1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Tipos de Literatura vs. Ganho de Cultura

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por Primula, 15 Abr 2005.

  1. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    :think:

    Eu acreditava nisso (qualquer coisa que leve a população a ler)... só que aí percebi que se a pessoa só lê um tipo de literatura (a que ela gosta) ela emburrrece do mesmo jeito.

    Pense em termos de novelas e romances água com açúcar. As grande maioria de leitores disso não se interessam em procurar coisas diferentes.

    Pense então também pelo outro lado. A pessoa que se especializa em nanotecnologia (só lê isso) mas não se interessa em filmes de ação (sempre tem de ser os chatinhos com alguma coisa a ensinar).

    O que leva ao EMBURRECIMENTO?

    O fato de que a nossa cabeça funciona em ligar informações diferentes e conectá-las para nossa compreensão real do mundo.

    Quanto menos sinapses ligam-se aos outros pontos, menos chances de real aprendizado. Isso em termos de aprendizado é o seguinte: se a gente não tenta outros sabores, ficamos no salgado e doce apenas. Temos um bitolado (seja por novelas - não pode perder um único capítulo, mesmo que já tenha visto a novela :eek: - seja por matemática)

    O fato é que assusta muito os dois pólos. Tanto os entusiastas ferrenhos de um livro como este, quanto os que não conseguem gostar do livro. Eu fico no segundo pólo, e me me assusto com a minha incapacidade de contaminar os do outro pólo com a vontade de ler coisas além desse tipo de literatura. Não entra na minha cabeça porque todo mundo só gosta de doce e não tenta salgados, agridoces, amargos, acres, picantes...
     
  2. Olá, Tudo bem? :wink::D

    Olha, a pergunta não é diretamente a você, srta, Primula :D:D, apenas a citei como um gancho.

    Eu sempre pensei, mas acho que nunca falei e só agora percebo que se isso aconteceu foi justamente por falta de assunto.

    A pergunta é: Na escola, quando os professores vem enfiar na sua goela os maleditos livros de escola (não vou citar nenhum para não ofender quem gosta) não provoca, pela obrigação da leitura, um certo distanciamento devido ao stress? Eu me lembro que nunca gostei de nenhum, apesar de serem legais... isso se deveu à pressão psicológica de TER QUE LER, acho :roll: !!

    E so depois do colégio é que descobri a leitura além dos quadrinhos! :D

    Não seria melhor que nesses casos fossem oferecidas opções de escolha, com temas variados, onde a sua unica obrigação depois seria discutir e elaborar alguns pontos da leitura para serem discutidos em classe? Assim como fazem por aqui?

    Não quero me estender mais para não ficar maçante o meu texto e nem tentar elaborar uma teoria, mas é uma coisa que sempre pensei e nunca gostei da obrigação, acho que se pode aprender a ler e gostar de ler sem essa conduta dos professores.

    Obrigado! :?:wink:
     
  3. Lordpas

    Lordpas Le Pastie de la Bourgeoisie

    Subdividi o Tópico para deixar o outro só para o Código da Vinci mesmo.

    Esse aqui fica então justamente para discutir os pontos interessantes que a Primula levantou em seu post. :D
     
  4. Peregrino

    Peregrino Estrela de Valinor

    Quem lê apenas um tipo de literatura fica bitolado e fechado para novas experiências e visões do mundo. Como você sabe se gosta de Proust, T.S Elliot ou Tolstói se nunca os leu, se baseia apenas em literatura comercial ou num determinado ramo da literatura, como a literatura fantástica, por exemplo.

    Já conheci pessoas que me disseram "Odeio Dostoievski", mas nunca sequer leram as obras mais conhecidas como Crime e Castigo e Irmãos Karamazov, "Balzac é chato", mas sequer sabe o que é Ilusóes Perdidas.
    A literatura centrada em um único aspecto emburrece, sim. Ela torna o indivíduo direcionado.

    Como já disseram, não se é obrigado a gostar de tudo, mas como sabe que não gosta do picande se só se nunca o provou? :wink:
     
  5. Fafa

    Fafa Visitante

    Através de prenoções sobre o livro, não que funcionem com exatidão, mas geralmente são eficazes:
    Ex: "Não gosto de literatura francesa so séc. XIX, então provavelmente vou achar Balzac chato, e portanto não vou gastar tempo e dinheiro com um livro dele, qualquer que seja." (Não é necessariamente minha opinião)

    Sendo a literatura, prioritariamente, fonte de lazer, qual é o problema em ler apenas Tolkien (por exemplo) 40 vezes, se isso satisfaz o indivíduo em questão?
     
