principal motivo é o fato de eu achar a Primeira Era de Arda o "ponto alto" do lengedarium.


    CV - Mas apesar de gostar do Silmarillion, o SdA foi o que você mais leu. Por que?

    HC - Sim, é verdade. Mas isso é culpa dos filmes. Todo ano eu lia SdA devido aos filmes, para fazer comparações. E nem sempre minhas férias eram suficientes para ler os outros livros.

    CV - Qual é o seu personagem favorito em Tolkien?

    HC - Caraca... pergunta complicada, hein? Acho que cada vez que releio, eu mudo de opção. Acho que não tenho um preferido, mas gosto muito do Túor. Mas provavelmente eu mude de opinião quando ler o Silma (O Silmarillion) mais uma vez...
    Ah sim, acabei de lembrar uma coisa. Gosto bastante de personagens secundários, talvez por serem pouco explorados e muitas vezes ficar aquele "ar de mistério" em torno deles. Halbarad, Elladan e Elrohir, e até mesmo Éomer são personagens que me agradam bastante.


    [page]
    CV – Você tem alguma passagem favorita na obra?

    HC – Algumas. Gosto muito do "Conto dos filhos de Húrin" (somando o do Silma com o do Contos). Mas acho maravilhosas algumas passagens do SdA, como a cena de Faramir e Éowyn nas Casas de Cura, a conversa entre Aragorn e Boromir quando este está morrendo, e os capítulos finais de RdR (O Retorno do Rei), antes do Expurgo.


    CV - Existe alguma passagem dispensável nos livros?

    HC - Dispensar eu não dispenso nada. Se Tolkien deixou lá é porque ele considerava importante. Mas sempre achei a parte do Tom Bombadil meio chata, por exemplo, assim como algumas passagens de Frodo e Sam em Mordor.


    CV - Você desgosta ou se decepcionou com algum desfecho ou algum acontecimento específico do livro?

    HC - Deixe eu pensar... que me venha à mente agora não. Só aquelas "partes chatas" que citei.


    CV – Tendo lido os livros em português, que tipo de tradução você prefere? A da Martins Fontes (MF), que traduz a maioria dos termos e é mais fiel aos desejos de Tolkien, ou a da Europa América, que mantém a maioria dos termos no original?

    HC - A da MF. No original, o Westron foi traduzido para o inglês. Então para nós, é melhor que os nomes estejam em português, pois é como se nos desse mais familiaridade. Pode parecer meio bobo, mas eu acho que traduzir os nomes (desde que de uma forma correta e que soe bem) é melhor do que deixá-los no original, pelo menos nas obras de Tolkien.


    CV - E quanto às omissões e eventuais equívocos na tradução da MF? Você acha que isso acaba pesando na impressão final sobre a leitura?

    HC - Acho que para quem lê SdA como apenas mais um livro, não faz diferença alguma. Mas para nós que lemos e estamos sempre discutindo, nós que somos grandes fãs das obras do Professor, o problema é maior. São datas erradas, nomes trocados, parágrafos faltando... isso tudo é péssimo. Eu não tenho ânimo para reler SdA depois disso, mas pela falha da MF.


    CV – Vamos aos filmes. O que você achou da adaptação do Peter Jackson (PJ)?

    HC - PJ fez um trabalho maravilhoso. Levar Tolkien para a telona é um desafio e tanto. É claro que ele fez algumas ca****s que poderiam ter sido evitadas, mas no geral, os filmes foram fantásticos e merecem aplausos.


    CV - Quais ca****s? Fale de algumas...

    HC - O Faramir de AdT (As Duas Torres), Frodo e Sam sendo levados à Osgilliath e Frodo oferecendo o Anel a um Nazgûl. Em RdR, temos a cena de Gandalf acertando uma cajadada em Denethor, ou a explicação de Elrond a Aragorn sobre a vida de Arwen estar ligada ao Anel. Coisas desse tipo que não fazem sentido estarem ali. Poder-se-ia manter uma maior fidelidade à obra evitando tais cenas, ou deixando-as como realmente são no livro.

    CV - Qual é o seu filme favorito da trilogia?

