1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Soulfly

Tópico em 'Música' iniciado por Ka Bral o Negro, 22 Nov 2004.

  1. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    A polêmica banda Soulfly, do ex-Sepultura Max Cavalera, que estreou com o CD Soulfly em 1998, propondo o que pode-se chamar de "Tribal Metal", embora o resultado final mais parecesse um flerte com o "New Metal". Temas como "Tribe" (referências a conhecidades comunidades tribais, incluindo africanas e indígenas brasileiras), "Quilombo" (homenagem a Zumbi dos Palmares), "Bumba" (referências a Candomblé), "Umbabarauma" (letra em português de Jorge Ben Jor, inspirada em jogador africano) e "Predujice" ("Preconceito") chamam a atenção no CD estréia.



    Concordo; eu gosto do album Primitive (2000), mas é o pior dos quatro albuns do Soulfly, e, infelizmente, grande responsável por sua forte rejeição por parte da galera conservadora e adesão em massa da molecada faminta por novas "modinhas".

    O album seguinte, 3 (2002), resgata a agressividade simples e objetiva dos tempos do Chaos AD do Sepultura, embora mantivesse a temática de exaltação à cultura afro-brasileira e a ídolos revolucionários latino-americanos. Recebeu nota 9 nas revistas "Roadie Crew" e "Rock Brigade"

    O quarto album, prophecy (2004) é indiscutivelmente o melhor de todos, síntese da maturação musical de Max e excelente reorganização de suas idéias. Há uma fusão bem-sucedida de estilos, onde até mesmo um reggae, um chorinho a la MPB e um surpreendente samba conseguem destacar-se em meio ao instrumental agressivo, direto, bem tocado e sincero. Assim como seu antecessor, também ganhou nota 9.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     
  2. Eu acho que muita gente mais radical simplesmente não curte Soulfly por causa dos elementos 'macumba'. Eu acho isso besteira.

    A molecada paga um pau violento pro Finntroll (que mistura música folclórica finlandesa ao seu som), pro Rhapsody (que tem elementos de tarantela), pro Skyclad (Folk), por que o preconceito se o Soulfly mistura coisas 'brasileiras' no seu som ?

    Porra, os caras são do Brasil !! Muito pior são bandas como Tuatha De Danann que mistura Folk europeu ao Metal e o Viking Throne de Belo Horizonte, que fala sobre mitologia nórdica (tem muito navio viking, valquírias e cara pregando fidelidade à Odin em BH, não ?).


    Apesar disso, eu não gosto de Soulfly, mas respeito por dois motivos:

    Não importa qual sua banda brasileira favorita, mas ninguém pode ousar negar que foi Max Cavalera (e o Sepultura) que botaram o Brasil no meio metálico mundial.

    O cara nunca se vendeu. Por mais que as pessoas digam isso, todos os discos do Soulfly (e do Sepultura com ele) são pesados e anticomerciais sim. E nem me venham com a balela de "O Roots é mó disco vendido" porque comercial mesmo é o Bon Jovi !!!


    Eu tinha esperanças quando saiu o 'debut' auto-intitulado da banda, mesmo porque eu me lembro bem da época e de toda polêmica criada em torno da saída do Max do Sepultura. Comprei, no entanto eu não curti e passei pra frente. O segundo, Primitive eu ainda dei uma chance (mas não foi bobo de comprar sem ouvir), mas achei ainda pior. Eu tinha alguma esperança (principalmente porque seu líder era o cara que liderou uma das bandas mais fodidas da história do Thrash Metal). Tem muito de New Metal lá, mas nem por isso é comercial, pois Max sempre cantou urrando que nem um louco.

    Em suma, é uma banda que não me desce nem fudendo, mas eu não costumo xingar e respeito.

    Se bem que, eu nunca ouvi os outros dois discos.
     
  3. -Feanor-

    -Feanor- Usuário

    Eu não desgosto pelos elementos macumba, adoro eles. Eu desgosto é pelos elementos New metal.
     
  4. Uzd

    Uzd Usuário

    Eu curto sim, e apesar de nem ser tão semelhante, mas a comparação ser inevitável, eu prefiro Sepultura...l
     
  5. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    Então, eu te convido a escutar o 3 e o Prophecy. Duvido que você não goste desses dois. :)

    O Max também me soa muito sincero em seus discos, e se houve elementos característicos de "New Metal" nos dois primeiros albuns, pode-se dizer que foi coincidência. Os dois últimos albuns não possuem nada de New Metal. :D

    Ah sim; eu adoro o "Macumba Metal". E, sim, há forte preconceito da garotada metaleira em relação a essa homengagem à cultura brasileira; eu gosto de Tuatha de Danann, mas prefiro a cultura afro-brasileira do que a nórdica.
     
  6. Lord Ashram

    Lord Ashram Denny Crane

    Sem dúvida são coisas a serem respeitadas.
    Mas de resto, eu passo longe da banda pq a sonoridade não me agrada mesmo.
    Eu até tentei gostar quando ganhei o Soulfly, mas não deu. Ouvi algumas outras músicas e tb num curti.
    Levando em conta que eu tb não gosto de Sepultura... se bem que isso nã otem exatamente nada a ver. Enfim...
     
  7. Unholy Master

    Unholy Master Chess Piece

    Soulfly eh bem louco sim.Devemos muito ao Maxe o Sepultura,como disse o Lord la em cima.Eu gostei mais desse novvo album deles,o Prophecy,que tem um clipe meio idiota pra faixa tituloa,mas eh bem bom ! 8-)
     
  8. Então, eu nem gosto do 'Macumba Metal' e gosto do Tuatha De Danann. Mas eu acho muito mais realista uma banda brasileira ter influências brasileiras em seu som do que copias as sonoridades folclóricas de um país como a Finlândia por exemplo. E como o Max foi precursor disso ainda no Sepultura, ele tem o meu respeito.

    É, eu também... Mas vou ouvir os dois últimos.
    O que me deixou meio virado nos dois primeiros foi a influência de New Metal mesmo. No primeiro até o Fred Durst participa...

    O Max é tipo um 'pai' pro Metal Nacional. Por mais que a molecada de hoje em dia o odeie, ele foi o cara por muitos anos. E não adianta o Andreas Kisser dizer que a banda está ainda melhor com o Derrick, pois desde que o Max pulou fora (na verdade, nem do Roots eu gosto muito) a banda acabou. Esses discos novos deles, são toscos. Até o Roorback que todo mundo diz ser uma volta às origens eu acho uma bela merda.
     
  9. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    Eu ouvi a maioria das músicas dos CD's com o Derrick, e digo que o novo Soulfly é melhor que o novo Sepultura; arrisco dizer que o CD Prophecy, último album do Soulfly, seja a melhor coisa que Max Cavalera já tenha feito, mesmo se considerar o Sepultura antigo.

    Prophecy é um album para se escutar e analisar do início ao fim, faixa por faixa. Não há nenhum resquício de New Metal no Prophecy, aliás nem em seu antecessor, o album 3.
     
  10. Pô KaBral, num chuta o balde... 8O

    Agora sério, eu tenho um carinho especial pelo Schizophrenia. Nem de longe é o melhor do Sepultura musicalmente falando, mas foi um dos primeiros CDs que comprei, então sempre vai ser meu favorito mesmo. Por mais que todo mundo diga Arise, o meu álbum do Sepultura sempre vai ser mesmo o Schizophrenia. Até porque ele tem uns lances de Death Metal, sem descambar pra loucura-barulho-sem feeling de hoje em dia (a.k.a. Krisiun).
     
  11. Unholy Master

    Unholy Master Chess Piece

    Po cara,eu gosto dessa fase nova.Uma oena eh que eles nunca vao fzer aquelas bombas de mosh em forma de musica,como "Territory" e "Roots Bloody Roots".Mas temos muitas faixas boas dessa nova fase sim cara.
     

Compartilhar