  6. ombudsman

    ombudsman O Eto'o brasileiro

    Ler WEBER, Max : A ética protestante e o espírito do capitalismo.
    SANTOS, Boaventura de Souza : Critica à razao Indolente.
    :wink:


    Na verdade este assunto é amplamente discutido na Sociologia - obviamente que nao neste caso específo - , mas no tocante à esta historia de verticalizaçao do conhecimento.
    As pessoas hoje perderam a capacidade de realizar grandes conexoes epistemologicas para se prenderem a uma mera verticalidade tecnica-instrumental.

    É aquela historia, no futuro seremos iguais ao Chaplin de Tempos Modernos, mas a especializacao será "intelectual" e nao manual.
    Geneticos especializados no cromossomo XXI, mas que nao sabem praticamente nada dos outros 22 pares. Juristas especializados no art.1342 do Codigo Civil vigente. Arquitetos que só saberão fazer quartos.
    Etc.

    E isto porque os pensadores modernos acreditavam que a "racionalidade" iria causar a emancipaçao do homem. Grande Emancipacao nao? :osigh:
     
  7. Logan Mcloud

    Logan Mcloud Usuário

    sobre o codigo a minha namorada ganhou um e a mae dela esta lendo o livro.... entao conversamos sobre o livro ambos chegamos a conclusao q era um livro feio para ser um best seller...


    eis o ponto... eu ja li alguns best seller e depois q vc le um vc sabe tudo q vai acontecer.... a srt.joy q fez literatura pode explicar melhor q eu mas eh basicamente assim : tem q ter uma pitada de romance, violencia, misterio, viradas subtas na trama seguidas de perto por partes engraçadinhas para o leitor lidar bem com o fato.... ahh sim e se for um livro de misterio o cara q eh impossivel ser o culpado vai ser e vc vai voltar la tras e vai se lembrar das coisas q ele fez e ver q vai se encaixar ( isso se esquecendo da agatha cristie q sempre tirava uma personagem nova da cartola)

    entao eu acredito q depois q vc leu uns 4 vc nao tem mais q ler se entusiasmando... afinal eh tudo igual .. e como eh tudo igual vc nao ganha nada com isso.


    eu leio qualquer lixo.... para ser sincero... ja li MUITO lixo e coisas boas tb... e acho q nem tudo vale a pena nao... eu nao enriqueci nada quando li annie rice, (e li 5 ou 6 das cronicas vampirescas) nao enriqueci nada quando li o codigo... para ser reslista quase nada do q ele falou eh novidade (pelo menos pra mim) e alem disso muita coisa estava errada... para mim esses livros foram apenas formas de recreaçao... mais ou menos como olhar o mar numa tarde de sol... (nao sei nao... as vezes eu acho isso mais enriquecedor) . Muitas vezes eu leio apenas para me obrigar a parar de pensar em coisas q me agoniam e esses livros sao otimos para isso...

    quando eu chego nesse pensamento me vem q esse tipo de livro para as pessoas q tem inumeras horas de trabalho extressante por dia sao ideais afinal eles nao querem saber nade de importante.... eles so querem ficar cativados por uma tragica pintura de uma vida q eles sonham q poderia ser a deles... enquanto ficm em seus cubiculos no trabalho para ganhar o seu suado salario... essas pessoas nao querem entender pq o mundo eh como eh... ou como se sentia um russo numa prisao na siberia kzarista...



    varias vezes aki no forum eu falei q a ignorancia eh uma bençao e digo novamente.... eh a bençao... essas pessoas qsao "emburrecidas " pri.. talvez sejam mais felizes q q nos q somos "esclarecidos" . eu amo conhecimento... por isso sei um pouquinho de muita coisa e muito de pouca coisa.... mas isso me deixa muito mau por dentro.. afinal sei q jamais saberei o suficiente para saciar a minha sede e no entanto ainda nem comecei a brincadeira.A maravilha de poder cruzar informaçoes sobre uma miriade de assuntos diferentes se mescla com a dor de saber q nao se eh bom em quase nenhum dos assuntos q se cruzam...


    sera q eh "emburrecimento" ou sabedoria? essas pessoas sabem oq lhes deixa feliz... ja experimentaram o agre doce e descobriram q seu paladar nao eh para isso... ficam apenas com o doce e o salgado mesmo... sera q eh tolice ou sabedoria?