    HC – RdR. É assim com o livro, acho que não seria diferente com o filme (a não ser que o PJ surtasse e fizesse uma grande merda). Em RdR há tudo o que eu gosto em um livro: lutas, mortes, felicidade, tristeza, suspense, amor... acontece tudo naquele livro (e no filme!!!)
    [page]
    CV - O que levou você a procurar sobre Tolkien na Internet? Como chegou na Valinor?

    HC - Hmmm... legal. Na verdade na época eu cheguei na Pelennor. Foi ainda em 2000. Eu não tinha PC, mas estava na firma do meu pai num domingo, acho. Meu irmão estava resolvendo uns problemas com um computador e eu pedi para usar a Internet. Fui no "Cadê" e digitei "senhor dos anéis tolkien", e me deparo com um link para um site que estava identificado como "novo", chamado Pelennor.
    Entrei e me deparei com um lugar onde se tinha muita informação sobre as obras, além de notícias sobre o filme (na época as gravações estavam terminando). O melhor era a sessão "Anais dos Reis", onde o Imrahil respondia dúvidas. Quase todo dia eu mandava algo para ele. Cheguei até a tirar dúvidas via ICQ com ele e o Deriel (risos).
    E pela Pelennor eu acabei descobrindo a Calaquendi (que era do Deriel). Em 2001 eu me mudei para Belo Horizonte para estudar, e raramente tinha acesso à Internet. Um belo dia de junho (ou julho) eu me deparo com a Valinor ao tentar acessar a Pelennor.


    CV - Você sempre apareceu como um visitante da Valinor interessado não só em ler as notícias, mas também em colaborar enviando-as para que fossem publicadas. Como você enxerga essa sua característica?

    HC - Não sei ao certo. Sempre gostei de dar uma força quando descobri algo que achasse interessante. Tem hora que eu me pego pensando porque estou fazendo Biologia e não Jornalismo (risos). Mas realmente não sei como explicar esta característica minha.
    A Valinor é muito importante na minha vida, é um lugar que amo freqüentar, e acho que poder ajudar a melhorá-la é meio que tentar retribuir toda a alegria que o site e o fórum me proporcionaram e proporcionam até hoje. É muito bom.

    CV – Demorou muito para você entrar para o Fórum Valinor?

    HC – Sim, demorou. Cadastrei-me só em junho de 2002. A Valinor existe desde 2001. Mas o motivo da demora foi mesmo o fato de eu não possuir um computador antes. Só comprei meu PC em 2002, quando me mudei para Viçosa. Pouco depois resolvi me cadastrar no fórum para ver como funcionava e não saí mais.

    CV - E aí escolheu o nick Pandatur Parmandil, que já causou algumas boas piadas não é? Sua assinatura clássica é "Pandatur não é uma empresa que leva você para ver os pandas..." agora acrescentado de "e Parmandil não é uma variedade de queijo..." O significa esse nick?

    HC - Bem, o nick foi fácil. Eu escolhi após olhar o “Now We Have All Got Elvish Names” (
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ). Pandatur não é nada além de Henrique em Quenya. O Parmandil veio bem depois, na verdade só no ano passado. Como adoro ler livros, resolvi fazer uma analogia ao "amigo-dos-elfos" que ocorre em Tolkien. Daí veio Parmandil (amigo-dos-livros).

    CV - E como você vê as brincadeiras com relação ao seu nick?

    HC - Eu levo numa boa. Todo mundo me chama de Panda, Urso, Ursinho... acho até engraçado. O Eru [O Ilúvatar, usuário do fórum] agora me chama de Parmesão, Provolone por causa do Parmanidl... eu mesmo me divirto às vezes...


    CV – Quando você entrou para o fórum, não se interessava pelas outras áreas, ficando apenas na parte de Tolkien. Por que?

    HC - Na verdade não era falta de interesse. Eu sempre postei muito nas áreas Tolkien e no Literatura, afinal, sempre gostei de discutir sobre as obras do professor e livros em geral. Mas vez ou outra eu dava as caras no Música, no Cinema, ou até no Comunidade. Mas acho que depois de ter conhecido pessoalmente a turma, e principalmente pela maioria postar nas áreas off-Tolkien, acabei aparecendo mais nessas áreas depois de freqüentar os encontros.
    Fui "corrompido", como diz o Eru (risos).

    [page]
    CV - Depois dessa socialização com as outras áreas do fórum, vieram as indicações para o Estrelas de Valinor (EV), incluindo Destaque do Fórum. Como você vê essa nova premiação criada pela Valinor?

