1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

The Walking Dead bate recorde de venda nos quadrinhos

Tópico em 'Quadrinhos' iniciado por Turgon, 9 Ago 2012.

  1. Turgon

    Turgon 孫 悟空

    HQ supera Marvel e DC Comics e tem número que não era registrado desde 1997


    A edição 100 da série zumbi The Walking Dead totalizou 335.082 pedidos da sua primeira tiragem - número que não se via desde 1997 no mercado norte-americano. Ou seja, é a HQ recordista do século.

    Segundo as estimativas do site ICV2 quanto às vendas de julho do mercado de quadrinhos dos EUA, com base nos dados da distribuidora Diamond Comics, a edição centenária fez quase o dobro do segundo lugar no ranking, Avengers vs. X-Men #7, da Marvel, com 179 mil. E apesar da Marvel estar bem no ranking, mantendo sua saga do ano nas alturas, a DC ficou com 6 de seus títulos no top 10 - Batman, Justice League, Before Watchmen: Ozymandias, Detective Comics, Green Lantern e Action Comics.

    Nas graphic novels e coletâneas, a DC também fez bonito: Batman: Earth One teve quase 33 mil pedidos na listagem que raramente passa dos 10 mil. Com a última coletânea de Fábulas em segundo lugar também superando 10 mil, a editora não tem do que reclamar. E vale notar o terceiro lugar, a terceira das premiadíssimas adaptações de Parker por Darwyn Cooke.

    A força da DC provocou outra alteração forte no mercado: ela superou a Marvel tanto em arrecadação (32,71% contra 31,96%) quanto em exemplares pedidos (36,55% contra 35,45%). Apesar de Walking Dead #100, a Image não chegou a 10% do mercado - mas quase dobrou sua fatia normal.

    Quem saiu ganhando foi o mercado como um todo: o ICV2 fala em crescimento de 22,09% nas séries e de 16,89% nas graphic novels e coletâneas em relação ao mesmo período no ano passado.

    Fonte: Omelete
    ________________________________

    Série vai muito bem nas HQs! Incrível! Tem batido as principais rivais bem.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  2. Guilbor

    Guilbor Old Man

    E vai continuar batendo recordes facil.
    Vem sendo aclamada de longe como a melhor serie autoral.

    O sucesso é tanto, que varios escritores e desenhistas estão se afastando do maistrean pra publicar series autorais.
     
  3. Turgon

    Turgon 孫 悟空

    Dentro dos USA. :mrgreen:

    Mas a série é muito boa! Tenho acompanhado a HQ, apesar de não estar nos capítulos atuais e digo que é muito boa! Vale o sucesso que vem fazendo.
     
  4. Guilbor

    Guilbor Old Man

    O que vale pra eles é o mercado interno, o resto é.....resto.
     
  5. Turgon

    Turgon 孫 悟空

    É que foi uma brincadeira. Pois esse número é pequeno em comparação as vendas de mangás no Japão.
     
  6. Guilbor

    Guilbor Old Man

    Ah vá, não da pra compara mercado de Mangá com HQ fora que oriental compra horrores por que por mais que demore 20 anos sempre há um começo meio e fim nos mangas, o que não acontece nas Hqs comuns.
     
  7. Ilmarinen

    Ilmarinen Usuário

    Vc pode ter certeza que o sucesso de Walking Dead, no mínimo,
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , vendida, inclusive, em qualquer camelô de capital, promovendo o produto matriz como um efeito colateral midiático com o qual os japoneses já são familiarizados há decadas: uma mídia não precisa, necessariamente, concorrer com a outra, TODAS se beneficiam com a exposição, simultaneamente, e podem, inclusive, se complementar.

    Do contrário, seria, no mínimo, estranho que uma série já com oito anos de duração, MILAGROSAMENTE passasse a atingir um público novo que não comparecia pra comprar o comic antes, por mais qualidade que tivesse.

    Moral da história: a Warner agora vai correr HORRORES pra adaptar
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ( apesar de, tendo a oportunidade perdida em 2009,
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ), mesmo que leve ainda alguns anos pro CG realmente baratear e não correr o risco de dar uma mutilada, como periga acontecer com A Song of Ice and Fire do George R.R. Martin e a versão da HB0.

    O motivo pros comics de superheróis ainda não terem, de fato, seguido esse caminho é o custo proibitivo dos efeitos especiais ( um obstáculo cada vez menor no caso das adaptações live-action), já que, como o filme dos Avengers bem demonstrou, o gênero naturalmente "híbrido", na verdade, alterna espionagem, fantasia, ficção científica, ação policial e cinema catástrofe no mesmo pacote, todos gêneros que requerem orçamentos polpudos; e o fato do americano ainda estar achando que o público de animação cartoon não é ou deve ser o mesmo que compra as HQs do universo regular mainstream, dado que reflete uma relação histórica ideológica "equivocada" com a mídia de animação nos EUA.

    A respeito desse último ponto recomendo dar uma checada que é assunto das mais sérias implicações pra todo mundo que aprecia a mídia e suas possibilidades:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Caso contrário, tenho certeza que as Sagas de Proteus/Fênix Negra/Dias de um Futuro Esquecido ( Chris Claremont/John Byrne nos X-Men), de Surtur (Thor de Walter Simonson), de Ares ( Mulher Maravilha de George Pérez), Elektra/Demolidor (Daredevil de Frank Miller) ou Novos Titãs de Wolfman e Pérez já teriam virado animação há muito tempo. As adaptações pra outras mídias não têm necessidade alguma de adaptar toda a história dos personagens, só as melhores e mais "autorais" fases já proporcionam fácil, fácil, histórias com começo, meio e fim capazes de atrair o interesse de milhões.

    O sucesso de Walking Dead agora estar refletindo a presença da contraparte televisiva, do mesmo jeito que os livros do SdA passaram a vender 40 vezes mais do que antes dos filmes do Peter Jackson e que os livros do Martin passaram a ter um incremento na vendagem depois da série da HBO, vai começar a chamar a atenção do americano pro fato de que novas abordagens de exposição midiática, onde o lance "dividir pra conquistar" não funciona mais, são o caminho pra recuperar e manter a saúde dos produtos pra consumo de massa no mundo competivivo e voltado pra imagem cinemática dos nossos dias.
     
    Última edição: 11 Set 2012

Compartilhar