1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Sobre lendas e suas interpretações

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por Agamennon Warren, 12 Dez 2002.

  1. Agamennon Warren

    Agamennon Warren Desaparecido

    Gente, não se esqueçam que nós estamos interpretando um texto. Não digam que estão sendo subjetivos, pq isso é oarte de qualquer interpretação decente que se faça de qualquer coisa, principalmente de uma obra como As Brumas de Avalon.

    Cada opinião ou comentário que aparece nesse tópico depende do jeito que a pessoa interpretou e de seu "repertório de mundo" (eu tinha uma professora que vivia falando isso).

    Não devemos nos preocupar se estamos sendo subjetivos ou objetivos. Na verdade somas as duas coisas, e isso que nos faz chegar as nossas interpretações diversas da mesma obra.
     
  2. Fernanda

    Fernanda Andarilho de Eriador e

    Margana não eh "boazinha", os personagens da MZB raramente são so bons ou maus, Morgana é uma mulher que luta pela sobrevivencia do seu povo.
    As versões oficiais é q a pintam estereotipada com a bruxa malvada pura, cuja unica motivação é o mal.
    MZB é fantastica.
    Quem não leu recomendo o Incendio de Troia, além dos outros já citados
     
  3. Lord Henry

    Lord Henry Usuário


    Hmmmmm... não existem exatamente versões oficiais... a demanda do Santo Graal é como mitologia, há várias versões das histórias...
     
  4. Fernanda

    Fernanda Andarilho de Eriador e

    Escolhi mal as palavras devia ter dito versões mais tradicionais.
    Afinal a historia sempre foi contada sob a otica do Arthur e nunca da Morgana.
     
  5. V

    V Saloon Keeper

    Pintam mesmo? Tem certeza? Quais "versões oficiais" você já leu???
     
  6. V

    V Saloon Keeper

    Não, nem toda a literatura deve ser assim. Nada contra colocar as coisas do ponto de vista das mulheres, mas mostrar os homens como fracos, bobocas e manipulados é preconceito também!

    É sua opinião, e eu respeito ela.

    BESTEIRA!

    Merlin também seguia as tradições pagãs e não era mostrado como vilão. Isso que você disse não faz o menor sentido.

    Não existe esse negócio de "deturparam sua imagem" porque a imagem dela é aquela lá!!! Se alguém "deturpou a imagem dela" esse alguém foi a Bradley!

    A Morgana e o filho dela são os vilões da história, foi assim que a coisa foi concebida, aceite isso! As lendas mostravam que a cultura pagã estava sendo apagada, e o cristianismo estava crescendo. Isso é um fato histórico, que foi sabiamente intruduzido nas lendas. Ninguém tava dizendo que cristianismo é melhor que paganismo.

    A morgana sempre foi uma personagem dramática. Ela foi corrompida pelo poder e não queria aceitar as coisas que estavam acontecendo com o mundo. O plano que ela arquitetou a caracterizava como "má". Ela podia ter seus motivos, mas que ela foi sacana, ah, isso foi.
     
  7. Melkor- o inimigo da luz

    Melkor- o inimigo da luz Senhor de todas as coisas

    V, as versões que geralmente chegam a nós, como a versão da lenda do rei Arthur da Disney entre outras, são versões da história vista pelo lado dos cristãos, como Gwinevere. Para eles, bruxaria é obra do demônio, e Morgana sendo uma bruxa sempre foi mostrada como má.
    Como qualquer história, a lenda do rei Arthur tem vários lados diferentes, como o dos druidas que eram alvos de preconceito pelos cristãos que começavam a dominar a Inglaterra. A versão dos Druidas, mostrando o lado deles, vê exatamente o contrário. Gwinevere como a "má" (não má, mas eu fiquei com muita raiva dela) e Morgana como a "boa".
    Merlin colocou Uther e Arthur no trono da Inglaterra, não tinha porque ser visto como maligno.
     
  8. V

    V Saloon Keeper

    Aff... eu estou falando da versão original, não a "certa" ou "errada", mas a que veio primeiro!!!

    Não existe esse negócio de "ponto de vista", É LENDA!!! FICÇÃO!!! MENTIRA!!!!
     
  9. Melkor- o inimigo da luz

    Melkor- o inimigo da luz Senhor de todas as coisas

    Claro que existe ponto de vista, e não existe original. É uma lenda, passa de um pra outro, sofre modificações. Não dá pra dizer qual versão da mula sem cabeça é original nem certa ou errada, são diferentes.
    Ponto de vista existe em tudo, V, cada um vê do seu modo, os druidas viam de um jeito, os cristãos de outro. Não tem lógica dizer que não tem ponto de vista, tanto que para uns a Morgana é boa e para outros é má, é ponto de vista oras.
     
  10. V

    V Saloon Keeper

    Sim, do ponto de vista da Bradley a Morgana não é má.

    O fato de que isso vai de encontro à concepção original da personagem não tem a menor importância, certo?

    Vou começar a escrever livros sobre a Terra-Média, onde Melkor é bonzinho e injustiçado, e esses outros valar, como Manwë Súlimo, Ulmo e Tulkas não passam de déspotas tiranos.

    Ei, é só o meu "ponto de vista", certo? :wink:
     
  11. Lord Henry

    Lord Henry Usuário

    Que discussão bizarra... acho interessante que ela tenha feito a história supostamente sob outro ponto que não o "tradicional". Mas isso serve tanto quanto o fato de Tolkien pretender contar a mitologia "original". Legal. Mas isso não quer dizer nada. A história é uma lenda, e é contada há séculos.

    É como o V falou, vc pode contar O Senhor dos Anéis sob o ponto de vista de Sauron. Contar como os elfos são safados e manipuladores e que os orcs foram sempre mal compreendidos e blá-blá-blá. Vai ser tão ficção quanto o original. Não existe essa de ser justo ou injusto com esse ou aquele personagem.

    Isso de dizer que "a Morgana não era má" não significa nada. É uma história, é ficção. Aprendam a conviver com isso.


    Acho que agora eu entendo por que tem tanta gente revoltada com o Faramir do filme...
     
  12. Fernanda

    Fernanda Andarilho de Eriador e

    É diferente, Tolkien criou um universo, as lendas arturianas são um conjunto de lendas, meio q de dominio geral, não teve um criador formal daquele universo.
    Os orcs são maus pq Tolkien disse que são maus e ele criou aquele universo, é uma questão mais fechada.
    Os contos mais tradicionais sobre Artur e Morgana o colocam como fonte de toda virtude e ela como fonte de todo mal, são personagens humanos, eu, pessoalmente, apesar de ter amado os livros MZB, concordo que ela tende a fazer o inverso colocar o Artur como sempre errado e Morgana como sempre certa. Mas é uma questão de coerencia, se a historia esta sendo contada pela ótica da Morgana, em alguns capitulos esta até na primeira pessoa, é coerente que ela se ache certa e o irmão errado.
    Quanto a fideleidade à lenda, imagine a geuerra do golfo contada sob a otica dos usa e sob a otica do iraque...... iam ser duas historias beeeeeeeemmmm diferentes.

    Ei, é só o meu "ponto de vista", tb, certo? :kiss:
     
  13. Melkor- o inimigo da luz

    Melkor- o inimigo da luz Senhor de todas as coisas

    Uma coisa é uma história criada e escrita por um homem, outra coisa é uma lenda que vem de épocas distantes. Não há lenda origina da tavola redonda, existem versões, já no caso de Tolkien, o que ele disse tá dito, o mundo ele quem criou e ditou as regras, se alguém escrever algo ao contrário está contradizendo Tolkien, é totalmente diferente.
     
  14. Tilion

    Tilion Administrador

    Sim, mas Mallory foi o primeiro a colocar essas lendas por escrito, "oficializando-as".

    O mesmo fez Homero com as narrativas sobre a Guerra de Tróia: elas já existiam oralmente, e ele apenas colocou no papel dando seu estilo a elas.
    De modo que, hoje, a versão "oficial" da Guerra de Tróia está na Ilíada, assim como a versão "oficial" das lendas arthurianas está no Le Mort D'Arthur. ;)
     
  15. Lord Henry

    Lord Henry Usuário


    De jeito nenhum. Não existe "versão oficial". Ainda mais em casos de mitologia em que os relatos divergem entre regiões diferentes e culturas distintas. Acho um erro supor que exista uma "versão oficial". São todas versões de seus respectivos autores, não importa que sejam ou não os registros escritos mais antigos conhecidos. Até porque se houver outros mais antigos não conhecidos, que sejam descobertos eventualmente, então a "versão oficial" muda repentinamente? Acho que isso não faz sentido.
     
  16. Tilion

    Tilion Administrador

    É por isso que coloquei "versão oficial" entre aspas. Tsc.

    Entenda então como "a principal obra tratando sobre o assunto" e, pelo senso comum, tomada como "oficial" (olhe as aspas de novo!!! Elas não implicam que é A versão oficial, canonizada, incontestável, e sim que é a "ofical" [aspas!!] baseada no material que temos disponível).

    Não entenda as coisas literalmente onde elas não são apresentadas assim. :wink:
     
  17. Lord Henry

    Lord Henry Usuário

    Com ou sem aspas, pretende-se ser algo que não é.
     
  18. Tilion

    Tilion Administrador

    Na sua opinião.

    É o mesmo caso da Morgana da MZB: todos concordam que ela é apresentada como a versão particular e singular da autora, diferente da do Mallory, que é tomada, sim, como a "oficial", concorde vc ou não.

    Entenda como quiser as aspas.
     
  19. Lord Henry

    Lord Henry Usuário

    Claro que é na minha opinião.

    E, concordando você ou não (assim como qualquer outra pessoa, inclusive eu) não existe versão original (ou "original", ou oficial, ou "oficial", ou certa, ou "certa"
    etc.) de uma obra mitológica, que é fruto da tradição oral popular.


    Que, por sua vez, é a versão particular e singular do autor, que provavelmente foi influenciado pela via da tradição a que foi submetido, pesquisou e/ou preferiu, ainda possivelmente com suas próprias modificações. Se você ler a versão galego-portuguesa da demanda, vai encontrar outra versão, e assim por diante. Não existe uma versão "oficial" (como vc quiser), existem diversas versões "oficiais" e determinar qual é a "oficial" das "oficiais" é impossível ou equivocado.

    Mitologia não tem autor, nem dono. Nem uma versão "canônica", uma vez que é muito difícil, senão impossível, determinar com precisão a origem dos mitos e a versão original. O registro escrito simplesmente ajuda a guardar uma determinada versão. E mesmo se fosse feito com suposta precisão e "imparcialidade" (seja lá o que isso possa significar no caso) estaria recheada de invenções do próprio autor e, por definição, já diferente da tradição oral, independente da versão corrente a que foi submetido.

    Seria como imaginar que o filme do Bakshi do Senhor dos Anéis é a versão "oficial" (com ou sem aspas) do livro do Tolkien no cinema, só porque foi a primeira, o que seria um erro. Assim como o seria imaginar que o filme do Peter Jackson é a versão "oficial" (com ou sem aspas) do livro no cinema só porque é a mais conhecida e difundida. São duas versões diferentes de uma mesma fonte, traduzidas de um meio (livro) para outro (cinema). Assim como as traduções da tradição oral para livros, que, por sua vez, têm um agravante ainda maior: a multiplicidade de versões (ou seja, não têm uma fonte única e original).
     
  20. Tilion

    Tilion Administrador

    Óbvio que uma obra baseada em uma mitologia não pode ser canônica, exatamente pelas mais variadas versões dos mesmos mitos.

    Porém, quando eu digo "oficial", quero dizer que tal obra (como as de Mallory e de Homero), é a principal referência em determinado assunto (no caso dos dois, as lendas arthurianas e a Guerra de Tróia), adotada pelo público em geral como a que melhor satisfaz determinadas expectativas.
    Isso é evidenciado principalmente no caso de Homero.

    Claro que muitos preferem esta, outros aquela versão, mas estas "oficiais" são as que são levadas mais em consideração ao se buscar algo que seja o mais próximo possível de uma versão realmente oficial (embora tal parâmetro de "oficialidade" nunca chegue à perfeição e incontestabilidade).

    Essa "adoção" das obras como "pseudocanônicas" é praticada inclusive no meio literário e acadêmico... o que não tira a validade de nenhuma outra versão já que, em suma, a "melhor" versão vai depender da preferência pessoal de cada um.
     

Compartilhar