    HC - A premiação é uma ótima idéia. Acho que, em um fórum, é sempre bom inovar. O EV fez exatamente isso. Antes existia o Fórum Awards, mas não era algo oficial como é o EV. Foi uma idéia maravilhosa, que deve persistir. E uma surpresa me ver entre os indicados.


    CV - Você foi indicado aos prêmios de Melhor Colaborador Notícias, Destaque Tolkien no Fórum, Destaque do Fórum (júri e popular) e Maior Colaborador de Notícias. Qual foi o prêmio que te deixou mais feliz?

    HC - Eita... todos! Cada um tem um gosto especial, na verdade. Os relacionados às notícias me deixaram contentes pois me deram ainda mais gás para continuar com esse trabalho, pois mostrou que o pessoal tem gostado do que fiz até agora. Destaque Tolkien foi outra surpresa. Eu concorria com dois mestres meus (Fëaruin Alcarintur e Swanhild), além do Ringil, que é alguém que conheço há muito tempo no fórum, e o Charlie Brown, o Minduim, que é mais novo, mas tem se destacado bastante. Ou seja, foi uma disputa difícil. Mas ser reconhecido pelos usuários como Destaque é maravilhoso. O mesmo foi com o Destaque do Fórum, que talvez tenha sido a maior surpresa das indicações. Vencer V, Primula e Ristow no voto popular foi algo que me deixou meio abobalhado...


    CV – No voto popular você foi uma unanimidade, vencendo as três categorias a que concorria. No júri, entretanto, recebeu apenas um prêmio. Como você explica essa diferença?

    HC - Eu acho que o voto do júri é algo mais "técnico". Creio que recebi muitos votos para Destaque em Tolkien devido à minha participação mais ativa no “Diga Amigo e Entre” nos últimos meses. O Fëa também participa bastante lá, mas acho que talvez menos que eu. Isso pode ter feito diferença no voto popular. Mas não comparo um post do Fëa com um post do Panda. Ele se expressa melhor que eu, sabe muito mais que eu. Acho que o nível dos posts dele comparado ao nível dos meus foi a diferença no voto do júri.
    Quanto ao Destaque do Fórum, acho que aconteceu quase a mesma coisa. O fato de eu ter tido uma participação mais ativa do que antes nas áreas off-Tolkien, além de ter conhecido pessoalmente muita gente que vê no Pandatur não só um usuário mas o Henrique também, deve ter influenciado. Mas por lá eu sou mais um flooder como a maioria. O Ristow é o cara que sempre posta algo que merece ser lido com atenção. Os posts dele são sempre de relevância, em qualquer área que ele poste. Para o júri, a diferença deve ter sido essa.


    CV - Diga aqui, só pra gente, em quem você votou?

    HC - Em mim. Nas outras áreas de votação eu quase não votei, pois conheço pouco ou quase nada. Eu queria ganhar, ué. Nada de errado nisso! Mas foi como eu disse no meu post de agradecimento. Se sou destaque na área Tokien hoje, é porque muita gente me passou conhecimento para que eu chegasse lá. Maglor, Swanhild, Fëaruin, Galahan... devo muito a esses caras.


    CV – Quais as mudanças que você propõe para a próxima edição do Estrelas da Valinor, a ser realizada em junho?

    HC - Sinceramente eu não sei. Acho que muita gente iria propor a criação de mais áreas de indicações para o fórum e tal, mas é como o Deriel disse, o EV é uma premiação de toda a Valinor, e não do fórum, e o fórum é somente parte da Valinor. A princípio eu acho que não tenho nada a propor. Acho que correu tudo bem. Esse é o ponto de vista de um usuário. Vai ver a administração do evento tem uma visão um pouco diferente da minha...

    [page]
    CV - Quem acompanha suas mensagens há algum tempo percebe que você é disposto e está sempre tomando novas iniciativas. Você gosta de estar sempre se envolvendo em novos projetos e pondo em prática novas idéias?

    HC - Sim. Acho que renovar e inovar é sempre bom. O pessoal da Colaboração sabe disso. Vez ou outra eu mando umas idéias para lá. Acho que se não se tentar por em prática novas idéias, a coisa toda vai ficando chata. É sempre bom aparecer com novidades que deixem o pessoal animado.