    "os humanos se acham mais inteligentes q os golfinhos pq constroem pontes e predios... os golfinhos se acham mais inteligentes q os humanos pelo mesmo motivo"


    abraços Dwarf

    ps. acho q tou meio triste hoje... rs meu post refletiu um pouco de minhas frustraçoes....
     
  8. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    UIA!!! Fiz um tópico sem querer!!! :lol:

    Pra começar, os alunos em geral não enxergam a escola como deveriam enxergar.

    Vamos pensar em termos de divertimento. É meio natural a gente pensar que a infância devia ser uma época em que nos brincamos, de nenhuma preocupação, etc..

    Na verdade, esse tipo de vida infantil só é natural hoje em dia. Há menos de um século, somente 1% das crianças poderiam ser assim (normalmente estariam trabalhando, exploradas etc.)

    Eu enxergo essa proteção como necessária, mas tem o mesmo efeito que "dar de graça pérolas aos porcos". (O que um porco vai fazer com pérolas?)

    Uma notícia atual: a USP proibiu a entrada de ciclistas não vinculados à universidade. Por trás dessa notícia absurda, há vários absurdos ainda maiores. Fato 1: pessoas quando em grupos são "corajosas" (ciclistas em bandos). Fato 2: quando algo é permitido para as pessoas as pessoas começam a abusar e achar que é a casa da mãe Joana (ciclistas atravancavam o tráfego da universidade nos finais de semana, onibus andando devagar demais porque não dá para ultrapassar, ciclistas urinando em qualquer lugar e xingando funcionários que davam bronca neles por que urinam em qualquer lugar)

    O que tem isso a ver com as crianças e a escola?

    Tem a ver que dado uma pérola (livre acesso a uma instituição como a USP, chance de ir para a escola) as pessoas fazem mal uso delas quando não tiveram de lutar pela fortuna. Dão pouco valor. (Uma geração para criar alicerces, outra para enriquecer e outra para acabar com tudo. Matarazzo)

    Então voltemos à leitura obrigatória.

    É fato que todo mundo vai preferir ler o livro de sua preferência. E como o Logan disse, a diversão é uma forma de ópio que nos faz feliz e nos faz esquecer a "dura realidade".

    A escola pode até deixar o aluno escolher o livro que quiser ler... mas tem dois problemas principais:

    1) o professor vai ter de ler todos os diferentes livros que os alunos escolherem em um mês? Tipo, se o aluno não lê um livro, então o professor vai correr atrás de 30 livros diferentes (aspecto técnico).

    2) vai me dizer que 50% dos alunos são tão esclarecidos a ponto de ler coisas ALÉM de Sabrina ou Monica e Cebolinha?

    Ou seja, o professor vai ter de se virar para encontrar o livro que o aluno resolveu ler, e ainda por cima, o livro é algo que ajuda o aluno a se manter em seu casulo de isolamento (meu mundo).

    A escola tem um papel mais importante do que o de distrair (de tirar a atenção do problema real). O papel dela é fornecer alternativas. Senão a criança que é filho de padeiro tem de se tornar padeiro, filho de lixeiro vai ser lixeiro, e filho de administrador vai ser administrador. E com certeza, não é porque o serviço é mais limpo que o filho do gerente vai gostar de ser gerente. Vai que ele queria ser oleiro (mexer com barro)?

    Decerto que o divertimento é algo primordial para o aprendizado. Fazer o que gostamos faz parte de escolher nossa vida. O ponto crucial é que é muito fácil na diversão esquecer de seus problemas e continuar com o problema depois que se divertiu.

    Neste ponto, Logan, não acho que ignorância é uma benção. Sofre do mesmo jeito, mas sem saber porque está sofrendo. E neste caso, acho muito pouco útil a ignorância, pois não sabendo porque se sofre, então como controlar a doença? Mesmo medicina popular começa com conhecimento de ervas e de seus efeitos sobre doenças. Sem conhecimento apenas se padece sem qualquer esperança (exceto por Deus/religião)

    E porque a escola não pode ter o poder de decidir o destino da criança (você vai ser isto e você aquilo), ela tem de apresentar vários pedaços de conhecimento humano para que ela possa ter alguma base para escolher. Se é chato, se é enfadonho, é porque a criança ultimamente só tem divertimento para comparar com a escola, infelizmente.

    Não há o sofrimento real, daquele que faz ela ter de suar o dia todo debaixo de sol para ganhar um paozinho.

    Com a comparação dupla (sofrimento e diversão) o aluno tem alguma base para entender melhor a escola. Explicação sem palavras porque a escola tem muita coisa para mostrar, e ficar explicando isso para a criança perde pelo menos um ano!

