1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Suicídios Exemplares (Enrique Vila-Matas)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Anica, 28 Jun 2009.

  1. Anica

    Anica Usuário

    Pela resenha que saiu na Gazeta, parece bem legal:

    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Luciano R. M.

    Luciano R. M. vira-latas

    Eu não li esse ainda (tá na espera aqui na estante, to com muita coisa pra ler), mas sendo Vila-Matas, eu recomendo. Mesmo que eu seja suspeito quando falo dos 'novos latino-americanos' (Bolaño, Fresán, Vila-Matas, Pasquapiro, ...).
     
  3. Thorondir

    Thorondir Usuário

    Gosto da temática suicído, bastante. Mas a Cosac é sempre salgada demais, gente do céu...
     
  4. Luciano R. M.

    Luciano R. M. vira-latas

    Agora eu li. É ótimo: sutil e soco na cara, ao mesmo tempo.
    O Vila-Matas não é um Bolaño ou um Fresán, mas é ótimo mesmo!

    ***

    "Será que a realização da plenitude e absurdo da vida exigem suicídio?” É, para Albert Camus, a única pergunta que deve ser respondida. E ele conclui que o suicídio não é a resposta: deve-se viver, deve-se revoltar. A revolta carrega em si a esperança, a luta é suficiente para tornar o homem pleno.

    E as personagens dos contos de Vila-Matas são como o pensamento do argelino colocado em prática. Um tema que pode ser considerado forte, que pode assustar. Mas são contos extremamente delicados e sutis. E só em um dos contos a personagem efetivamente se mata. Nos outros o suicídio é uma idéia, servindo mais como uma promessa do que como algo a realmente ser realizado. Talvez nisso resida o fato de serem exemplares: a pergunta de Camus é respondida não de modo filosófico, mas prático. Alguns até tentam levar a idéia a cabo mas, por um motivo ou outro, sempre protelam sua execução.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  5. Anica

    Anica Usuário

    Bump no tópico para anunciar o primeiro artigo do Luciano no blog do Meia Palavra. Para ler, cliquem no link do post acima ;)
     

Compartilhar