1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Sete em cada dez pediatras já sofreram algum tipo de agressão em São Paulo

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Pim, 23 Abr 2015.

  1. Pim

    Pim God, I love how sexy I am!

    Pesquisa aponta que 7 a cada 10 pediatras sofrem agressão física no exercício da profissão. Destes, 63% relatam agressão psicológica, 10% física e 4% vivenciaram algum tipo de cyberbullyng.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    A Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP) encomendou, junto ao Instituto Datafolha, pesquisa sobre o perfil e atuação do médico pediatra no Estado. Entre os resultados, um dado alarmante: a violência que cerceia a rotina destes profissionais.

    Sete em cada dez pediatras passaram por algum tipo de ato violento durante o exercício profissional. Destes, 63% relatam agressão psicológica, 10% física e 4% vivenciaram algum tipo de cyberbullyng. Nota-se, ainda, que quanto mais jovem, maior o registro de ataques: 74% dos que confirmaram algum episódio de agressão têm entre 27 e 34 anos, contra 43% para aqueles com 60 anos ou mais.

    "Nós temos uma falha no sistema de saúde que reflete diretamente na qualidade do atendimento: o pronto socorro substituindo as consultas rotineiras. Pela dificuldade de agendar consulta, as mães recorrem ao PS, com a ideia de que terá resolutividade, com o diagnóstico e tratamento imediatos. Somente no consultório do pediatra que a assistência promovera a saúde, a prevenção de doenças e orientações sobre os cuidados mais importantes", frisa dr. Mário Roberto Hirschheimer, presidente da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP)

    Dr. Mário atribui esse fator como um dos preponderantes causadores da frustração e revolta dos pais, com a conseqüência de atos violentos contra os médicos. Estas agressões refletem, também, a deficiência da saúde.

    "Faço questão de ressaltar que, no momento, pelo aumento da demanda nos prontos socorros, os casos de agressão aos profissionais que lá trabalham sobrecarregados têm aumentado, lamentavelmente, pois somos tão vítimas do mau funcionamento do sistema quanto os cidadãos. Fica um apelo: só procurem os prontos socorros em casos de urgência ou emergência, já que também há o risco de contágio nas salas de espera lotadas. Outro lembrete da maior importância: agredir os profissionais que lá estão trabalhando só piora a situação, não só por atrasar mais ainda o atendimento, como provocando pedidos de demissão".

    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    _______________________________________________________

    Sou médica, pediatra e passei por diversas situações de agressão verbal, mas, recentemente, uma ameaça de morte de um pai extremamente desrespeitoso culminou no meu pedido de demissão da unidade que trabalhei durante quase todo meu tempo de formada. Meu grito de socorro não é único. Colegas médicos de diversas idades tem passado pelas mesmas situações estressantes e constrangedoras. Lastimável!

    A questão a ser levantada é: como vocês enxergam essa reação da população? O que mudou de 20 anos para cá para a relação de gratidão, respeito e confiança ter se deteriorado ao ponto de tamanhas estatísticas absurdas?

    Temo pela minha profissão. Temo mais ainda por mim enquanto mulher e jovem neste cenário de guerra.
     
    • Gostei! Gostei! x 4
  2. Neithan

    Neithan Ele não sabe brincar. Ele é Mito

    Lá na vila (Pq São Rafael - ZL) não tem mais pediatra. Mães e pais ameaçaram os últimos também. E quase sempre porque os médicos cobram um maior cuidado dos pais. Lá tem mãe que dá leite integral a bebe de 2 meses, usando argumentos do tipo: "Eu sempre tomei e nunca me fez mal"
     
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Mandar Coração Mandar Coração x 1
  3. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    É triste e um imenso absurdo ver que pediatra está tendo destino cada vez mais idêntico ao de professor em ensino fundamental. Cada vez mais sendo desrespeitados tanto como profissionais como seres humanos.