    E digo isto porque foi a conclusão que EU cheguei quando eu tinha 14 anos de idade. Coisa que não entrava na cabeça de meus colegas da época, que enxergavam escola apenas como uma chateação que os afastava da diversão. Enquanto que para mim, a escola funcionava como um meio para evitar passar lavar roupa, limpar a casa, etc.

    Mas voltando à ignorância, Logan.

    Não não é uma benção, Logan.

    Se pensamos na situação da Africa, se pensamos no medo dos americanos dos Terroristas. Ambos vivem na ignorância, tem medo do que não entendem.

    E sofrem.

    Mais do que apenas sofrer, eles retaliam em quem não tem nada a ver!

    Vide os chineses com a "revolta" porque o Japão não pediu desculpas pelas barbaridades da guerra. No entanto, em 2000 eu comentei com uma amiga de lá sobre as repercurssões da Praça da Paz Celestial. Ela não se recordava.

    A china tem uma política de permitir manifestações contra EUA e Japão (e qualquer coisa de fora) mas não permitem manifestações contra o próprio governo. Há livre acesso à informações sobre os problemas de fora, mas não aos problemas de dentro.

    O que é mais importante: a falta de desculpas dos japoneses de mais de 70 anos atrás, ou o massacre do governo contra estudantes há menos de 20 anos atrás?

    Definitivamente há descontentamento, há frustração. Mas voltando as atenções do povo para fora do país, eles deixam de lado resolver o proprio problema. Mesmo que o Japão peça desculpas (na verdade o governo japones), o fato é que também o governo chinês que obrigou seu povo a guerrear contra o Japão. E o fato é que Japão não mais pode oprimir o povo chinês, mas o governo chinês oprime.

    Em termos de pessoas normais, isso também persiste. No homem que não enfrenta sua frustração e desconta nos filhos e esposa, na mulher que desconta a violência em vizinhas com sua língua, etc.. A ignorância não diminui o sofrimento deles, nem seu ópio. O problema persiste, independente de fingir que não existe.

    Isso ilustra o fato de que o sofrimento persiste, independente da ignorância. Podem distrair as atenções, mas enquanto não resolver o problema, só vai sobrar para outros. E os outros revidam e continuamos com o sofrimento. Independente de querermos nos enfiar em um "mundo só nosso" (ópio, novela, etc.)
     
  9. Lordpas

    Lordpas Le Pastie de la Bourgeoisie

    :mrpurple:


    Mas falando um pouco do tópico.


    O que eu enxergo hoje é um certo preconceito literário que pode ser visto sob várias óticas.

    1) Preconceito de jovens contra a escola e seus livros.

    Eu particularmente sempre gostei de ler livros que a escola indicasse, o fato é que geralmente eu me prendo a outro tipo de literatura, e acabo deixando de lado um pouco do que é de fato produzido por brasileiros e com uma carga cultural imensa.

    Esse é o objetivo da coisa, mostrar um pouco do mundo para alguém que não sabe nem o que quer da vida. Acabando a escola muitas coisas mudam... o tempo que eu passava lá dentro era maravilhoso, estudava em turno integral praticamente durante todo o Ensino Médio e isso evitava alguns afazeres básicos meus tais quais cozinha, roupas, faxina e assim por diante... O meu prazer estava lá dentro e a questão é que muitos não veem assim, muitos se quer acham útil ir a escola e estudar matemática (se perguntam ainda aonde na vida vão usar PA e PG, por exemplo).

    O fato é que todos vão para a escola, mas nem todos são apresentados aos objetivos de se ir a uma escola. E isso agrava diante da situação de "escola como fonte de desprazer", digamos assim.

    O que faz de uma pessoa preparada para o mundo? O fato dela ter concluido aos trancos e barrancos o colegial e por fim se tornar um profissional extramamente direcionado, ou uma "célula-tronco" da sociedade atual? Células Tronco tem grande capacidade de reprodução e ainda mais de se tornar "células" diferentes. Esse aspecto "mutacional" é o que vale. Vale vc estar não apenas interado do que rola na sua área, mas sim do que rola ao redor dela e é a isso que a escola tenta direcionar seus pupilos... a ter uma área de abrangência.

    Portanto ler Graciliano Ramos, ler Machadão, ler quem quer que seja em termos de Literatura nacional pode ser considerado péssimo para a maioria, mas é inegável que é importante, eu diria vital.

    Eu cheguei a pensar por um tempo que lendo qualquer coisa, até mesmo Sabrina e afins, a pessoa poderia ter sim o "estalo" e despertar para os outros sabores... Ainda penso que isso pode sim acntecer em alguns casos, mesmo que não valha como regra. :think:

    2) Preconceito contra leituras "incultas".

