• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Supostos vampiros bebem sangue de vítima na Nova Zelândia.

Snaga

Usuário não-confiável!!!
Tenho que reler Dracula de Bram Stoker mesmo, mas se não me falha a memória, ele se transformava em um homem sedutor pra atrair suas presas.
Drácula só atacou duas mulheres no decorrer do romance. Em ambos os casos ele se apresentou metamorfoseado em algum animal, seja lobo ou morcego.

Nos demais casos, ou mesmo nestes dois citados, ele exercia certa influência sobre as vítimas, mas à distância, só se aproximando quando já havia dominado. É o caso do louco no hospício.



Com certeza, inclusive o vampiro "moderno" é extremamente baseado nas criaturas da Anne Rice. Muitos até defendem que esse sim é o modelo real do mito.
Se você se refere ao modelo de Polidori, então creio que sim. Esse sim era apresentado como um homem belo, de boa aparência e extremamente persuasivo.

Mas sabe que eu não considero os vampiros de Crepúsculo seres assim tão fora do padrão. Apenas possuem explicações alternativas pras velhas questões. É claro que o filme e a narrativa do livro fizeram surgir esse furor todo. Mas se analisar a criatura, sem estar na narrativa dentro de um contexto cultural, por mais incrível que pareça, faz sentido.
Concordo que o romance possua explicações alternativas, mas discordo com relação a elas não serem fora do padrão. Elas são totalmente fora do padrão.
E vampiro bonzinho? pfff...[/QUOTE]
 

Kyra

I am Jack's smirking revenge.
Drácula só atacou duas mulheres no decorrer do romance. Em ambos os casos ele se apresentou metamorfoseado em algum animal, seja lobo ou morcego.

Nos demais casos, ou mesmo nestes dois citados, ele exercia certa influência sobre as vítimas, mas à distância, só se aproximando quando já havia dominado. É o caso do louco no hospício.
Verdade! Lembrei agora. Mas as vítimas sonhavam com ele tb, não?! Como um homem bonito e tals. Faz eras que li...
 

marktl82

Usuário
Se você se refere ao modelo de Polidori, então creio que sim. Esse sim era apresentado como um homem belo, de boa aparência e extremamente persuasivo.
Esse mesmo, que foi amplamente difundido pela Anne Rice. Pelo menos nas gerações mais novas. Claro que o filme também ajudou e muito.
 

Hellchan

Bad things with you...
Bom
vampiros bonitos depende muito quantos pontos você gasta na sua Aparência... em geral é acima de 4....
:mrgreen:
 

Raphael S

Desperto
Post Original de Snaga
Muito ofendida!

Uma doida varrida que ninguém suportava. Tanto que foi banida!

Rapha banned, abs!
Na Verdade Fluoxetina Flaxmal foi uma user de carreira relâmpago em tópicos chamativos e algumas pessoas eu sei que suportavam ela sim e davam corda.

Ela era a mistura perfeita entre Vampiros Rebeldes, Cristiane F. Remédios de tarja azul e Chuck Norris. Eu ia com a cara dela, o problema era que com essa composição forte na fórmula já dá pra imaginar o gênio forte da pessoa em sí, por isso eu não sei porque ela foi banida, mas eu creio que tenha sido algo assim...

- Senhoria Fluo, você está sendo muito sarcástica, e ofensiva, e está exagerando no limite de respeito com seus amiguinhos do fórum, alguns estão ficando magoados.
- Mas a maioria também faz isso, eu só exagero no limite do respeito e nas coisas sem noção.
- Exatamente por isso está recebendo esse aviso padrão, você cruzou a linha.
- Eu sou f*da mesmo, eu posso fazer isso porque eu sou eu e tenho ascendente em aquário, engole essa.
- Hum... Banned. Para o centro da terra por toda a eternidade amém.

E foi isso, algum tempo depois ela fez um trabalho espírita para reencarnar com outra identidade mas voltou para o fórum se apresentando como algo assim.

- Tô na área, vamo bota pra quebrar galera, quero ver todo mundo muito doidão. Pow na sua cara user novato!

E eu reconhecendo o método de escrita falei algo assim...

- Pô, pelo menos disfarça um pouco o jeito de escrever né? Eu acho que conheço essa pessoa.

E o fórum deve ter respondido algo assim

- Respeite os users novuchos. BANNED again, desta vez para Nova Zelândia de onde ninguém mais volta.

E assim terminou a saga de nossa anti-heroína narcóticos do fórum. Sempre que um user parece cruzar o limite sagrado do respeito eu lembro da Fluo, de certo modo saudades, adoro pessoas doidas. Se ela pudesse se controlar um poquinhozinho, seria uma boa amiga.

Só sei que foi assim

Mas o Deja Vu foi só por causa do Fucking Retarded. Acho que o fórum se tornou bem mais liberal com o passar dos anos. Quando eu entrei eu aprendi logo logo a pisar em ovos. Tenho até hoje uma advertência eterna que ganhei só por causa de um post dos meus primeiros dias, não era nada comparado com algumas coisas que vejo hoje ^_^. Que venha Valinor 2012.

Edit, consertado HFR. Sorry, só estava me explicando, saí do assunto.

By Raphael Silvério
Valinor Histeric Files
 
Última edição:

HFR

Clone
Na Verdade Fluoxetina Flaxmal foi uma user de carreira relâmpago em tópicos chamativos e algumas pessoas eu sei que suportavam ela sim e davam corda.

Ela era a mistura perfeita entre Rebeldes, Cristiane F. Remédios de tarja azul e Chuck Norris. Eu ia com a cara dela, o problema era que com essa composição forte na fórmula já dá pra imaginar o gênio forte da pessoa em sí, por isso eu não sei porque ela foi banida, mas eu creio que tenha sido algo assim...

- Senhoria Fluo, você está sendo muito sarcástica, e ofensiva, e está exagerando no limite de respeito com seus amiguinhos do fórum, alguns estão ficando magoados.
- Mas a maioria também faz isso, eu só exagero no limite do respeito e nas coisas sem noção.
- Exatamente por isso está recebendo esse aviso padrão, você cruzou a linha.
- Eu sou f*da mesmo, eu posso fazer isso porque eu sou eu e tenho ascendente em aquário, engole essa.
- Hum... Banned. Para o centro da terra por toda a eternidade amém.