    CV - Qual desses seus "projetos" te dá mais orgulho?

    HC - Olha, acho que os que ficaram prontos! A Cronologia da Primeira Era que eu fiz junto com a Swanhild e com auxílio do Fëaruin me agradou muito depois de terminada (ela pode ser conferida na Dúvendor). A entrevista com o Ted Nasmith também, é claro! Foram meses de aflição até ver tudo realmente pronto e enfim publicado. Dá mais gás para continuar!
    Segredo... Estou com o pessoal da Colaboração trabalhando em mais uma entrevista, e já estou mexendo os pauzinhos com outra junto com o Eru. Mais que isso eu não conto para não perder a graça.


    CV - E como surgiu a idéia de entrevistar o artista Ted Nasmith?

    HC - "Quando" surgiu a idéia eu não sei. Entrevistar é algo que eu acho legal (mas ser entrevistado me deixa todo enrolado, estou vendo isso). Pouco depois de entrar no fórum eu fiz duas entrevistas com autores nacionais de fantasia: Fábio Rezende e Michelle Klautau (as entrevistas podem ser conferidas no sub-fórum Literatura). Tive outras idéias depois mas que acabaram não se viabilizando. Até que por volta de Outubro de 2003 eu tive a idéia de entrevistar o Nasmith, sei lá porque. Falei com ele por e-mail e ele aceitou. Entrei em contato com o Eru pedindo auxílio e ele gostou da idéia. E fizemos a entrevista...
    O Nasmith é um ótimo ilustrador. Gosto muito dos trabalhos dele. As paisagens, as construções e as vestes são os pontos fortes das imagens que ele pinta. Só não gosto muito dos rostos. Mas ele é excepcional, e achei que merecia ser entrevistado. Princialmente porque eu queria saber o que ele mudaria nos filmes!!!


    CV - O que você acha da arte dos irmãos Hildebrandt?

    HC - Os Hildebrandt são ícones. Se você perguntar ao Nasmith, ao Howe, ao Lee, todos irão te dizer que foram influenciados pelo trabalho do Greg e do Tim Hildebrandt. Eu não gosto muito das imagens clássicas deles de SdA da década de 70. São muito "conto de fadas" para o meu gosto, com imagens que destoam do que eu sempre imaginei. Mas eles são ótimos pintores e têm muitos trabalhos belíssimos como algumas cartas de Magic, HQs da marvel, cards de Harry Potter, além de algumas liustrações recentes baseadas em SdA com um visual bem mais bacana.


    CV - E vocês pensam em entrevistá-los algum dia ou já estão planejando fazer outra entrevista?

    HC - Vocês são insistentes hein! A próxima entrevista é segredo... já disse... (risos)

    [page]
    CV - Mas se você pudesse escolher alguém para entrevistar então, quem seria?

    HC - Hmmm... sei lá.... Christopher Tolkien. Mas o véio cria javalis para espantar repórteres... aí fica difícil ir lá bater um papo com ele...


    CV – Para finalizar, deixe um recado pros leitores da Valinor que tenham votado em você ou não. E, é claro, para todos que estão aguardando a próxima entrevista.

    HC - Quero dizer que a Valinor e o fórum fazem parte da minha vida. Adoro esse pessoal todo, e fiz várias amizades. Agradeço a vocês por isso. E obrigado também a todos que votaram em mim no EV, e os que não votaram também. Todos foram importantes para que o EV desse certo.
    Quanto à próxima entrevista, continuem curiosos. Mas se depender de mim ela sai logo, fiquem tranqüilos. Não vai levar quase seis meses de novo não.... (risos). Acho que é isso. Um abraço a todos e muito obrigado. Obrigado à Colaboração pelo convite para a entrevista e aos leitores pela paciência em ler isso aqui... já vi que prefiro entrevistar a ser entrevistado....
     
  2. Marendûr

    Marendûr Babuíno que adora Mulheres!

    Cara, ótima a entrevista!
    A diferença da Valinor para qualquer outro site da net (e hoje em dia também o Orkut) é esse ar intimista que há entre os membros, colaboradores e moderadores. Conhecer o Panda melhor foi ótimo, saber que ele mora aqui pertinho (sou de BH), também!
    É um incentivo para continuar sempre postando, lendo e conhecendo o pessoal!
    Até!
     

Compartilhar