    Aquela velha história...

    Me assusta mesmo a crítica não ao livro, mas sim a "leitura" em si. Talvez tenha mesmo razões para duras críticas... mas creio que o subjulgamento do leitor de Dan Brown e afins como inferior é nocivo sim...

    Imaginem o cara que está descobrindo aos poucos o que gosta de ler... Aparece uma Rowling, um Dan, um Sheldon e assim por diante, aos poucos ele vai moldando o seu mundo literário. Mas a casca que envolve essa atmosfera própria é permeável ainda, esse cara tem ainda a capacidade de exercer um pouco do seu lado eclético, de evoluir em termos de leitura.

    Entretanto a partir do momento em que ferrenhas críticas excluem tal parcela da população e se fecham os círculos dos cults e afins, bem... não resta muito aos leitores "pops" se não irem contra o gradiente de concentração, se fecharem e não se abrirem... ficarem dentro do seu mundinho de diversão inibidos pela arrogancia daqueles que se julgam bons demais a ponto de compartilhar o que quer que seja... mas sim excluir o admirador de Dan pelo simples fato dele ter gostado do Código da Vinci...

    Esses me parecem ter um quê de Homens-Extraordinários no conceito empregado em Crime e Castigo... :think:

    Mas talvez o pior ainda seja o fato de muitos neo-cults acharem que serão mais respeitáveis se seguirem o caminho citado acima... com a diferença de não ter nadica de base para sustentar-se como "julgadores" da massa.
     
  10. Skylink

    Skylink Squirrle!

    Ou seja, na prática o conhecimento, por mais motivos de sofrimento que nos traga, permite basicamente lidar e direcionar estes e aqueles que já temos/teremos. E oq você critica é justamente a alienação instintiva, a não percepção da cadeia de situações que decorre do ato de ler só um tipo de coisa.

    Mas bem, isso é uma opção voluntária. As pessoas não provam outras coisas por que não querem; o que é bem menos ruim do que pessoas que não provam nada. :?

    Se for pensar em termos de pessoas "comuns", a falta de hábito torna a leitura uma atividade extremamente complicada ( e por uma associação cultural meio errônea, também tediosa e chata). Isso acaba por até dar sentido àqueles negócios de classificação e indicação, embora eles continuem como isso (conselhos, apenas)

    Pra a criança, ou mesmo o adolescente, é extremamente difícil de lidar com as dezenas de informações e ligações que existem numa boa história. Ao menos de início, pois depois de um tempo as coisas ficam mais simples.

    Então, o fato de as pessoas lerem qualquer coisa, mesmo romances água com açucar, ao menos tira delas essa alergia pelas palavras e pelo esteréotipo do livro e da pessoa que lê. A partir daí, o leque de opções esta à disposição de quem quiser; e passa a ser meio que uma atitude completamente individual a busca pelo conhecimento.
     
  11. Skylink

    Skylink Squirrle!

    O problema talvez seja que as pessoas são bitoladas demais com uma espécie de estigma de competição. E a simples transmissão de aprendizado acaba se tornando uma coisa meio que de outro mundo :?

    Os Cults geralmente tendem a se sentir superiores e julgar que as pessoas deveriam se sobressair por si mesmas, mas se esquecem que eles mesmos tiveram uma série enorme de bases e influências que os tornaram o q são (insatisfeitos deprimidos, cegos hedônicos, rarissímos otimistas, etc). Mas mesm com toda a carga de conhecimento que têm, eles se tornam bitolados ao se isolarem, o q causa uma espécie de conforto apenas temporário (dependendo da aspiração da pessoa em questão).

    Os leitores "pops" também são tontos nesse aspecto, pq no geral não tem um rumo definido a seguir. E se for ver, a maioria das pessoas se esquece de utilizar o conhecimento que adquiriu para um auto-conhecimento, analisando mais profundamente seus desejos, sentimentos e os motivos que os ocasionam, para então traçar o seu caminho. Ao contrário, eles preferem pegar idéias já prontas (e aí da pra compreender pq até os livros são coisas essencialmente perigosas)

    Mas enfim, é isso que torna o cult desejoso de compartilhar o conhecimento com todos uma pessoa triste no seu circúlo de amiguinhos intelectuais. E isso também que ocasiona uma existência vazia a pessoas de "vida simples"
     
  12. Fafa

    Fafa Visitante

    Para a mim as atrocidades cometidas na guerra pelos japoneses são muito piores do que qualquer repressão à manifestações, porque no primeiro ocorreram torturas e experimentos em seres humanos (resultando em morte). E não é só o fato de não pedirem desculpas, os criminosos de guerra japoneses ainda são louvados em um santuário (inclusive, pelo primeiro-ministro).
     
