1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Two And a Half Men, com Ashton Kutcher

Tópico em 'TV' iniciado por Cantona, 20 Set 2011.

  1. Cantona

    Cantona Tudo é História

    Ao fantasma de Charlie Sheen/Harper



    Vamos falar o que é: os diálogos de Two And a Half Men garantem a sobrevida da série, mesmo sem aquele em torno de quem a trama foi criada, mas isso é diagnóstico para o primeiro episódio do título sem Charlie Sheen, exibido ontem, nos Estados Unidos.
    Como episódio inaugural para a troca de Sheen pelo guapo Ashton Kutcher, o texto tinha a função de explicar o que houve com Sheen/Harper: explodiu como um balão de carne ao cair da plataforma do metrô em Paris, diz a apaixonada vizinha, durante um funeral sem corpo presente e repleto de “viúvas” sem piedade, que ali expõem as heranças venéreas que lhes foram legadas pelo morto. As cinzas chegam às mãos de Alan/Jon Cryer na casa de Malibu, que será posta à venda pela mãe.
    Claques de risos e gritinhos femininos dão cabo da euforia causada pela primeira cena de Ashton Kutcher, quando Alan, com o pote de cinzas do irmão em mãos, pronto para atirá-las ao vento, assusta-se com a presença daquele homem todo à porta de casa e, bingo, as cinzas voam pela sala. O destino de Charlie Sheen não poderia ser mais humilhante do que um aspirador de pó (alguma analogia ao uso de drogas, da cocaína ao crack, que levou o ator à sua demissão?)
    O primeiro episódio faz Kutcher desfilar pelado pela casa, e é pelado é que ele abraça um constrangido Alan. É Jon, afinal, quem garante a graça do texto.
    Sim, o primeiro episódio sem Sheen é ótimo, mas está completamente apoiado no fantasma de seu personagem, de sua imagem e de toda a batalha travada entre o ator e os criadores da série desde sua demissão, ao fim da temporada passada. O bonitão Kutcher não há de andar pelado por todos os episódios a seguir, e não tem o tempo de comédia de Sheen, é verdade, mas o maior desafio do enredo será superar o fantasma que ficou no aspirador de pó e se reinventar de fato no que ainda está por vir.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     
    Última edição por um moderador: 5 Out 2013
  2. Anica

    Anica Usuário

    eu vi e achei legalzinho até. a proposta provavelmente será a de pegar um cara "puro" e "inocente" e fazer com que ele vire um charlie harper. falta entrosamento ainda, falta o kutcher se sentir a vontade, mas é assistível. verdade seja dita, melhor do que estava, já que as piadas já se repetiam tanto que qdo eu via eu nem tinha certeza se era episódio novo ou repetido.
     
  3. G.

    G. Ai, que preguiça!

    Cara, essa abertura nova ficou muito ridícula:rofl:
    nunca fui muito fã da série, mas assisto de vez em quando...
     
  4. Tilion

    Tilion Administrador

    Gostei do episódio no geral, inclusive das participações especiais, como a Jenna Elfman e o Thomas Gibson no papel de Dharma e Greg, da série homônima (que eu gostava bastante também). :g:
     
  5. Pescaldo

    Pescaldo Penso, logo hesito.

    Não achei nem um pouco engraçado.
     
  6. imported_Shiryu

    imported_Shiryu Yippie-ki-yay...

    Eu não gostei do começo e a enrolação da morte do Charlie. Mas depois até que melhorou. Como ainda é o primeiro episódio acho que tem bastante potencial pra melhorar.

    Outra coisa, o Charlie Sheen é um péssimo ator, o grande destaque dele em 2HM, é que ele não interpretava, mas vivia a si mesmo.
     
  7. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    vou + longe, achei superficial e infantilóide. nada a ver com as atuações, mas com o roteiro em si. se continuar assim será a última temporada.
     
  8. Nadz

    Nadz Usuário

    Onde vocês viram? Já está passando na Warner? Ou todo mundo viu online???
     
  9. Anica

    Anica Usuário

    no momento só online (a não ser que a pessoa more nos estêites e tal)
     
  10. Diego-

    Diego- Usuário

    Achei bem sem graça, sequer esbocei um sorriso.
     
