1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Topa caminhar por Vales Sombrios?

Tópico em 'J.R.R. Tolkien e suas Obras (Diga Amigo e Entre!)' iniciado por Aster, 11 Abr 2011.

  1. Aster

    Aster Usuário

    Salve!

    Esse é para as mentes sombrias.

    O lado negro, antagonista, de desordem - o mal, se preferem -, descritos nas histórias de Tolkien (especialmente nas do Silmarillion e Senhor dos Anéis, onde Morgoth e Sauron ocupam lugar destacado) é tão grandioso (no sentido de ser potente) quanto o outro lado, o da beleza e da luz, o que foi pensado e criado primeiro, o legítimo.
    Morgoth, seus seguidores e tudo o que eles fazem aterrorizam toda a Terra Média e mais além, e fazem com que nós o respeitemos como o grande Senhor do Escuro que ele é. Credibilidade total.
    Porém, todo o terror de Morgoth e Sauron é revelado muito mais nas perdas, tristezas e lutas de elfos e homens do que em descrições dos seus atos, que poderiam chocar muito mais e, de repente, criar vilões tão desprezíveis que seria indigesto ler uma história até o fim.
    Alguém aqui já disse, (num tópico de comparação entre a obra do George R. R. Martin e a do Tolkien), que é uma característica do Tolkien, nas histórias de Arda, não se aprofundar na personalidade dos personagens, e sim na complexidade do universo como um todo, no que eu concordo. Assim, a falta de descrições diretas de atos abjetos do mal é como a falta de descrições de momentos mais sensuais (a já tão discutida “falta de sexo” nas histórias – mas o sexo está tão lá quanto o terror de Morgoth).
    E aí, no reino do não dito, entra a imaginação de quem entra em contato com as histórias. E, dependendo da mente, todo esse terror pode ser mais ou menos assustador.
    Por exemplo, quem tem medo dos orcs? Estúpidos e covardes, sempre dizimados aos montes (mas do que eles eram capazes no momento em que estavam de pé, diante de um ser alquebrado e caído dentro de uma masmorra? Chutar e quebrar, apenas?) E os mortais nâzgul? Tremeram e vacilaram diante de apenas um elfo (tudo bem que não era qualquer elfo) e correram de apenas um homem armado com tochas (tudo bem que não era qualquer homem). Balrogs e dragões já estão em outro nível, mesmo que alguns tenham sido eliminados por elfo, homem e maia – afinal, entre os povos livres da TM também existia muito poder, não estou desprezando isso.
    Mas o terror de Angband e de Barad-dûr é apenas sussurrado, nunca descrito com todas as letras.
    Alguém pode dizer que, ao contrário, há descrições mais do que suficientes dos atos cruéis do Morgoth e do Sauron. Mas o que, exatamente, ocorria nas cavernas de Angband? Aqueles negros vapores fétidos eram o produto de quê? O que aconteceu com milhares de prisioneiros que nunca mais voltaram? Que tipo de torturas eles sofriam? Os que saíam de lá eram rejeitados até mesmo pelos seus, acreditados irrecuperáveis.
    Se Morgoth e Sauron, ambos, Vala e Maia, eram tão inteligentes e sábios, quão sofisticadas eram as torturas que eles planejavam e infligiam?
    O Maedhros voltou de lá uma sombra de si mesmo e nunca mais sua alma se curou – (em 24 anos – obrigada Saitor! - muita coisa deve ter acontecido); o Gollum foi torturado e ficou completamente apavorado; o Gwindor, coitado, nem se fala. O que era a tal escravidão? Trabalho forçado? E a corrupção? Tortura psicológica?
    O que seria preciso ser e fazer para ser tão e definitivamente Terrível?
    O terrível hoje talvez tenha mudado um pouco, ou mudou a sua estética (O Exorcista continua um clássico, mas dá muito menos medo do que O Exorcismo de Emily Rose, e o tema é o mesmo).

    Esse prólogo gigante para chegar ao objetivo do tópico:

    Como você imagina as maldades terríveis do Morgoth/Sauron e patota? Que tal caminhar por lugares negros e imaginar o que teria acontecido naquele trecho onde o horror só é sugerido? (não precisa ter um trecho de texto a ser discutido, pode ser uma passagem lembrada, ou alguma coisa parecida, a idéia é olhar mais de perto para os horrores dos "porões" de Angband e Barad-dûr...).

    Eu começo:

    “(...) mas Lúthien foi despida do disfarce pela vontade de Morgoth, que voltou seu olhar para ela. Ela não se intimidou com os olhos de Morgoth. Disse seu nome e se ofereceu para cantar diante dele, como se fosse um menestrel. Morgoth, então, contemplando sua beleza, concebeu em pensamento um desejo maligno e um plano mais sinistro do que qualquer outro que já passara por seu coração desde sua fuga de Valinor. Com isso, foi traído por sua própria maldade, pois ficou a observá-la, deixando-a livre por um instante e se deleitando com sua idéia” (Quenta Silmarillion, De Beren e Lúthien, p. 227, Ed. Martins Fontes, 1999).

    Alguém duvida de que ele iria estuprá-la? Ou ordenar que alguém o fizesse? Para, quem sabe, profanar tanta beleza criando um (outro) ser inominável que viesse dela? (De novo, a violência sexual contra os primeiros elfos capturados, cujos produtos, especula-se, viraram orcs, só é levemente sugerida, quando isso).
     
  2. deus da guerra

    deus da guerra Usuário

    Em um trecho de O Hobbit esta o seguinte:
    ´´Martelos, machados, espadas, punhais, picaretas, tenases, alem de instrumentos de tortura, eles fazem muito bem, ou mandam outras pessoas fazerem conforme seu padrão, prisioneiros e escravos que tem de trabalhar até morrer por flata de ar ou luz.Não é improvavel que tenham inventado algumas das maquinas que desde então perturbam o mundo, principlamente os instrumentos engenhosos para matar varias pessoas de uma vez, pois sempre gostaram muito de rodas e motores e esplosões,...mas naqueles dias e naquelas regiões selavagensainda não tinham avançado tanto``
    Bem como o proprio Tolkien disse acho que eles usavam elfos e anões capiturados para criarem as suas geringonças, e seus instrumentos de tortura devem ser semelhantes aos usados na Idade Média(que alias eram horriveis) que como o proprio Tolkien disse podem ter sido inventados por eles, a unica coisa estranha são os que matavam varias pessoas de uma vez, eu não me lembro de ter visto em nenhuma discrição de batalha na Terra Média os orcs terem usados esplosões ou alguma coisa parecida.
     
  3. Lissa

    Lissa Chocolatier Honoris Causa

    O próprio Saruman era o 'progressista' da TM.. ele acreditava que a ''indústria do fogo e metal'' acabaria por dominar. Se Sauron tivesse conquistado tudo, aposto minha cabeça que o Saruman reinventaria as máquinas e instrumentos de tortura, tudo moderno.
    Acho que ele só não criou tudo isso porque (graças a Eru e a mão de Tolkien) não deram tempo pra ele.
     

Compartilhar