  13. Oi Gente! :)8-)

    Bem, como eu perdi o fio da meada, ou o rastro do cometa, ou a luz da Centauro 16 que brilha somente 5 segundos a cada hora estelar, eu não vou dizer nada!

    Bem, só uma coisa. :mrgreen::roll:

    Eu pensei que eu tivesse dito o que eu queria dizer, mas depois que responderam (Obrigado Srta.Primula, gostei do texto) eu vi que eu não disse nada, e para não perder o costume, vou continuar dizendo que eu pensei na forma de serem oferecidos opções aos alunos dentre os genêros mais comuns e (porque não) populares.

    Mas é lógico que seria sim um direcionamento e dependeria bem dos profissionais do ensino esse tipo de seleção.

    10 livros, 10 temas diferentes entre Romance, Ficção, Aventura, Fantasia, Drama, Documentário e etc... que seriam oferecidos para leitura, dando opção de escolha.

    Bem, eu só estou falando isso pq eu organizei algo assim, com adultos e adolescentes e deu certo numa quantidade de 15 pessoas, alguns descobriram que gostavam da escolha que fizeram, outros odiaram e optaram por outro genêro, mas nunca fiz com crianças e numa quantidade de sala de aula, dentro de um currículo escolar, as pessoas estavam ali porque queriam participar e sabiam que iriam ler algo, além da disposição, foi oferecida a escolha e depois vieram os debates, foi legal.

    Tchau aí... :tchau::assobio:
     
  14. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Como eu falei para a Yu Lin...

    A China também tem seus livros de lavagem cerebral. O Brasil idem. EUA então...

    Quem faz a História é o governo. (tou parecendo o Gato Maurício de Pratchett)

    Eu não gosto nem desgosto dos japoneses ou chineses. Apesar de ser descendente de japoneses, eu fiquei zanzando por um bom tempo com os chineses de Iowa.

    Se os chineses perdem tempo odiando japoneses que foram enganados pelo governo sobre Nanking, eu acho que é a mesma perda de tempo dos japoneses odiando a China por alguma coisa que os chineses fizeram lá pelos idos de mil seiscentos e bolinha porque os livros de estória oficiais dizem para odiar os chineses. Eu não caio nessa, e me misturo com chineses e japoneses e o que mais vier pela frente.

    Pois...

    QUALQUER exército faz atrocidades quando está em território "inimigo".

    Três fatores:

    1) neuras de ver todo mundo civil ou não como inimigo.
    2) o velho "mamãe não está vendo" (Estando em lugar inimigo é comum praticar tiro ao alvo em civis, estupros, matança de crianças...)
    3) o respectivo governo MANDA!

    Não existe guerra limpa. As pessoas vão para a guerra para matar.

    A mesma guerra em que seus co-cidadãos louvam seus heróis para matar pessoas queridas de pessoas do outro lado da linha inimiga. Onde aquele que se recusa a ir matar é taxado de traidor, covarde, etc.

    Isso vale tanto para Americanos, quanto japoneses, chineses, etc..

    Por isso que o gesto de piedade em "o resgate do soldado ryan" para com o soldado alemão é hipocrita. Porque o americano faz isso de propósito para que o público fique com raiva do soldado alemão que teve a vida poupada. Só que isso não anulou o fato dele continuar sendo um soldado alemão (matar o inimigo). Se o soldado americano fosse decente, ele teria logo de uma vez matado rapida e sem dor o soldado alemão, para que o soldado alemão não tivesse de voltar a lutar e ter de "traí-lo".

    Seria bom o Japão reconhecer seus crimes de guerra? Seria, mas isso é problema dos japoneses. Perceba: isso não ajuda em nada a China, seria bom para o Japão! (imagine livros de História oficial com o governo deixando de enganar seu povo!)

    Ou seja, é apenas uma das formas de distrair os chineses dos problemas que eles tem lá.

    Outra forma é mantê-los no escuro (não há como saber o que está acontecendo por lá que não seja aprovado por um comitê... NEM INTERNET É LIVRE).

    E uma terceira é manter grande parte da população a pé. (isso me lembra Duna)

    Se fosse para exigir desculpas, há varios do Ocidente também. E de novo, seria bom para os países em questão (apesar de não achar que os caras que exigem desculpas queiram o bem do desafeto)

    Mas o fato é que é mais prático o governo fomentar esse descontentamento com gente de fora (que é o que estão fazendo) para evitar que haja questionamento de um problema real chinês.

