1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Tideland (Terry Gilliam 2005)

Tópico em 'Cinema' iniciado por imported_Ariane, 14 Fev 2011.

  1. imported_Ariane

    imported_Ariane Usuário

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    Título Original:
    "Tideland" (2005)

    Realização:
    Terry Gilliam

    Argumento:
    Terry Gilliam & Mitch Cullin

    Atores:
    Jodelle Ferland - Joiza-Rose
    Janet McTeer - Dell
    Brendan Fletcher - Dickens
    Jennifer Tilly - Queen Gunhilda


    [align=justify]Jeliza-Rose é uma criança numa situação delicada: os pais são toxicodependentes. Quando a mãe morre, Jeliza-Rose embarca numa estranha viagem com o pai, um músico que parou no tempo. Para lidar com a solidão que encontra na nova casa, Jeliza-Rose refugia-se num mundo imaginário - um mundo no qual os pirilampos têm nomes e os esquilos falam. As cabeças das suas bonecas, há muito separadas dos respectivos corpos, ganham vida e fazem-lhe também companhia. Jeliza-Rose acaba por encontrar conforto junto de Dickens, um jovem com problemas mentais que passa os dias a tentar capturar o tubarão gigante que habita a linha do comboio. Mas Dell, a irmã mais velha de Dickens, tem uma figura sinistra e não vai dar sossego a Jeliza-Rose.

    Bizarro e surreal. É este o resultado da mais recente película de Terry Giliam, o ex- Monty Python responsável por obras no domínio do fantástico, entre elas, por exemplo, Brazil, Delírio em Las Vegas ou mais recentemente Os Irmãos Grimm.

    Em Tideland, Gilliam conta-nos a odisseia de uma criança que por força de circunstâncias trágicas se vê forçada a mudar para uma pequena cidade que dá nome ao filme. Tideland poderá ser considerado uma metáfora do conto Alice no país das Maravilhas. Aqui não há uma wonderland, mas sim uma terra conhecida por Tideland habitada por poucos mas estranhos habitantes, na qual Jeliza-Rose se vê abandonada e sozinha após a morte de ambos os pais.

    Essa solidão, faz com que Jeliza-Rose crie um mundo imaginário para minimizar o sofrimento, o que inclui por exemplo manter conversas com as suas 4 cabeças de boneca Barbie, cada uma delas com a sua personalidade, enfiadas uma em cada dedo. E é nesse sentido, que a actriz Jodelle Ferland tem um desempenho realmente fabuloso carregando o filme por completo.

    Do ponto de vista técnico, Tideland está muito bem filmado, com uma fotografia belíssima, partitura sonora adequada e performances seguras dos restantes actores, que incluem, por exemplo Jeff Bridges (neste filme faz lembrar um pouco o “dude” de O grande Lebowski) ou Jennifer Tilly.

    O real problema é a não existência de um argumento para além da centralização na personagem principal Jeliza-Rose e no seu mundo surreal. Ou seja, afinal, o filme é sobre quê e com que propósito? Tem realmente forma, mas falta-lhe o conteúdo. Por outro lado, existem algumas cenas de uma violência psicológica e até um pouco mórbidas que são no mínimo incomodativas, tratando-se de uma criança, como por exemplo, quando Jeliza-Rose, abraça o cadáver do seu pai, há vários dias falecido na sua cadeira. Incomoda e não se entende a intenção ser mostrado desta forma.

    No fundo, Tideland é um filme como outros de Gilliam, ou seja, que dividirá opiniões. Uns vão adorar, enquanto que outros, com certeza o irão vaiar. Na minha opinião vale a pena ser visto pelo seu carácter específico e para que cada um possa usufruir (ou não) deste fairy tale invertido e perverso.

    ® Sérgio Lopes[/align]


    [align=justify]Bem, eu precisei tomar um litro d'água depois do filme para egoli-lo! O.O
    Ele foi vítima de de críticas cruéis, com as quais Gilliam já contava. Eu precisei de um dia para dizer: sim, eu gostei do filme. Sim eu reconheço a poesia nele. Sim, eu me lembrei de determinados momentos da minha infância...

    Alguém já assistiu? O que você acharam dele?
    [/align]
     
  2. imported_Ariane

    imported_Ariane Usuário

    Última edição por um moderador: 6 Out 2013
  3. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    Opa, valeu pela indicação, Terry Giliam é sempre uma boa pedida. Ele mantém as obsessões estéticas surreais-circensese dele ou não? Só a não-convencionalidade dele já é fantástica.
     
  4. imported_Ariane

    imported_Ariane Usuário

    De nada, Lucas! XD

    Ele fez também
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .

    O cara me fascina... Sem brincadeira. Esse filme... Nossa, vc tem que ver. Aí a gente conversa melhor! :rofl:
     
  5. aces4r

    aces4r Usuário

    Gostei do Cartaz. Se é de Terry Gilliam, é bom, muito bom.
     
  6. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [align=justify]Nossa, o filme do Barão Munchausen é um dos meus prediletos até hoje. Acho o filme fantástico, bem melhor, inclusive, que o do Dr. Parnassus (que gosto também), a direção de arte e a trama bem amarrada e de ritmo frenético me conquistaram. É um baita filme, só de lembrar dá vontade de rever.[/align]
     
  7. aces4r

    aces4r Usuário

    Gostei de todos os filmes que ele fez. Um dos meus preferidos é Os 12 Macacos com Bruce Willis.
     
  8. imported_Rafaela

    imported_Rafaela Usuário

    Nossa, um dia desses eu estava tentando lembrar o nome desse filme para postar aqui!

    Esse filme me dá medo! :susto: sei lá, viaja muito, algumas coisas são bizarras como por exemplo:

    o pai da menina, morto, em decomposição e sentado no sofá e ela sentada no colo dele!!! :puke:
     
  9. imported_Ariane

    imported_Ariane Usuário

    Isso mesmo, Rafa!
    Ele também me chocou! Mas essa é a poesia! Exatamente isso que eu quis dizer! É bizarro, mas a maneira como a menina vê tudo é o que faz do filme uma confusão de sentimentos! O.O
     

Compartilhar