• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Território Lovecraft (Matt Ruff)

Clara

Perplecta
Usuário Premium
TerritorioLovecraft-G.jpg

Eu ia colocar como post do tópico "O que você Está Lendo", porque ainda estou na metade, mas não resisti e resolvi fazer um tópico só pra ele.
Por Cthulhu, que livro bacana! :amor: :squid:
Daqueles que, antes da metade, a gente tem certeza que vai odiar chegar ao final.

Descobri esse livro através do canal do Fábio Fernandes, em que ele fez uma série de resenhas de livros escritos por autores que ele chama de "Herdeiros de Lovecraft".

Se você sabe algo sobre o autor H.P. Lovecraft, deve saber que ele era racista e xenófobo e isso se manifestava não tanto em suas histórias (conhecidas como "horror cósmico") mas mais pelas inúmeras cartas que escreveu ao longo da vida.

Pois o Matt Ruff coloca como protagonista da história uma família negra nos EUA dos anos 1950.
Temos sim as criaturas e atmosfera lovecraftianas, mas pior do que isso, o "horror" de verdade pra eles é o racismo e a violência que sofrem praticamente todos os dias, o tempo todo.

A história tem partes comoventes, como quando o personagem principal, Atticus, fanzaço de livros de terror e sci-fi, descobre que o Lovecraft que ele ama tanto é um fdp racista.

Um sentimento compartilhado por todo fã que descobriu escrotices que seu artista favorito cometeu um dia. De Monteiro Lobato à Morrissey.

Mas não é só de horror e sofrimento que se trata o livro, os personagens são inteligentes e divertidos, desde as tiradas de Atticus e do tio George (autor do oportuno "Guia de Viagem do Negro Precavido") até a esperta e fofa Letitia.

PS1: Sim, tem uma série da HBO vindo por aí (já tem trailer).

PS2: Só quando recebi o livro em casa (aliás, edição linda da Intrínseca) a lerda aqui percebeu que os famosos "tentáculos lovecraftianos" formam capuzes de membros da KKK. :roll:
 

Turgon

ワンピース
Parece bacana. Eu fico enrolando para terminar meus livros de contos justamente por não querer que acabem.
 

Reverendo

Usuário
Se você sabe algo sobre o autor H.P. Lovecraft, deve saber que ele era racista e xenófobo e isso se manifestava não tanto em suas histórias (conhecidas como "horror cósmico") mas mais pelas inúmeras cartas que escreveu ao longo da vida.

Numa época em que até E O VENTO LEVOU está sendo alvo, acho que não vai demorar muito para a obra de Lovecraft entrar na mira.
 

Clara

Perplecta
Usuário Premium
Numa época em que até E O VENTO LEVOU está sendo alvo, acho que não vai demorar muito para a obra de Lovecraft entrar na mira.
Nas obras dele esse racismo se manifesta muito de leve, não é tão explícito.
Mas teve uma celeuma anos atrás referente a um prêmio cujo troféu era o busto do Lovecraft e uma vencedora (escritora negra) se disse incomodada de receber o prêmio por causa da imagem dele.
Parece até que quiseram mudar o troféu, não sei o que deu isso.
Se não me engano tem post aqui no Valinor referente a esse caso. Vou ver se encontro.

PS.: Não encontrei aqui no Valinor mas achei esse post no blog do Braulio Tavares que fala sobre o caso, embora ainda não saiba o final disso tudo.

O World Fantasy Award, um dos principais prêmios da literatura fantástica, já foi recebido por muita gente importante. Na categoria de “Lifetime Achievement” (conjunto da obra), já foi para Ray Bradbury, Jorge Luís Borges, Italo Calvino, Harlan Ellison. Consiste num pequeno busto que reproduz H. P. Lovecraft. Em 2011, foi premiada ("Melhor Romance") a autora nigeriana-americana Nnedi Okorafor, que depois manifestou seu constrangimento ao ler um poema racista de Lovecraft. E agora há um movimento para mudar o prêmio, para não constranger pessoas que se julguem (possíveis) alvos de racismo.


Há indivíduos que são racistas e fazem disso o carro-chefe de sua vida, como os membros de Ku-Klux-Klan ou as autoridades da África do Sul na época do apartheid, etc. Vivem em função disso; é a principal bandeira ideológica de tudo que fazem. Esses, para quem não é racista, devem ser combatidos com a mesma firmeza com que perseguem suas vítimas.


E há pessoas que são racistas por mera osmose, porque foram criadas num ambiente onde isso era ponto pacífico, era um saber herdado e compartilhado sem jamais ser discutido. Por isso é importante discutir publicamente o racismo, talvez não para mudar a opinião da categoria anterior – esses são o “núcleo duro” do racismo, não podem ser convencidos, podem apenas ser neutralizados. Mas a discussão é para esses indivíduos que desprezam pretos ou judeus porque – como parece ser o caso de Lovecraft – cresceram num ambiente onde “gente de respeito não se mistura com gente inferior”, etc.


Dá-se algo parecido com as religiões. Muita gente cresce num ambiente vagamente religioso e adota a religião dos pais sem lhe dar muita atenção; torna-se geralmente aquele tipo “crente, mas não praticante”, e muitas vezes, se apertado, se colocado no canto da parede, o sujeito percebe que nem crente ele é pra valer. Aceitou sem muito interesse, mas não crê naquilo de verdade.

E Lovecraft? Parece que ele era um meio-caminho entre essas duas posições. Era um sujeito com traumas profundos, enorme senso de inadequação, inaptidão sexual, fantasias de nobreza e aristocracia, impulsos racistas que eram uma fantasia a mais. Mas nada disso estava sendo celebrado quando foi dada sua imagem ao prêmio. A celebração era do seu talento como escritor e sua influência no gênero fantasia/horror. Todo escritor tem defeitos como pessoa, tem falhas de caráter, tem ações ou omissões politicamente condenáveis, já se envolveu com atividades capazes de desagradar A ou B. Vai ser difícil (se resolverem trocar mesmo a estátua) achar um escritor sem defeitos, pra botar no lugar dele.
 
Última edição:

Béla van Tesma

I’m hoping to do some good in the world!
Eu comprei esse livrinho. Chegou esta semana. :grinlove:
Junto de mais dois sobre o Love (sou íntimo, sim): a biografia escrita pelo S.T. Joshi e aquele do Houellebecq. Bora tomar Cthulhu na veia.
 

Clara

Perplecta
Usuário Premium
Eu comprei esse livrinho. Chegou esta semana. :grinlove:
Junto de mais dois sobre o Love (sou íntimo, sim): a biografia escrita pelo S.T. Joshi e aquele do Houellebecq. Bora tomar Cthulhu na veia.
A do Joshi eu já li (e recomendo!) essa do Houellebecq, desconheço.
Qual o título?
 

Valinor 2021

Total arrecadado
R$400,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo