1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

'UCI' Interrompe 'O Senhor dos Anéis'

Tópico em 'O Senhor dos Anéis - os Filmes' iniciado por Filho de Yavanna, 10 Jan 2004.

  1. Filho de Yavanna

    Filho de Yavanna Usuário

    esse testo de Kleber Mendonça Filho diz respeito aos absurdos intervalos que estão sendo feitos nas salas de projeção em todo país, a pergunta é o que a UCI pretende exatamente com isso?

    Antigamente, clássicos de longa duração como Os Dez Mandamentos, Ben Hur e Dr. Zhivago eram apresentados com intervalos meticulosamente preparados pelos realizadores. Numa seqüência conclusiva, a tela escurecia e entrava a música do filme com a palavra INTERMISSION sobre alguma bela imagem congelada, projetada durante 10 minutos. Interrupção perfeita que visava o descanso e, claro, a venda de bebidas, doces e pipocas. Lawrence da Arábia, de David Lean, foi o último filme exibido no Brasil com esse tipo de intervalo, em 1991. Agora, a novidade é uma interrupção rude de O Senhor dos Anéis, que a UCI está brecando aos 50 minutos de projeção gerando discussão junto ao público. No Recife, onde a empresa opera dois multiplexes com total de 18 salas, as reações têm sido variadas. A novidade também aflige espectadores do Rio, Bahia, Paraná e São Paulo, onde a empresa também opera.A diferença entre os intervalos de antigamente (que podem ser observados hoje nas versões dos filmes citados em VHS e DVD), e esse de O Senhor dos Anéis, é o aparente descuido com o produto, o próprio filme. A UCI pára o filme com um aviso mudo precário, cortando a tensão e narrativa. Se era para parar O Senhor dos Anéis, certamente não seria ali, aos 50 minutos de um filme que tem três horas. Depois do intervalo, leva ainda um tempo para que o público se aquiete nas cadeiras.A reportagem entrou em contato com a Warner em São Paulo, distribuidora de O Senhor dos Anéis, e a gerente de vendas Sheila Souza informou que eles não têm como se opor à idéia do intervalo. "O exibidor faz o que ele achar que é melhor para o produto", disse.Segundo o departamento de marketing da United Cinemas International - UCI, "o intervalo está em caráter experimental" e a opinião do público será levada em consideração. Eles disponibilizam o e-mail
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    como canal aberto de comunicação. Um aviso do lado de fora das salas explica que haverá intervalo para maior conforto do espectador.Sabe-se, no entanto, que esse conforto pode estar intimamente associado à venda dos combos de pipoca e refrigerante por parte da UCI. Os combos representam uma parcela substancial da receita de um exibidor. Não é por acaso que trolleys carregados de pipoca e refrigerante já estão a postos toda vez que O Senhor dos Anéis é interrompido nos multiplexes Recife e Tacaruna.Diferente dos filmes, cujas rendas são repartidas com os distribuidores, o lucro da venda de comida nos multiplexes fica com as próprias empresas exibidoras. Portanto, a chance de vender pipoca durante um filme de três horas é mesmo confortável para a empresa, não importando exatamente se o filme será, ou não, prejudicado, ou como exatamente será feita a interrupção. Difícil entender exatamente o que o público está achando sem uma pesquisa de campo, embora alguns tenham argumentado a favor lembrando que "a revista Veja aprovou", numa nota recente. A julgar por e-mails recebidos pela reportagem, os que gostam muito de cinema - os cinéfilos - geralmente repudiam a parada, e os que têm uma relação mais superficial com os filmes, têm aprovado."A parada é boa porque dá pra fumar e ir no banheiro", diz a bancária Salete Sarda, lembrando que "muita gente vê filme em vídeo com 15 ou 20 interrupções e, nem por isso, o filme torna-se ininteligível".O advogado Rodrigo Moura diz que "isso evidencia a visão estritamente mercantilista que a UCI tem de cinema, sem qualquer intenção de estimular o envolvimento com a arte cinematográfica", enquanto a estudante Mariana Pires não acreditou no que estava vendo, na sessão de O Senhor dos Anéis: " Como é que alguém tem a cara de pau de interromper a exibição de um filme pra vender pipoca, coca-cola e Mm's?" Para Andrea Mota, divulgadora de boa parte dos filmes lançados nos multiplexes pernambucanos, "O intervalo visa o conforto do espectador, que às vezes fica ansioso ao precisar ir ao banheiro e não querer perder uma parte do filme".Já o designer Luiz 'yellow' Cajueiro é contra e pensa em corromper a idéia. "Vou aproveitar a interrupção para mudar de sala se não estiver gostando do filme que eu estava vendo", diz.Para os cinéfilos, um pensamento: com três horas e 18 minutos de duração, Apocalypse Now Redux, obra prima ganhadora da Palma de Ouro de Cannes, de Francis Ford Coppola, poderá ser o mais novo interrompido da temporada, na UCI. Resta confiar nos talentos editoriais da empresa para que o melhor momento do filme seja encontrado para pipoca e refrigerante. O que você acha disso?
     

Compartilhar