    Aí a culpa disso tudo é desses profissionais sob alegação que agora eles seriam muito ruins que antigamente ou é da nossa sociedade que ficou mais mal educada, perdeu alguns valores morais e éticos (está menos civilizada) e não sabe mais valoriza-los? Se eu tivesse que optar por somente uma dessas, sou mais a segunda opção.
     
  4. Reverendo

    Reverendo Usuário

    Também sou. Minha esposa trabalhou em um posto de saúde até recentemente. Não raras vezes, ela voltava para casa exausta e muito irritada. O desfile que ela presenciava diariamente era realmente desgastante. Os atendidos que mais criavam conflitos, eram as mães relapsas ou simplesmente incompetentes, que normalmente eram também, as mais agressivas.
     
  5. Pim

    Pim God, I love how sexy I am!

    Esse sempre foi o maior problema do pediatra... Até a atual geração ter filhos e o maior dificultador ser a falta de educação e agressividade com aqueles que cuidam dos filhos deles. Nunca houve tanto desrespeito. Geração Y, conhecida por não ter limites, se mostra extremamente imaleável e ríspida (com exceções).

    Exatamente! Quem precisa muito geralmente é paciente, grato pela oportunidade da consulta sem custos e segue as orientações direitinho. Agora as emergências são superlotadas com besteiras, pacientes mal educadíssimos, cheios de "direitos" que "exigem" sem dar nada em troca, que superlotam os estabelecimentos, aumentam o tempo de atendimento e acabam atrasando a própria consulta. São vítimas deles mesmos e suas ignorâncias. O final é sombrio. Essas pessoas acabarão, eventualmente, desassistidas pois não há mártir que se sujeite ao constante ambiente de guerra. Eu estou cansando.
     
  6. Lindoriel

    Lindoriel Saurita Catita

    Isso também acontece na docência. Ninguém mais aguenta ser destratado por crianças e adolescentes mal educados, e pior ainda, os pais vão a favor deles muitas vezes.

    Se vc dá uma bronca, tira celular, já até ameaçam de processar. E olha q qdo passei por isso foi em 2006- quando lecionei em escola pública - há quase 9 anos. Faz tempo já que está assim. E professor jovem tbm é mais desrespeitado, eu em 2006 tinha 20 anos, parecia mais nova e somente por isso muitos achavam que deveria haver um professor mais velho na sala.

    Aí a gente abandona tudo e acham ruim. Ficam fazendo campanha pra fazer licenciatura.
     
  7. Omykron

    Omykron far above

    uma pena que o médico tem que interferir com o ciclo da vida e no refinamento genético.

    uma pena pq essa galera não tem a minima condição de se reproduzir. pqp maluco!
     
  8. LuizWsp

    LuizWsp A torch in the dark In Memoriam

    Trabalho com algumas pessoas que tem filhos pequenos e eles contam o lado deles.

    Um deles sempre reclama de episódios como esses. Um dia foi no PS de madrugada, ficou esperando um longo tempo com sua filha chorando. Embora só tivessem duas crianças pra serem atendidas, nenhuma era chamada. Depois de cansar de esperar, um dos pais abriu a porta pra reclamar / chamar o médico e lá tava o doutor dormindo no consultório... Sim, sendo pago pra dormir enquanto as crianças passam mal.

    Além desse caso, as outras reclamações são geralmente muito parecidas: primeiro demora uma eternidade pra ser atendido. Depois, quando finalmente é chamado, é tratado com desrespeito e má-vontade.

    De experiência própria posso atestar que mais da metade (uns 80%) dos médicos que eu vou (PS ou consulta) são arrogantes, sem nenhuma educação e o que é pior: sem nenhum conhecimento. Atendem mal, com pressa, não tem a menor vontade de ajudar e ainda faltam com respeito, exalando aquele ar de superiodade “quem é você pra me questionar?”. Tenho alguns (poucos) bons exemplos, como o caso do médico que operou meu nariz, que foi totalmente excelente, mas a grande maioria é ruim mesmo.

