1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Notícias Sem emprego na Globo, atores brasileiros invadem as novelas portuguesas

Tópico em 'TV' iniciado por Fúria da cidade, 14 Mai 2018.

  1. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    DIVULGAÇÃO/TVI
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Silvia Pfeifer ao lado de Pedro Carvalho em cena da novela Ouro Verde (2017), da emissora portuguesa TVI

    ÉRIKA VALOIS e GABRIEL PERLINE
    - Publicado em 14/05/2018, às 05h29

    Sem vínculo com a Globo e sem trabalhos atrativos em novelas ou séries da Record e do SBT, atores brasileiros têm protagonizado uma verdadeira invasão na televisão portuguesa. Marcello Antony, Carolina Kasting e Thiago Rodrigues, que já pertenceram ao primeiro escalão da emissora da família Marinho, foram para Portugal atrás de emprego e garantiram papéis em Valor da Vida, próxima novela da TVI, a maior rede aberta do país.

    A presença de brasileiros em novelas portuguesas não é uma novidade, mas é um fenômeno recente. Foi no ano passado que o volume de atores estrangeiros nas produções lusitanas aumentou significativamente.
    Na novela Ouro Verde, exibida entre janeiro e outubro de 2017 pela TVI, o elenco contava com Silvia Pfeifer, Úrsula Corona, Zezé Motta e Bruno Cabrerizo em papéis centrais. A Herdeira, atualmente no ar, conta com Vitor Hugo, que viveu personagens de destaque em novelas bíblicas da Record.

    Em Valor da Vida, os brasileiros correspondem a 20% do elenco fixo da trama. A autora Maria João Costa, apelidada de "Glória Perez portuguesa", diz que faz questão de ter atores brasileiros em suas produções.
    "Há muita ligação entre os dois povos. Os brasileiros participam das minhas tramas porque têm a ver com as histórias que conto. O fato de eu ter morado cinco anos no Brasil também influencia", afirma.
    Três motivos justificam a invasão de atores brasileiros: 1) o enxugamento do casting fixo da Globo, que tem dispensado profissionais que foram protagonistas até recentemente; 2) o fato de os portugueses estarem familiarizados com os rostos e os sotaques dos brasileiros; e 3) uma recente onda de imigração de brasileiros em Portugal.

    "A política de contratação de atores da Globo influenciou, pois agora está mais flexível. Antes, os artistas eram muito mais blindados. Outro fator é que as novelas brasileiras fazem muito sucesso por aqui, e o público reconhece e admira esses atores", analisa Maria João Costa.

    DIVULGAÇÃO/SIC
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Úrsula Corona e Diogo Morgado em cena da novela Sol de Inverno (2012), da emissora SIC

    A atriz Úrsula Corona se diz a pioneira nessa invasão. Conta que chegou a recusar convites na Globo para se dedicar a produções portuguesas. Seu primeiro trabalho no país foi em 2012, na novela Sol de Inverno, da SIC.

    "Não fui para Portugal por falta de oportunidade no Brasil. Eu estava cheia de trabalho. Tinha acabado de gravar O Astro (2011) e havia sido convidada para gravar Gabriela (2012). Aceitei porque tenho sede de aprender e queria sair do lugar comum. E na Europa é tudo mais perto. É rápido ir de um país para o outro, as coisas são mais fáceis", avalia.

    O último trabalho de Úrsula na Globo foi em Totalmente Demais (2015-2016), novela responsável por reerguer a audiência da faixa das 19h, e ela encara com positividade o fato de não ter vínculo com a emissora.

    "A Globo é maravilhosa, eu comecei minha carreira lá, mas não existe só a Globo. Tem gente que quer ser famoso e tem gente que quer ser artista. Eu gosto de ser artista. Acho que muita gente tem ido pra Portugal também em busca de mais qualidade de vida. Esse êxodo de brasileiros é muito bom porque mostra que temos o mercado do mundo inteiro à disposição, basta ter coragem para explorar", finaliza.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    -----------------------------------------------------------------------------------------------------------

    Acho bem positivo essa "exportação". Tem muito ator bom que por falta de espaço fica inativo muito tempo aqui.
     
    • LOL LOL x 1
  2. Neoghoster Akira

    Neoghoster Akira Brandebuque

    Em termos de atores proporcionalmente em relação à população Portugal e Brasil lembraram um pouco o Canadá e USA. Um universo em que os atores por vezes precisam se repetir em diferentes produções devido ao número limitado de artistas. Quem acompanha as novas temporadas de X-Files e Supernatural, que vêm filmando no país ao norte em razão de ser mais barato que nos EUA percebe a enorme quantidade de atores que se repetem entre as duas séries.

    Por outro lado houve um fluxo migratório com a crise brasileira na direção de Portugal que tem a ver tanto com o perfil dos atores que foram para lá quanto das pessoas que juntaram dinheiro para mudar de país (muitos deles eleitores do PT). De certo modo a onda de atores brasileiros por lá é uma parte do panorama maior em que a Globo atende a um nicho que tem a mentalidade parecida a deles no lado de fora do país também. No entanto, em outros e melhores tempos haveria absorção deles aqui dentro das fronteiras. A Manchete foi pioneira com novelas com estórias muito boas e logo outros canais (SBT e Record) seguiram o exemplo para reforçar o núcleo de atores deles que na época era bem mais frágil do que hoje.
     

Compartilhar