1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Terra Média e a Justiça

Tópico em 'J.R.R. Tolkien e suas Obras (Diga Amigo e Entre!)' iniciado por Ankaladar, 22 Fev 2007.

  1. Ankaladar

    Ankaladar Usuário

    Lendo as obras de Tolkien à que tenho acesso, me veio uma dúvida pois não consegui encontrar em nenhum deles (Senhor dos Anéis, O Silmarillon, Contos Incacabados) referência alguma sobre a Justiça dentro da terra média. Podemos notar com clareza coisas como sistema politico (os Homens por exemplo adotam a Monarquia absolutista) e sistema de organização Social dos povos da Terra Média (os Hobbits por exemplo se agrupam em pequenas sociedades fmiliares, sendo reconhecidos por tal). Mas e o sistema juridico dos diversos povos da Terra Média? Eles tinham alguma forma de resolver as coisas entre eles mesmos que não fosse à fio de espada ou com a "Lei do mais Forte"? Casos como o de Sméagol, que após matar Déagol foi expulso de onde morava por seus familiares, ou os julgamentos que o prórpio Gandalf fazia... Podem ser colocados como exemplo de "instituição juridica"?


    Obrigado,

    Ankaladar Pendalagoon, 22/02/2007
     
  2. Insane*Shagrath

    Insane*Shagrath Usuário

    Acho que sim pode sim, mas acho que tipo era mais como alguma coisa de bom senso algo do tipo... E também eu acho que cada povo tinha suas proprias leis e regras que isso é obvio, mas no geral acho que era somente no bom senso mesmo...
     
  3. Ramalokion

    Ramalokion Mecha-de-Folha

    Ankaladar

    a justiça era (como é aqui no mundo atual) uma questão individual de cada povo. Veja nos casos dos Homens que tinham um Rei, historicamente ele (rei) teria o poder de decisão sobre casos.

    Em Rohan nós sabemos dos (catso esqeuci o nome e estou com preguiça de pegar o livro)... "chefes" dos Folde Oriental e Ocidental. Do mesmo jeito que esses "chefes" reuniam os homens e era ligados aos rei, fica entendido que tmabém funcionavam como juízes. O memso vale pros pricipados Gondorianos (Dol Amroth p. ex.).

    Os elfos também dão a entender que um conselho de sábios decidiria essas cosias, sendo que o Rei dava a última palavra

    Os hobbits são interessantes pq Tolkien deixou escritos sobre o intricado sistema de docuemtnos na esfera civil que eles possuiam; as decisões também deviam caber ao Prefeito ou um Conselho... Apesar de que eles eram extremamente tradicionlistas, logo se alguém fizesse algo errado logo seria excluído do meio...
     
  4. Larissa

    Larissa Usuário

    Questões maiores eram discutidas e julgadas no conselho dos Valar, como a prisão e julgamento de Melkor.

    As outras coisas, Ramalokion já falou. O Rei julgava.

    No caso do Condado, onde não existia Rei nem Líder, acho que valia a justiça comum. Por exemplo, todos evitariam Bilbo se ele tivesse sido mal educado com alguém.
     
  5. LatinoAmericano

    LatinoAmericano Aqui jaz Alcarecco

    No Condado era tudo pelo bom senso todo mundo mundo conhecia todo mundo, havia meio que um respeito útuo entre eles, porém tinham suas rixas também, como em qualquer lugar.
     
  6. Ankaladar

    Ankaladar Usuário

    Obrigado
     
  7. Vikingaälva

    Vikingaälva Samson came to my bed

    Acho que era tudo resolvido através do rei de cada povo, como disseram ali em cima. Cada povo tinha seu jeito de governar.

    Quanto aos hobbits, teriam eles uma espécie de anarquia? Digo, de um modo bom, onde cada um se auto governava e respeitava o outro?
     
  8. Ramalokion

    Ramalokion Mecha-de-Folha

    É sabido que os hobbits tinham um sistema notarial bem desenvolvido, com regras de feitura de testamentos e contratos...
     
  9. Maglor

    Maglor Lacho calad! Drego morn!

    O rei Aragorn II julgou o soldado Beregond no Retorno do Rei. =)
    No reino dos homens é tudo bem como esperado. O mais interessante deve ser sobre os hobbits mesmo.
     
  10. Tapio

    Tapio Usuário

    No caso dos hobbits, isso ficava a cargo do prefeito, ou de chefes de grandes famílias, vide Thain, ou coisas assim...
    e tinha um sistema de guarda também, "penas vermelhas", se não me engano..
    faz tempo que li e estou sem o livro agora, então a informação da guarda é imprecisa...
    mas quase não era necessária, os hobbits são um povo pacífico e ordeiro, que não gosta de novidades:g:
     
  11. Loreley

    Loreley Desecration Smile


    Sobre os hobbits há algo no Prólogo do SdA. Logo que iniciou a contagem dos anos e a habitação do Condado eles eram governados por seus próprios líderes e não se misturavam com o mundo lá fora, sendo que eles eram súditos nominais do rei. Depois da guerra em Fornost eles, literalmente, tomaram a terra para si próprios e escolheram um Thain para ocupar o lugar da autoridade do rei. Então, eles também tinham uma autoridade; não era um sistema anárquico.
     