    O que aumenta a hostilidade da população é que eles recebem uma caralhada de dinheiro mesmo sem ter nenhum compromisso com acertar o diagnóstico, logo, pedem um monte de exame, chutam qualquer coisa, são pagos e pedem que entre o próximo otário. Se ele tiver acertado o diagnóstico, sorte sua. Se não, ele já foi pago mesmo, você que se foda pra lá... Se persistirem os sintomas consulte outro médico e pague outra vez.

    Quando a pessoa vai por si e está passando mal, dificilmente vai brigar, porque está debilitada e fraca. Quando é o pai que leva o filho e vê isso acontecendo, o instinto fala mais alto e a raiva sobe à cabeça.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  9. Tek

    Tek Girls tend not to like me

    Cara, só li preconceitos! Eu venho estagiando em um bilhão de lugares (caso não saiba, estou no 6º ano de medicina) e eu juro que não vejo esse desprezo que você fala, nem na prática pública e muito menos na privada (onde dá muita vontade de mandar 50% dos pacientes tomar no cu porque claramente vêm à emergência potencializando um sintoma ou até inventando pra pegar atestado, pra GANHAR SEM TRABALHAR, como você acusa os médicos de fazerem). Vc acha que o desrespeito e a agressividade são uma resposta à "arrogância" do médico? Então quero que você conheça a Pim e justifique o desrespeito e agressividade para com ela! Ou seja atendido por mim, porque aqui no fórum eu sou um pouco escrota, mas nos hospitais só coleciono elogios.

    Lógico que existem médicos que se acham superiores, que não sabem nada, mas 80%? Em BH??
    E não se esqueça de uma coisa muito importante: se o médico não sabe, o paciente sabe menos ainda. Paciente teve um episódio de febre ontem à noite, vem hoje de manhã pra emergência pedindo "exame de sangue" (porque muitos acham que esse é o nome do exame), antibióticos eeeee atestado. Aí a gente fala que pode ser o quadro inicial de uma ~virose~ e pronto! O médico falou a palavra mágica, então não sabe nada!! Eu já ouvi como resposta "não vou embora até você me dizer qual vírus que é!", porque duvidaram do meu diagnóstico. E aí eu expliquei que viroses sempre começam com sintomas muito parecidos e depois evoluem pro seu quadro típico; então, se você tiver resfriado, dengue ou ebola, eu não vou diagnosticar no primeiro dia.

    Mas eu tenho certeza que a mãe não saiu satisfeita e deve ter falado por aí "ai, a médica disse que era uma 'virose' :roll:", porque é o que os pacientes fazem. E eu não me incomodo nem um pouco quando eles fazem perguntas, mas duvidar do meu diagnóstico com arrogância? Ah, isso me emputece sim! Um pouco mais de respeito com a pessoa que passou 6 anos pra estar ali, enquanto você só assiste Bem Estar! Nunca vi leigo contestar engenheiro ou advogado...

    Pra terminar, quero desmistificar mais uma coisa: médico dorme no plantão noturno sim! Se não tiver ninguém pra atender, pra que ele vai ficar acordado? Não é melhor dormir pra ter energia quando chegar paciente, ou pra não dormir no volante quando ele for embora? Eu duvido - porém não garanto - que ele estivesse cagando pros pacientes quando resolveu voltar a dormir depois de a enfermagem tê-lo chamado; eu acredito mais é que ele nem chegou a ser chamado! E digo mais: mais respeito pelo médico de plantão que escolheu puxar um ronco no consultório em vez de se recolher no quarto dos médicos, mais confortável. Isso mostra ainda mais comprometimento.

    Sim, a gente ganha dormindo. Odeie-nos.

    P.S.: eu tinha dado fail pq achei que vc foi muito preconceituoso, mas tirei pq é a visão que você tem e eu não posso te condenar por isso :lol:
     
    • Ótimo Ótimo x 4
    • LOL LOL x 1
    • Mandar Coração Mandar Coração x 1
  10. Omykron

    Omykron far above

    seja piloto e veja a mágica.
    doutor google é fichinha
     
  11. Tek

    Tek Girls tend not to like me

    Sério? Quem contesta piloto?
     
