1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

TolKien Faria Parte do GreenPeace?

Tópico em 'De Fã Para Fã' iniciado por Proscrito, 26 Nov 2008.

  1. Proscrito

    Proscrito Jamais poderia ser

    As vezes me pergunto isso, pois em todas as obras de Tolkien se percebe o seu amor pelas coisas naturais e a sua aversão pela "tecnologia"
    que ele vê não como um beneficio mas sim uma forma de destruição da natureza...
    uma coisa que acho interessante é que professor nunca teve um carro...
    penso que Tolkien já sabia dos problemas futuros com a poluição, era um homem a frente do seu tempo, e o mais legal de tudo isso é que ele quer contagiar as pessoas com esse sentimento nas suas obras, na aprensentação do Livro Sobre contos de Fadas ele relata um episódio onde cortaram uma arvoré perto de sua casa e que apenas ele e 2 corujas se lamentavam...
    quando li isso me senti mal em relação as vezes que quebrei uma folha...
    :osigh:
     
  2. Finwë Fëfalas

    Finwë Fëfalas Nas Echoriath...

    Essa é boa!
    Mais acho que Tolkien não iria fazer parte logo do GreenPeace, que são um bando de doidos que fazem de tudo por ai para salvar e mostrar a importância do meio ambiente para a humanidade.
    Tolkien não era tão radical a este ponto.
    Mais a atitude do GreenPeace é legal, só assim para chamar a atenção e colocar o povo para pensar na importância do meio ambiente para com a humanidade daqui para frente.
     
  3. Glaunir

    Glaunir Usuário

    É uma questão a se pensar. Mas acredito que a postura do professor fosse a mesma dos filósofos frankfurtianos. Adorno e Horkheimer ecreditavam que a única forma de salvar o mundo que vivemos era fazendo as pessoas saberem do sistema no qual estavam inseridas. Por isso acho muito improvável que Tolkien desse um de malucão e se unisse ao Greenpeace para resgatar focas de dentro de um super navio ou talvez baleias raptadas pelos japoneses.
    De qualquer forma, adoro pensar em Tolkien como um filósofo da Teoria Crítica: alguém contra a violência e o progresso, que vê a imaginação - sobretudo nas artes - como a única forma de salvar esta sociedade unidimensional (Benjamin).
     
  4. Finwë Fëfalas

    Finwë Fëfalas Nas Echoriath...

    Usando a Teoria do Caos e os círculos de causalidade! A Teoria dos sistemas e Engenharia dos sistemas!
     
  5. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Decerto que não. O episódio com seu amigo C.S. Lewis convertido ilustra o problema.

    A maioria sabe que Lewis converteu-se ao Cristianismo através de Tolkien. Pois bem, no entusiasmo de descobrir sua fé/felicidade, logo veio aquela mania de querer compartilhar o que descobriu com outros, e neste ponto vieram as Crônicas de Nárnia.

    O que chateou Tolkien, pois as alegorias são uma constante, e provavelmente para cavalheiros de sua categoria, até insultante. Ainda mais insultante porque Tolkien fez O Hobbit para seus filhos, e provavelmente por enxergar que Lewis cometeu o velho preconceito de achar que crianças são idiotas, as coisas tomaram nível pessoal de ambos os lados.

    De qualquer forma, o Greenpeace seria para Tolkien o análogo de seu amigo Lewis: sim os objetivos eram os mesmos, mas a forma de lutar da entidade seria uma afronta ao modo Tolkien de ser: ele optou pelo exemplo de vida, para inspirar jovens a pensar sobre o mundo e o que faziam à Terra-Média (que é a nossa Terra), enquanto que o Greenpeace age mais pela ação/força e performance e propaganda, algo que sua natureza de professor não toleraria, e provavelmente questionaria.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  6. Tywin Lannister

    Tywin Lannister Já fui Nómin e Baldwin

    Eu sou activista online do Greenpeace ^^
     
  7. Valacirca

    Valacirca Youth Gone Wild

    Acho que participaria sim. Mas seria tal como nosso amigo aqui em cima: um ativista pacífico.
     
  8. Yulië

    Yulië Usuário

    Não somos um bando de doidos não!!! :disgusti: :disgusti:
     
  9. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    A questão não é se os afiliados são pacíficos, mas os representantes que aparecem na mídia. Seria concordar com a forma de "proteger" o planeta, quando ele claramente não gostava de ser chamativo. Greenpeace chama a atenção à força, o professor ensina.

    Em termos mais gerais: a maior revolução é a revolução silenciosa e não a revolução armada.
     
  10. Snaga

    Snaga Usuário não-confiável!!!

    Como já deixaram bem claro aí pra cima (e eu concordo), é bem provável que não, Tolkien não faria parte do Greenpeace.

    Mas sim, Tolkien sempre foi a favor da natureza. Sempre se preocupou com a destruição ambiental, principalmente com relação às árvores que ele tanto amava.

    É possível ver isso em vários trechos de seus livros, como a preocupação dos Ents em relação ao desmatamento de Fangorn, ou Númenor que havia derrubado todas as suas árvores e avançava para a TM em busca de madeira. E principalmente o pensamento futurista do príncipe Aldarion, que já pensava em reflorestamento, algo que só se disseminou no muito anos depois de Tolkien ter escrito seus contos.

    Com relação ao carro, talvez nem seja por uma preocupação ambiental, pois Tolkien tinha realmente pavor de carros. Nunca tirou uma carteira de habilitação e não se dava bem no volante. Tanto é que escreveu um livro sobre isso, Mr. Bliss, que conta as aventuras de um homem que tenta aprender a dirigir (ou algo assim, nunca li o livro).

    Porém o Professor tinha, sim, uma certa aversão à tecnologia, e isso também é refletido em sua Obra. Pode ver que tudo o que se refere a tecnologia na TM está voltado para o lado maligno, como o maquinário de guerra de Saruman e Sauron, ou mesmo a pólvora, que só foi usada por Saruman.

    Tolkien era um apaixonado pela natureza e se preocupava com ela. Transmitiu isso através de suas obras e, como bem disse a Primula, preferiu servir como um exemplo dessa causa, de uma maneira consientizadora, do que ser um ativista.
     
  11. Glaunir

    Glaunir Usuário

    "Tolkien ensina" adorei!!! Tolkien me fez aprender a amar a vida em todos os seus sentidos! Inclusive a natureza.
     
  12. servo de Eru

    servo de Eru Chuck Norris passa vergonha

    acredito que ele não iria fazer parte do greenpeace mas iria ter um cuidado com a natureza,iria dar bons exemplos de um cidadão consciente preoucupado com a natureza mas nada além disso
     
  13. Telfor

    Telfor Usuário

    Acredito que não...
    Tolkien tem amor a sua sanidade... buscaria modos mais ""saudaveis"" de lutar pela natureza...:mrgreen:

    E ele nunk teve um carro pois não conseguiu aprender a dirigir... ai desistiu.... :eh:
    não que ele pensasse nos problemas que a poluição do carro traria 80 anos afrente... srrsrs
    Sei lá neh... :D
     
  14. Lew Morias

    Lew Morias Luck is highly overrated

    Duvido que Tolkien fizesse parte do Greenpeace. Como já dito anteriormente, não é do "estilo" dele fazer "coisas mirabolantes" com o intuito de chamar a atenção para as causas ambientais como faz o Greenpeace. Se Tolkien estivesse vivo creio que atuaria na "defesa da causa ambiental", porém o seu modo de luta seria bem diferente do Greenpeace: ele escreveria histórias e, através delas, passaria o ideal de preservação da natureza. Para nós isso seria ótimo: mais histórias escritas pelo Professor para lermos e nos deliciarmos.

    Como também já foi dito, havia outros motivos para o Professor não ter tido um carro. Sua aversão pela tecnologia é conhecida e, como disse o Snaga, ele não se dava bem com carros. Acho um exagero dizer que Tolkien já sabia dos problemas futuros com a poluição. Ele era uma pessoa preocupada com o modo destrutivo como o homem interferia na natureza, mas não creio que já tivesse consciência de que os níveis de poluição pudessem chegar aos níveis que são vistos hoje.
     
  15. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Já disse isso antes em outro tópico, mas as influências pagãs (célticas e nórdicas, principalmente) na obra não só revelam a sua ligação com a Natureza mas também parte de sua espiritualidade, não ortodoxalmente católica (cristianismo romano com influências "folclóricas").
    Naõ estou me desviando do assunto, acontece que essas influências estão até na concepção lingüística de seu mundo e sua aversão pela tecnologia não era só rabugice, mas amor pela natureza e preocupação filosófica (o que os homens valorizam?), psicológica (o que é importante para mim?), política (escolhemos líderes pela força de sua propaganda?) e econômica (precisamos mesmo mecanizar toda a agricultura? Lucros maiores são tão importantes a ponto de sacrificarmos nosso planeta, nossa terra, por ele?)

    Como podemos ver, a questão econômica era a mais essencial e Tolkien era obcecado com os velhos costumes...
    Nostálgico? Muito mais que isso! Reconstrucionista, sim, é isso que SdA é, além de estética lingüística!
     
  16. Belladona Tûk

    Belladona Tûk Do what thou wilt shall be the whole of the law

    Eu acredito que sim, como foi dito acima, mas pacifico! Isso se ele não fundasse sua própria Organização Filantrópica.
     

Compartilhar