1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Validade das Obras Póstumas de Tolkien

Tópico em 'J.R.R. Tolkien e suas Obras (Diga Amigo e Entre!)' iniciado por Lord Henry, 2 Jan 2003.

  1. Lord Henry

    Lord Henry Usuário

    (Criado a partir do tópico "Queime, PJ, queime!")

    Pelo contrário, ele deve acender uma vela por dia para o Peter Jackson. Por quê? Nunca se vendeu tantos livros de Tolkien desde o lançamento do primeiro filme, inclusive aqueles livros picaretas que ele (o filho) andou lançando pra ganhar dinheiro com o material que o pai nunca gostaria de ver publicado (acho que o Tolkien deve estar se revirando muito mais no túmulo por causa disso do que por causa do filme).
     
  2. V

    V Saloon Keeper

    Tipo... O Letters? :mrgreen:
     
  3. Lord Henry

    Lord Henry Usuário

    Por exemplo.


    Estou vendo o dia em q ele vai lançar as redações q Tolkien fez na escola. A primeira será "Minhas Férias". Provavelmente com um prefácio relacionando a briga que Tolkien teve com outro moleque por causa de um pirulito com o surgimento dos Orcs na Terra Média.
     
  4. Deriel

    Deriel Administrador

    Céus!

    Chamar o Letters de inútil é a coisa mais absurda que eu já li por aqui. Você não tem a mínima idéia do que realmente seja o Letters, né?
     
  5. Lord Henry

    Lord Henry Usuário

    Vc leu o que eu escrevi? Falei que era picareta, e continuam sendo. A Letters são as famigeradas cartas do Tolkien. Grandes m****. Pra vc pode ser o máximo vler tudo isso, e daí? Deixou de ser um lançamento pra ganhar dinheiro? Claro que não. E aquele monte de volumes sobre rascunhos do Tolkien com a história da Terra Média? Podem ser interessantes pra vc, mas continuam sendo picaretas. Por quê? Porque ele publicou algo pra ganhar dinheiro, em primeiro lugar.

    Acho muito engraçado as pessoas culparem o Peter Jackson que realmente é fanático pelos livros do Tolkien. Ele fez por dinheiro? Tb. Mas vc sente que ele gosta muito da obra. Quanto ao filho dele, tenho minhas dúvidas. Ele públicou diversas coisas que o pai dele nunca queria ver publicadas e ele SABE muito bem disso. Então por que o fez senão pra ganhar dinheiro? Acho que apenas o Silmarillion era pra ser publicado. Publicar qualquer rascunho dele, em uma porrada de volumes, pra ganhar dinheiro, pra mim, é muita picaretagem.

    Acho q seu post precipitado foi a coisa mais absurda q já li aqui.
     
  6. Knolex

    Knolex Well-Known Member In Memoriam

    Po1 O Letters é legal pacas!! E muito útil sim!! Eu ainda não li inteiro, mas o pouco que li, me mostrou que é uma compilação que ajuda a aparar muitas arestas deixadas por Tolkien em suas obras...
     
  7. Deriel

    Deriel Administrador

    É, você coloca uma opinião burra e preconceituosa sem nem ter tido contato com as obras que critica. Uma pena, não sabe o que perde.
     
  8. Lord Henry

    Lord Henry Usuário

    Burra e preconceituosa fica por sua conta. Qual seu argumento para essa conclusão além de seu próprio gosto original. Vc leu a que eu estava me referindo e como me referi? Talvez sim, mas acho que vc ficou tão nervosinho q não tenha parado para ponderar. Vc pode achar a Letters maravilhosa, pode achar q tudo seencaixa perfeitamente, pode achar q agora o universo (de Tolkien) faz sentido, pode achar excelente para entender mais sobre ele etc. E daí? Isso nega, modifica ou desqualifica o porquê da questão ter entrado em discussão? Muda o fato da publicação da obra em si? Muda alguma coisa? Não seja tão apressado em julgar as pessoas através do gosto manifestado. Se eu dissesse que acho a obra de Tolkien ruim vc diria q é uma "opinião burra e preconceituosa"? Em algum momento fiz qualquer juízo de valor a respeito do conteúdo das obras publicadas pelo filho de Tolkien? Fiz uma brincadeira, sim, porque vai chegar uma hora em q não vai haver mais o q publicar. E a julgar pela necessidade (ou seria vontade) constante da família Tolkien de ter dinheiro, não sei se é tão absurdo.

