• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Especulação Spoilers, leaks e especulações

Ragnaros.

Usuário
Está rolando um rumor de que o exército numenoriano da série será composto de soldados do sexo masculino e feminino em bases igualitárias.


Ver anexo 93285

https://www.reddit.com/r/LOTR_on_Prime/comments/vlayln
Valerá dar uma lida no compilado de informações que o Martinez fez aí nesse artigo


Tb haverá orcs/orques fêmeas


Que nós aqui sabemos que foram confirmadas por Tolkien em carta mas de cuja existência alguns dos grandes "acérrimos" defensores da Lore não estão tão a par quanto deveriam estar.




Não quero nem pensar na loucura e "impraticidade" de juntar homens e mulheres em um modelo de exército antigo/medieval. Ademais, Númenor é um reino ufanista, militarista, colonialista, tem uma economia vampírica que depreda a Terra-Média, saqueia recursos e escraviza outros povos. Ou seja, segue um modelo imperante dos reinos, civilizações e impérios que moldaram a humanidade: Egito, Grécia, Pérsia, Roma, etc.

E tudo isso antes de Sauron. Mas olha que coisa legal: em meio a essas características medonhas da natureza humana, Númenor é progressista! Que coisa legal, matam e escravizam povos inteiros, mas com igualdade de gênero num mundo militar que sempre foi predominantemente masculino.

Cara, se isso for verdade, a Série perdeu a oportunidade mostrar um modelo antítese a "tendência" militarista/marcial masculina que dominou (com algumas exceções) a política e a história humana: como as mulheres, durante a história, muitas vezes tiveram de usar sutileza, inteligência, oratória e personalidade para driblar as "gaiolas das barreiras culturais, religiosas e sociais" referenciadas por Eowyn no SDA.

A linha para a Série podia ser o que Erendis fala para Ancalime:

Os homens de Númenor são meios-elfos (disse Erendis), em especial os nobres; não são nem uma coisa nem outra. A vida longa que lhes foi concedida engana-os, e brincam no mundo, crianças na mente, até que a velhice os encontre — e então muitos só abandonam o jogo ao ar livre pelo jogo em suas casas. Transformaram sua brincadeira em assuntos importantes e assuntos importantes em brincadeira. Gostariam de ser artesãos, mestres das tradições e heróis, tudo ao mesmo tempo; e as mulheres são para eles apenas chamas na lareira — para outros cuidarem até que eles se cansem de brincar, à tardinha.
Todas as coisas foram feitas para servi-los: as colinas são para pedreiras, os rios para fornecer água ou girar rodas, as árvores para tábuas, as mulheres para a necessidade de seu corpo ou, se forem belas, para adornar sua mesa e seu lar; e crianças para serem provocadas quando não há mais nada para fazer — mas brincariam da mesma forma com as crias dos seus cães. São corteses e bondosos com todos, joviais como cotovias pela manhã (se brilhar o sol), pois nunca se encolerizam se puderem evitá-lo. Os homens devem ser alegres, afirmam, generosos como os ricos,
dando o que não necessitam. Mostram ira somente quando se dão conta, de repente, de que existem outras vontades no mundo além da sua. Então são implacáveis como o vento do mar se qualquer coisa ousar se opor a eles.

Assim é, Ancalime, e não podemos alterar isso. Pois os homens formaram Númenor: os homens, esses heróis de outrora dos quais eles cantam — de suas mulheres ouvimos falar menos, exceto que choravam quando seus homens eram mortos. Númenor devia ser um repouso após a guerra. Mas. quando se cansam do repouso e dos jogos da paz, logo voltam ao seu grande jogo, assassinato e guerra. Assim é; e fomos postas aqui entre eles. Mas não temos de consentir. Se também nós amamos Númenor. vamos desfrutá-la antes que eles a arruinem. Também nós somos filhas dos grandes, e temos nossas próprias vontades e coragem. Portanto não se curve. Ancalime. Curve-se um pouco uma vez, e eles a curvarão mais até que você esteja inclinada até o chão. Deite suas raízes na rocha, e enfrente o vento, por muito que ele leve todas as suas folhas.

Além disso, e com influência mais forte, Erendis acostumara Ancalime à companhia de mulheres: a vida fresca, tranqüila, suave em Emerie, sem interrupções ou alarmes. Os meninos, como Îbal, gritavam. Os homens vinham cavalgando, tocando trompas em horas estranhas, e eram alimentados com grande barulho. Geravam filhos e os deixavam aos cuidados das mulheres quando davam trabalho. E. embora o parto tivesse menos males e perigos, Númenor não era um “paraíso terrestre”, e a exaustão do trabalho ou de todo o fazer não fora removida.

Se isso for verdade, aquela passagem do Silmarillion torna menos "trágico" o perecimento das "pessoas que, teoricamente, não tiveram participação" nas políticas de genocídios, escravizações e a mortandade praticada por Númenor:

e Númenor afundou no oceano com todas as suas crianças, esposas, donzelas e damas altivas, com todos os seus jardins, salões e torres; seus túmulos e tesouros; suas jóias, seus tecidos, seus objetos pintados e esculpidos, seu riso, sua alegria e sua música; seus conhecimentos e sua tradição: tudo desapareceu para sempre.

Quando li o Akallabeth, eu via as mulheres de Númenor num paralelo das "Mulheres de Atenas":


Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Vivem pros seus maridos, orgulho e raça de Atenas
Quando amadas, se perfumam
Se banham com leite, se arrumam
Suas melenas
Quando fustigadas não choram
Se ajoelham, pedem, imploram
Mais duras penas, cadenas
Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Sofrem pros seus maridos, poder e força de Atenas
Quando eles embarcam, soldados
Elas tecem longos bordados
Mil quarentenas
E quando eles voltam sedentos
Querem arrancar violentos
Carícias plenas, obscenas
Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Despem-se pros maridos, bravos guerreiros de Atenas
Quando eles se entopem de vinho
Costumam buscar o carinho de outras falenas
Mas no fim da noite, aos pedaços
Quase sempre voltam pros braços
De suas pequenas Helenas
Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Geram pros seus maridos os novos filhos de Atenas
Elas não têm gosto ou vontade
Nem defeito nem qualidade
Têm medo apenas
Não têm sonhos, só têm presságios
O seu homem, mares, naufrágios
Lindas sirenas morenas
Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Temem por seus maridos, heróis e amantes de Atenas
As jovens viúvas marcadas
E as gestantes abandonadas
Não fazem cenas
Vestem-se de negro, se encolhem
Se conformam e se recolhem
Às suas novenas serenas
Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Secam por seus maridos, orgulho e raça de Atenas

Lamentem o triste papel das mulheres na História do Mundo. Mas não precisam ser Amazonas assassinas de mulheres e crianças em Harad para isso. Muito mais fantástico e poderoso um feito como a de Morwen, que encarou altivamente, com sua presença e olhar, um exército de Orientais na porta de sua casa, do que usar armadura e partir pra porrada. Ou a existência de uma Ancalime que governou Númenor num período em que a Ilha ainda não tinha "se perdido".
 
Última edição:

Elring

Depending on what you said, I might kick your ass!
Exército igualitário na T-m sem ser de elfos ou orcs... sei. Nem na guerra da Ucrânia tu vê esse empoderamento nas linhas de frente pois logo nas primeiras horas já mandaram as mulheres e crianças fugirem. E o Zelenski junto. Os homens foram proibidos. Como sempre, igualdade só é bonito na teoria.

Na questão dos orcs, tudo o que havia para discutir, já foi discutido aqui mesmo. Orcs fêmeas, orcs melkorianos, orcs humanos, uruk-hai de Saruman etc. O que eu quero saber é se eles vão passar a vara nas humanas e elfas... vai anã também, ou se vão deixar isso como exclusividade dos númenoreanos.
 

MikukoCat

Usuário
Está rolando um rumor de que o exército numenoriano da série será composto de soldados do sexo masculino e feminino em bases igualitárias.


Ver anexo 93285

https://www.reddit.com/r/LOTR_on_Prime/comments/vlayln
Valerá dar uma lida no compilado de informações que o Martinez fez aí nesse artigo


Tb haverá orcs/orques fêmeas


Que nós aqui sabemos que foram confirmadas por Tolkien em carta mas de cuja existência alguns dos grandes "acérrimos" defensores da Lore não estão tão a par quanto deveriam estar.




Assisti esse!
 

Ilmarinen

Usuário
Não quero nem pensar na loucura e "impraticidade" de juntar homens e mulheres em um modelo de exército antigo/medieval. Ademais, Númenor é um reino ufanista, militarista, colonialista, tem uma economia vampírica que depreda a Terra-Média, saqueia recursos e escraviza outros povos. Ou seja, segue um modelo imperante dos reinos, civilizações e impérios que moldaram a humanidade: Egito, Grécia, Pérsia, Roma, etc.

E tudo isso antes de Sauron. Mas olha que coisa legal: em meio a essas características medonhas da natureza humana, Númenor é progressista! Que coisa legal, matam e escravizam povos inteiros, mas com igualdade de gênero num mundo militar que sempre foi predominantemente masculino.

Cara, se isso for verdade, a Série perdeu a oportunidade mostrar um modelo antítese a "tendência" militarista/marcial masculina que dominou (com algumas exceções) a política e a história humana: como as mulheres, durante a história, muitas vezes tiveram de usar sutileza, inteligência, oratória e personalidade para driblar as "gaiolas das barreiras culturais, religiosas e sociais" referenciadas por Eowyn no SDA.

A linha para a Série podia ser o que Erendis fala para Ancalime:







Se isso for verdade, aquela passagem do Silmarillion torna menos "trágico" o perecimento das "pessoas que, teoricamente, não tiveram participação" nas políticas de genocídios, escravizações e a mortandade praticada por Númenor:



Quando li o Akallabeth, eu via as mulheres de Númenor num paralelo das "Mulheres de Atenas":




Lamentem o triste papel das mulheres na História do Mundo. Mas não precisam ser Amazonas assassinas de mulheres e crianças em Harad para isso. Muito mais fantástico e poderoso um feito como a de Morwen, que encarou altivamente, com sua presença e olhar, um exército de Orientais na porta de sua casa, do que usar armadura e partir pra porrada. Ou a existência de uma Ancalime que governou Númenor num período em que a Ilha ainda não tinha "se perdido".
Eu meio que torço para que esse rumor seja só boato no que tange à divisão de 50% no exército, embora goste de ver mulheres combatendo e comandando com os homens, e concordo com uma boa parte do que vc comentou mas isso realmente depende da credibilidade dos insiders da Fellowship. Vai ser ver pra crer.
 
Última edição:

Kimberly Raabe

Usuário

Quem corrompeu o pobre Sauron. Quem será? Será que foi Melkor, ou as injustiças do mundo?

IdolizedCommonBear-max-1mb.gif



O que a Amazon quer fazendo todo mundo repetir a citação de que Sauron não foi mau no princípio é a chave de toda a questão e pelo andar da carruagem, de toda a série.

A partir deste momento entramos nas partes importantes de toda a trama. Esperem agora as coisas grandes que, aí sim, gerarão debates suntuosos com citações e interpretações dos livros. Se não entendi mal, a Amazon usará citações dos livros, com a pitada especial de "sua versão da história", fomentando a distorção e dúvida. Essa será a dinâmica das discussões da série até o final (interpretações dos livros x interpretações da série). Hoje foram diluídas com conversa de exército com cota e blá blá blá. Mas no futuro esse fórum provavelmente voltará aos bons movimentos de anos atrás, para o bem, ou para o mal.
 
Última edição:

Ilmarinen

Usuário
1656408107892.png

eh, Phobs. Ar- Pharazôn e Sauron.

Podem anotar o nome desse cara nos seus caderninhos pq a gente, provavelmente, terá muitas notícias com ele nas próximas duas décadas se aprouver a Eru...

Esse outro de baixo o Gerwell tb:

https://gerwell.tumblr.com%2Fpost%2F51917137019
https://gerwell.tumblr.com%2Fpost%2F39688379693


Esse daí junto com o Valerhon é um que faz Celebrimbor e Sauron com cabelos relativamente curtos bem antes da Amazon. E, se bobear, influenciou o character design da série

Entrevista com ele aí feita pra uma revista russa dedicada a Tolkien:


E com o Phobs vcs acham aí:

https://houseofmelkor.tumblr.com%2Fpost%2F144204113259
 
Última edição:

Neoghoster Akira

Brandebuque

Quem corrompeu o pobre Sauron. Quem será? Será que foi Melkor, ou as injustiças do mundo?

IdolizedCommonBear-max-1mb.gif



O que a Amazon quer fazendo todo mundo repetir a citação de que Sauron não foi mau no princípio é a chave de toda a questão e pelo andar da carruagem, de toda a série.

A partir deste momento entramos nas partes importantes de toda a trama. Esperem agora as coisas grandes que, aí sim, gerarão debates suntuosos com citações e interpretações dos livros. Se não entendi mal, a Amazon usará citações dos livros, com a pitada especial de "sua versão da história", fomentando a distorção e dúvida. Essa será a dinâmica das discussões da série até o final (interpretações dos livros x interpretações da série). Hoje foram diluídas com conversa de exército com cota e blá blá blá. Mas no futuro esse fórum provavelmente voltará aos bons movimentos de anos atrás, para o bem, ou para o mal.

Risco de vir a versão fácil do "começo" de Sauron, no caso a visão fanfic (mais barata) da Amazon do começo dele.

O verdadeiro começo de Sauron vem muito antes de SdA, e muito antes da participação na música dos Ainur, muito anterior aos círculos do mundo quando Eru em algum lugar além do tempo e do espaço gerou criaturas com elementos de Criador ao invés de paternidade. Quando ele surge no mundo, sob o comando de Aulë, ele já havia ouvido a dissonância e há uma passagem no Silmarillion que declara que os Ainur daquela fase já estavam maduros e inteligentes dizendo que muitos dos mais brilhantes dentre eles decidiram entrar nos círculos do mundo (Sauron foi um deles).

A convocação de Manwë (via Eonwe) para Sauron ser julgado também não é um julgamento de preferência igual ao que a Amazon deseja imputar ao expectador de TV julgando um show. Manwë tinha status de Vala sagrado, representando Eru, para julgar Sauron que era uma criatura angelical decaída. Não a toa era chamado de Rei Mais Velho. Manwë ocupa o mesmo status bíblico daqueles que, ao vencerem na fé (video Paulo e Coríntios) poderão julgar os anjos. Fazendo isso a produtora dá direitos para a audiência se sentir "entitled" detendo algo que ela não merece.

A opção fácil nesse rocambole todo é imputar a criação da ignorância de Sauron a algum momento depois de a personalidade dele já estar muito bem formada e de ele ter eleito abandonar o serviço de Aulë. Ou seja, Sauron de Ëa não tem nada a ver com o real começo de Sauron que seria Sauron saído das mãos de Eru.

Se vier material assim (um risco alto) é porque engoliram material do HoME sem mastigar.
 

Gandalf The Black

Mago Véio
Usuário Premium
As mulheres que protagonizam o livro de Pamela Toler, “Women Warriors” [ainda sem tradução portuguesa], que abrange vários milénios de história, galopam rumo à batalha, decepam inimigos, ordenam execuções, montam emboscadas e comandam exércitos de dezenas de milhares de soldados. “As mulheres sempre combateram”, afirma a autora. “E nós tendemos a esquecer-nos disso.” Ferramentas modernas como os testes de DNA, complementados por novos exames de artefactos de enterramento e documentos originais, fornecem a historiadores como Pamela Toler informação sobre a vida das mulheres que combateram, com ou sem homens a seu lado. Elas eram líderes “para quem a batalha não era uma metáfora”, diz Pamela Toler.

001.png

Da esquerda para a direita:

Ca. 1200 a.C. Fu Hao - GENERAL DA DINASTIA XANG

Fu Hao talvez seja a mais antiga mulher guerreira cuja história conhecemos. Primeira esposa do imperador Wu Ding, foi uma comandante militar por direito próprio. Estudos recentes de antigos documentos chineses sugerem que ela comandou tropas e liderou campanhas: encontraram-se mais de cem armas no seu túmulo.

Ca. 358-320 a.C. CYNANE - LÍDER MACEDÓNICA

Cynane, meia-irmã de Alexandre, conquistou a fama de chefe militar talentosa antes de completar 20 anos. Comandou os exércitos da Macedónia, provavelmente combatendo a cavalo. Segundo um autor do século II d.C., Polieno, ela derrotou um exército e matou a sua rainha em combate corpo a corpo.


Ca. 361-411 d.c. MAWIYYA - REBELDE ANTI-ROMA

A rainha viúva árabe Mawiyya, líder de uma aliança tribal chamada Confederação Tanukh, chefiou uma revolta contra os romanos no século IV d.C. no território da Síria. Servindo-se de tácticas de guerrilha do deserto, conduziu as tropas à Palestina, despistando as legiões romanas que acabaram por aceitar os seus termos.

002.png

Da esquerda para a direita e de cima para baixo:

1582-1663 NJINGA - RAINHA DA ÁFRICA OCIDENTAL

Njinga serviu-se de tácticas de guerrilha e da diplomacia para defender os seus reinos, Ndongo e Matamba, dos portugueses. Teria quase 75 anos quando chefiou, pela última vez, o seu exército no campo de batalha. Njinga treinava os soldados, dezenas de anos mais novos do que ela, liderando um exercício de dança guerreira com flechas e lanças.

1771-1825 LASKARINA BOUBOULINA - COMANDANTE MILITAR GREGA

Nacionalista grega, encomendou secretamente um navio de guerra, organizou uma frota e, de seguida, comandou-a na guerra de independência contra o Império Otomano. Foram-lhe atribuídos os créditos da vitória num ataque naval contra um importante porto otomano e recebeu das suas tropas a alcunha de Kapetanisa, Senhora Capitã.

1780-1862 JUANA AZURDUY DE PADILLA - REBELDE SUL-AMERICANA

Azurduy juntou-se ao marido, Manuel Padilla, como opositora ao poder colonial espanhol no início do século XIX. Organizaram juntos um exército rebelde e combateram nos territórios da Bolívia e Argentina. Ela comandou militares do sexo masculino e prosseguiu as suas campanhas após a morte do marido.

1847-1868 NAKANO TAKEKO - SAMURAI JAPONESA

Takeko chefiou 30 mulheres samurais contra os soldados imperiais numa batalha no Norte do Japão. Utilizou espadas para matar os soldados munidos de armas de fogo. Prestes a morrer devido a um golpe, pediu que lhe cortassem a cabeça e a escondessem para que o inimigo não a pudesse usar como troféu.

CA. 1840-1889 LOZEN - GUERREIRA APACHE

Guerreira entre os apaches chiricahua, Lozen participou regularmente no esforço guerreiro de finais do século XIX e em expedições de ataque lançadas contra o Sudoeste dos EUA. Terá sido uma grande estratega, com conhecimentos farmacêuticos e especializada em roubar cavalos ao inimigo durante os ataques.

1892-1973 MILUNKA SAVIĆ - HEROÍNA DE GUERRA SÉRVIA

Condecorada com medalhas por bravura em combate, Savić disfarçou-se de homem para combater na Primeira Guerra dos Balcãs. Como acontecia habitualmente às mulheres sob disfarce, foi descoberta quando foi ferida. No entanto, recusou-se a abandonar os combates e prestou serviço militar em três guerras.

Fonte: National Geographic

No Brasil, as mulheres estão isentas do serviço militar obrigatório, na forma prevista pela Constituição. No entanto, podem servir, voluntariamente, como militares de carreira ou temporárias.

"Nos dias de Tar-Elendil, as primeiras naus dos Númenóreanos retornaram à Terra-média. Seu primeiro descendente foi uma filha, Silmariën. O filho dela foi Valandil, primeiro dos Senhores de Andúnië no oeste da terra, renomados por sua amizade com os Eldar. Dele descenderam Amandil, o último senhor, e seu filho Elendil, o Alto. O sexto Rei deixou apenas uma descendente, uma filha. Ela se tornou a primeira Rainha; pois foi feita então uma lei da casa real de que o descendente mais velho do Rei, fosse homem ou mulher, receberia o cetro." O Senhor dos Anéis, I Os Reis Númenóreanos, (i) Númenor

Mulheres e homens, lutando juntos no âmbito de uma série, ainda que em Númenor, é bem razoável.

#vemsetembro

Days 65 Hours 13 Minutes 32 Seconds 05
 
Última edição:

Ilmarinen

Usuário
1582-1663 NJINGA - RAINHA DA ÁFRICA OCIDENTAL

Njinga serviu-se de tácticas de guerrilha e da diplomacia para defender os seus reinos, Ndongo e Matamba, dos portugueses. Teria quase 75 anos quando chefiou, pela última vez, o seu exército no campo de batalha. Njinga treinava os soldados, dezenas de anos mais novos do que ela, liderando um exercício de dança guerreira com flechas e lanças.
História em quadrinhos contando a trajetória da Njinga aí:


Foi usada por Lin Carter e L. Sprague de Camp pra batizar uma rainha dos tempos de Conan nos anos sessenta e ajudar a dar uma boa desconstruída nos ideais assumidamente racistas do Robert E. Howard, coisa para a qual o tb criado 'fanfiqueiramente' Juma tb contribuiu.




 
Última edição:

Ilmarinen

Usuário
Muitas considerações interessantes aí embora, em sua maioria, tendentes a desabonar a série da Amazon


https://ttrtru.tumblr.com%2Fpost%2F121100961825
A Queda de Númenor vai ter lançamento simultaneo com o original



Charles Edwards falando sobre o Celebrimbor da série:

“Ele é cauteloso e pode ser bem crédulo. Ele é vaidoso e um brilhante artesão. Ele também é muito meticuloso, mas pode ser usado. Ele é orgulhoso e prefere a reclusão; Celebrimbor não é uma pessoa do povo, ele não tem muitos interesses sociais. Ele pode ser muito sincero e é ambicioso, colossalmente ambicioso.”
 
Última edição:

Ilmarinen

Usuário

https://www.reddit.com/r/ImaginaryMiddleEarth/comments/bv2bea


 
Última edição:

Ilmarinen

Usuário
Texto bem interessante do Martinez:


E o Daniel Stride de Phuulish Fellow comentando o " Nada é mau no começo"


Comic book russo ilustrado pela Anastacia Kim ( Phobs) contendo, logo no começo do número linkado, uma representação da Queda dos Anjos Rebeldes como "meteoros" no que, presume-se, se tornaria o Inferno.


Um exemplo da arte tolkieniana dela aí, direto na jugular ( outros vários exemplos já estão nos post anteriores)...

1656843729627.png

Entrevistas com ela no Youtube:


Tumblr de um fã da editora deles Bubble Comics

https://meri-l.tumblr.com%2Fpost%2F656166418453233664 O outro quadrinho tb desenhado pela Anastacia em alguns números que virou filme na Rússia e que está na Netflix:

Major Grom


 
Última edição:

Kimberly Raabe

Usuário
Risco de vir a versão fácil do "começo" de Sauron, no caso a visão fanfic (mais barata) da Amazon do começo dele.

O verdadeiro começo de Sauron vem muito antes de SdA, e muito antes da participação na música dos Ainur, muito anterior aos círculos do mundo quando Eru em algum lugar além do tempo e do espaço gerou criaturas com elementos de Criador ao invés de paternidade. Quando ele surge no mundo, sob o comando de Aulë, ele já havia ouvido a dissonância e há uma passagem no Silmarillion que declara que os Ainur daquela fase já estavam maduros e inteligentes dizendo que muitos dos mais brilhantes dentre eles decidiram entrar nos círculos do mundo (Sauron foi um deles).

A convocação de Manwë (via Eonwe) para Sauron ser julgado também não é um julgamento de preferência igual ao que a Amazon deseja imputar ao expectador de TV julgando um show. Manwë tinha status de Vala sagrado, representando Eru, para julgar Sauron que era uma criatura angelical decaída. Não a toa era chamado de Rei Mais Velho. Manwë ocupa o mesmo status bíblico daqueles que, ao vencerem na fé (video Paulo e Coríntios) poderão julgar os anjos. Fazendo isso a produtora dá direitos para a audiência se sentir "entitled" detendo algo que ela não merece.

A opção fácil nesse rocambole todo é imputar a criação da ignorância de Sauron a algum momento depois de a personalidade dele já estar muito bem formada e de ele ter eleito abandonar o serviço de Aulë. Ou seja, Sauron de Ëa não tem nada a ver com o real começo de Sauron que seria Sauron saído das mãos de Eru.

Se vier material assim (um risco alto) é porque engoliram material do HoME sem mastigar.
Marcando para reler em outra oportunidade interessante, que pelo visto com certeza virá. 🌺
 

Kimberly Raabe

Usuário
Texto bem interessante do Martinez:

O programa de TV Amazon LoTR On Prime criará seu próprio cânone. O fandom da Amazon Middle-earth apreciará a nova tradição. Os puristas de Tolkien irão desaprová-lo ou ignorá-lo. Mas a Terra-média permanecerá no coração de milhões.

Um uso proposital de palavras erradas é o que vejo aqui. Tolkien sabia usar as palavras devidamente como eram apropriadas. "Cânone" e "Nova Tradição", assim como "original" podem ser simplesmente substituídos por invenção, e para ser mais doce até mesmo criação. Mas existe uma razão para o uso dessas palavras no fim, e não é mero descuido ou marketing.
Comic book russo ilustrado pela Anastacia Kim ( Phobs) contendo logo no começo do número uma representação da Queda dos Anjos Rebeldes como "meteoros" no que, presume-se, se tornaria o Inferno.


Um exemplo da arte tolkieniana dela aí, direto na jugular...

Ver anexo 93304
Muito interessante essa revista.
 

Ilmarinen

Usuário
Tá empolgante o novo teaser. 💗

Lord Of The Rings Hobbits GIF by Box Office


E um novo trailer no dia quatorze de julho.

Acho que a introdução do "Homem do Meteoro" é uma excelente maneira de inserir um "wildcard" e criar tensão e expectativa numa narrativa que já vem "mapeada" sem, necessariamente, forçar demais as restrições.

Galera vai aproveitar que , pelo visto, a Hype em cima de Thor Love and Thunder FLOPOU legal* , e, como agora se tornou o padrão, a Amazon, provavelmente, vai investir em ataque massivo na mídia nos dois meses que antecedem a estréia da série do Anéis do Poder.

*( se feliz ou infelzimente eu não sei bem, pois até que eu gostei de Thor Ragnarök e torcia pra que esse fosse bom) A maioria dos críticos youtubers nos quais eu confio mais estão dizendo que o caldo desandou, mesmo aqueles que gostaram do trabalho anterior do Waititi com a franquia.


Capaz deles se valerem bem do "vácuo" que vai ficar entre a estreia do Thor 4 e o próximo blockbuster da Marvel de maneira bem proveitosa. 💗
 
Última edição:

Valinor 2021

Total arrecadado
R$950,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo