• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Star Wars RPG Saga Edition

Taverneiro

Old school
É complicado analisar um sistema isoladamente. Embora D&D tenha todo o suporte para um lado voltado ao combate, é possível adaptar seu estilo de jogo.

O que eu percebo muito é que a maioria dos jogadores novos que conheço pessoalmente hoje em dia (isentando portanto tudo o que eu vejo em foruns, embora estes confirmem a minha observação) é que eles não se esforçam para mudar nada, não há mais esforço em impor um estilo de jogo diferente, original e com identidade própria. Não que há algo de errado no que o D&D originalmente propõe, mas todo mundo sabe que depois de um tempo esse formato cansa.

Acho que hoje as coisas andam mais certinhas, mais sérias em termos de jogo, mais estreito, o que dá a impressão de haver um certa "competição" entre os jogadores. Mas eu olho para o D&D e ainda vejo o mesmo potencial de criar verdadeiros mitos pessoais, cenários deslumbrantes e personagens marcantes. Como eu disse, estou me baseando nas experiências que eu tive com outros grupos de D&D, mas vendo tudo o que é discutido, os ultimos EIRPG, esse tipo de jogo é a regra, não a exceção.

Já vi pivete surpreso ao ver que eu já mestrei uma campanha inteira só usando o Livro do Jogador, como se isso fosse uma limitação do que pode ser feito em termos de processo criativo. Tudo o que está escrito no Livro do Jogador adquiriu um peso bem maior do que tinha a uns 10 anos atrás, e acho que é isso que me faz desgostar de jogar D&D com grupos que não o meu.
 
Última edição:

Barlach

Verde. E arqueiro
Esses comentários do RPGista condizem com o que se espera da Wizards.

Em geral, a Wizards lança um monte de livros ruins voltados puramente pra combate antes de lançar um livro bom. É bem possível que saia um suplemento com tudo que você espera do jogo em breve, que não vai chamar muita a atenção porque eles não vão divulgar tanto.

Eu tenho o livro do SW D20 e sempre achei que não tinha quase nada de cenário. Pra isso, teria que comrpar os suplementos, que são caríssimos, como tudo que envolve star wars.
 

Armitage

Usuário
Embora D&D tenha todo o suporte para um lado voltado ao combate, é possível adaptar seu estilo de jogo...

eu olho para o D&D e ainda vejo o mesmo potencial de criar verdadeiros mitos pessoais, cenários deslumbrantes e personagens marcantes

Sim concordo, e não quis dizer o contrário em momento algum, mas pode-se dizer o mesmo pra qualquer outro jogo, percebe? - qualquer jogo tem o potencial de criar verdadeiros mitos pessoais, cenários deslumbrantes, etc.

Só que D&D ainda tem um agravante, a meu ver - seu sistema é mais obtrusivo e onipresente do que a imensa maioria. Isso faz com que seja mais dificil pra alguem que não curte seu estilo adaptá-lo, do que por exemplo, adaptar Shadowrun, Runequest/BRP, Unkonwn Armies, Everway, FATE, GURPS, etc. Isso porque o belicismo de D&D está enraizado até sua medula óssea - classes, níveis, BaBs/ThacOs, XP por monstros, magias por munição, grids e miniaturas, etc. formam o esqueleto do sistema. Se fossem só os atributos básicos, tudo bem, mas tudo isso que eu falei está enraizado de tal maneira que, se for tirar essas coisas, acabou o sistema - é preferivel jogar outro jogo.

Quando leio D&D (e das poucas vezes que joguei na mesa, e das que joguei suas implementações eletronicas - NWN, BGs, PTs, etc), sinto que é dada seriedade demais às regras. Nos outros jogos, eu tenho a sensação que as regras estão lá para auxiliar, dar suporte ao grupo. Já em D&D não - as regras passam a ser mais centrais ao jogo. Ao ponto de não só beneficiar aqueles mais proficientes em seu funcionamento, mas principalmente promover este tipo de coisa, esse "gerenciamento de recursos" em prol da eficiência. É o paraíso gamista.

Como disse antes, eu gosto de um bom combate tático. O que eu não gosto é quando os personagens são modelados em função do combate tático.
 
Última edição:

Arcanjo[SK]

Spartan Supersoldier
Como disse antes, eu gosto de um bom combate tático. O que eu não gosto é quando os personagens são modelados em função do combate tático.

Sim, concordo...por isso amei Castelo Falkenstein (regras em segundo lugar). Pena que eu acho que meu grupo não dá pra jogar mto ele...


Pela resenha aqui eu desanimei com o SAGA... parece ter ótimas regras sim, mas e o sentimento?

Será que eu ainda continuarei preferir o Knights of The Old Republic (ou KOTOR...1&2)????


