1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Um rancor

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Pickles, 18 Fev 2011.

  1. Pickles

    Pickles Usuário

    Não sei o que isso q pari é: prosa, poesia, se é lixo,

    entao postei aqui na poesia, na dúvida! :P

    (e oi, sou novato :P)
    ----------------------------------------------------------------------
    E aquela necessidade?

    A de agradar não por bondade, e sim por ímpeto. De dar prazer para o sentir, e sendo egoísta, tão egoísta, que faz isso pensando em si.

    De como vai ficar feliz por assim o fazer.

    Aquela necessidade que o obriga apontar um casal de pombos, golfinhos e algodão-doce; um beija-flor e uma roupa que caia muito bem, obrigado. Também tem aquele sapato. E tudo sem o medo de se sentir ridículo.

    De ser ridículo

    Só para ver o outro rindo, e andar abraçado, cada vez mais, e no maior egoísmo;

    Esperar aquela explosão, implodindo

    Essa, que não da pra controlar, e quando vê, arrasta junto e de surpresa

    Um outro

    Esse “Um” pra qualquer outra pessoa, mas que pra mim seria um “Esse”
    Fiz por prazer, mas para o meu prazer;
    Faço porque quero, porque quis, e faria tudo novamente
    Não só se você deixasse,
    Nem mesmo se eu desejasse ardentemente, mas
    Como esquecer tudo, e o que causou o fim?

    Até já esqueci.

    E só me lembro de um único


    Rancor,
    Meu maior rancor,
    Foi o que você me deu e roubou, sem dó nem piedade
    Me arrancar um pedaço
    Tão sem pudor e cerimônia, que nunca o consegui de volta
    Muito menos com outra pessoa, nem com outra vida, tampouco
    Com esse que me transfigurei

    Em outra pessoa

    Então me devolva, o que é meu e você me deu
    - por direito, ou clemência, até pena
    Devolva-me a inocência que você me deu!

    Esse é o meu maior rancor
    E o único
    Que eu nunca vou perdoar.


    É meu e eu o quero.
     
  2. Rodovalho

    Rodovalho Usuário

    Ficava tentando balançar entre a indiferença e o ódio, por falta de amor. Mas você pode ter certeza: a indiferença é melhor que a indiferença depois do ódio.
     
  3. Pickles

    Pickles Usuário

    a questão é justamente não a querer;

    a tal da indiferença

    quanto mais aonde não se existia um ódio
     

Compartilhar