1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Série sobre eras passadas

Tópico em 'De Fã Para Fã' iniciado por Tulska, 12 Nov 2015.

Tags:
  1. Tulska

    Tulska Usuário

    É possível que a história de eras passadas sejam contadas em alguma série?
     
  2. Wesley Menezes

    Wesley Menezes Usuário

    Olá Tulska!

    Quanto a isto acredito que só depois de 2043 quando a obra de Tolkien estiver em Domínio Público (70 anos após sua morte).
    Conforme Peter Jackson explicou em uma conferência::

    “J. R. R. Tolkien vendeu os direitos cinematográficos de O Hobbit e O Senhor dos Anéis nos anos 60. O Silmarillion ainda não havia sido escrito. Ele nem mesmo foi escrito durante sua vida. Ele foi escrito por ele e, parcialmente, seu filho o terminou após sua morte e o publicou postumamente ao falecimento do Professor. Assim, os direitos de filmagem estão com eles, e os proprietários não têm interesse em discutir direitos cinematográficos com ninguém. Então, esta é a situação. Eles não estão tão desembaraçados quanto O Senhor dos Anéis e O Hobbit.”

    Para melhores informações da situação acesse:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  3. Meneldur

    Meneldur We are infinite.

    Na verdade, nem em 2043 - os direitos do Silmarillion, como você mesmo destacou, estão no nome do Christopher Tolkien, que nem morreu ainda. Então, a não ser que os direitos sejam vendidos, o que acho improvável por enquanto, ficaremos sem nada.
     

Compartilhar