1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Sérgio Porto aka Stanislaw Ponte Preta

Tópico em 'Autores Nacionais' iniciado por imported_Carlinha, 20 Mar 2009.

  1. Jornalista, mas autor de textos irreverentes, me levou a crer que o Brasil que ele descreveu nos anos 60, o tal "jeitinho brasileiro" nada mudou.

    Se eu fosse vocês iria conferir a sua obra cheia de cronicas e contos legais IMEDIATAMENTE....

    Vejamos algumas pérola do cidadão:

    "Mais assanhado do que bode velho no cercado das cabritas"
    "Mais suado do que o marcador de Pelé"
    "Mais feia do que mudança de pobre"

    Outras mais, autor do SAMBA DO CRIOLO DOIDO que debocha dos sambas-enredos surreiais presente no nosso pais desde sempre:

    Foi em Diamantina onde nasceu J.K.
    E a princesa leopoldina lá resolveu se casar
    Mas Chica da Silva tinha outros pretendentes
    E obrigou a princesa a se casar com Tiradentes
    Laiá, laiá, laiá, o bode que deu vou te contar

    Joaquim José, que também é da Silva Xavier
    Queria ser dono do mundo
    E se elegeu Pedro Segundo
    Das estradas de minas, seguiu p'rá são paulo
    E falou com anchieta
    O vigário dos índios
    Aliou-se a dom pedro
    E acabou com a falceta
    Da união deles dois ficou resolvida a questão
    E foi proclamada a escravidão

    Assim se conta essa história
    Que é dos dois a maior glória
    A Leopoldina virou trem
    E Dom Pedro é uma estação também
    Oô, oô, oô, o trem té atrasado ou já passou
     
  2. mais fontes:

    http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A9rgio_Porto
     
  3. Anica

    Anica Usuário

    ele sempre estava presente naquelas coletâneas do para gostar de ler. e sabe, eu não lembro dele só pelo pseudonimo esquisitão (eu acho =P ), mas também porque adorava as crônicas e contos dele. preciso realmente reler algumas coisas, faz muito, muito tempo que não tenho contato com as obras do stanislaw.
     
  4. Foi assim que eu conheci a obra dele, através do Para gostar de ler, mas recentemente, meu namorado apareceu com uma edição da Editora Abril publicada em 1981 que é maravilhosa, explica tudinho da vida dele , assim como ele criou a família Ponte Preta com biografia falsa e tudo mais....com direito ao FEBEAPA(Festival de Besteira que Assola o Pais), que infelizmente continua eternamente no nosso país .Engraçadissimo.
     
  5. Thorondir

    Thorondir Usuário

    Essa é a crônica que eu mais gosto do Stanislaw no momento:

     
  6. Alisson P.

    Alisson P. Usuário

    Hehe, essa da velhinha e a lambreta é clássica. :rofl:
    Também tive contato com os contos/crônicas do Stanislaw por meio de uma coletânea do Para Gostar de Ler que era usada como paradidático no meu colégio. Os textos têm um humor carcterístico do tal jeitinho brasileiro, que, como a Carlinha falou, não mudou nada nos dias de hoje. Me diverti muito lendo.
     
  7. Devotchka

    Devotchka Usuário

    Já tive contato com umas crônicas dele, assinadas como Stanislaw. Não lembro o nome do livro, apenas me recordo que era uma compilação de crônicas e não consta na lista de obras lançadas por ele na Wikipédia. Achei legal.
     
  8. Cantona

    Cantona Tudo é História

    Vou te falar, é lendo FEBEAPÁ que a gente pensa: brasileiro tem sorte. Afinal, foram tantos os mandos e desmandos da "REDENTORA" - também conhecida como Ditadura - que o país era pra ser muito mais bagunçado do que já é.

    Li muita coisa sobre o Regime Militar Brasileiro, e nenhum outro livro trouxe de forma tão sincera o cotidiano dos comuns - eu, você e o dono da banca de jornal -, como em FEBEAPÁ.

    Difícil decidir quem leva o troféu FEBEAPÁ daquele período de pega-pra-capar. Nos dias de hoje, onde a concorrência segue intensa, Kassab, se não fosse o campeão, certamente asseguraria uma vaga na Libertadores.
     
  9. Cantona

    Cantona Tudo é História

    Direto do FEBEAPÁ:

    " ... Quando se desenhou a perspectiva de uma seca no interior cearense, as autoridades dirigiam uma circular aos prefeitos, solicitando informações sobre a situação local depois da passagem do equinócio. Um prefeito enviou a seguinte resposta, à circular: " Doutor Equinócio ainda não passou por aqui. Se chegar será recebido como amigo, com foguetes, passeata e festas... "
     
  10. Calib

    Calib Visitante

    Essas pesquenas anedotas de povinho do interior me lembram o "Porque Lulu Bergantim não atravessou o Rubicon", do José Cândido de Carvalho. :D
    (ótima leitura, por sinal)
     
  11. Cantona

    Cantona Tudo é História

    Em FEBEAPÁ 2, percebi um Stanislaw mais critico, mais direto. Ainda com a visão humorística, mas num tom " seria engraçado, se não fosse triste ", afinal, a "Redentora" fechava o cerco e descia a borracha nos estudantes e movimentos sociais, sem pudor nenhum. E olha que estamos no ano de 67, anterior ao AI-5, o tempo brabo dos milicos.

     

Compartilhar