  11. Nadz

    Nadz Usuário

    è porque eu comecei a me sentir a traça colorida do meia palavra... eu tentei assistir, mas a velocidade da minha net não me possibilitou. to curiosissima (sendo bom ou ruim, to curiosissima!)
     
  12. Tayana

    Tayana Usuário

    Mas ao que disseram é só pra terminar o contrato com os outros dois, ou seja, é a última temporada, e realmente, a abertura não foi nada legal, ficou estranho.
     
  13. Cantona

    Cantona Tudo é História

    Bom, eu não assisti, de modo que não posso opinar. Mas trocar o ator principal de uma série é como mudar o vocalista de uma banda: perde-se a identificação.
     
  14. Nadz

    Nadz Usuário

    Bom, de acordo com uma entrevista com Chuck Lorre, ele disse que a tentativa é de que esta seja uma "nova série" aproveitada de uma antiga, que não queriam colocar um substituto, mas sim introduzir um novo personagem, diferente da série.

    Ele conseguiu (não sei se isso é algo positivo), Walden é totalmente diferente de Charlie Harper e pode ser criado um novo conceito para a série, uma nova dinamica entre os personagens.Mas confesso que fiquei triste com aquele cenário de morte do Charlie.(é eu assisti o ep) Foi mesmo como enterrar tudo que já havia se passado antes, confesso ainda que vou assistir ao próximo, mas não tenho certeza se a mudança conseguirá se estabelecer de forma positiva entre os fãs da série, afinal, agora, é uma outra série, com alguns dos personagens da antiga...
     
  15. Calib

    Calib Visitante

    Eu detesto a série e não acompanho, etc.
    Só acho que que esse caso aí do Sheen ser substituído pelo Kutcher é um exemplo de como para o estúdio vale tudo por dinheiro, e o público que se foda com qualquer coisa. Acho uma puta falta de respeito. Tipo, não é como se fosse um coadjuvante e tal; é o protagonista da série. Seria como fazerem House sem o House. Alguém veria?
     
  16. Nadz

    Nadz Usuário

    Quando a Alexis Bledel (nao tenho certeza do sobrenome) anuncio que sairia da série Gilmore Girls, o canal responsável e dono da série cogitou que queria continuar a série sem ela. A atriz que fazia a mãe de Rory negou-se e portanto a série chegou ao fim.(sem um fim decente, mas que eu não vi). Então... é assim que funciona mesmo... e olha funciona porque eu assisti e quero ver os próximos só pra ver se é pra rir ou pra chorar. Seja qual for minha motivação ( e a de milhões de outros espectadores) é isso que vale pra eles.

    Ah e o principal... isso foi feito para provar que o ator/artista não pode mandar e desmandar na série, pois as atitudes do Charlie Sheen eram porque ele acreditava que sem ele não havia mais nada para eles, e usava disso para obter seus desejos abusivos e continuar seu comportamento. Na verdade, a continuação da série vai além do dinheiro, vai de ter a autoridade máxima no estúdio e no canal e se ser um exemplo para outros "estrelinhas" de séries famosas... ;)
     
  17. Felipe Sanches

    Felipe Sanches Usuário

    Pra mim tá no mesmo nível do resto da série.Não era uma série brilhante ou inteligente, era engraçadinha e até legal de assistir.Continua sendo, só que com outra pessoa.Mas foi uma porcaria a desculpa que deram pra saída do Charlie.
     
  18. Calib

    Calib Visitante

    Oh bem. Eu não entendo o estrelismo do Sheen, já que a série sempre me pareceu um lixo, e ele é um péééssimo ator (o Kutcher, por incrível que pareça, é melhor).
     
  19. Cantona

    Cantona Tudo é História

    Não tinha parado pra pensar nisso, uma punição para servir de exemplo.

    No fim, é tudo um jogo de vaidades, né?
     
  20. Cantona

    Cantona Tudo é História

    Assisti. Gostei. Não é assim, nenhuma Brastemp, mas dá pra perder uns 20 minutos...
     

Compartilhar