1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Thomas Hardy

Tópico em 'Autores Estrangeiros' iniciado por Lucas_Deschain, 31 Jul 2010.

  1. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [size=medium][align=center]Thomas Hardy (1840-1928)[/align][/size]

    [align=center]
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    [/align]

    [align=justify]Thomas Hardy (Higher Bockhampton, Dorset, 2 de julho de 1840 - Max Gate, Dorchester, 11 de janeiro de 1928) foi um novelista e poeta inglês. Autor de obras de grande importância, conhecido pelo pessimismo radical que caracteriza os seus romances.
    De uma família de classe média, filho de um próspero construtor civil, passou sua infância no campo. Estudou arquitetura e trabalhou na restauração de edifícios antigos, principalmente igrejas, enquanto escrevia poemas que só publicaria no fim da vida, quando se revelou um extraordinário poeta. No seu período de maturidade (1878-1895), escreveu obras que se tornaram clássicos da literatura inglesa. Também foi um brilhante contista, que traçou perfis psicológicos antitéticos, portadores e conscientes de seus desejos sexuais e de sua própria opressão pela sociedade. O estilo prosaico e objetivo da sua linguagem, cuja temática voltava-se para a velhice, o amor e a morte, influiu na reação anti-romântica. Por tudo isso, foi considerado o "último dos grandes vitorianos".
    Hardy casou-se com Emma Lavinia Gifford em 1874. Após a morte da esposa, em 1912, casou-se com Florence Emily Dugdale, autora de livros infantis. Morreu de causas naturais aos 87 anos.[/align]

    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    [align=justify]Tenho Judas, o Obscuro há bastante tempo mas nunca encarei. Já vi ele sendo citado em alguns livros do Stephen King e ser analisado por Edward Palmer Thompson na obra Os Românticos - A Inglaterra na Era Revolucionária, que, aliás, é muito bom.[/align]
     
  2. Anica

    Anica Usuário

    eu tenho um judas, o obscuro que comecei a ler e parei na segunda página. não era o momento, sei lá. eu também preciso saber mais sobre o autor antes de ler e a verdade é que nunca fui muito atrás de informações sobre o hardy =S
     
  3. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [align=justify]Tem um professor de Física lá no colégio onde dou aula que me recomendou veementemente esse livro. Ele disse que é o ponto de vista do Judas a respeito de toda a história que conhecemos e tudo o mais. Partindo dessa sinopsezinha dá realmente vontade de ler. Não lembro exatamente como, mas o E.P.Thompson fala que ele é emblemático em retratar os conflitos de uma época de revolução e contestação na Inglaterra, em que havia um florescimento cultural, mas ainda assim uma hesitação e resistência muito grande da população em aceitar os rumos político-econômico-sociais que estavam sendo tomados na época.[/align]
     
  4. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    acabei d assistir ao 1º episódio da série stephen king's bag of bones ond o personagem cita a frase q dá título ao livro/série como sendo de hardy:

    "Comparado ao mais monótono ser humano andando sobre a face da Terra, o personagem mais brilhantemente desenhado em um romance é apenas um saco de ossos."

    fui pesquisar + sobre o autor e encontrei aqui mesmo no meia o judas o obscuro na listinha dos 10 livros + deprimentes d todos os tempos. ele tb tem alguns contos considerados essenciais. deu vontade d ler...
     
  5. Spartaco

    Spartaco James West

    Eu li há um bom tempo atrás a já mencionada novela (ou será romance) de Thomas Hardy, Judas, o Obscuro, com tradução de Octavio de Faria, da antiga coleção dos Imortais da Literatura Universal (Abril Cultural).

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Lembro-me que, apesar do pessimismo que impregna essa obra, eu gostei de ler. Para quem ainda não teve oportunidade de conhecê-la, recomendo a sua leitura.

    Abraços.
     
  6. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    como ñ acredito em coincidências, ontem assisti ao filme a arte da conquista (the art of getting by, 2011) onde um trecho de outro livro d hardy é analisado brevemente pelo personagem principal: o prefeito de casterbridge: a vida e a morte de um homem de caráter.dae lembrei q no ano passado tentei assistir a série em 2 epis (itv, 2003) e abandonei no começo. talvez mereça uma segunda chance.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    Última edição: 27 Mai 2014
  7. Carcosa

    Carcosa Usuário

    Judas, O obscuro foi marcante, passei semanas abatida com o desenrolar dos fatos, com a poesia que emana de cada capítulo, inclusive com as citações de pequenos poemas a cada nova parte da história.
    É um livro poderoso, deprimente e nauseante, como se o Judas não pudesse ser outro além dele mesmo. É catártico também, foi um dos melhores livros que li.
     
    • Gostei! Gostei! x 1

Compartilhar