    Antes de exprimir suas opiniões de forma tão apressada e, sobretudo, agressivas, leia com mais calma e pondere as coisas. Tenho certeza que vc será capaz de argumentar de forma muito mais interessante do que cuspir desaforos.
     
  9. Deriel

    Deriel Administrador

    Devo fazer como você? Falar falar e não dizer nada? Ou devo entrar na discussão do "o que será que Tolkien publicaria" e deveríamos afzer uma sessão espírita?

    É claro que você não tem muitos recursos pra afirmar o que Tolkien gostaria ou o que Tolkien acha pois justamente não leu o único livro que trás as idéias dele próprio. Você acusa de ser caça-níqueis e eu reafirmo que depois do Cânone, é a obra mais importante, pertinente e adequada publicada, e o que menos é é caça-níquel (quantas pessoas você acha que compram ou comprariam o livro?).

    Pode bater a cabeça na aprede o quanto quizer, mas não vou ficar discutindo seus "achismos" não.
     
  10. Lord Henry

    Lord Henry Usuário

    Nenhum autor gosta que se publiquem obras inacabadas, ainda mais rascunhos antigos. A julgar pelo perfeccionismo de Tolkien, muito menos ele. Cartas são coisas extremamente pessoais. Duvido que qualquer pessoa gostaria de ter suas cartas publicadas se não tivesse sido expressamente declarado (e aí passaria por uma óbvia auto-censura). Você gostaria que reunissem todos os seus e-mails e publicassem?

    Quanto à importância da obra, reafirmo que é uma questão de gosto pessoal. Quantas pessoas não acham importante uma biografia, ou mais ainda uma autobiografia, para entender melhor a obra de um autor? Quantas escolas de Teoria Literária não defendem ferrenhamente que não se pode dissociar autor de obra? Muitas. Mas outros muitos acham o contrário. Eu, por exemplo. As cartas, sendo íntimas e reveladoras, podem figurar junto com biografias nesse ponto. Você acha importante para a compreensão da obra e do autor. Eu não acho. Isso é uma questão de opinião. Escolas literárias discutem isso durante séculos, e não acredito que nós aqui chegaremos muito longe nesse ponto. ENtão, cada um com sua opinião. Eu acho que a obra existe por ela, vc, provavelmente, não. Minha opinião é que aquilo q me é importante e caro no livro é aquilo q eu interpreto pelo q está escrito. Pelo autor, certamente, mas com minha vinha visão pessoal, pois cada leitura é uma leitura diferente. Você acha o Letters maravilhoso e revelador? Ótimo. Opinião sua. A minha é diferente. Alguma é melhor? Não creio.

    Acima de tudo, o que se centrou meu post original, era sobre a picaretagem do filho de Tolkien. Pois bem. Você acredita que os livros q o filho dele lançam é para honrar e homenagear os pais e/ou os fãs? Não estou querendo julgar, note bem, se ele gosta ou não do pai. Não duvido que ame. Mas as publicações de obras inacabadas, rascunhos e, sobretudo, de cartas, que são a expressão (externa) mais íntima dos sentimentos de uma pessoa, seriam aprovadas pelo autor? Quanto ser o menos caça-níquel, acho que não importa a quantidade de pessoas que compraram (o filho é adivinho? saberia de antemão?). Creio que apenas fãs ferrenhos comprem esse livro, não qualquer leitor casual. Assim como qualquer outra obra "póstuma" dele. Isso torna o livro menos "caça-níquel" como vc disse? Creio que não. Qualquer herdeiro que sobreviva à sombra do pai (da mãe, avô etc.), às custas de sua obra, pra mim, não é respeitável. Não conheço Christopher, ele pode ser a pessoa mais amável do mundo, mas nunca vou concordar com o que ele faz porque, pra mim, é falta de respeito. E o lançamento desses livros, uma picaretagem, para ganhar dinheiro.

