1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Station Eleven (Emily St. John Mandel)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Maria Pretinha, 8 Jan 2015.

  1. Maria Pretinha

    Maria Pretinha Usuário

    Station Eleven "é o retrato de um mundo antes e depois de ser destruído por uma epidemia. As vidas de diferentes personagens se cruzam através das décadas nessa história que analisa as relações que nos sustentam e a natureza efêmera da fama e da beleza no mundo tal qual o conhecemos". Essa é a descrição no site da editora Intrínseca, que promete lançar o livro no Brasil ainda no primeiro semestre de 2015.

    Station Eleven é um livro pós-apocalíptico, sim, senhoras e senhores, mas seu trunfo está em não se resumir ao apocalipse, explorando o antes e o depois do "fim da civilização", sem se deter no momento da queda - explorado quase à exaustão por inúmeros outros títulos.

    "Because survival is insufficient" (Porque a sobrevivência é insuficiente) parece nortear Mendel, que não está particularmente preocupada em narrar como as personagens conseguiram fugir da morte, mas sim com o significado de estar vivo. A frase, retirada do seriado Jornada nas Estrelas, aparece tatuada em uma das personagens e estampada na caravana de músicos e atores chamada "A Sinfonia Viajante", que no ano 20 do novo calendário viaja de povoado em povoado encenando Shakespeare.

    A história de Mandel se alterna entre dois momentos: o antes e o depois de o mundo sucumbir a uma evolução da gripe suína que começou na Geórgia e se espalhou pelo mundo em poucos dias, com um tempo de incubação de 4 horas e a morte depois de 24 a 48 horas. O antes segue o ator Arthur Leander, que morre de um ataque do coração enquanto encena "Rei Lear" na noite em que a epidemia atinge o Canadá e os Estados Unidos. O depois segue a Sinfonia, 20 anos no futuro. Como primeiro ponto de ligação entre os dois está Kirsten Raymonde, atriz mirim que assistiu à morte de Arthur e agora encena Sonhos de Uma Noite de Verão com a sinfonia viajante, mas outras relações entre os personagens vão aparecendo gradativamente.

    Station Eleven não explora o "como sobreviver", mas o "como viver". E até onde eu vi faz isso divinamente.

    ***

    Ainda estou na metade do livro, mas já indico para todo mundo. Quando terminar volto aqui para falar mais!
     
    • Ótimo Ótimo x 3
    • Gostei! Gostei! x 1

Compartilhar