  12. Thor_theOld

    Thor_theOld Banned

    Penso que os hobbits seriam semelhantes a uma burocracia de cidadãos com leis semelhantes as de uma "cidade-livre" durante o periodo medieval, com leis escritas, estando assim livre em relação a autoridade de algum monarca, mas não penso que fossem uma anarquia, sua organização interna é uma "proto-democracia". E os outros povos tinham seus sistemas monárquicos, podendo ter leis escritas e leis consuetudinárias (costumes), mas a decisão final cabería sempre ao rei, sobre como administrar a justiça, e solucionar cada questão, etc. :think:
     
  13. Oropher

    Oropher Hmm... oi?

    E quanto ao Tain, o prefeito?
    Ele não fazia nada? :eek:
     
  14. Thor_theOld

    Thor_theOld Banned

    Cidade-livre, burgo, proto-democracia medieval, sempre tem prefeito, magistrado ou alcaide, então acho que você não entendeu o que eu dissi: eu não falei que não tinha prefeito, não é? Falei que éra uma proto-democracia, e não uma anarquia, ok? :yep:
     
  15. Oropher

    Oropher Hmm... oi?

    Faltou uma certa base de conhecimento histórico no meu cérebro :oops:

    Então tudo certo ^^
     
  16. Thor_theOld

    Thor_theOld Banned

    Fica frio, isto acontece. :joinha:
     
  17. Aracáno Elessar

    Aracáno Elessar Nietzsche

    O sistema de leis em Arda nasce com o julgo dos Poderes sobre as situações cotidianas, passada de forma prática e indireta aos demais povos.
    Com a evolução das sociedades em Arda, e com a multipolaridade semi conflitante ali presente, os sistemas vigentes se dividem em microcosmos, e assim assumem formas peculiares. Porém há um senso comum que impera, seja ele transformado plena, ou parcialmente, pela hierarquia social que o difundiu. Os elfos são os primeiros a terem noção de um conjunto de leis, e aplicá-los em sociedade, sendo que neste início primitivo não haviam muitos casos considerados anômicos. Com as adaptações surgem as anomias. Melkor contribue de forma não anômica, sendo que de acordo com a vigência mor seus atos faziam parte dos desígnios de Eru (em cuja suas vontades as leis foram fundamentadas pelos Regentes de Arda).
    A questão é que na terceira Era, por exemplo, essa multipolaridade torna-se por si só um sistema, e nesse sistema cada povo adapta o conjunto de lei vigente a suas necessidades, o que gera conflitos, e até mesmo guerras abertas e declaradas.
    Paro por aqui, podendo prosseguir embasado em algum outro ponto específico.

    Abraços.
     
  18. Laninha

    Laninha Usuário

    No Condado quem exercia o cargo de "juiz" era o Thain, o chefe da família Tûk, que era chamado de o mestre do Tribunal do Condado e o Capitão das tropas do Condado e dos Hobbits-em-armas, mas segundo o prólogo do SDA tribunais e exércitos só eram organizados em tempos de guerra, então não havia muita coisa para o Thain fazer. Quanto ao prefeito, ele era o líder da polícia também chamada de "condestáveis", que usavam as penas vermelhas em seus chapéus e tinham como função vigiar as fronteiras do Condado evitando a entrada de estranhos e agiam como pastores procurando animais perdidos pela redondeza, faziam outros trabalhos como "quebra-galho" de vez em quando também.
     
  19. Tecumseh

    Tecumseh Andarilho

    Como o Lobo Nobre falou, o Condado era uma proto-democracia, como a República de Veneza na Idade Média.
     
  20. Aracáno Elessar

    Aracáno Elessar Nietzsche

    Não creio que a noção de democracia seja válida ao tratar-se do Condado.
    Entendo a colocação de Tecumesh, mas mesmo assim a noção democrática não está presente. Numa democracia, numa proto-democracia, deveria haver a noção que de certa forma o povo é representado no poder. O Thain apenas mantém a ordem, não há uma constituição no Condado, e de qualquer forma, por efeito era ab initio governado por decretos reais. E quanto a República, também não vejo a noção de República no Condado, o próprio nome diz, uma República é o governo da maioria, de muitos. Posso ter-me esquecido, mas onde diz que haviam eleições (diretas ou indiretas) no Condado? Creio que nem mesmo o voto sensitário existisse. A nomeação de Thain era de certa forma uma escolha, mesmo que de uma elite?

    Abraços.
     

Compartilhar