E foi isso, algum tempo depois ela fez um trabalho espírita para reencarnar com outra identidade mas voltou para o fórum se apresentando como algo assim.

- Tô na área, vamo bota pra quebrar galera, quero ver todo mundo muito doidão. Pow na sua cara user novato!

E eu reconhecendo o método de escrita falei algo assim...

- Pô, pelo menos disfarça um pouco o jeito de escrever né? Eu acho que conheço essa pessoa.

E o fórum deve ter respondido algo assim

- Respeite os users novuchos. BANNED again, desta vez para Nova Zelândia de onde ninguém mais volta.

E assim terminou a saga de nossa anti-heroína narcóticos do fórum. Sempre que um user parece cruzar o limite sagrado do respeito eu lembro da Fluo, de certo modo saudades, adoro pessoas doidas. Se ela pudesse se controlar um poquinhozinho, seria uma boa amiga.

Só sei que foi assim

Mas o Deja Vu foi só por causa do Fucking Retarded. Acho que o fórum se tornou bem mais liberal com o passar dos anos. Quando eu entrei eu aprendi logo logo a pisar em ovos. Tenho até hoje uma advertência eterna que ganhei só por causa de um post dos meus primeiros dias, não era nada comparado com algumas coisas que vejo hoje ^_^. Que venha Valinor 2012.

By Raphael Silvério
Valinor Histeric Files
Um post inteiro fora do assunto é tolerado agora?


------------------------


Depois de 4 páginas, alguém já sabe se condenaram os caras de fato?
 

Snaga

Usuário não-confiável!!!
Bom
vampiros bonitos depende muito quantos pontos você gasta na sua Aparência... em geral é acima de 4....
:mrgreen:
:rofl:

Na Verdade Fluoxetina Flaxmal foi uma :blah:
Na verdade eu não gostava dela porque ela se achava a dona da razão. Mas na verdade só falava merda. Eu a corrigia em praticamente TODOS os posts dela com os quais me deparava. E mesmo assim ela insistia no erro e se achava a dona da verdade.

Enfim, isso é assunto morto e enterrado!

FIM!
 

Kyra

I am Jack's smirking revenge.
Senhoria Fluo, você está sendo muito sarcástica, e ofensiva, e está exagerando no limite de respeito com seus amiguinhos do fórum, alguns estão ficando magoados.
Pra mim isso é praticamente um elogio :lol:
Brincadeirinha :mrpurple:

:rofl:
Na verdade eu não gostava dela porque ela se achava a dona da razão. Mas na verdade só falava merda. Eu a corrigia em praticamente TODOS os posts dela com os quais me deparava. E mesmo assim ela insistia no erro e se achava a dona da verdade.
Agora eu me sinto muito lisonjeada!

Enfim, isso é assunto morto e enterrado!

FIM!
Você só escreveu isso pra ter a ver com o tópico. Espertalhão!

Achei mais uma nota sobre o caso!


Quando a ficção se confunde com a realidade, as histórias não terminam com um final feliz.

Os vampiros viraram moda entre os jovens do mundo inteiro. Há os bons e os maus, os bonitos e os feios. Há, mas querem-se sossegadinhos, no ecrã ou nas páginas dos livros. Não à solta.

Na Nova Zelândia, um homem terá morrido depois de ter sido mordido no pescoço por três jovens, dois rapazes e uma rapariga entre os 22 e os 19 anos. No local havia sinais que levam a crer que os autores beberam o sangue da vítima.
Os jovens enfrentam agora uma pena que pode chegar aos 14 anos de prisão.

Presente ao juiz, um dos alegados vampiros terá dito, segundo o Telegraph, "Tenho cara de vampiro?". O tribunal é que vai decidir.
http://diario.iol.pt/internacional/...order-nova-zelandia-tvi24--/1160653-4073.html
 

Snaga

Usuário não-confiável!!!
Muito obviamente essa nota que você encontrou, Kyra, é de Portugal. Nem precisei ver o .pt no endereço que você colou abaixo! :lol:

Teve também um caso de vampirismo aqui no Brasil há alguns anos. Deve ter até tópico aqui no forum. Era um cara, se me lembro bem em Curitiba, que usava presas de metal para morder o pessoal na rua.

Vou pesquisar. Se achar posto aqui.
 

Kyra

I am Jack's smirking revenge.
Muito obviamente essa nota que você encontrou, Kyra, é de Portugal. Nem precisei ver o .pt no endereço que você colou abaixo! :lol:
Ah, mah va?! Jura?

Teve também um caso de vampirismo aqui no Brasil há alguns anos. Deve ter até tópico aqui no forum. Era um cara, se me lembro bem em Curitiba, que usava presas de metal para morder o pessoal na rua.

Vou pesquisar. Se achar posto aqui.
Esse eu não conheço, mas a Mundo Estranho publicou uma galeria de Vampiros Reais:

Sugadores de Verdade

Confira a galeria dos dez mais sinistros vampirões da vida real. Desde o príncipe sanguinário que inspirou a figura do conde Drácula até psicopatas sanguessugas, essa turma não recusava um copo cheio de sangue!


Vlad III (1431-1476): Nascido na região da Transilvânia (na atual Romênia), o príncipe Vlad III foi um guerreiro implacável. Na defesa de seu reino contra os turco-otomanos, matou mais de 40 mil inimigos – boa parte foi empalada viva! O suplício consistia na introdução no ânus de uma estaca, que era transpassada até o tórax! Por isso, recebeu o nome de Vlad Tepes (“empalador”, em romeno). Parte de um grupo religioso chamado Ordem do Dragão, adotou o sobrenome Draculea (“filho do dragão”). Não à toa, inspirou o escritor Bram Stoker a criar o personagem do conde Drácula.

Elizabeth Báthory (1560-1614): Nascida na atual Eslováquia, a condessa Báthory era louca por um sanguinho alheio.Após a morte do marido, sua maior obssessão passou a ser banhar-se com sangue de jovens virgens para preservar a juventude. Muitas vezes, as vítimas eram espancadas e jogadas nuas na neve para congelar até a morte. Estima-se que ela tenha sacrificado mais de 600 pessoas até ser condenada à prisão perpétua em 1610. A tenebrosa história da lady vampira foi levada às teles no filme A Condessa Drácula (1971)

Tracey Wigginton (1965-): A australiana Tracey Wigginton entrou para a história por ter matado Edward Baldock, de 47 anos, para beber seu sangue. O assassinato – supostamente parte de um ritual satânico – ocorreu na margem de um rio da cidade de Brisbane e teve a participação de outras três mulheres. Mas foi ela a autora das 27 facadas que tiraram a vida de Baldock. No julgamento, Tracey admitiu ter cometido o crime para saciar sua sede.

John George Haigh (1909-1949): A biografia deste inglês, o Vampiro de Londres, é tão assustadora que ele ganhou até estátua no Museu de Cera de Madame Tussauds, em Amsterdã. A coisa já começou na infância, quando ele mutilava os próprios dedos para sorver o sangue. Aos 40 anos foi condenado á forca pelo cruel assassinato de nove pessoas. Ele cortava o pescoço das vítimas, bebia o sangue delas e derretia os corpos numa tina de ácido. Na hora de sua execução, em 1949, gritou: “Deus, salve meu filho da maldição do Drácula!”

Arnold Paolo (?-cerca de 1726): Após voltar de uma batalha, no início do século 17, este soldado jurou que havia sido atacado por um vampiro. Ninguém deu trela para a história, e Paolo morreu logo depois. Só que, um mês após sua morte, surgiram relatos de que ele estaria atavcando pessoas à noite. Os camponeses foram até sua tumba e, ao abrirem o caixão, acharam o corpo em bom estado de conservação e com sangue escorrendo do nariz e da boca. Na hora, espetaram uma estaca em seu coração e queimaram seu corpo.

Richard Trenton Chase (1950-1980): Obcecado pela idéia de que seu sangue estava envenenado, o americano Richard Chase passou a matar coelhos, cães e vacas para baber “sangue limpo”. Logo, passou também a tomar um sanguinho humano. Foi às ruas e matou seis pessoas entre dezembro de 1977 e janeiro do ano seguinte. Após esquartejá-las, bebia seu sangue e guardava parte dos corpos no congelador para comer depois. Preso, foi condenado à morte na câmara de gás. Mas ele se matou antes, com uma overdose de antidepressivos.

Peter Plogojowitz (1666(!)-1728): Este foi um dos primeiros casos supostamente reais de vampirismo documentados. Rolou em Kisolowa, vilarejo da Sérvia. Segundo relatos, após sua morte, em 1728, Plogojowitz surgiu para o filho pedindo comida. O pedido foi negado – e o rapaz apareceu morto. Depois, várias pessoas morreram com sinais de perda de sangue. Quando o corpo de Plogojowitz foi exumado, tinha os olhos abertos e sangue na boca. Bastou para crer que ele era um vampiro. Uma estaca foi cravada em seu peito e seu corpo foi queimado.

Henri Blot (1860-?): No dia 25 de março de 1886, o francês Blot, então com 26 anos, foi ao cemitério de sua cidade e violou o corpo de uma bailarina, morta no dia anterior. Três meses depois, fez sexo com o cadáver de outra jovem recém-morta e bebeu seu sangue. Só que, extenuado, acabou dormindo ao lado da sepultura e foi preso na manhã seguinte.Durante seu julgamento, o cara chegou a afirmar que precisava de sangue para viver. Condenado a dois anos de cadeia por violação de sepultura e necrofilia, acabou sumindo depois, sem deixar vestígios.

Peter Kürten (1883-1931): O Vampiro de Düsseldorf (cidade do leste alemão) era um serial killer que sentia enorme prazer quando o sangue jorrava do corpo de suas vítimas, geralmente crianças. Ele as estuprava e esfaqueava até atingir o orgasmo. Portador de uma patologia denominada hematomania, também costumava beber o sangue de suas presas. Depois de vários assassinatos, foi preso e condenado à morte por decapitação, aos 48 anos. Sua história aterrorizante inspirou o diretor Fritz Lang a fazer o filme M.

Petre Toma (1927-2003): O membro mais recente em nosso rol de sanguessugas entrou para a galeria em 2005. Foi quando se descobriu que o cadáver de Petre Toma, exumado no cemitério de Marotinul de Sus, zona rural da Romênia, havia sido degolado e tinha uma estaca cravada no peito. A violação tinha sido feita pelos próprios familiares do morto. Eles alegaram que, desde sua morte, em dezembro de 2003, alguns parentes tinham adoecido e que só por meio do macabro ritual seria possível salvar suas vidas. Os parentes ainda arrancaram o coração de Toma e o queimaram.
 

Snaga

Usuário não-confiável!!!

Raphael S

Desperto
Ah, mah va?! Jura?

Vlad III (1431-1476): Nascido na região da Transilvânia (na atual Romênia), o príncipe Vlad III foi um guerreiro implacável. Na defesa de seu reino contra os turco-otomanos, matou mais de 40 mil inimigos – boa parte foi empalada viva! O suplício consistia na introdução no ânus de uma estaca, que era transpassada até o tórax! Por isso, recebeu o nome de Vlad Tepes (“empalador”, em romeno). Parte de um grupo religioso chamado Ordem do Dragão, adotou o sobrenome Draculea (“filho do dragão”). Não à toa, inspirou o escritor Bram Stoker a criar o personagem do conde Drácula.
Harram o meu player do Dark secundário sabia muito sobre isso.

O povo realmente adorava isso de cravar uma estaca no coação ein? Imagina uma coisa dessa acontecendo aqui no brasil. Com a burocracia duvido que iam conseguir cravar uma estaca tão fácil.