Umas das coisas que eu mais gosto em SW é a possibilidade de personagens mto interessantes, conflitos internos, lado negro... mas isso parece mto mal esplorado em seus rpgs de mesa....

putz...

Uma pena.
 

Skywalker

Great Old One
Li.

A grande decepção da minha vida. Quero morrer.

Tudo o que o RPGista falou tá certo, infelizmente. Parece que o livro foi escrito pra crianças. Não é um livro de RPG, é um livro de estratégia avançada. As imagens do livro que mostram como funciona a movimentação dos personagens é a partir de fotos de miniaturas.

Mas eu tinha esperança. Eu tinha esperança que, mesmo sendo ruim, o livro ajudaria a melhorar o D&D, especialmente com o lance das conditions, etc. Mas não. As conditions não funcionam pro dano em combate, mas sim é uma nova forma de se utilizar diseases, poisons, stuns...

Enfim, que bom que eu tenho a primeira edição do SWd20 - a melhor de todas.
 

Taverneiro

Old school
O que me faz pensar quais seriam os rumos para uma possível 4a. edição do D&D. Será que a coisa vai ficar mais tática ainda? Apeser de que a wizards nao tem nenhum posicionamento a repseito de uma quarta edição, mas o SWS me faz indagar o que esses nerds da wizards estão pensando para o futuro do D&D...
 

Skywalker

Great Old One
Eu já não dei muita bola pra 3.5 (eu gosto mesmo é da 3.0), apesar de incorporar alguns aspectos da edição revisada no meu jogo - especialmente as regras novas de cover.

E concordo com o que o Barlach falou algumas páginas pra trás: o SWSE provavelmente aponta na direção do D&D 4E, infelizmente.

Que bom que eu tenho a 3.0, a melhor coisa que já surgiu no universo em termos de RPG.
 

Armitage

Usuário
Meu pitaco de não-fã de D&D é:

A direção de D&D 4 será dada pelo quê o mercado mandar. Feliz ou infelizmente.
 

Taverneiro

Old school
mais especificamente o mercado americano. O esquema é secar o SWSE e torcer para que o pessoal de D&D reclame... e na duvida, sempre tem o D&D da Grow aqui pegando pó!
 

Faram¡r

Dr. Benway
Que pena. Ainda não li o livro e imaginava que melhoraria alguma das coisas que incomodam nas regras de D&D. Por exemplo, melhorar o sistema de vitalidade dos personagens com esse lance das condições. Pelo que foi escrito nos posts das últimas páginas, é decepcionante.
 

Taverneiro

Old school
Vitalidade? Mó complicação! D&D sem PVs não é D&D! Meu guerreiro precisa de 200 pontos de vida, mesmo que eu não os perca em nenhum momento numa aventura investigativa de 6 horas!
 

Faram¡r

Dr. Benway
Pois é, a solução não é nada simples. Não da pra sair mudando sem pensar nas consequencias pro jogo. E a regra de pontos de vida heroicos de Tagmar não é uma solução tão boa assim.
 

RPGISTA

Usuário
As conditions não funcionam pro dano em combate, mas sim é uma nova forma de se utilizar diseases, poisons, stuns...

Na verdade funcionam sim. Quando o PC recebe um golpe e o dano é maior que seu Damage Treshold ele perde um nível de condition, ou seja, recebe penalidades em todas as jogadas.
Esse condition track seria interessante para adaptar o sistema de magia do SdA da Decipher pro D20 (eu sei que já existe uma adaptação). Na falha o mago perde um nível de condition track, como os Weariness levels do CODA.
No fim das contas eu gostei da edição saga pelo que ela pode ser, mas não pelo que ela é.

Parece que o livro foi escrito pra crianças.

E crianças burras ainda por cima.
 
Última edição por um moderador:

Armitage

Usuário
Só por curiosidade, esse reviewer gringo gostou do SAGA, mas também não engoliu a "miniaturização":

Now I am fully aware that you could play the game without miniatures, if you wanted to. But by the same token I could replace the entire Hit Point system with the Damage Saves from Mutants & Masterminds, if I liked. The point is, officially, you need minis for this game, and at times you really get the feeling that the whole reason Wizard’s launched the Saga edition was to sell more plastic figures. Let’s just take a look at the book, shall we…? From the Author’s Introduction:

“ After the successful launch of the (Wizards of the Coast Star Wars) miniatures line, we knew that we wanted a roleplaying game book that embraced our pre-painted plastic miniatures—over 500 of them and counting. And what a great way to give Star Wars Miniature Game players another way to use their miniatures!” - page 5

Or

From the Gamemaster Accessories Sidebar

“…the rules in this book assume that you are using Star Wars miniatures—attractive, pre-painted plastic figures that can be used to represent heroes and adversaries in the game.” - page 240

That last paragraph continues singing the praises of miniatures, before the rest of the side bar explains why you also want Battle Maps and Galaxy Tiles (also from Wizards of the Coast).

Hmmm. As Buffy Summers might ponder, “commercial me much?”

In Saga, all character, creature, and vehicle rates are given in “squares,” and the illustrations in the combat section all show those “attractive, pre-painted figures.” True, a GM could comb through the rules and edit miniatures out, but it might be easier to just chuck the book and reach for another system if you’re not the miniatures type.

One gets the feeling that since D&D 3.5 made the move to being miniatures based, and that worked so well for Wizards, they’ve gone the same route here. It’s formula, but is it Star Wars? Do we really need to consider line of sight and facing in trying to capture the old “Buck Rogers” serial feel of the genre?

I don’t consider myself cheap…I spend a lot of money of my hobbies…but when I buy a game I expect to be able to play it with some dice at most. If I wanted to play with minis, I’d play a miniatures game
.

Só lembrando que o cara gostou do SAGA (de 4 estrelas em 5), só torceu o nariz pra esse lado.

EDIT: relendo agora, ele fala mais ou menos o que o Taverneiro citou atrás: SAGA se aproveitou da boa resposta do mercado para com as miniaturas, que foram oficializadas e promovidas no D&D 3.5 .
 
Última edição:

Taverneiro

Old school
Bom saber que isso não é birra só minha em relação as minis. Acho que a maioria das pessoas gosta de minis em seus jogos, mas tudo tem um certo limite. É legal ouvir do nada "Ei, vamos jogar D&D?" e pronto, pegue o LdJ e jogue. Mas hj em dia tem jogador tão bitolado que precisa de dias (!) para construir seu personagem ou ainda responderia: "ah não tem minis, como você pretende jogar?"

Essa obrigatoriedade é um ponto negativo que eu tenho em conta com a edição 3.5. Mas normalmente o pessoal com mais tarimba contorna isso facilmente. Tenho pena daqueles que estão começando agora com D&D e já são doutrinados a comprar as miniaturas da wizards ($*CLIN*$ [barulhos de moedinhas]).

Gosto de jogar RPG. Gosto de jogar RPG sem miniaturas. Gosto de jogar RPG com miniaturas. Entenderam? Acho que um pouco mais de flexibilidade seria bem vinda ao meu ver.

Mas que os caras da wizards são espertos... ah isso eles são!

EDIT: Lendo esse review acabo de perceber que eu repeti o que o cara disse! Seria ele o meu doppellganger? De onde vc tirou esse review Armitage? RPGNet?
 
Última edição:

Barlach

Verde. E arqueiro
O jogo de miniaturas é muito legal. Mas, tirando o nome, é completamente diferente de RPG.
 

Armitage

Usuário
Lendo esse review acabo de perceber que eu repeti o que o cara disse! Seria ele o meu doppellganger? De onde vc tirou esse review Armitage? RPGNet?

É do RPGnet sim. Andrew Montgomery é o nome do cara, e geralmente é bem coerente com seus reviews. Vai ver é teu alter-ego? (ou tua alma-gêmea! iiihhhh, isso soou estranho... )


ps: agora que percebí que você é o mesmo taverneiro loko da Spellbrasil....
.... PARADIGMA, PARADIGMA, PARADIGMA, PARADIGMA! :lol:
 

Taverneiro

Old school
O jogo de miniaturas é muito legal. Mas, tirando o nome, é completamente diferente de RPG.
Sim, claro que D&D Minis é diferente do D&D convencional, mas é clara a tentativa da wizards em aproximar bem mais os dois jogos. Ou pelo menos vejo que muito do D&D minis influenciou na revisão da 3a edição. Se você comparar com D&D há dez anos atrás a coisa era ainda mais diferente. São essas sutilezas que agora estão mais perceptíveis com os novos produtos. E é o que eu temo em relação a alguma nova edição do D&D.

Armitage: tu é chato em todo canto hein? ahuhuaahuauha mas pelo menos vc não é babaca qto outros loucos pseudo-intelectuais q a gente vê por aí...

EMBLEMÁTICA,EMBLEMÁTICA,EMBLEMÁTICA,EMBLEMÁTICA
 

Barlach

Verde. E arqueiro
Sim, foi o que eu quis dizer. Não faz sentido a Wizards tentar aproximar o RPG do jogo de miniatura. São diversões completamente diferentes.
 

Elda King

Senhor do passado e do futuro
E ainda tem gente que quer jogar D&D com a classe Marshal, do Miniatures Handbook (que não sei porque está no PHB2). Além dos Tactical Feats. Por que esse povo não joga xadrez? Ou um jogo de estratégia para computador? Neles você pode mover bonequinhos 3d pelo mapa à vontade, sem gastar tanto.
 

Valinor 2021

Total arrecadado
R$150,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo