• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Tolkien (x) O Anel de Gyges (x) O Anel de Andvari

Em qual delas você pensa Tokien ter Influência? Ou mera mera inspiração?

  • O Anel de Andvari? (Mitologia Nórdica)

    Votos: 1 25,0%
  • O Anel de Gyges? (Mitologia Grega - A república de Platão)

    Votos: 1 25,0%
  • Os dois , pois tolkien fez uma adaptação de ideias anexadas as suas?

    Votos: 2 50,0%
  • Nenhuma das opções acima Tolkien pensou ineditamente!

    Votos: 0 0,0%

  • Total de votantes
    4
  • Votação encerrada .

Arringa Hrívë

Um papo e um bom chimarrão
Usuário Premium
Como boa insatisfeita, depois de conhecer as obras de Tolkien fiquei intrigada com o poder do Um Anel.
Fiquei fascinada com o poder que Tolkien cedeu a ele e como o caracterizou. Fazendo-o fonte de poder, mas uma fonte demoníaca, que não o serve, mas sim, quem o usa que serve ao Anel.

Então, requisitei material. rsrsrs

Na república de Platão, ele deixa extremamente clar, sendo Bom, (seguindo regras sociais, de Honra ou não e etc)... como o homem pode se corromper, de forma a cometer atos horríveis, simplesmente, pelo fato de não ter de "Pagar por eles depois".

http://forum.valinor.com.br/showthread.php?t=89228&highlight=o+Anel+de+gygesNeste Tópico mostra a discussão sobre influência de Tolkien nessa história.

Mas então eu li outro tópico, em que fala sobre a influência de Tolkien na Mitologia Nórdica, na História de "O Anel de Andvari", que também tem a presença de uma Anel, que tanto corrompe e consome a quem o usa( porta).

Então pensei, duas mitologias distintas, pois O Anel de Gyges vem de Platão, Mitologia Ocidental, e O Anel de Andvari, em da Mitologia Nórdica, lados da Noruega e outros.

É possível que Tolkien tenha se inspirado em ambos.
Porque somente com O Anel de Gyges ele tem o Homem sendo corrompido pelo PODER.
Pelo poder em mãos, causar e fazer o que deseja, sem precisar ser julgado, sem precisar ser exposto.
O Homem Bom, que não podendo se controlar, sede, e acaba sendo domado pelo próprio desejo.
(Smeagol pode ser um exemplo, corrompido, acabou pro matar não foi?
E Gandalf? Gandalf não carrega o Anel, por medo de acabar sendo corrompido, de não conseguir se controlar e pelo poder ser levado a atos que não faria.

Mas na Mitologia Nóridca, o Anel de Andvari, leva ao Cíume, somente pelo ato de ter visto o Anel, de tê-lo segurado. Também presenten nas histórias.

São dois lados da Moeda e ainda assim o mesmo.

O que acham:

O Anel de Andvari?
O anel de Gyges?
 
Última edição:
Sem duvida, as duas possibilidades são bastante interessantes, obviamente não tenho tal aprofundamento na vida do autor, para discutir tais afirmações, mas mesmo assim acho que podemos supor, que JRR Tolkien deve ter tido uma grande bagagem literaria e desta forma acho quase impossivel supor se alguma destas obras possui influência na criação do Um Anel. Mas concordo com a ideia de que, tais lendas podem muito bem ter influenciado. De qualquer forma, vou procurar informações sobre as duas lendas. Derrepente encontro para dar um direcionamento maior a minha opnião. Otimo post.
 
é bem metafórico, acredito que Tolkien, como o bom escritor que era, leu muitos livros, ese ele de fato se inspirou na mitologia Nórdica deve ter conhecido a história do O Anel de Gyges. Penso que ele usou a figura do Anel para representar o conflito entre O Homem Bom e o Homem Mau, lembrando que é mais sábio se afastar daquilo que o corrompe quando se sabe que suas forças são seriam suficientes para vencê-lo, como fez Gandalf.
 
A maior das minhas perguntas atualmente, é:
Onde Tolkien não tocou no assunto?

Ele entra em religião, em codigo de conduta, em ética, em honra, em leis, em "filosofia", em história, em "mitologia"...
Um infindável campo de ideias bem elaboradas.... :think:

Atualizado:
Recentemente discuti a questão do Um Anel com minha prof Historiadora (fã ferrenha), sobre Tolkien ter seguido a linha do Anel de Gyges n'A República de Platão, ela defendeu que ele seguiu algo na mitologia Nórdica também. :think:
Eu realmente não lembro de um anel que tenha sido citado na mitologia Nórdica, ando pesquisando e lendo desde então, mas penso que deixei algo passar.
 
Última edição:
Não sei se é mitologia nordica, no artigo diz germanica. Eu acho que encaixa, mas não entendo do assunto :dente:

Mas voce pode estar falando deste anel aqui
Influencias modernas, segundo paragrafo...

PS: não estou perseguindo seus posts antigos, voce que ressuscitou o mesmo :P
 
Não sei se é mitologia nordica, no artigo diz germanica. Eu acho que encaixa, mas não entendo do assunto :dente:

Mas voce pode estar falando deste anel aqui
Influencias modernas, segundo paragrafo...

PS: não estou perseguindo seus posts antigos, voce que ressuscitou o mesmo :P
Tudo bem, dessa vez foi que ressuscitei, mas por motivos... :lol:


Eu tenho o livro "Anel dos Nibelungos" e da Mitologia Nórdica, mas não vi muitas semelhanças no Um anel tanto quanto é presente no Anel de Gyges na República. Talvez as duas coisas, quem sabe. Por que Tolkien não está aqui pra responder? :disgusti:
 
Acho que esse post aí pode ajudar a te esclarecer porque é que O Anel dos Nibelungos é tão influente sobre o Senhor dos Anéis apesar da influência simultânea de referências ao Anel de Gyges de Platão...
Bem, mesmo que a parte do plot com mais paralelos evidentes seja a de Siegfried , onde o herói humano recebe uma espada partida como herança e vai matar um dragão, desavisado, com um golpe na barriga desferido com artifício ( o detalhe do artifício não está em Wagner mas, sim, na Volsunga Saga), como você mesmo observou, a parte inicial do Ouro do Reno ( invenção original de Wagner) quando o nibelungo ( anão) Alberich , forja um Anel do Poder usando o sagrado ouro do rio Reno ( visto brilhando no fundo do rio), agredindo a natureza , e ganhando o poder de controlar as pessoas para fazer suas vontades também lembra o forjamento do Anel do Poder similar ao Senhor dos Anéis. O Andvarinaut da Volsunga Saga NÃO DAVA poder de "dominar o mundo" só atraía riqueza como os sete anéis dos anões.

Igualmente, a luta fratricida entre os gigantes com nomes aliterados,Fafner e Fasolt, pela posse do Anel ,depois que ele é tirado do criador original, no fim da qual um mata o outro e se refugia numa caverna , se transformando num ser maligno pela magia do tesouro roubado ( especificamente o Tarnhelm o elmo mágico lembrando o nome adotado por Eowynn disfarçada , Dernhelm), um Dragão, também recorda a luta pelo Anel encontrado no rio, travada entre os amigos Sméagol e Déagol e a fuga posterior do primeiro para uma caverna onde a magia maligna do Anel gradualmente o converte em Gollum.

Também é importante lembrar que, embora o Anel da lenda que inspirou Wagner trouxesse má sorte, ( como os Silmarils atraiam e como o ouro de Doriath, amaldiçoado pelo rei anão de Nogrod no Silmarillion) ele não era maligno em si mesmo enquanto os Anéis de Tolkien e Wagner o eram, exercendo uma influência corruptora que estimula tudo que é ruim naqueles que o cobiçam.

O Valhalla, construído pelos gigantes para servir de lar para os deuses, traz embutido o motivo da "avareza" da riqueza e bem-aventurança que , numa versão extremamente mais mitigada, influenciou a caracterização dos Valar no Silmarillion e seu "erro" ao se isolarem em Valinor e em promoverem o seu Escondimento ou Ocultação.

Também o anão Mime, na ópera de Wagner, não era um anão nas lendas nórdicas/teutônicas mas também foi a inspiração para o anão Mîm das histórias do Silmarillion que, aliás, vem de uma raça de anões chamada (não muito sutilmente) Noegyth Nibin, onde o segundo elemento foi cunhado para, evidentemente, aludir a Nibelungo.

A Lança de Odin na ópera, feita, também, com uma violação da natureza como o Anel de Alberich, dando um olho como barganha, cortando um galho do freixo do Mundo (após o que a árvore mirrou e morreu),e com runas escritas no cabo, também é uma análoga e precursora tanto para a Lança de Melkor com que ele traspassou as árvores de Valinor, expondo-as ao "vampirismo luminoso" de Ungoliant e à subsequente morte, quanto para o Anel do Poder tolkieniano onde Sauron escreveu o encantamento que ligava os demais anéis ao objeto e proclamava o seu poder forjando um pacto com as raças da Terra-Média.

Então, se é verdade que tanto Wagner quanto Tolkien se inspiraram na mitologia nórdica , também é fato que elementos adicionados pelo alemão, que passaram pelo "filtro" de Wagner, foram herdados por Tolkien e usados no Senhor dos Anéis intencionalmente como uma resposta ao simbolismo e ideologia da Tetralogia de Wagner.

Portanto, a inspiração que Tolkien colheu no Anel dos Nibelungos de Wagner, ao contrário do que ele mesmo podia dar a entender, falando em contextos meio "passionais", não foi nada desprezível e inclui muito mais do que meros detalhes de enredo mas , sim, elementos estruturais e abstrações filosóficas e teológicas embutidas na história através da simbologia dos objetos mágicos e da caracterização de certos personagens como Wotan/Alberich/Sauron, Fafner/Gollum e Mime/ Mîm.
 
Última edição:

Valinor 2023

Total arrecadado
R$2.404,79
Termina em:
Back
Topo