Anyway, a Kyra é mais culta, esperta e tem o jogo de cintura brasileiro. Por isso ela será minha futura esposa quando eu puser a mão naqueles trilhões de euros e nas barras de ouro que valem mais do que Real.

By Raphel Silvério
Future Rich
 

Lady Galadriel

Usuário


Adoro a ideia de vampiros bonitos, em filmes como a saga crepúsculo. Mesmo que a autora tenha mudado quase toda a essência da história e características dos vampiros. Gosto de ver atores bonitos como Jackson Rathbone,Kellan Lutz, Peter Facinelli e Robert P.
Tenho memória fotográfica, fica dificil para dormir de noite se eles forem feios como Bram Stoker (Drácula).
Já li e ouvi muitas teorias sobre vampiros e uma delas, por mais estranha que pareça, faz muito sentido. É a de que todo humano já foi um vampiro, pois quando fomos gerados nos alimentávamos do sangue materno, que nos deixava fortes para nos desenvolver.

Beber sangue, hoje, seria algo extremamente nojento. Passo mal só com o cheiro do sangue, nem preciso ver.

Imaginem se sangue tivesse um gosto agradável...
Aff... já sentiu cheiro de sangue? já colocou o dedo sangrando na boca?
o cheiro é estranho tem gosto de ferrugem e sal.




obs:A Flu é única, é impar...ninguém se compara a ela. Saudades >.<
 

Edrahil

Usuário
Isso é coisa de drogado idiota.

Agora, esse negócio de que vampiro moderno tem que ser bonito ... cara, quase todos ficaram com uma aparência muito gay.

O Angel não tinha essa aparência, mas era bem EMO!!!! Afinal, ele não podia ser feliz senão virava o capeta.
 

Lady Galadriel

Usuário
Isso é coisa de drogado idiota.

Agora, esse negócio de que vampiro moderno tem que ser bonito ... cara, quase todos ficaram com uma aparência muito gay.

O Angel não tinha essa aparência, mas era bem EMO!!!! Afinal, ele não podia ser feliz senão virava o capeta.

É, você está certo, as pessoas precisam aprender a separar fantasia de realidade, não é normal tomar sangue de outra pessoa assim como quem bebe coca-cola.

Sou muito mais apaixonada pelo personagem descrito nos livros do que pelos atores que interpretam [ um dos motivos que me levou a gostar muito menos de Edward Cullen era a imagem de Robert - que era mais legal em Harry Potter]

Quem é esse Angel? não conheço ... é filme?

Mas eu prefiro vampiros bonitos, pelo motivo que já escrevi.
De alguma forma e beleza é usada como atrativo. É como pescar ou paquerar, os peixes gostam de coisas que brilham e chamam a atenção dele de forma bonita. Um cara normal prefere uma mulher bonita que chame sua atenção, ele logo é atraido a ela e mal sabe o que o espera.
O vampiro usa a beleza como isca para atrair sua presa.

Sendo assim ele atrai pessoas mais fracas que se deixam levar pelo que vêem.
É uma técnica inteligente e comum.


O povo realmente adorava isso de cravar uma estaca no coação ein? Imagina uma coisa dessa acontecendo aqui no brasil. Com a burocracia duvido que iam conseguir cravar uma estaca tão fácil.
"Vlad III (1431-1476): Nascido na região da Transilvânia (na atual Romênia), o príncipe Vlad III foi um guerreiro implacável. Na defesa de seu reino contra os turco-otomanos, matou mais de 40 mil inimigos – boa parte foi empalada viva! O suplício consistia na introdução no ânus de uma estaca, que era transpassada até o tórax! "

Essa foi uma prática comum na época da escravidão, aqui no Brasil também.
Não havia burocracia e ninguém para se opor a tais medidas. Uma situação lamentável, até porque os escravos nem eram vistos como gente.:-?
 
Última edição:

Kyra

I am Jack's smirking revenge.
Não queria abrir outro tópico só pra isso, então vá lá...

Robert Pattinson tem parentesco com Drácula, dizem genealogistas
Robert Pattinson, que interpreta o vampiro Edward Cullen na saga Crepúsculo, tem parentesco com Drácula. Coincidência?


Robert Pattinson tem mais a ver com vampiros do que se imagina. Segundo o site Hollywood Reporter, genealogistas disseram que o jovem intérprete de Edward Cullen na saga Crepúsculo tem parentesco com Vlad III, o Empalador, que inspirou a criação do personagem principal de Drácula, de Bram Stoker.

Pesquisadores do site Ancestry.com descobriram que o ator de 24 anos e o líder da Transilvânia, que tinha o sobrenome romeno Dracula (também grafado Draculea e Drakulya), estão conectados por meio da relação com a família real britânica. Os príncipes William e Harry são primos distantes de Pattinson, e Vlad, o Empalador, foi seu tio distante.

"Rastrear a ligação da família de Pattinson com Vlad foi difícil, mas as descobertas acabaram sendo perfeitas à sua conexão com a saga Crepúsculo", disse Anastasia Tyler, uma das genealogistas do Ancestry.com.

"Sem qualquer mito ou mágica, encontramos a realeza e os vampiros ocultos na vida de Pattinson - fazendo sua história tão sobrenatural como a que ele está vivendo nas telas", completou.

Também foi ligada à linhagem do príncipe e, portanto, de Dracula, a autora da saga, Stephenie Meyer.

Para quem não sabe, "empalador" vem de "empalamento" ou "empalação", que se trata de um método de tortura utilizado séculos atrás e consiste na inserção de uma estaca no ânus, vagina, ou umbigo até a morte do torturado.
Era só o que faltava para as fãs ficarem mais histéricas...

Alias, mais um site de gente que não tem o que fazer e acham que são vampiros...
http://www.vampir.com.br/

E um artigo legal sobre as origens do mito e tudo o mais:
Primeiros vampiros

Ninguém sabe quando foram inventadas as primeiras figuras vampirescas, mas as lendas datam de pelo menos 4 mil anos, com os antigos assírios e babilônios da Mesopotâmia. Os mesopotâmicos temiam Lamastu (também soletrado como Lamashtu), uma demônio que caçava humanos. Na lenda assíria, Lamastu, filha do Deus do céu Anu, entrava numa casa à noite e roubava ou matava bebês em seus berços ou no próprio ventre materno. Acreditava-se que as mortes de crianças e os abortos eram causados por ela.

Lamastu, cujo significado é "a que apaga", também caçava adultos, sugando o sangue de jovens rapazes e trazendo doenças, esterilidade e pesadelos. Ela é frequentemente descrita como tendo asas e garras de pássaro e, às vezes, com cabeça de leão. Para se proteger da Lamastu, as mulheres grávidas usavam amuletos que descreviam Pazuzu, um outro Deus do mal que certa vez a derrotou.
Lamastu é associada a Lilith, uma figura proeminente em alguns textos judaicos. Os registros sobre Lilith variam consideravelmente, mas nas versões mais notáveis da história, ela era a mulher original. Deus criou Adão e Lilith a partir da Terra, mas logo apareceram os problemas entre eles. Lilith se recusou a obedecer Adão, já que ela veio do mesmo lugar que ele.

Em uma versão antiga da lenda, Lilith deixou o Éden e começou a ter seus próprios filhos. Deus enviou três anjos para trazê-la de volta e quando ela se recusou, eles prometeram que matariam 100 de seus filhos todos os dias até que ela retornasse. Lilith, em troca, jurou destruir crianças humanas.

Acredita-se que os registros de Lilith como uma matadora de crianças foram tirados diretamente da lenda da Lamastu. Ela é frequentemente descrita como um demônio alado com garras afiadas que aparecia à noite, principalmente para roubar crianças e fetos. Muito provavelmente, os judeus assimilaram a figura de Lamastu em suas tradições, mas é possível também que ambos os mitos tenham sido inspirados por uma terceira figura.

Ao mesmo tempo que é descrita como uma criatura aterrorizante, Lilith tem também qualidades sedutoras. Os antigos judeus acreditavam que ela aparecia para os homens à noite como um sucubo.

Os antigos gregos temiam criaturas semelhantes, notavelmente a Lamia, um demônio com cabeça e torso de mulher e parte inferior do corpo de cobra. Em uma versão da lenda, Lamia era uma das amantes mortais de Zeus. Com muita raiva e ciúmes, a esposa de Zeus, a deusa Hera, enlouqueceu Lamia, fazendo com que ela comesse todos os seus filhos. Quando Lamia percebeu o que tinha feito, ficou tão furiosa que se transformou em um monstro imortal, sugando o sangue de crianças por ter ciúmes de suas mães.

Os gregos temiam também as empusai, as filhas maliciosas de Hecate, a deusa da bruxaria. As empusai, que mudavam de forma, vinham de Hades (a terra dos mortos) à noite na forma de belas mulheres. Elas seduziam pastores nos campos e, em seguida, os devoravam. Uma criatura semelhante, o baobhan sith, aparece no folclore celta.

Figuras vampirescas possuem também uma longa história na mitologia da Ásia. O folclore indiano possui alguns personagens assustadores, incluindo o rakshasa, que caçava crianças, e os vetala, demônios que se apoderavam de corpos de pessoas recentemente falecidas para levar a destruição aos vivos. No folclore chinês, os cadáveres saíam dos túmulos e caminhavam entre os vivos. Esses k'uei foram criados quando o p'o (espírito inferior) de uma pessoa não passava para o pós-vida no momento de sua morte, geralmente devido ao mau comportamento durante a vida. O p´o, com raiva de seu terrível destino, reanimava o corpo e atacava os vivos à noite. Um tipo particularmente vicioso de k'uei, conhecido como Kuang-shi (ou Chiang-shi), voava e assumia formas diversas. O Kuang-shi era coberto de pêlos brancos, tinha olhos vermelhos e brilhantes e mordia suas vítimas com presas afiadas.

As tribos nômades e os caixeiros viajantes espalharam diversas lendas sobre vampiros por toda a Ásia, Europa e Oriente Médio. Conforme essas histórias iam de um lugar a outro, os seus vários elementos se combinavam para formar novos mitos sobre vampiros. Nos últimos mil anos as lendas sobre vampiros foram enriquecidas especialmente pelos europeus.

Vampiros mais recentes

A lenda de Drácula e a lenda do vampiro moderno que surgiu a partir dele foi inspirada diretamente pelo folclore do leste europeu. A história registra dezenas de figuras míticas vampirescas nessa região, remontando há centenas de anos. Todos esses vampiros têm seus hábitos e características particulares, mas a maioria cai em uma das duas categorias gerais:

•demônios (ou agentes do mal) que reanimavam cadáveres para que andassem entre os vivos
•espíritos de pessoas mortas que não deixavam seus próprios corpos

A questão é a contagem

No folclore do leste europeu, você pode repelir um vampiro espalhando sementes no chão, no topo do túmulo do vampiro ou do lado de fora de sua casa. Como dizem que os vampiros eram criaturas obsessivas, eles eram compelidos a contar todas as sementes. Se você escondesse uma unha entre as sementes, o vampiro recomeçaria toda a contagem. O vampiro, então, jogaria de volta todas as sementes para começar a contá-las novamente.

Os vampiros mais notáveis eram o upir russo e o vrykolakas grego. Nessas tradições, pecadores, crianças não-batizadas e outras pessoas que não tivessem a fé cristã eram as mais propensas a se tornar vampiros após suas mortes. Os que praticavam bruxaria eram particularmente mais suscetíveis, pois já haviam entregue suas almas ao demônio enquanto eram vivos. Depois que os cadáveres saíam dos túmulos, aterrorizavam a comunidade, alimentando-se dos vivos.

Em muitos registros, era necessário que esses cadáveres retornassem regularmente aos seus túmulos para descansar. Quando as pessoas da cidade suspeitavam que alguém havia se tornado um vampiro, exumavam o corpo e tentava se livrar do mau espírito. Tentavam o ritual do exorcismo, mas era mais comum destruírem o corpo. Isso podia ser feito através de cremação, decapitação ou com uma estaca no coração. Os corpos também podiam ser enterrados de bruços para que os cadáveres fossem mais para dentro da terra. Algumas famílias colocavam estacas sobre o cadáver para que este se empalasse caso tentasse escapar.

Os vampiros da Moldávia, Wallachia e Transilvânia (agora Romênia) eram comumente chamados de strigoi. Os strigoi eram quase exclusivamente espíritos humanos que tinham retornado dos mortos. Diferentemente do upir e dos vrykolakas, os strigoi passavam por diversos estágios antes de retornar dos mortos. Inicialmente, um strigoi podia ser invisível, atormentando sua família movendo móveis e roubando comida. Depois de algum tempo, ele se tornava visível, com aparência igual à que tinha em vida. Novamente, o strigoi retornava para sua família, roubando o gado, implorando por comida e trazendo doenças. Os strigoi se alimentavam de humanos. Primeiro, dos membros de sua família, depois de qualquer um que encontrassem. Em alguns registros, o strigoi sugava o sangue de suas vítimas diretamente do coração.

Inicialmente, um strigoi precisava retornar ao túmulo regularmente, assim como o upir. Se as pessoas da cidade suspeitassem que alguém havia se tornado um strigoi, exumavam o corpo e o queimavam ou, ainda, o espetavam. Mas depois de sete anos, se um strigoi ainda estivesse por ali, poderia viver onde quisesse. Dizia-se que os strigoi viajavam para cidades distantes para começar vidas novas como pessoas comuns e que esses vampiros secretos se encontravam em reuniões semanais.

Além dos strigoi, referidos como strigoi mort, as pessoas também temiam os vampiros vivos ou strigoi viu. Os strigoi viu eram pessoas vivas amaldiçoadas condenadas a se tornar strigoi mort quando morressem. Crianças nascidas com anormalidades, como rabos ou um pouco de tecido da membrana fetal ligado à cabeça (chamado de caul), eram geralmente considerados strigoi viu. Se um strigoi mort que vivesse entre os humanos tivesse filhos, estes eram amaldiçoados e condenados a se tornarem strigoi após sua morte. Quando um strigoi viu morria, a família destruía seu corpo para assegurar que este não retornaria do túmulo.

Em outras partes do leste europeu, criaturas do tipo strigoi eram conhecidas como vampir, ou vampyr, mais provavelmente uma variação do russo upir. Os países do oeste europeu pegaram esse nome e o "vampyr" (mais tarde "vampiro") entrou para o idioma inglês.

Nos séculos 17 e 18, a histeria sobre os vampiros se espalhou por todo o leste europeu. As pessoas diziam ter visto seus parentes mortos andando por aí atacando os vivos. As autoridades abriram sepulturas, queimando e colocando estacas nos cadáveres. Esses relatos e o medo dos vampiros se espalharam também pelo oeste europeu, o que gerou especulações acadêmicas sobre as criaturas, bem como poemas e pinturas sobre vampiros. Esses trabalhos inspiraram um irlandês chamado Bram Stoker a escrever seu romance vampiresco "Drácula".

Vampiros modernos

Abraham (Bram) Stoker, gerente de um teatro e romancista nas horas vagas, não foi o primeiro autor a retratar o vampiro em um trabalho literário, mas sua versão é a que realmente ficou conhecida. Isso se deve em grande parte ao inesquecível vilão do romance, Conde Drácula, bem como à composição nefasta. Stoker chegou a ambos os elementos através de pesquisas extensas. Ele ambientou a maioria das ações nas montanhas misteriosas da província da Romênia, na Transilvânia, e baseou seus vampiros no folclore do leste europeu e dos ciganos.

Fazendo uma seleção de várias versões do mito do vampiro e acrescentando alguns detalhes por conta própria, Stoker formou o padrão do vampiro moderno. Diferentemente dos vampiros da tradição do leste europeu, o monstro de Stoker perde seus poderes à luz do sol, é repelido por crucifixos e tem inteligência aguçada. O interessante é que os vampiros de Stoker não são refletidos por espelhos, enquanto as criaturas mais antigas eram fascinadas por sua própria imagem.

As pesquisas de Stoker também determinaram um nome para seu vilão. O Drácula original foi uma pessoa real, príncipe Vladislav Basarab, que governou Wallachia na metade dos anos 1400. Seu pai era conhecido como Vlad Dracul (traduzido como "Vlad, o dragão" ou "Vlad, o demônio"), devido à sua participação em uma sociedade chamada "A Ordem do Dragão". Às vezes, Vlad Jr. era chamado de Vlad Drácula, significando "filho de Dracul", mas era mais frequentemente chamado de "Vlad Tepes", significando "Vlad, o Empalador". Era uma referência ao hábito de Vlad de empalar seus inimigos em longas estacas de madeira.

O Drácula da vida real tinha uma reputação de brutalidade (uma reputação que muitos romenos dizem ser imprecisa), mas não há muitas evidências que mostrem que as pessoas acreditavam que fosse um vampiro. O vilão da ficção de Stoker não é modelado fielmente de acordo com o Drácula real, embora, às vezes, eles sejam associados em filmes baseados no livro. Stoker emprestou, principalmente, o nome do príncipe, bem como sua posição social. Diferentemente dos strigoi, andarilhos e sem lar, o vampiro de Stoker era um tipo rico e aristocrático, que se escondia em um castelo grandioso.


A verdade

Em toda a história, há uma quantidade de pessoas que exibiram comportamento vampiresco. A vampira histórica mais famosa foi Elizabeth Bathory, uma nobre da Transilvânia que viveu de 1560 a 1614. Bathory tinha medo de envelhecer e convenceu-se de que tomar banho de sangue (e até mesmo consumi-lo) era o segredo para manter uma aparência jovial.
Para isso, ela torturou e matou centenas de pessoas, a maioria jovens mulheres. Foi julgada por seus crimes e presa em um pequeno quarto em seu castelo, onde morreu.