    Que é o problema do Brasil, Chile, etc em aceitar o que foi feito com a massa estudantil por exemplo... um cadáver enterrado em casa.

    Aceitar o jogo do governo é cair nessa de "japão precisa nos pedir desculpas"

    Que é o mesmo que fazem aqui onde muitos jovens ficam com ódio de americanos, alemães, etc., sem nunca ter batido um papinho de verdade num bar com um deles.

    E o cadaver continua ali incomodando... e porque incomoda, frustra e essa frustração precisa ser direcionada. E o que melhor do que direcionar para fora?

    OBS: nesse sentido, os livros oficiais japoneses podem até mentir no Japão. Mas há um romance JAPONÊS, onde o herói é um CHINÊS, que virou militar por não ter escolha e tenta matar o menos que pode durante uma guerra que já dura 100 anos. Romance que é sucesso no japão e virou desenho animado (anime) sendo que eu* assisti a este último.

    Há uma sutil ironia nisso, que junto com uma crítica do modo de ser soldado (matar o máximo de inimigos, se divertir, abusar, etc) de certa forma critica a conduta do Japão em diversas guerras.

    Não há abertura para escrever um livro desse conteúdo na China (não sei de nenhum livro Chinês com herói Japonês, ou questionando as ordens do Governo em uma guerra). Há o livro oficial e não há como o chinês ter acesso à outro modo de pensar sobre o povo "inimigo", ou questionar o próprio Governo em entrar em certas frias.

    * Dou enfase dessas coisas chegarem à minha pessoa, porque se chegaram a mim é porque é mais difundido no país de origem!
     
  15. Logan Mcloud

    Logan Mcloud Usuário

    Pri nao vou comentar sobre a China e o Japao, pq tenho uma ideia bastante igual a sua.... a unica diferença suponho eh no fato de q eu acredito q o exercito nao comete atrocidades apenas nos inimigos.... afinal tivemos a nossa ditadura aki.... o exercito nao eh uma pinça ... eh um malho... ele vai esmagar tudo para conseguir oq quer... (vide NY citiada um pessimo filme com alguma falas boas) mas fora isso concordo com vc nessa parte.


    agora quanto a ignorancia... bem quando pensamos na africa, nos eua... bem acho q a maioria esta melhor sendo ignorante sim... os africanos... bem se eles tivessem conciencia (eh assim q se escrave?). De q sao apenas um joguete nas maos de super potencias... q estao ou nao se dando bem as custas deles... alguns milhares talvez nem quereriam continuar vivendo entao ... e outros milhares começariam outra de inumeras revoltas civias q sempre acontecem por al... so para botar mais um corrompido no poder... mas... mas essses caras nao estao em ai para isso... eles so pensam em sobreviver... e isso ja eh dificil o bastante... eles nao se importam com o fato de q amanha a comida pade nao vir pq um americano esperto acreditou q a cruz vermelha tava ganhando dinheiro demais.... eles so pensam em comer hoje e sobreviver hoje... pois se pensasem em mais q isso morreriam... eles sofrem... sofrem sem saber pq... mas o sofrimento deles eh minorado pois nao sabem a extençao do q sofrem nem o tempo pelo qual vao sofrer...


    os americanos... bem pri vc ja teve medo do escuro? eu tive acho q toda criança teve... em alguma parte de sua vida... tememos o escuro pq como seres bastante visuais sem os olhos nao sabemos oq esta a nossa frente e o NAO SABER assusta... quando se eh sabio, como vc eh pri, vc sabe q nao sabe e isso talvez ate assuste mas lhe da mais energias para tentar saber ainda mais. mas quando se eh ignorante vc se agarra nas coisas q sabe com uma força irresistivel... os americanos sabem oq o AMERIACN WAY OF LIFE da certo para eles.... pois eles regem o mundo e nao querem perder esse poder. mais ou menos como um altista q prefere continuar no seu mundo. um altista pode perder a mao e nao sofrer apenas pq se refugiou em seu mundo... a ignorancia eh isso um refugio... um porto seguro... eh bem verdade q vc nao sabe oq tem depois do porto... mas e dai... vc tem medo de saber. e vc esta satisfeito com ser rei no seu mundo... oq vc preferiria pri ser um idiota no ceu ou um genio no inferno? eu escolho a segunta opçao... mas muitos escolhem a primeira.... pq? oras eh bem mais gostoso o ceu deve ser um lugar muito bom ( muito embora eu nao consiga viver sem sexo e so ao som de harpas :twisted: )


    pri o conhecimento amargura o homem eu estava vendo monk (uma seria pasa no universal eu acho) e um sabio chinex falou q a sabedoria dele uma uma "bençao e uma maldiçao... " pq ele falou maldiçao? Pq muito pior q sentir a dor eh esperar por ela... nao sei se vc ja fez uma tatuagem mas eu fiz... e foi muito pior enqunto eu estava esperando a porra da agulha entrar nas minhas costas... do q quando ela realmente entrou...


    meu paie ntrou aki e eu falei com ele e ele me brindou com um pensamenteo interessante o "verdadeiro sabio eh indiferente afinal ele sabe oq vai acontecer... portanto nem se preocupa mais"... nao sei me ocorreu q a indiferença tb nao eh uma coisa boa... eu inha falando em outros topicos q estava com medo de ficar definitivamente indiferente pois quando vc faz isso vc simplesmente se exime de culpa... e portanto pode cometer as maiores atrocidades.... mais ou menos como quando vc eh fanatico e ignorante.

    pri volte no passado... antes do seus 14 anos... antes de vc ter certeza de q a escola era um lugar legal pq vc aprendia la... volte para o tempo em q vc so achava a escola legal pq uma amiga sua estava la... ou akele menino q vc achava tao bunitinhu.... vc ignorava o real sentido de estar indo as aulas... mas ainda sim ia... e isso lhe fazia bem aindaq vc nao soubesse ... afinal vc aprendeu a escrever e ler oq lhe abriu portas para um mundo de coisas, q lhe abriu a porta para vc gostar de aprender... mas vc era feliz enquanto ignorante e para ser sincero uma parte de vc adoraria voltar aos seus 12, 13 anos e esquecer os compromisos, as formulas, os amores, as brigas. etc. se lhe dessem uma oportunidade talvez vc voltasse para epoca em q começou a ler e ficasse la apenas lendo e fugindo do mundo eu acho q faria isso....


    eu amo conhecimento e todos vcs sabem disso... mas eu renegaria a tudo q esta contido no meu cerebro apenas para sentir o gosto de uma boa carne macia e suculenta todos os dias da minha vida e alem disso nao ter mais nenhuma das minhas preocupaçoes como o cara de de matrix fez...


    vc acha q quem esta melhor eu q me peocupo com nao jogar lixo no chao, q fico puto cada vez q vejo um cano de descarga, q tenho ondas de raiva toda vez q vejo um bundao dizer q "era muito legal o coelho explodia com a bala". ou o bundao q dava o tiro e quase tinha orgasmos ? quem ? quem esta melhor? quem eh mais feliz? portanto... quem eh mais sabio? ele eh obvio.... ele eh mais esperto q eu ele se acha melhor q todos os seres vivos, ou o outro q eh FILHO DE DEUS e portanto eh apenas o filho do dono do mundo... ou eu q sou apenas mais um entre 6x10^9 pessoas? morador de um pais de 3º mundo? sem ninguem para pediar consolo apoio ou ajuda?ele pode pedir ajuda a Deus e o melhor ele tem certeza q Deus esta olhando por ele e Eu?


    nao pri a ignorancia eh nao so uma bençao mas a bençao... lembre-se da parabola do edem... a arvore cujas frutas o homem nao podia comer era a arvore do conhecimento ......



    bem nao sei se me fiz entender..... ou se apenas fiz um monte de decraraçoes amarguradas..... mas valeu... vou as deixar aki como uma memoria as coisas q eu realmente penso...


    e quanto aos livro... bem na minha escola uma professora fez uma esperiencia todos os alunos lavavam um livro de q gostaram para a sala e trocavam esses livros entre si e depois de os lerem faziam um resumo dos outros q tinham lido.... foi muito importante para todos e invariavelmente tinham alguns livros muito bons la....portanto nao... nem 50% das crianças vai ler mais do q gibis.... mas parafraseando e eng " eu nao quero salvar todas as pessoas, quero salvar apenas uma , uma de cada vez"


    bjs Dwarf
     
  16. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    O ganho de cultura sem dúvida sempre será maior, quanto mais gêneros literários e de autores das mais variadas procedências acessarmos, o mesmo valendo pra música e cinema também.
    A partir da era Internet é que realmente diversifiquei mais, pois dependendo do gênero antes era bem mais difícil ter boas dicas e informações.
     
    • Ótimo Ótimo x 1

Compartilhar