1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Notícias Três gigantes do cinema morreram – e pouca gente parece se importar

Tópico em 'Cinema' iniciado por Fúria da cidade, 18 Mai 2018.

  1. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    André Barcinski
    09/05/2018 05h59

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    “A Noite de São Lourenço”, dos Irmãos Taviani

    Nas últimas três semanas, o cinema perdeu três diretores muito importantes – e, coincidentemente, da mesma geração: no dia 15 de abril, morreu o italiano Vittorio Taviani, aos 88 anos; dia 21 de abril, foi a vez do brasileiro Nelson Pereira dos Santos, 89; e em 5 de maio, morreu o italiano Ermanno Olmi, aos 86.
    As mortes não mereceram, na imprensa, o espaço condizente com a importância dos cineastas. Porque esses caras não eram diretores quaisquer; eles fizeram, cada qual a seu estilo, alguns dos filmes mais bonitos e relevantes do cinema.

    Acho que o pouco espaço dedicado à notícia dessas três partidas tem a ver com a decadência da cinefilia e da pesquisa dos clássicos. Quase não existem mais cinemas de repertório, e serviços de streaming como Netflix, que hoje dominam o mercado, ignoram solenemente filmes antigos.

    Se você não conhece o trabalho desses cineastas, sugiro tentar assistir ao menos o filme mais famoso de cada um deles.

    VITTORIO TAVIANI

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Vittorio (esq.) e Paolo Taviani

    Bem antes dos Irmãos Coen, o cinema tinha outra dupla de irmãos que fez filmes arrebatadores: Vittorio e Paolo Taviani. Os Taviani faziam um cinema politizado, mas altamente lúdico e com imagens inesquecíveis, como “A Noite de São Lourenço” (1982), “Kaos” (1984) e “Bom Dia, Babilônia” (1987).
    O filme mais conhecido dos Irmãos Taviani foi “Pai Patrão” (1977), inspirado na história real de Gavino Ledda, um autor e professor nascido numa vila pobre da Sardenha que teve de lutar contra um pai brutal, que o forçou a largar a escola para trabalhar como pastor de ovelhas.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    NELSON PEREIRA DOS SANTOS


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Nelson Pereira dos Santos na filmagem de “Como Era Gostoso o Meu Francês”, em 1971
    Nelson Pereira dos Santos fez vários filmes memoráveis, como “Rio 40 Graus” (1955), “Como Era Gostoso o Meu Francês” (1971) e “Memórias do Cárcere” (1984), mas sua obra-prima é mesmo “Vidas Secas” (1963), adaptado do romance de Graciliano Ramos. É um marco do Cinema Novo e um filme emocionante. Se a cena de Atila Iório sacrificando a cachorra Baleia não despedaçar seu coração, há algo errado com você.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    ERMANNO OLMI

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    O cineasta italiano Ermanno Olmi

    O italiano Ermanno Olmi fez dois filmes que me marcaram muito: “Il Posto” (“O Emprego”, 1961), sobre um adolescente que abandona os estudos para tentar seu primeiro emprego, e “A Árvore dos Tamancos” (1978), sobre a vida de famílias de lavradores na região de Bergamo, na Lombardia. O título do filme se refere a uma árvore que um dos trabalhadores corta para fazer tamancos para que o filho possa ir à escola. É difícil pensar em um filme mais triste e comovente.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Visite meu site:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
    São 3 bons cineastas que já pude acompanhar seus trabalho e de fato vi pouca menção a eles, um pouco mais ao Nelson por ser brasileiro.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  2. Neoghoster Akira

    Neoghoster Akira Brandebuque

    O livro que deu origem ao filme de "Pai Patrão" fez parte da minha educação literária. Na época eu tinha uns 11-12 anos e a bibliotecária do colégio não tinha com quem trocar impressões da estória. Lembro que havia comentado das passagens de violência e sexuais também, se não me engano o passatempo do guri quando ia para a roça era deitar no mato e se masturbar até virar um trapo e quando voltava a noite, as casas eram todas próximas e ele gostava de escutar todos os casais dando as bimbadas de rotina de acordo com os dias da semana. Mas era um retrato bem forte e nítido da sociedade da Itália na época. Vale a leitura, não chega a ser brutal igual o mangá Berserk mas é bem rude a vida dele.

    Bem, esses dias também ouvi notícia da morte da atriz que fazia a Lois Lane dos antigos filmes do Superman, então foram dias bem funestos.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  3. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Esses diretores citados tem realmente grandes filmes baseados em livros que valem muito a pena.
     
    • Ótimo Ótimo x 1

Compartilhar