Na peça "Drácula", de 1927, e no filme de 1931, Bela Lugosi manteve essa noção aristocrática, interpretando um cavalheiro suave e sofisticado. Essa peça introduziu também o famoso traje de Drácula: negro e formal e também uma capa preta. No romance "Drácula", o conde é descrito como um homem velho e seco, mais como o retrato de Max Shreck na adaptação muda para o cinema de 1922, "Nosferatu", do que o vampiro de Lugosi. Mas o Drácula suave ficou mais famoso, aparecendo em filmes, programas de televisão e desenhos animados.

O vampiro continuou a evoluir ao longo dos anos, à medida que os romancistas e diretores de cinema o reinterpretaram e expandiram a mitologia. Nos populares romances de Anne Rice, ela leva os vampiros a um outro nível, dando-lhes consciência e uma gama de emoções. Em seu trabalho, os vampiros não são necessariamente maus. Eles são apresentados como pessoas reais. No programa de televisão "Buffy, a caça-vampiros" (site em inglês) o criador Joss Whedon buscou ideias semelhantes, explorando a ideia de um vampiro com alma.

Os acadêmicos também mantiveram um interesse nos vampiros e em suas raízes.

Origens da crença

Enquanto a maioria dos estudos focaliza as raízes culturais dos vampiros, alguns historiadores procuram as origens físicas. Não há evidências científicas de vampiros reais, mas há uma quantidade de condições médicas reais que podem resultar em comportamento e aparência vampirescos.

Vampiros entre nós?

Uma variação moderna da lenda dos vampiros é o "vampiro psíquico". Esses vampiros modernos dizem buscar energia psíquica de outros e têm poder para drená-la sem o conhecimento da pessoa. Os vampiros psíquicos geralmente tentam drenar a força vital através da meditação e da concentração. Se não se alimentam dessa energia, dizem, ficam fracos como se não tivessem comido.
De acordo com algumas crenças, esse tipo de vampiro existe há milhares de anos. Alguns dizem que esse fenômeno inspirou os vampiros do folclore.

Uma das mais interessantes "doenças vampirescas" é a porfiria. A porfiria é uma doença rara caracterizada por irregularidades na produção de heme, um pigmento rico em ferro no sangue. As pessoas que têm as formas mais severas de porfiria são altamente sensíveis à luz solar, têm dores abdominais severas e podem sofrer delírios. Um tratamento possível para a porfiria no passado pode ter sido a ingestão de sangue, para corrigir o problema (embora não exista evidência clara disso). Algumas pessoas com a doença têm boca e dentes avermelhados, devido à produção irregular de pigmento heme. A porfiria é hereditária, portanto, deve haver concentrações de doentes em certas áreas ao longo da história.

Uma origem física mais provável para o vampirismo é a catalepsia, uma condição física peculiar associada à epilepsia, à esquizofrenia e a outras desordens que afetam o sistema nervoso central. Durante um episódio cataléptico, a pessoa congela: os músculos tornam-se rígidos, por isso o corpo fica muito rígido e as taxas de batimentos cardíacos e a respiração diminuem. Uma pessoa que sofre de catalepsia aguda pode muito bem ser confundida com um cadáver.

Hoje, os médicos têm conhecimento e ferramentas para determinar com precisão se uma pessoa está viva ou não, mas no passado isso era decidido com base na aparência. O embalsamento era desconhecido na maior parte do mundo até pouco tempo atrás, portanto os corpos eram colocados diretamente nos túmulos. Um episódio cataléptico pode durar horas, até mesmo dias, tempo suficiente para um funeral. Quando a pessoa acordava, poderia ser capaz de se desenterrar e voltar para casa. Se a pessoa sofria mesmo de problemas psicológicos, tais como esquizofrenia, ela poderia ter apresentado o comportamento estranho associado aos vampiros.

O comportamento de cadáveres reais também pode ter sugerido o vampirismo. Após a morte, as unhas e os cabelos pareciam continuar a crescer devido a refluxos de pele, que podem dar a impressão de estarem vivos. Os gases do corpo se expandem, aumentando o abdômen, como se o corpo tivesse se alimentado. Se um corpo em decomposição fosse movido, este poderia muito bem romper-se, drenando todos os tipos de fluidos. Isso pode ter sido tomado como evidência de que o corpo se alimentava dos vivos.

Enquanto essas condições podem ter aumentado o medo dos mortos-vivos, as origens dos vampiros são provavelmente mais psicológicas do que físicas. A morte é um dos aspectos mais misteriosos da vida, e todas as culturas se preocupam com ela de alguma forma. Uma maneira de manipular a morte é personificá-la e atribuir-lhe uma forma. Em suas origens, Lamastu, Lilith e outros vampiros antigos semelhantes são explicações para um mistério terrível, a morte súbita de crianças e fetos no ventre. Os strigoi e outros cadáveres animados são os símbolos finais da morte: são os reais restos dos mortos.

Os vampiros também personificam o lado negro da humanidade. Lilith, Lamastu e outras antigas vampiras são o oposto da "boa esposa e mãe". Em vez de gostar das crianças e honrar os maridos, elas destroem os bebês e seduzem os homens. De maneira semelhante, os vampiros se alimentam de sua família, em vez de sustentá-las. Ao definir o mal através de figuras sobrenaturais, as pessoas podem controlar melhor suas tendências más, pois elas as externam.

A aparência de tantos monstros vampirescos através da História, bem como nossa fascinação continuada pelos vampiros, demonstra que isto é uma resposta universal à condição humana. É simplesmente da natureza humana moldar nossos medos como monstros.
www.hsw.uol.com.br/
 
Última edição:

Elendil

Equipe Valinor
Tio distante? E bota distante nisso. Desse jeito até eu tenho parentesco com o Vlad III. :lol:

Tá me cheirando propaganda isso. :roll:


Edit: Aliás, desse jeito, todas as famílias reais europeias devem ter um parentesco com o Dracula, em maior ou menor grau. Dado que, de certa forma, todas são aparentadas.
 
Última edição:
Mas sabe que eu não considero os vampiros de Crepúsculo seres assim tão fora do padrão. Apenas possuem explicações alternativas pras velhas questões. É claro que o filme e a narrativa do livro fizeram surgir esse furor todo. Mas se analisar a criatura, sem estar na narrativa dentro de um contexto cultural, por mais incrível que pareça, faz sentido.
Isso é verdade.
Se tirarmos o contexto tosco da Bella e os Cullen :roll: e analisarmos os outros vampiros: os italianos lá e os caras que perseguem a Bella, eles estão até bem dentro do padrão. [são "du mal", caçam e bebem sangue humano sem dó]
Mas eu continuo achando qualquer tipo de vampiro muitooooo tosco :lol:

Quanto às diferenças de mitologia, no 1º livro Crepúsculo, elas são explicadas. Eu não tenho o livro aqui pra citar, pq li emprestado. Mas quando o autor coloca 'sentido' nas mudanças que fez, eu não acho ruim, não...

Sobre a mitologia dos vampiros, vou colocar de novo oq eu tinha postado no tpc sobre Crepúsculo:

Sobre a descaracterização de Vampiros:

Nesse ponto sou obrigada a defender a Meyer. Veja um trecho do que é dito no verbete "vampiro" em O Manual do Bruxo [que explica os mitos que aparecem até o 4º livro de HP]:

"As descrições de seu físico variam em cada cultura, desde uma fera de olhos vermelhos com cabelos verdes ou cor-de-rosa (China) até uma criatura parecida com uma serpente e com cabeça de mulher (a Lamia grega)..."

Mas não posso negar que um vampiro que brilha no sol me soa pouco convincente :lol:

(...)

Essa aparência e comportamento clássicos que vemos nas histórias de vampiros atuais são as que foram moldadas ao longo do tempo e se tornaram clássicas graças à literatura e cinema... e é uma imagem que continua sendo perpetuada. Mas não é, nem de longe, a original.

Mais uma vez vou citar O Manual do Bruxo:

"Os vampiros fazem parte do folclore há centenas de anos, mas só atingiram realmente notoriedade em 1987, quando foi publicado o livro clássico de Bram Stoker, Drácula.
(...)
É bem provável que o Conde Drácula tenha sido baseado em Vlad Tepes, o governante da Walachia (parte da atual Romênia) no século XV, famoso por sua crueldade e violência. Vlad era conhecido por empalar seus inimigos com uma estaca no coração e por se banhar no sangue dos mortos depois de uma batalha especialmente árdua. Com o tempo esses hábitos se tornaram elementos importantes da lenda do vampiro. Vlad, aparentemente um sujeito bastante dramático, assinava suas cartas como "Vlad Drácula", algo como "Vlad, filho do Diabo". "


E segue falando de como foram ligados aos morcegos, lobos e "ganharam" poderes... E também fala da fraqueza em relação ao Sol, pois este representa a verdade e a bondade. E de outras formas de se matar vampiros (aí entra cruz, alho e outras coisas).
Sobre o Nosferato, vi no "What's On" do Universal Channel que parece que era pra ser a 1º adaptação de Drácula, mas não quiseram pagar os direitos autorais... então mudaram o nome e mais algumas coisas pra fazer o filme sem pagar :no:

____________________

Agora, sobre a notícia... eu me lembro de ter ouvido umas bobagens do tipo uns tempos atrás.
Me lembro de uma história maluca de um cara que tava atraindo adolescentes com a promessa de mordê-los para se transformarem em vampiros e 'ensiná-los'.

É difícil pra mim acreditar que exista gente tão lesada a ponto de realmente acreditar que isso seja possível e/ou que seja e/ou que existam vampiros de verdade.
É de rir pra não chorar!!! :lol: :roll:

Esse mundo tá cada vez mais louco...

E, realmente, morder o pescoço de alguém pq está bravo com o cara não é desculpa aceitável. Se fosse isso, seria mais normal dar um soco no cara ou coisa do tipo...
___________________

Tio distante? E bota distante nisso. Desse jeito até eu tenho parentesco com o Vlad III. :lol:

Tá me cheirando propaganda isso. :roll:
Concordo também... até a Meyer enfiaram nessa história. Se fosse só o Pattinson soaria mais convincente.
Além de propaganda da saga, também tá parecendo que esses genealogistas estão querendo / precisando aparecer se aproveitando da nova modinha adolescente.
____________________

E só pra não perder a viagem:

[nomedia="http://www.youtube.com/watch?v=1glNuQiE77E&feature=player_embedded"]YouTube- TWILIGHT SUCKS! Emo Vampire Song : The Key of Awesome #3[/nomedia]

Letra:

Eu nunca quero ser um vampiro emo
Abrasando pré-adolescentes

Eu não tenho nada em comum com os vampiros de hoje
Eles contemplam as garotas, fazem beicinho e então saem correndo
Twilight pensa que pode mudar as regras dos vampiros
Estou achando que dormir em caixões e usar capas, de repente não é legal

Garotas não escalam árvores comigo, ou me beijam na grama
E quando eu jogo baseball com os vampiros, eu sempre sou o último a ser escolhido
Seriamente galera, foi um humano que vocês escolheram antes de mim

Eu tenho seduzido todo tipo de mulheres do mundo inteiro
Mas agora os únicos encontros que consigo são com as góticas gordinhas
Quando esses vampiros se tornaram abstinentes e queixosos

Quando eu me esponho ao sol não fico todo brilhante e iluminado
Vampiros não tem anel de castidade como os mortos vivos dos Jonas Brothers
Se eu não consigo pegar as garotas estudantes, talvez eu então pegue suas mães
Por que não?
Quando você tem 600 anos, é difícil pegar as jovens. (no such thing as a cougar)

Eu nunca quero ser um vampiro emo
Setting tweenaged loins on fire
Eu Não tive participação
Nessa feminilização dos vampiros
Então me acorde quando no mundo crescer um par de comilhos (fangs)
Você pensou que eu iria dizer bolas ?? Não pensou?
 
Última edição:

HFR

Clone
Se milhões de asiáticos tem parentesco com Genghis Khan, não acho impossível o emo cara ser parente do Vlad. Mas que parece propaganda barata do filme, isso parece.
 

Valinor 2020

Total arrecadado
R$1.470,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo