1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Soldado americano mata ao menos 16 civis no Afeganistão

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 12 Mar 2012.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Um soldado americano teria matado ao menos 16 civis neste domingo e ferido outros cinco durante uma incursão armada realizada de madrugada perto de uma base militar na província de Candahar, no sul do Afeganistão, em um fato que está sendo investigado pela Otan.

    Um membro do conselho administrativo local, Agha Lalay, informou à agência Efe que entre as vítimas há mulheres e crianças, e que o militar americano abriu fogo contra as pessoas após deixar sua base, localizada no distrito de Panjwai, por razões desconhecidas.

    A missão da Otan no Afeganistão (Isaf) divulgou no começo da manhã um comunicado no qual lamentou
    e expressou suas condolência às famílias dos envolvidos.

    A nota informou que o autor do "incidente" havia sido detido, mas não revelou o número de vítimas causadas por sua ação. O texto também não indicou o motivo que o teria levado a cometer o massacre, sobre o qual a Isaf anunciou que abrirá uma "investigação".

    Segundo fontes militares disseram posteriormente, o soldado foi vítima de uma crise nervosa.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Afegão senta ao lado de corpos de vítimas de ataque de soldado americano em Candahar​

    O porta-voz da Isaf em Cabul, Justin Brockhoff, confirmou à Efe a detenção do militar, e declarou que
    Por outro lado, em declarações à agência local AIP, um porta-voz do movimento taleban, Qari Muhammad Yousaf Ahmadi, afirmava que 45 civis haviam morrido no incidente e que não havia se tratado de uma ação individual.

    disse o porta-voz insurgente, que garantiu que em apenas um povoado tinham morrido 11 membros da mesma família.

    No entanto, é comum o movimento taleban superestimar os incidentes armados entre a população local e as tropas internacionais.

    Berço do movimento taleban na década de 1990, Candahar é um dos principais redutos dos insurgentes, que contam com a simpatia popular na província e a transformaram em palco frequente de operações armadas.

    Em declarações dadas ao canal de televisão local Tolo, o porta-voz do Ministério de Interior afegão Sediq Sediqi fez um apelo à calma, e pediu à população de Candahar que permaneça tranquila até que "o incidente seja esclarecido".

    O massacre ocorreu em meio a um forte clima antiamericano no Afeganistão registrado após a queima do Corão por soldados dos Estados Unidos no final de fevereiro na base de Bagram, próxima a Cabul e a principal da Otan em solo afegão.

    Cerca de 30 pessoas morreram na repressão das manifestações de protesto convocadas em diversos pontos do Afeganistão contra a profanação, que o comando americano lamentou e atribuiu a "um equívoco".

    Um total de 130 mil soldados estrangeiros permanecem no Afeganistão após o começo da retirada gradual do contingente da Otan desdobrado no país, de acordo com um calendário que está previsto que termine em 2014.

    O processo coincide com um dos períodos mais sangrentos do conflito iniciado há mais de uma década.

    Além disso, abre incógnitas sobre o futuro do Afeganistão diante do fracasso das tentativas de iniciar um processo de negociação entre o governo do presidente Hamid Karzai e o movimento talibã, para garantir a paz no país.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Elessar Hyarmen

    Elessar Hyarmen Senhor de Bri

    Barak Obama disse que esse soldado será julgado e condenado. Espero que cumpram com a palavra.
     
  3. Mercúcio

    Mercúcio Well-Known Member

    O imperialismo ianque continua a fazer vítimas... triste esse ocorrido...
    Poucos dias atrás, os EUA já tiveram que se desculpar porque um bando de doidão resolveu fazer uma fogueira de Corão.
     
  4. Felagund

    Felagund Well-Known Member

    Eu não consigo aceitar nenhum argumento a favor da ocupação do Afeganistão nem do Iraque, de verdade, eu não gosto de ser intolerante em nenhum assunto, mas esse eu considero indefensável.
    Por pior que estivesse a situação afegã na mão do Talibã, nenhum pais do mundo tem o direito de intervir dessa forma. É um atentado ao conceito de livre determinação dos povos. É a "americanização" do Mundo.

    Quanto ao soldado em si, vários psicólogos, documentários e etc relataram que os soldados americanos em territórios ocupados se tornam sádicos. Tem ódio dos povos que estão "protegendo" e não sentem remorso em nenhuma de suas ações.
    Mais dessas irão acontecer, só esperar.
     
    • Ótimo Ótimo x 2
  5. Elessar Hyarmen

    Elessar Hyarmen Senhor de Bri

    Pra esse exército americano e para sua política expansionista eu simplismente olho com escárnio!
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  6. Corsário de Umbar

    Corsário de Umbar Corsário de Umbar

    Esse cara devia ser julgado pelo povo afegão.

    Babaca idiota!!!
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  7. ExtraTerrestre

    ExtraTerrestre Usuário

    Se os EUA deixassem o soldado ser julgado (e morrer) lá, Obama perderia prestígio em casa e seria menos odiado pelos afegãos.
     
  8. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Já passou mais que da hora do Obama literalmente mandar tirar "seu time" de campo, só que merdas como essa ainda estão longe de acabar.
     

Compartilhar