1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Sobre o tempo

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por imported_Brigit, 15 Jul 2010.

  1. imported_Brigit

    imported_Brigit Usuário

    Atroz e fugaz
    Assim meu tempo se esvai
    Derrama-se, evapora-se
    Transforma-se, transcende-se
    Leva consigo todas as juras
    Que hoje jamais serão ouvidas

    Permuta-se as estações
    Troca-se as fotos, as roupas
    Muda-se o olhar
    Mas estatizar somente na memória
    Que não traz consigo o tempo ruim
    Nem a chuva e o frio que faz

    Instante que não congela
    Mas que derrete-se em prantos
    Sobre a face desarranjada
    De quem perdeu-se entreactos
    E desbota lentamente os dias
    Esvaece horas rubras de amor

    Atroz e fugaz
    Assim meu tempo se esvai


    Versão "demo" ainda (:
     
  2. Rodovalho

    Rodovalho Usuário

    da ampulheta quebrada escorre a areia do tempo
    como uma oportunidade escorrendo pelas mãos
    com o corpo dobrado, com os joelhos no chão
    não de uma promessa mas puro arrependimento

    esvai-se o tempo

    atroz e fugaz, como palavras perdidas no dicionário
    sol e chuva, como símbolos triviais do dia a dia
    como as frases sem sentido que terminam em rimas
    é um passatempo que não passa em nome do tédio

    perco meu tempo

    lendo uma história de amor por não ter amor próprio
    sonhando a ficção por não viver aventuras
    detendo um coração pulsante cheio de ternura
    envelhecendo mais um instante de minha história

    meu algoz, a fuga do tempo
    da noção do ridículo do tempo do flashback à métrica
    passando por versos brancos cor da pele sistema internacional de unidades
    sol e chuva quatro estações a quinta estação o décimo terceiro férias mais um terço constitucional

    me situo no tempo

    conserto o tempo

    avanço no tempo

    da ampulheta consertada escorre a areia do tempo
    até os relógios de pulso obsoletos para celulares de bolso
    dos amigos do peito, das saudades destinadas, lágrimas no rosto
    não de uma tristeza mas puro contentamento
     
  3. Tayana

    Tayana Usuário

    Gostei...
    mas olha conserta isso: "Que não trás" é TRAZ do verbo TRAZER...^^

    Espero ver mais postagens...
     

Compartilhar