1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Secretário de Segurança Pública afasta delegados envolvidos em revista...

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 22 Fev 2011.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Policiais revistaram mulher à força; agentes encontraram R$ 200 na calcinha dela

    O secretário de Segurança Pública determinou, nesta segunda-feira (21), a saída de dois delegados envolvidos em uma operação da Corregedoria da Polícia Civil, em 15 de janeiro de 2009, em que uma ex-escrivã acusada de extorsão foi obrigada a ficar nua em uma revista feita por homens. Os delegados Eduardo Henrique de Carvalho Filho e Gustavo Henrique Gonçalves foram afastados.

    De acordo com a SSP (Secretaria de Segurança Pública), o secretário determinou ainda um processo administrativo disciplinar para apurar a responsabilidade de cada um deles, bem como do delegado de polícia Emílio Antônio Pascoal à época, titular da Divisão de Operações Policiais da Corregedoria da Polícia Civil.

    Em nota, o secretário manifestou "perplexidade" com o requerimento de arquivamento do inquérito policial instaurado por abuso de autoridade, pela representante do Ministério Público.

    O caso

    A ex-escrivã da polícia resistiu em tirar a roupa na frente de policiais homens e o delegado que conduzia a investigação disse que chamaria agentes femininas, mas que teria que acompanhar a revista. A acusada negou-se e acabou sendo revistada à força por policiais, que arrancaram a calcinha dela e descobriram R$ 200 na peça.

    O caso foi levado à Justiça e ao Ministério Público, que consideraram que não houve abuso de poder pelos policiais e arquivaram o inquérito. As imagens foram gravadas pela Corregedoria da Polícia de São Paulo e distribuídas sem autorização legal.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     

Compartilhar