    Quanto aos "achismos", vc acha que ler essas cartas lhe dá direito de dizer com certeza o que Tolkien pensava? Se você acha que sim, é ingênuo. Imagino que não seja o caso. Imagino que vc me ache sem base para falar qualquer coisa sobre Tolkien autor e pessoa. Vc pode acreditar que tem mais base para isso e achar q nem vale a pena discutir. Tanto faz. Se isso te anima, das cartas, eu só li (num site inglês) a carta em que ele discutia o filme que queriam fazer e criticava o roteiro. E daí? Isso me tira qualquer direito de não gostar dos atos do filho? Isso me tira o direito de achar que se deve separar autor e obra? Você vai me perdoar, mas mesmo sabendo todas as cartas de cor, você também vai estar carregados de "achismos". Afinal, se Tolkien se contradizia a todo momento em sua obra (e mesmo supondo que não faça nem nunca fizesse), vc acha que o comportamento de uma pessoa é tão superficial a ponto de ser completamente previsível?

    Bem, lamento, mas estamos todos carregados de "achismos". E qualquer discussão literária será sempre "achismo". E se vc acha (!!!) q não, eu continuo achando (!!!) que sim.
     
  11. Deriel

    Deriel Administrador

    Mas aí que está, ao não conhecer o Letters, você afirma uma inverdade: fica claro que você não sabe que as únicas cartas publicadas são as técnicas (ou seja, relacionadas à obra) e não as sobre assuntos pessoais. E eu não vejo problema algum em publicarem meus e-mail técnicos (embora não sei a quem fossem interessar). O Letters é muito menos intrusivo do que uma biografia, seja ela qual for.

    E justamente por ter lido o Letters que eu me sinto mais confortável pra afirmar a validade e importância dele, pois é a única obra que nos mostra Tolkien explicando a própria obra, e isso nos tira muito do "achismo" que você afirma que tem. Muito não é achismo, está lá, escrito. Argumentar o que, nesse caso?

    E quanto ás atitudes do Christopher, seria no mínimo no mínimo uma temeridade afirmar qualquer coisa, afinal, ele é o filho do homem e não você ou eu. Quem passou 60 anos da vida com Tolkien foi ele, e num relacionamente profissional bastante intenso, além, claro, do familiar.

    Também acredito que você não teve quaalquer contato com os livros da série HoME, pois saberia que eles são muito mais um "estudo acadêmico" sobre a obra de Tolkien do que "livros de rascunhos". Tolkien faleceu antes de concluir seu desejo, expresso em vida, de tornar público seu "Silmarillion" e Christopher levou o desejo adiante, de maneira equivocada no Silmarillion em si, mas de maneira muito respeitosa e magistral nos demais.

    Discussão sem maior conhecimento do discutidom causa essas falhas de julgamento. Você pode continuar (e sei que vai) com sua opinião de que são caça-níqueis, mas os livros são muito mais uma bela homenagem póstuma à memória de Tolkien (além de um bom estudo acadêmico) por parte de seu filho do que qualquer outra coisa.
     
  12. Lord Henry

    Lord Henry Usuário

    Nada é puramente técnico. A carta q eu li tinha muito de pessoal. Vc sente às vezes a impaciência e tudo mais. Mas, tudo bem, mesmo supondo que elas sejam 100% técnicas. Ainda assim, considero dispensáveis para a interpretação da obra, pois eu acredito que a obra é interpretada por ela apenas e não pelo que a cerca (como opiniões do autor). Você tem uma opinião contrária e eu respeito. Como eu disse antes, não foi essa a idéia do post original, então não vou comentar mais sobre isso, pelo menos nesse tópico. Se quiser discutir em outro tópico, ou mesmo em mensagem privada q seja, estou às ordens, vamos ao que interessa neste assunto.

    Não estou julgando, nem quero julgar, o relacionamento dele com o pai em vida. O que estou julgando é o fato de ele publicar essas obras "póstumas". Veja bem, lembrei de um caso clássico, e de escala muito maior: Kafka, antes de morrer, pediu ao amigo (cujo nome não me lembro) que queimasse suas obras. Em vida, acho que ele publicou uma ou duas, não me lembro direito. O amigo dele não obedeceu e publicou as obras. Ora, nunca teríamos obras primas como a que temos agora se ele tivesse sido fiel a Kafka. No meu sentimento íntimo pessoal, sou grato ao amigo por não tê-las queimado, mas veja, se Kafka queria que fossem queimadas, ele não foi infiel e traiu a confiança do escritor? Kafka não era um autor tão famoso na época, então acredito sinceramente q o amigo dele não o tenha feito por dinheiro (pode até ser que seja). Enfim. Mas Kafka realmente era um cara meio doente, mas essa é uma comparação exagerada, justamente para deixar claro essa diferença. Eu não acredito, e não acredito MESMO, que o filho de Tolkien tenha publicado essas obras para homenagear o pai e presentear os fãs. Talvez o Silmarillion sim, q, se não me engano (e vc pode confirmar ou não), o próprio Tolkien deixou informações para ele publicar. Agora, as demais obras, será que ele fez puramente pelos fãs e pelo pai? Olhe meu post original, eu estava defendendo o Peter Jackson porque alguém falou q o Christopher deveria estar em depressão por causa dos filmes. Será? Nunca foram vendidos tantos livros de Tolkien. Você acha que a memória dele foi maculada por causa do filme, ou a obra? Eu acho que há um risco MUITO maior em macular a obra ao publicar coisas que não deveriam ser, ou que não foram terminadas pelo autor. E as revisões que ele faz, quem garante que não há modificações com o texto? Sendo Tolkien um autor famoso (ao contrário do Kafka na sua época), não acredito mesmo que o filho tenha publicado todas essas obras por amor ao pai.

    Você pode acreditar que são falhas de julgamento. E eu posso acreditar que são falhas de julgamento sua dizer que são uma homenagem póstuma. Algum de nós pode comprovar suas crenças? Acho que não. O que podemos é argumentar.

    Eu não duvido que vc admire os livros publicados. Acredito sinceramente que vc agradeça a Deus (ou Ilúvatar) por esses livros terem sido publicados. Acho bonito isso, sem sacanagem. Mas, mesmo assim, não me tira da cabeça a idéia de q o filho dele publica o q tiver com o pedigree "Tolkien" para faturar. Mais um exemplo: eu sou fã de Beatles. Adorei o Anthology que foi lançado há uns sete anos. Foi lindo, maravilhoso. Mas foi uma forma de eles faturarem, E MUITO! Mas, com exceção do John Lennon, todos estavam vivos, o que lhes dá, na minha visão, TODO O DIREITO de fazerem isso. Alguns anos depois a Yoko Ono fez o mesmo com o John Lennon. Também adorei o Anthology do John Lennon, mas acho q foi uma puta sacanagem dela ter feito isso, porque tinha fita até dele cantando pro filho!!! E foi pra ganhar dinheiro, claramente, porque mais homenagem John Lennon não precisava. Isso significa q eu duvide q ela ame/amasse ele? Não, acredito q ela ainda chore pela morte dele. Mas continuo achando reprovável e uma picaretagem o que ela fez. E tb, de certa forma, amaldiçoo não existir ainda o peer-to-peer na época pra eu ter baixado tudo da Internet sem ter dado um centavo pra essa picaretagem. Você entende o meu ponto de vista? Aliás, seria uma boa, se o Christopher publicasse tudo em e-book para baixar pela internet. Aí eu seria o primeiro a vir aqui e pedir desculpas e dizer q eu estava errado. Enquanto isso, continuo achando picaretagem, por mais belo q vc, e todos os demais fãs, possam achar.
     
  13. Deriel

    Deriel Administrador

    Não vou ampliar a discussão, já lançamos nossas afirmações. E concordamos que realmente nossas opiniões são diferentes e que não concordamos nelas :wink:
     
  14. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    Tipo... vou chegar pedindo licença que é pra não levar petardo de graça...heheh.. discussãozinha ferrenha essa, né? Parece eu e o Deriel na época do primeiro filme batendo boca sobre a cena dos Vaus do Bruinen...hehehe...

    Bom, chega de balela e vamos à explanação do meu humírde ponto de vista...

    Pra mim, depois do Monsters and the Critics, o Letters é o mais importante livro "paralelo" do Tolkien (Não é minha intenção iniciar qualquer bate boca sobre qual é melhor entre o Letters e o MATC).

    Ele explica muito bem sobre diversos assuntos que quem não se contenta em saber que Tom Bombadil era Tom Bombadil e que o Gandalf simplesmente lançava "magia". Se o que consta no Senhor dos Anéis basta, ótimo, do contrário, leia o Letters.

    Sobre a "picaretagem" nas publicações post-mortem.... eu não acho que seja picaretagem, até por que não se pode dizer que os livros sejam Best Sellers...

    Sobre o fato da publicação dos HoME irem de encontro ao que o Tolkien-pai queria: talvez ele nunca tenha pensado na publicação dos seus rascunhos, mas o véio era chegado numa graninha extra, e também nunca se importou em esmiuçar a sua obra pros fãs nas suas cartas...
     
  15. Goba

    Goba luszt

    OLALALALLAA! Bom, assim como pediu Skywalker, peço eu liscensa para me expressar!

    Pois bem, minha opinião sobre as publicações é que, como você meu caro Lord Henry tem toda certeza que John Ronald Reuel Tolkien não gostaria de ver seus rascunhos publicados? E o que lhe dá o direito de supor isso?

    Se fosse assim o maravilhoso material de O Silmarillion (o qual estou lendo :D ) não estaria acessível a todos nós! E se você já leu, sabe que aquele livro é uma obra-prima de Tolkien, que graças ao filho dele Christopher Tolkien, nós podemos lê-la. Agora você vem alegando uma certa picaretagem da parte de Christopher Tolkien, pois seu pat, J. R. R. Tolkien, não estava vivo quando o livro foi publicado?

    Não posso lhe afirmar sobre a qualidade de Letters, ou de HoME pois não li nenhuma dessas obras, porém desejo assim fazer muito!

    Agora repito a pergunta que já fiz, mas de um modo um pouco diferente: como você pode alegar que J. R. R. Tolkien gostaria de esclarecer através de livros a dúvida que muitos têm sobre suas obras? Quanta segurança você para alegar que Tolkien não gostaria de terminar seus rascunhos para publicá-los?

    Porém não venha revidando a pergunta acima dizendo que ele gostaria de públicá-las terminada e não incompletas pois será um revidamento sem futuro, o repsonderei agora para que você não perca tempo. Se ele não terminou de esclarecer, que venha um pouco de esclarecimento oras!

    Quanto à picaretagem o que tenho à dizer é: se é que é picaretagem, o público ADOROU!!!! Claro, exitem exceções...

    Agora me diga você, se seu pai tivesse sido um exímio escritor que escreveu livros que se transformariam em lendas, porém ele publicou apenas um ou dois, e deixou alguns documentos até mesmo incompletos, você não publicaria essas obras? Por favor responda, e se a resposta for não, apresente-me uma boa justificativa para não públicá-las, obrigado! :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

    Elen síla lúmenn' omentielvo! :beer:
     
  16. Lord Henry

    Lord Henry Usuário

    Ou estou muito enganado, ou o próprio Tolkien deixou informações para o filho publicar o Simarillion (corrijam-me se eu estiver errado).

    Uma das poucas coisas que sei sobre Tolkien é que ele era perfeccionista. Nenhuma pessoa assim gostaria de ver rascunhos publicados como obra sua. Até porque, ele mudou muito suas visões ao longo do tempo. Acho que, e agora coloco de uma forma genérica, a menos que explicitamente expresso pelo autor, nenhuma obra seria de seu agrado para publicação póstuma. Acho q ninguém gostaria de ter suas obras inacabadas publicadas, até porque, em muitos casos (com exceção da morte no meio, obviamente) as obras ficaram inacabadas por algum motivo, seja um bloqueio, seja algo q não tenha sido resolvido pelo autor.

    Mais uma vez gostaria de frisar que não julgo a qualidade da obra publicada (acho q o título do tópico fugiu um pouco do assunto, mas tudo bem), e, sim, o fato de ela ter sido publicada. E o fato de ser best-seller ou não acho q não desqualifica o fato de elas terem sido lançadas pelo filho para ganhar dinheiro.


    Depende. Se ele tivesse deixado claro que gostaria de publicar, tudo bem. Talvez se eu estivesse precisando de dinheiro tb, e aí entrariam dilemas morais e é difícil vc prever o q fazer em determinadas situações. Artistas são, em geral, vaidosos, e livros inacabados, reescritos e revisados diversas vezes mas sem conseguir finalizar, são coisas que certamente qualquer escritor teria pavor de ver publicadas. Eu não espero que fãs q gostariam de ver qualquer coisa do escritor publicada façam esse tipo de separação. Afinal, está lá, publicado, por que não comprar? Mas de um filho, eu acho que um pouco mais de respeito pelo pai seria interessante. A não ser que alguém mostre algum manuscrito autenticado do Tolkien dizendo pro filho publicar tudo, acho q tenho o benefício da dúvida. Afinal, vc realmente acredita (e agora é minha vez de perguntar) que o filho de Tolkien publicou essas obras póstumas para homenagear o pai e não para ganhar dinheiro?
     
  17. Fëaruin Alcarintur ¥

    Fëaruin Alcarintur ¥ Alto-rei de Alcarost

    Discordo do fato de Christopher Tolkien ter publicado livros de grande qualidade puramente pelo dinheiro. O Silmarillion era um livro que o próprio Tolkien queria ver publicado, mas nunca conseguiu realmente terminá-lo. Aliás, pode-se dizer que ele não é um livro com um fim.

    Além disso, afirmando isso você está desmerecendo o trabalho, obviamente muito árduo, de Christopher Tolkien, que notavelmente ama a mitologia criada pelo pai, e se viu no dever de levar mais aos fãs da obra. O próprio Silmarillion publicado teve algumas coisas escritas por Christopher, mas, não só por isso. Imagine o trabalho de se editar e relacionar cada texto, cada conto, para ver qual o mais completo, qual realmente publicar. Cada nome, cada lugar, cada detalhe, cada fala, cada vírgula. Tudo teve que ser visto e revisto por Christopher para editar os textos e juntá-los de forma verossímil e não contraditória. Ele teve uma grande labuta, e ainda tem. Ele não simplesmente pegou os textos, encapou e mandou publicar.

    Senão fosse por Christopher Tolkien, tudo que conhecemos e podemos conhecer estaria totalmente fora de nosso alcance, e estaríamos restritos ao Hobbit e ao SdA, e nada mais.

    Devíamos agradecer Christopher Tolkien pelo que fez, não criticá-lo. E podemos dizer que Christopher é realmente filho de seu pai.
     
  18. Lord Henry

    Lord Henry Usuário

    Não necessariamente. E tb eu falei sobre o Silmarillion. E se esse foi o livro q o pai dele gostaria de ver publicado, acho q ele poderia ter parado por aí.

    Mais uma vez (pela milésima vez), vou salientar que não estou julgando a qualidade da obra publicada, nem duvido que o filho tenha tido trabalho para organizar tudo isso. O que questionei, desde o início, é a "boa vontade" de Christopher com os fãs. Eu não acredito que ele faça isso movido por um espírito de boa vontade, e nem mesmo para homenagear o pai. Cuidar da obra publicada do pai e de sua memória já é uma homenagem suficientemente grande. Publicar textos que não foram preparados para serem publicados, é o q discuto.

    Não acho relevante se as cartas são ou não importantes para os curiosos, fãs, leitores e estudiosos para isso. O que digo é que esse material (e cartas, mesmo sendo técnicas) não foi preparado para lançamento a público. Suponha (falando hipioteticamente) que houvesse uma enorme discussão entre Tolkien e o editor dele, querendo que a Arwen tivesse um impacto maior na história do Senhor dos Anéis (para usar um assunto bem em voga). Provavelmente todos achariam interessante saber disso, mas será que o autor acharia interessante ver isso publicado? E o filho tendo publicado esse tipo de assunto, não seria um desrespeito à vontade do pai?

    Acho que as disucussões se misturam aqui. Se quiserem discutir sobre a validade de textos externos à obra para a interpretação da mesma, já falei que discuto numa boa, até porque é assunto inesgotável e fascinante (e que de forma alguma se resume a Tolkien). Mas não acho que, para essa discussão, seja importante colocar um juízo de valor sobre a obra "póstuma" publicada. Gostar das cartas não muda muita coisa qualquer argumentação a respeito da motivação do filho em publicá-las. Dizer que ele pensou que os fãs iriam gostar muito daquilo para argumentar que ele não fez por dinheiro é ambíguo. Afinal, supor que ele pensou nisso, torna lícito argumentar que ele o fez por dinheiro (se os fãs vão gostar = vai vender = vou ganhar dinheiro).
     
  19. Goba

    Goba luszt

    Pois bem, segundo sua última alegação posta entre parênteses, ele pensou nos fãs! o que é uma forma de fazer com que mais trabalho de um grande escritos chegue às mãos dos fãs, mesmo que tenha sido por dinheiro, ele pensou se os fãs gostariam de ver akilo publicado ou não, e eu dúvido que ele não pensou em seu pai, se ele aprovaria ou não... aí está meu ponto, mesmo por dinheiro (se é que foi) Christopher Tolkien manteve ética, pensando se seu pai aprovaria, e se o público gostaria! :wink:

    Elen síla lúmenn' omentielvo! :beer:
     
  20. Joe Cool

    Joe Cool Usuário

    Olha, perdoem-me todos porque eu nem li este tópico direito... Parei no início da discussão entre Lord Henry e Deriel e depois só li mesmo a mensagem do Skywalker de 02 de janeiro e a resposta do Maedhros.

    Talvez seja porque eu virei a noite e estou morrendo de sono, mas juro que vou ler tudo com calma para analisar os argumentos expostos por todos.

    O que eu acho é que toda moeda tem duas faces. Se os livros lançados graças aos herdeiros de Tolkien são caça-níqueis, eles somente os são porque existem pessoas querendo comprá-los e ler tudo o que o J.R.R. Tolkien pensou sobre a Terra-Média e histórias afins.

    É fato que o pobre Tolkien passou grande parte da sua vida incessantemente perturbado por fãs que queriam saber cada vez mais e mais sobre esta grande fábula. E isso é apenas o indício comprobatório de que lançar estes livros, ainda que por ventura realmente sejam caça-níqueis, era o desejo dos fãs de Tolkien.

    E se é isso o que as pessoas querem, qual o problema de se lançar os livros e ganhar dinheiro com isso? Ninguém foi forçado a comprar livro nenhum. E com certeza as pessoas só compraram porque os mesmos foram lançados (isso é muito óbvio, mas precisou ser dito ainda assim).

    Eu acho que ambos os lados se deram bem nessa história, tanto a família de Tolkien como os fãs. E se o velho estivesse vivo, tenho certeza que ele teria lançado mais coisas ainda. Eu acho que o que ele nunca quis foi lançar histórias inacabadas, cujas linhas de pensamentos não foram completamente desenvolvidas ao seu gosto. Mas como ninguém é eterno, o pobre Tolkien não teve a felicidade de dizer tudo o que precisava ser dito.

    E eu acho que talvez o Christopher fosse a pessoa mais apropriada para dar seguimento a toda esta "indústria", pois era filho do John e foi para ele que o pai narrou as primeiras histórias, e com quem se correspondia e comentava capítulos e fatos...

    Cada um tem a sua própria interpretação sobre fatos narrados em uma obra literária, mas eu sempre sou curioso o suficiente para saber qual seria a própria opinião do ator sobre aquilo que ele escreveu. E nesse contexto o Letters se encaixa perfeitamente, ainda que eu não o tenha e nem mesmo o li ainda.

    Mas esta é apenas a minha opinião. Longe de mim a intenção de semear discórdia entre as pessoas. Pelo contrário: minha maior intenção foi acalmar as coisas procurando mostrar que há sempre dois lados numa situação como essa. O importante é buscar o equilíbrio. :wink:
     

Compartilhar