  12. Nihal

    Nihal Ventinha xD

    Leigo contesta qualquer especialista em qualquer área. O mais legal é que todo mundo é leigo na profissão dos outros.
    Nego pedir pra derrubar um pilar que sustenta um prédio de 10 andares porque quer ampliar a sala e tá pagando então ele é quem sabe o que pode ser feito, é divertidíssimo.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
    • LOL LOL x 2
  13. LuizWsp

    LuizWsp A torch in the dark In Memoriam

    Eu não fui preconceituoso. Dei exemplos práticos e reais, nada inventado. Isso não é preconceito, é experiência.

    Falei somente dos que eu já fui, mas também não fiz a conta para ver se é exatamente 80,0000%. Foi só pra terem uma noção da proporção. De todos os que eu fui, a esmagadora maioria errou o diagnóstico. Vários deles me trataram mal. Com os casos de conhecidos a proporção é similar.

    Mas tinha. Veja bem, vc está muito na defensiva. Vc leu o que eu coloquei e interpretou que eu estou querendo dizer: "médicos são todos bostas porque todos dormem durante o plantão em vez de atender crianças doentes." Eu não disse isso, contei apenas um caso que se enquadrava no -pediatra que sofreu agressão verbal- e mostrei o lado do paciente / pai da paciente. Me diga com sinceridade, sua filha chorando no corredor e o médico lá dentro sendo pago pra dormir vc ia achar legal? Se a culpa é da enfermeira, do sistema, do plano de saúde, de outro médico eu sei lá, mas também não acusei ninguém, só contei o caso como o caso me foi contato. Era simplesmente vc acrescentar o outro lado, como por exemplo esclarecer que pode ser que uma enfermeira esqueceu de chamá-lo... com calma e tranquilidade. Não to brigando com ninguém.

    Exatamente isso! Da mesma forma que vc não se importa em ser questionada, desde que sejam perguntas honestas em vez de ataques arrogantes, eu também consigo interpretar quando o médico sabe o que está falando e explica a situação direito (assim como no seu exemplo), mas também me emputeço quando o médico age com arrogância, se esquivando de responder, fazendo cara feia, mexendo no celular, te interrompendo toda hora que vc quer falar algo, ignorando o fato de vc estar com dor, etc, assim como vc se emputece com pacientes arrogantes. Obviamente existem muitos deles, existem vários casos em que o paciente é totalmente culpado e eu consigo reconhecer isso, mas alegar que a situação inversa não existe é uma visão muito apaixonada e ingênua.
     
    • Ótimo Ótimo x 3
  14. Omykron

    Omykron far above

    só ter um acidente de nivel nacional (ou internacional) que geral sabe até como funciona a rebimboca da parafuseta do motor.
     
  15. Tek

    Tek Girls tend not to like me

    Eu sei que 80% significa “a imensa maioria”, e não um cálculo exato. Mas a imensa maioria te trata mal? A imensa maioria errou seu diagnóstico? Então eu suponho que você tenha uma doença pouco prevalente e por isso demorou pra ser diagnosticada. Mas, como a sua doença é sua e vc não tem que falar pra ninguém, jamais saberei.

    Sim, tinha, e ele tinha que ter sido acordado no momento que o primeiro paciente chegou. Ou levantado, eu não sei de quem foi o erro, mas com certeza o pai da criança brigou com o médico, porque a bomba sempre explode no colo do médico.

    Primeiro, se você acha que agressão verbal se justifica, não tem muita moral pra falar que médico é mal-educado, quando eu duvido que algum tenha te ofendido. E com certeza que eu, como mãe e se não fosse médica, também ficaria nervosa, também acharia um absurdo o médico dormindo enquanto meu filho precisava de atendimento. Mas agora eu estou justamente explicando como funciona.

    Pera, você fez um post pra mostrar “o outro lado”, o justificando pacientes partirem pra agressão, e está pedindo que EU explique as coisas com “calma e tranquilidade”? Meio incoerente, não? Além disso, dei uma passada rápida no meu post e não me vi brigando também. Inclusive falei que tirei o fail pq aquilo sim foi de cabeça quente. Eu briguei?

    E quando foi que eu aleguei isso? Eu disse justamente:

    --

    Se você acha que isto não é preconceito, então está me ofendendo diretamente.
     
  16. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Há pais ruins e médicos ruins - motivos para tal ruindade são vários. Quando os dois se encontram, dá ruim. Quando um dos dois lados é bom e outro não, dá ruim também. Todo mundo só se ferra nessa. :tsc:
     
    Última edição: 27 Abr 2015
    • Gostei! Gostei! x 1
  17. Malkyn

    Malkyn The Siren

    Tá, vamos lembrar agora que o Luiz é de MG! Quando morei em MG eu descobri que existe um lugar pior que SP com relação à saúde pública! Já passei aperto demais em hospital, e não só público! Hospital de convênio também está bem decadente!

    Uma falha grande que vejo é pessoal usando PS de consultório, o que ajuda a lotar o que já não é vazio! Outra falha que vejo é o médico ignorar que o paciente sabe mais sobre o histórico médico próprio do que ele, que o viu uma vez na vida! E aqui em SP ainda tem a AMA (atendimento médico ambulatorial) que o pessoal usa de PS! Na verdade eu vejo uma zona de ambos os lados!

    Sei que quem é bom médico aqui se dói quando falamos que somos mal atendidos, mas eu já passei na mão de muito médico grosso! Sei que vocês fazem o melhor, e que seus colegas de hospital também o fazem, mas desculpa, no PS que atende a ZL de SP eu conto nos dedos quando eu fui bem atendida!

    Já tive tratamento de sarna quando na verdade estava com catapora, já fiz cirurgia de um caroço que na verdade era um osso (esse foi no hospital do servidor), já tomei polaramine pra conter reação alérgica de ter tomado polaramine (gente, como assim o médico acaba de ouvir que vc teve reação alérgica de polaramine e te medica com polaramineee!!!???!!!), já fui tratada como caso de dengue quando na verdade estava com infecção no rim (fiquei com febre por 4 dias antes do diagnóstico).

    Uma vez eu fui no médico, estava vomitando sem parar, e ele me indicou injeção de dramin (todos chora), e eu fiz cara feia (eu sei o quanto dói). Nem abri minha boca! Ele disse "Não quer se medicar, eu coloco aqui que você recusou a medicação", "mas eu...", "mas nada! pode sair!" O.O PQP!

    Estou a décadas tentando fazer meu óculos de grau! Todo médico que eu vou dá um grau diferente, e jura que eu não preciso dilatar a vista... Sendo que um bom médico me disse anos atrás que eu precisava dilatar, e foi o melhor óculos que eu já tive. Y.Y Pena que a clínica não existe mais... U.U

    Nunca destratei um médico! nunca fui grossa, nem os respondi mal... Mas por muitas vezes eu me senti feita de palhaça, desrespeitada por alguém que tem a certeza que sabe mais de mim do que eu mesma. Por alguém que muitas vezes parece que só escolheu a profissão pq dá dinheiro, e não pq gosta de pessoas... Pode não ser o caso de vocês, mas sinto que é o caso de muitos profissionais que já me atenderam. Mas eu tenho educação. Eu sei que se eu não aprovo a postura de um médico, eu devo reclamar nos conselhos regionais, e não no twitter! Que não adianta eu bater boca com uma pessoa prepotente, independente da profissão, e que, se eu bater boca, ele vai me atender no relaxo, e vai ser pior... Mas isso sou eu! Tem pessoas que não tem educação, não tem noção, e não tem respeito. Aí junto que já estão fartas de um sistema onde quem quer trabalhar barra com um sistema falido, e quem não quer tá fazendo a festa do caqui!

    Eu nunca vou falar que isso justifica! Mas não estamos procurando justificativas (nada justifica), estamos procurando a motivação...

    Sim, tem muita gente barraqueira que não sabe esperar numa fila, e que não cuida do filho e só leva no PS quando está morrendo! Sei disso pq minha mãe é professora, e já cansou de mandar criança pro hospital, pq a mãe manda pra escola o moleque morrendo e não quer nem saber! Mas uma coisa não anula a outra.

    Se as médicas que postam aqui trabalham em hospitais bons, onde as pessoas são bem tratadas e os médicos são educados e fazem bons diagnósticos, então meus parabéns! Vocês estão ajudando a fazer do mundo um lugar melhor! Pena que não é em SP U.U

    Eu realmente sinto muito por a violência por pra longe os profissionais que, com sua boa vontade, poderiam mudar um pouquinho o cenário das periferias... E eu sinto muito mais pelas crianças que, por causa de adultos mal educados de ambos os lados, vão ficar sem o atendimento que merece... sinto pelos bons profissionais que tem de ouvir a reclamação geral de pessoas insatisfeitas com o sistema público de saúde, e sinto pelos usuários também...

    Vale aqui dizer que já tive anjos que passaram pela minha vida! Já cheguei mijando sangue no PS e uma médica super fofa me cuidou como se eu fosse a filha dela! O mesmo vale pra algumas crises de gastrite from hell! Já cheguei tendo uma crise louca de labirintite no PS, e o médico (ao contrário dos anteriores) não falou que eu era muito nova pra ter labirintite! Ele me examinou e diagnosticou! E foi um alívio depois de anos descobrir o pq de tanta vertigem! Acho que vale sim lembrar que existem bons profissionais! A gente só mete o pau, e esquece quem presta bom serviço! Mas vamos entender que não é pelo bom serviço prestado que se criou esse preconceito que existe! Que os pais já chegam no PS prontos e armados, achando que vão ter que brigar com Deus e o mundo pra conseguir fazer atenderem seu filho...

    Edit:

    Só um adendo: Mas hoje em dia eu percebo que as pessoas estão mais violentas e intolerantes no geral, não só nos hospitais... Falta muita educação mesmo!
     
    Última edição: 27 Abr 2015
    • Ótimo Ótimo x 7
    • Mandar Coração Mandar Coração x 1
  18. LuizWsp

    LuizWsp A torch in the dark In Memoriam

    Tenho problema no joelho, já fiz duas ressonâncias, artroscopia, academia, fisioterapia e quinze médicos diferentes depois, num total de umas 40 consultas ainda não acharam diagnóstico. Eles simplesmente não sabem o que é. Mas tem a humildade de falar "não sei"? Não, simplesmente chutam qualquer coisa, certo ou errado o problema é de quem?

    Mas não preciso ir tão longe. Quando tive dengue só o quinto médico é que finalmente acertou o diagnóstico

    Tem também um amigo meu que teve catapora (25 anos lol) e só o terceiro médico é que acertou. O primeiro disse que era virose e o segundo disse que não tinha nada, completando com: "homem desse tamanho? toma vergonha na cara".

    Achei que dengue e catapora eram um pouco mais comuns e fáceis de detectar, mas acho que não.


    Não. Seria incoerente EU partir para agressão e pedir que vc ficasse calma e tranquila. Nos casos que apresentei (os meus), nunca faltei com respeito com nenhum deles.

    Não.

    ---

    O que me deixa mais puto é que no meio de tudo isso a pesquisa que fazem é: entrevistar quantos médicos já sofreram xingos de pacientes, dando a entender que eles estavam lá dando o melhor de si e de repente paciente lunáticos vieram xingá-los sem mais nem menos. É uma pesquisa tendenciosa e mal feita.

    Note que nenhum paciente foi ao menos entrevistado, nada. Em nenhum momento foi ao menos cogitada a possibilidade da culpa ser de algum médico, de sua incompetência ou arrogância, forma passiva de agressão de quem está recebendo e tem a responsabilidade da saúde do filho nas mãos. Aí fica fácil.
     
  19. Pim

    Pim God, I love how sexy I am!

    Sério, não tenho nem forças pra responder o MorfindelWsp...
     
    • LOL LOL x 2
  20. Tek

    Tek Girls tend not to like me

    A intenção é que seja ano que vem :pray: #devoltaparaminhaterra

    Malkyn, gostei muito do seu post porque ele é sóbrio. Existe médico cu, médico grosso, pacientes que não sabem diferenciar um PS de um ambulatório, um sistema ruim que não paga bem profissionais (e aqui eu incluo todos os profissionais da saúde), falta de leitos, falta de medicamentos, fila de espera enorme pra marcar consulta com especialista. Mas para o leigo, tudo isso se resume a um culpado: o médico. Quando você ironiza o "bom serviço prestado", acho que não tá só falando da parte do médico, mas também considerando as horas de espera até ser chamado, a espera até ser medicado, a espera até ter alta. Eu nunca fui atendida em um hospital público, mas mesmo no particular eu sei que demora, resultado de exame laboratorial demora. Mas alguém vai reclamar com o biólogo, ou com a máquina, ou com os outros pacientes que estão esperando atendimento? Como eu disse, explode no colo do médico, seja ele bom ou ruim. Os pacientes aprenderam a chegar armados (às vezes literalmente...) e os médicos também tiveram que aprender. Mas são só os médicos ruins que sofrem agressão? Essa não é a primeira história que a @Pim conta. Lembro de uma que ela contou (to falando porque ela contou aqui no fórum) em que a UPA (unidade de pronto atendimento) estava muito cheia, os médicos não paravam, e quando ela parou um minuto pra tomar água, algum paciente reclamou com ela.

    Agora, de onde vem a ideia de que o médico é um super-humano que não pode ter sono, não pode ter fome, não pode ter sede, não pode precisar ir ao banheiro? Que 12 horas de plantão significam 12 horas ininterruptas de atendimento ao paciente? Isso não é só pro médico: uma vez que fui assaltada, fui na delegacia prestar queixa e o delegado estava jantando na hora. Minha mãe ficou puta, achou um absurdo, mas ele precisava jantar, ué. Só que aí se dissemina essa ideia de que você tem que ficar à disposição do paciente por 12 horas, que você tem que estar sorridente all the time e que errar diagnóstico significa ser um médico ruim. Aí pronto, você só tá na profissão por dinheiro. E essa é uma ideia generalizada! Aí você chega com seu filho vomitando, tem que esperar 10 minutos pra ser atendido porque o médico está jantando e aí ele é o playboy que não escolheu medicina por amor a ajudar o próximo.

    E eu sinto muito por essas coisas que vc passou em SP! Caralho, fiquei assustada! Em MG a gente explora mais esses diagnósticos...

    --
    Quick story: reveillon, eu estava de plantão. Adoro dar plantão em data assim porque só aparecem coisas importantes. Por exemplo, de 19h a 0h, 4 pacientes!
    Éramos eu e 2 médicos. Em dado momento, ouvimos um escândalo no saguão e fomos ver. Tinha uma criança com o queixo cortado e sangrando, chorando, precisaria de só uns pontinhos, mas na entrada do hospital uma placa dizia que "não atendemos pediatria". Se a menina estivesse em risco de vida, teríamos que dar um jeito de estabilizá-la e o hospital teria que se responsabilizar pra chamar a emergência de um hospital pediátrico, mas não era o caso. Nós poderíamos fazer a sutura sem problema, mas se o hospital não atendia pediatria, o convênio não cobriria. Eu poderia fazer apesar disso, mas quem ia bancar o fio, o anestésico, a luva, a gaze? Eu? O pai, que não parava de gritar que estávamos recusando atendimento médico, veio de Hyundai, então ele tinha condições de pagar pelos itens. Mas por que ele estava gritando? Por que estava tão agressivo? Será que foi porque quando o recepcionista disse que ele teria que pagar não acendeu aquela máxima "hospitais só querem saber de dinheiro"?
    Depois eles voltaram pro carro. Aí o pai parou na frente da porta do hospital, desceu, foi até o porta-mala, abriu, e a esposa desceu, tirou ele de lá falando "Não, deixa, vamos embora".

    tl;dr: a criança chorando porque se machucou e tá sangrando, então tá assustada. O pai assustado porque a filha tá chorando e sangrando. Já pensou se um médico tiver que apanhar por cada paciente assustado e de cabeça quente?

    Concordo que falta humildade na hora de assumir que não sabe, já que não é o não saber que faz um médico ser ruim. Minha mãe passou por isso: 9 médicos, uns 5 diagnósticos diferentes, nenhum perto do que realmente era: metástase óssea na costela, o que causa muita dor e levou até a hipótese de fratura de costela (eu olhei o raio-x, não tinha nada!). Não que o diagnóstico precoce fosse melhorar o desfecho, mas... enfim. O conselho que eu tenho é: procure um médico bom (médico bom não é aquele que acerta diagnóstico de cara) e fique só com ele. É melhor quando um único médico faz a investigação. Ou procure um hospital-escola; além de normalmente ter ótimos profissionais de cada área, eles pegam casos difíceis e sabem investigar melhor.

    Quinto médico? Quantos dias você ficou doente? Repito o que eu falei no meu primeiro post:

    Provavelmente você só foi diagnosticado quando dengue ficou com cara de dengue.

    Mas... mas... mas... era virose, dude! Você sabe o que significa "virose"? Virose é qualquer doença causada por vírus. Exemplos: resfriado, gripe, ebola, raiva, aids. Tudo virose! E aí leia de novo o quote acima! O primeiro médico disse que era virose porque tinha quadro de virose (ele acertou!!), mas não tinha evoluído ainda! O segundo foi um grosso mesmo... E o terceiro acertou porque a doença deixou de ter cara de virose pra ter cara de catapora! Cara, eu expliquei isso no meu primeiro post, tá vendo o preconceito?

    E ainda digo mais: existe uma ferramenta diagnóstica na medicina chamada "epidemiologia". Lembra quando você falou que seu amigo teve catapora "25 anos lol"? Epidemiologicamente, catapora é uma doença da infância! A grande maioria das pessoas que têm catapora são crianças, por isso um médico pode não pensar nesse diagnóstico em adultos.

    Mas você está sendo agressivo, primeiro por dar razão às agressões - sim, isso te faz um agressor indireto - e segundo pelo que eu quotei no final do meu último post. Então está sendo sim incoerente e hipócrita.

    Mais uma vez, se você acha que existe justificativa pra agressão verbal, o mal-educado é você! Talvez seja até por isso que você seja mal-tratado, porque ninguém é obrigado a aguentar!

    E nem vem com essa de achar que é o médico que começa o clima ruim no consultório! Tem muitos que estão sim dando o melhor de si e ainda assim são atacados por pacientes lunáticos sem mais nem menos. "Alegar que isso não existe é uma visão muito apaixonada e ingênua."

    Devia mesmo ter entrevistado o paciente pra perguntar o que se passa na cabeça! Choveriam respostas como "o atendimento demorou muito e eu fiquei só 5 minutos dentro do consultório", e o repórter poderia responder que é porque só havia 2 pediatras porque os outros se demitiram por não aguentarem trabalhar lá, e que se a consulta levasse mais que 5 minutos, a espera por atendimento seria de dias. Ou diriam que "o médico nem examinou meu filho", quando a anamnese do paciente deixava claro que se tratava de um resfriado. Quem sabe se não tivessem entrevistado os pacientes, eles não poderiam ter seus desconhecimentos iluminados.
     
    • Ótimo Ótimo x 4

Compartilhar