1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[SBT] Chaves e Chapolin

Tópico em 'TV' iniciado por KK, 1 Ago 2002.

  1. KK

    KK Banned

    Tenho certeza de que quase todo mundo aki mesmo que naum admita gosta ou pelo menos um dia gostou das histórias do Chapolin e Chaves.

    Po, pra mim naum tem nada mais engraçado do que assistir um episódio com as idiotisses desses kras.

    Pq sera, que mesmo depois de tanto tempo e tantas reprises esse seriado ainda alcança bons pontos de audiencia? Sera que a formula do humor pastelão mexicano naum perde a graça?
     
  2. Togo Bolseiro

    Togo Bolseiro Usuário

    Eu era fã do chaves, e ainda gosto um pouco, naum acho tão engraçado mas naum sei pq eu continuo gostando, agora eu parei um poko de ver.
    Pra mim, chaves é o unico programa de humor mexicano q presta, jah naum sei se ainda da audiencia, depois de tanta reprise enjoa um pouco.
     
  3. Coiote

    Coiote Fallin´

    eu acho q naum há nenhuma descrição melhor para o seriado do Chaves do q essa descrição feita pelo Thy Ent,no Cdi num tópico chamado "O MUNDO MARAVILHOSO DO CHAVES":

    "Às vezes me pergunto por que coisas tão simples e singelas marcam nossas vidas de um forma tão maravilhosa que se torna impossível esquecê-las.

    Uma dessas boas lembranças é o seriado mexicano Chaves, da Televisa, o qual até hoje é veiculado no SBT - Chaves e sua turma continuam agradando e divertindo centenas de milhares de crianças, brasileiras ou não, de todas as idades.

    O humor é previsível, as situações são banais, a produção é precária e as imagens são um lixo. O que fez esse seriado, então, para ser merecedor desse espaço tão especial em nossas vidas?

    Simples, ele retrata a realidade social de uma forma saudável, leve, não apelativa e, acima de tudo, verdadeira, muito verdadeira.

    Vejamos as personagens, por exemplo.

    Dona Florinda é uma viúva recalcada, vive de uma pensão generosa de seu finado marido, que era oficial da marinha. É evidente o amor que ela nutria por ele, não só o amor como a admiração, e não são poucas as cenas em que ela se perde em pensamentos nostálgicos com a mera lembrança do tempo que era casada.

    Disto deflui o comportamento de uma sociedade patriarcal. Era o marido que sustentava a casa, era venerado por sua mulher dada a posição social que alcançou (oficial da marinha é um cargo não só romântico, mas também imbuído de uma autoridade que se traduz em força e virtude).

    Com a sua morte, o finado foi promovido a herói, pelo menos em seu círculo familiar. Ele é mais que uma boa lembrança, é sobretudo um símbolo que contamina toda a família com a idéia de alta estirpe.

    Após a viuvez, ela se viu sozinha, não tinha mais a quem admirar, não tinha mais por quem viver e a quem se dedicar... a não ser, bem, a não ser a seu filho, o nosso eterno Quico.

    Assim, Quico substituiu, no que lhe coube, a figura do finado. Não é lá tão corajoso quanto o pai, tampouco tão esperto, mas com ele se parece fisicamente e nele estão depositados os genes do patriarca.

    Essa idéia leva Dona Florinda a obcecar-se pelo bem-estar da sua prole e, em razão disso, mima-o demasiadamente, presenteando-lhe com brinquedos caros, novos e da moda.

    Assim, como a mãe - que depois que o marido morreu viu-se obrigada a morar em um cortiço e conviver com a "gentalha" - torna-se um garoto esnobe, arrogante e que adora inculcar inveja em seus amigos.

    Insuportável, por assim dizer, Quico é alvo da maioria das atitudes hostis do resto da criançada. Nada mais natural, pois sua conduta pedante, egocêntrica e mesquinha não passa despercebida pelos demais, que, imbuídos de inveja e indignação, reagem contra a opressão social que Quico representa.

    Percebem o íntimo liame que a situação supra descrita mantém com a realidade? Mulher em decadência econômica, viúva e sozinha, dona de casa sempre sustentada pelo marido, carente no terreno amoroso e com filho único para cuidar... é a própria realidade: ela vê no filho a figura do pai, mima-o e, desta forma, acaba por moldar nele uma personalidade egocêntrica, egoísta, que não aceita um "não" e usa do amor da mãe para conseguir o que quer.

    Quico só deixa os outros brincarem com um brinquedo dele se estes lhe derem algo em troca. Gosta de ostentar todos os brinquedos e pirulitos que sua mãe lhe dá. Não se defende, espera que a mãe lhe proteja de tudo. Gosta de criar confusões e sempre quer ver alguém punido quando elas não dão certo, mesmo que o condenado seja o seu Madruga, que nada teve a ver com a história.

    Ah... seu Madruga, esse sim é uma personagem romântica. Ele representa os desempregados, aqueles que não tiveram acesso à educação e a vida inteira foram obrigados a encaixar-se em subempregos...

    Trabalharam duro, mas depois da velhice ficaram tão cansados que preferem "se virar" do que, propriamente, arranjar um emprego. Não entendem por que eles têm de trabalhar enquanto pessoas como o Sr. Barriga só ficam de um lado pro outro cobrando os alugueres de seus imóveis...

    Ele deu muito duro durante a vida, é viúvo e teve de assistir sua mulher morrer no parto para que a criança (Chiquinha) fosse salva. Ficou sozinho, ninguém nutre amor por ele - fora a Dona Clothilde - e sente-se largado na vida... tem de ser forte, pois tem uma filha para sustentar; tem de ser tolerante, pois não quer criar briga com todo mundo que o despreza; tem de ser versátil, pois precisa sempre arranjar uma desculpa para não pagar os 14 meses de aluguer que deve.

    Ele, sim, é um exemplo de ser humano. Às vezes é rude com o Chaves, dada as molecagens e estripulias que faz, mas vê no menino o seu passado, passado pobre e hostil. Por isto, sempre que pode, dá ao Chaves algum mimo, algum agrado, mesmo que não possa dar. São comuns cenas em que seu Madruga, de geladeira vazia, pega a única coisa comestível em sua casa (geralmente um pirulito ou sanduíche de presunto) e lhe dá. Enquanto isso, a "riquinha da vila" Dona Florinda, nunca faz nada por ele, mas só o despreza e o esnoba.

    Já viram esse filme antes? Os pobres ajudam-se mutuamente, enquanto os ricos protegem-se em uma redoma de vidro, como se toda a pobreza não fosse, também, problema deles, da sociedade em que vivem.

    O coração de seu Madruga é enorme. Apesar de um homem duro e de pouca paciência, sempre dá atenção aos garotos e os ajuda como pode. É o típico homem pobre e digno.

    E o professor Girafales? Ah, esse é um sonhador.

    Um homem galante, de refinada postura e grande formação intelectual. Um exemplo para sociedade... sim! Ele ensina crianças. Quer dar a elas um futuro e prepará-las para a vida.

    Todavia, apesar de toda essa ideologia e formação acadêmica, ganha mal.

    Sempre com o mesmo terno, sempre carregando flores baratas, sempre com medo de propor casamento à Dona Florinda, e por quê? Porque não tem como sustentar uma família.

    Já viram a identidade que este panorama possui com a realidade? A sina de todo o professor: apesar de ter a mais humana e importante das profissões, apesar de ser altamente qualificado intelectualmente, ganha salário de fome.

    No México, como no Brasil ou qualquer outro país de terceiro mundo, a formação de base é menosprezada, as crianças não tem como comprar material escolar, e os professores... esses são uns idealistas. Preferem ajudar criancinhas dando-lhes conhecimento - ainda que ganhem quase nada por isto - a se tornarem burocratas riquíssimos, todavia sem qualquer ideal ou importância social.

    Mas tudo no Chaves é como na vida real?

    Não, nem tudo.

    O seu Barriga está longe de ser real. Ele tem sim, traços muito comuns: rico, gordo, nervoso, veste-se bem, duro com os inquilinos, etc.

    Mas, apesar disso, é muito humano.

    Sempre é recebido com uma porrada do Chaves, mas nunca bateu na criança.

    Não são raras as vezes que ele ajuda os mais pobres, exemplos disso há em quase todo capítulo, seja com a Chiquinha, seja com o Chaves, mas, principalmente, com o seu Madruga.

    Sim, ele quer os alugueres. Afinal, é disso que vive. Mas o que mais lhe chateia é a inércia do seu Madruga. Vira e mexe ele tenta incentivá-lo com um emprego, torná-lo produtivo, levantar sua bola e mostrar que ele ainda pode ser alguém.

    Porém, a mais evidente manifestação de humanidade surge nos piores momentos da relação senhorio-inquilino. Sim, quando o seu Madruga chega à beira do despejo, quando a sarjeta está a um passo, e quando a vida parece que perdeu o sentido.

    Não, o seu Barriga, ao contrário do que acontece na realidade, não consegue despejá-lo. Ele sempre acaba elaborando um plano mirabolante consistente em arranjar um pretexto para perdoar a dívida, ou pelo menos procrastinar sua cobrança.

    Essa é a parte humana e educacional da trama. A realidade sai de cena para entrar a quimera: o retrato do típico burocrata humano que não existe.

    Sem falar em tantas outras personagens, como o funcionário público preguiçoso (o carteiro Jaiminho), a setuagenária louca para casar-se com o viúvo da vila (Dona Clothilde), a menina-moleque (Chiquinha), o garoto gordo, rico e inocente que ainda não se contaminou pelo Mal da arrogância (Nhonho), a menina mimada (Pópis) e a anciã que voltou a ter comportamentos infantis (Dona Neves, avó da Chiquinha).

    Mais do que a fantasia, Chaves surpreende pela realidade. Mais do que humor, Chaves encanta pelas situação dramáticas. Mais do que estereótipos, as caracterizações do seriado representam um mundo real, e um mundo que deveria ser real.

    Vimos a família dinossauro, as crianças de hoje assistem programas tecnologicamente avançados como Bambuluá e outras deformações. Há hoje, na órbita dos programas infantis, uma artificialidade grotesca, muito leviana e nociva, um cinismo e, principalmente, um atentado à inteligência infantil.

    Chaves não era nada disso. Seu programa era simples como ele próprio era. Um garoto de rua que vivia da caridade da vizinhança. Um menino simples e ingênuo, intelectualmente limitado, pois vive com fome e a fome é inimiga do aprendizado.

    Mas com coração de ouro. Sempre bola as maiores estratégias para presentear alguém, para fazer um bem, para ajudar. Tudo bem que tudo sempre dá errado, mas ele tenta, e tenta com o coração.

    Não guarda rancores, não se vinga das injustiças, não tem raiva da constante ostentação de riqueza que vê a seu redor. Ele é puro, doce e gentil, atrapalhado sim, mas com sentimentos bons e sinceros.

    Não entende como as pessoas que têm três refeições diárias podem reclamar tanto assim da vida. A maldade gira a seu redor, mas nunca conseguiu acertá-lo.

    Tudo no seriado é simples, autêntico, singelo e educativo, ao contrário de outros programas que são apenas programas apelativos, recheados de efeitos especiais e de todo tipo de artificialidades e superficialidades.

    Infelizmente, não há nada que seja equivalente ao Chaves. Todo o resto é banal, descartável e vazio.

    Apenas espero que o programa nunca saia do ar, pois ainda quero que meus filhos que ainda hão de nascer conheçam o Chaves, e aprendam com ele a realidade do mundo, sem que fiquem expostos a baixarias, a vulgaridades e a apelações.

    Além de, claro, eu ter o prazer de dizer a ele: "esse programa que você está vendo é da minha época, e ainda antes dela... viu? Naquele tempo os programas infantis eram muito melhores".

    É isso que eu acho."
     
  4. Sir Galaaz

    Sir Galaaz Usuário

    Essa é uma bela análise de Chaves parabéns ao autor!
    O meu episódio favorito é o do festival da vila qdo o Quico recita "Mamãe querida". Do Chapolin eu achava muito engraçado o dos sete anões qdo o Dengoso sentia vergonha de tudo. Outra coisa legal do Chapolin eram os nomes dos vilões Tripa-Seca, Chinesinho, Porca-solta, Pirata Alma Negra, etc.
     
  5. Fox

    Fox Visitante

    Mas quantos programas de comédia mexicana passam aqui no Brasil pra se ter um julgamento tão preciso assim?
     
  6. mrs greenleaf

    mrs greenleaf Usuário

    eu acho q chaves e chapolin nunca vão perder a graça pra mim, nem dá pra explicar pq, só dá pra saber q marcou a infancia d tdo mundo... ainda bem!!!

    os episodios do chaves na escola eram os melhores!!!
     
  7. *Lily*

    *Lily* Usuário

    EU AMEI CHAVES QDO ERA CRIANÇA!
    INDA GOSTO, MAS ASSISTO DE VEZ EM QDO..
    PARECE Q HJ A CHIQUINHA TEVE UM INFARTO.... TÁ NA UTI...
     
  8. Dimitri

    Dimitri om pah, om pah, pah

    Chaves e Chapolin

    Como minha mãe falou: "É um humor sem maldade." Eu adoro eles e sempre vou gostar. Assisto desde pequeno e meu pai adora também. Eu tinha até o disco do Chaves. A tosqueira na produção também ajuda a rir mais.

    CURIOSIDADES- O ator que faz o Quico, era casado com a atriz que faz a Dona Florinda (que se chama Florinda também), e se separou e se casou com o ator que faz o Chaves (Roberto Gomez Bolaños).
    Os últimos episódios foram os do restaurante da Dona Florinda.
    Quico teve o seu próprio seriado depois. Chegou a a passar na Bandeirantes.
     
  9. Pearl

    Pearl Usuário

    Eu adoro Chaves, mas acho que a alma do programa é o Seu Madruga, sem ele a coisa começou a ficar sem graça.

    Vcs viram quando o Sbt começou a passar a Turma do Chaves, então não tinha a graça como antes.

    :)
     
  10. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    Não assisto há muito tempo...
    mas é o tipo de programa que vc conhece a história de cor e continua assistindo!
    Só que essa turma do chaves... ecaaaaa...
     
  11. Kanawati

    Kanawati NI!

    Olha só q tosco q eu achei na net...

    CHAVES
    EPISÓDIO FINAL

    FADE IN


    (CHAVES ENTRA PULANDO CORDA)


    Chaves: Vinte e três, vinte e quatro, vinte e cinco, vinte e seis...


    (SEU MADRUGA SAI DE CASA E FICA PRESO NA CORDA DO CHAVES)


    Chaves: Vinte e seis... vinte e seis...


    Madruga: Tinha que ser o CHAVES de novo!


    Chaves: Foi sem querer querendo!


    Madruga: (IMITANDO CHAVES) Foi sem querer querendo... Sai da frente! (EMPURRA CHAVES, VAI EM DIREÇÃO À PORTA DE DONA FLORINDA)


    (MADRUGA BATE NA PORTA, KIKO ABRE)


    Madruga: Kiko, faça o favor de chamar sua mãe.


    Kiko: Da parte de quem?


    Madruga: Ora, como da parte de quem, da minha!


    Kiko: Minha mamãe não está, ela saiu com o professor Girafales. (KIKO APONTA PARA A SAÍDA DA VILA) Mas olha, ali vem ela...


    (FLORINDA E GIRAFALES ENTRAM JUNTOS, UM OLHANDO PARA O OUTRO)


    Madruga: Com licensinha, com licensinha... (SE APROXIMA DE FLORINDA). Dona Florinda, preciso falar com a senhora urgentemente.


    Florinda: Mas o que é que esta gentalha quer justo agora?


    Madruga: É justamente isso, Dona Florinda. Estou cansado. Cansado de ser espancado pela senhora. Cansado de ser tratado como lixo. Cansado de receber bofetadas que não mereço. Eu não sou gentalha. A senhora é gentalha. Minha vida se tornou um inferno. A culpa é sua, dona Florinda. A senhora vai pagar com a vida, Florinda. Com a vida! (MADRUGA SACA UMA ARMA)


    (KIKO VOA EM DIREÇÃO À ARMA, USANDO CHROMA KEY)


    Kiko: Nããão!!


    (MADRUGA DISPARA. KIKO SALVA FLORINDA MAS É ATINGIDO PELA BALA)


    Florinda: Tesouro!! (FLORINDA E GIRAFALES TENTAM ANIMAR KIKO, QUE SANGRA SEM PARAR NO CHÃO)


    Madruga: Foi... Foi um acidente... Eu não queria matar o garoto! Eu.. Eu juro! Não posso mais viver nesse mundo cruel! A morte me espera! (MADRUGA ATIRA CONTRA A PRÓPRIA CABEÇA, O CRÂNIO EXPLODE, CÉREBRO E SANGUE JORRAM SOBRE O PÁTIO DA VILA)


    Kiko: (MORRENDO) Eu... Consegui... Salvá-la... Seja... Feliz... Mamãe... (MORRE)


    Florinda: (EM PRANTOS) Nãããão!!! Por que, Senhor?! Por que me amaldiçoaste com essa desgraça!? Primeiro meu marido, agora meu filho! Tudo culpa dessa... dessa gentalha! (INSANA, SALIVANDO, CHUTANDO O CADÁVER DE MADRUGA) Gentalha... Gentalha! Pfft!


    Girafales: (ACALMANDO FLORINDA) Acalme-se dona Florinda, não podemos fazer nada. Só nos resta jogar os corpos no poço do outro pátio... Antes que o seu Barriga chegue.


    (SENHOR BARRIGA APARECE)


    Barriga: Tarde demais. Já estou aqui. E pude ver tudo. Eu sabia que um dia isso aconteceria. Eu percebi que as pessoas dessa vila eram como bombas-relógio emocionais, e que mais cedo ou mais tarde a bomba iria explodir, e o sangue dos inocentes iria jorrar. Eu liguei para a polícia, eles estarão aqui em breve.


    (CHIQUINHA APARECE)


    Chiquinha: Ei Chaves, vamos brincar de barquinhos de papel? Eu tenho um bar... Senhor misericordioso, esse cadáver... Chavinho... Esse cadáver é do meu papai?


    Chaves: (BALANÇANDO A CABEÇA DIZENDO NÃO) Sim.


    (CHIQUINHA COMEÇA A CHORAR)


    Chiquinha: Uáááá, uáááá... Eu... Vou... Contar tudo... Pra minha bisavô... Vou falar... Que me bateram... E que me chutaram... E que explodiram a cabeça do meu papai... E que me deixaram órfã! (CHORANDO MAIS AINDA)


    (DONA CLOTILDE SAI DE SUA CASA PELA JANELA. SEU CORPO ESTÁ EM CHAMAS)


    Clotilde: Acidente! Acidente doméstico! Fogo! Fogo! Queimando minha carne! Me ajudem!


    (CLOTILDE MORRE CARBONIZADA EM PÉ MESMO. NINGUÉM NEM OLHA PARA ELA)


    (A POLÍCIA CHEGA)


    Barriga: Finalmente vocês chegaram. Levem todos. Todos, menos aquele ali (APONTA PARA CHAVES), ele não tem culpa de nada.


    (A POLÍCIA, INTERPRETADA POR FIGURANTES DA ESCOLINHA, LEVA TODOS COM EXCESSÃO DE CHAVES)


    (BARRIGA ESTÁ SOZINHO COM CHAVES)


    Barriga: Chaves... Eu... Eu não sei como lhe dizer isso... Eu estava esperando o melhor momento para lhe contar... Mas agora não vai mais fazer diferença... O seu Madruga... O seu Madruga é seu verdadeiro pai.


    (MÚSICA TRISTE NO FUNDO. UMA LÁGRIMA CAI PELO ROSTO DE CHAVES, QUE NADA FALA)


    Barriga: Seu Madruga nunca tinha dinheiro para me pagar porque ele me pagava para eu deixar você viver na vila... Ele pedia para que eu não contasse nada a você... Ele se deliciava torturando você... Deixando você passar fome e frio... Aquele monstro, fazendo isso com o próprio filho... Eu... Sinto muito Chavinho. Você não pode ficar mais na vila. Vou demolir esse lugar para construir um bordel.


    (A ILUMINAÇÃO DIMINUI. A MÚSICA TRISTE AUMENTA. CHAVES PEGA UMA TROUXINHA E COMEÇA A ANDAR DE CABEÇA BAIXA PARA FORA DA VILA)


    Barriga: Ei Chaves... Até a vista, Chaves...


    (CHAVES SE DESPEDE ABRINDO E FECHANDO A MÃO, E VAI EMBORA)


    (BARRIGA DEITA-SE NO CHÃO E COMEÇA A CHORAR)


    Barriga: O que foi que fiz... A ganância me corrompeu e fez de mim esse homem mesquinho e sem honra que sou hoje... O mundo seria melhor se eu não existisse... Ó Deus, mata-me!


    (UMA PEDRA DE ISOPOR CAI DO CÉU SOBRE SEU BARRIGA. MUITO SANGUE SAI DE SUA BOCA)


    Barriga: Fui... Atingido... Por... Um meteoro! (MORRE)


    Apenas a voz do seu Madruga: AEROLITO!


    (CLAQUE DE RISADAS. APLAUSOS.)


    FADE OUT


    FIM


    Escrito por Ricardo Leite...nota 10 cara!!!
     
  12. Dimitri

    Dimitri om pah, om pah, pah

    Chaves

    QUE TEXTO DOIDO!!! :D :D É muito engraçado. Pegaram as melhores partes e colocaram aí. O Quico voando com aquele efeito tosco que eles colocam seria demais. Me lembra aquele dia que a Dona Florinda chuta a bunda dele aí Seu Madruga voa e bate na parede. Aí o Chaves, Quico e Chiquinha gritam GOL! Texto nota 1000 :!:
     
  13. Sir Galaaz

    Sir Galaaz Usuário

    Chaves

    MUUUITO ENGRAÇADO o ultimo espisódio do Chaves!! :lol: :lol: :lol:

    Eu lembro vagamente do seriado do Quico que passou na record eu devia estar no pré-primário na época. só me lembro que eu não gostava muito e que o Quico usava um terninho branco e a mão de era uma gorda dona de um hotel.
     
  14. Psychedelic Furs

    Psychedelic Furs Usuário

    HEHEHE

    EU GOSTAVA MUITO DE CHAVES E ATE HJ PEGO MINHAS FITAS
    PARA ASSISTIR DE NOVO...
    MAIS FALANDO SERIO.CHAPOLIN ERA MAIS DIVERTIDO

    MAIS EH QUASE MESMA COISA...

    :wink:
     
  15. *Lossthrain*

    *Lossthrain* Vem que eu faço direito!!!

    Re: HEHEHE

    É dificil encontrar quem naum gostava de Chaves e Chapolin... Até hj eu vejo Chaves.. Só naum entendo pq o SBT tb naum passa Chapolin.... :roll:
     
  16. #Ryu

    #Ryu Usuário

    Eu era louco por chapolim e chaves, tinha o disco, album de figurinhs, bonecos, etc.. ainda hj eu assisto e apesar de saber o q vai acontecer, ainda riom pq o humor eh simples e não precisa de cliches como os outros programas de hoje.
    Os episódios q eu gosto são os da escola do pro. girafales, e da branca de neve!
    Eu num assisti o seriado do kiko, mas eu assisti akele chespirito na gazeta, q era horrível, assim como os novos episódios do chavo
     
  17. Psychedelic Furs

    Psychedelic Furs Usuário

    eu tenho todos os episodios de chapolin e chaves que passaram no
    sbt gravado
     
  18. kaoru kamiya

    kaoru kamiya Usuário

    tipo...eu assistia mt...era viciada...mas agora perdeu um pouco a graça! mas adimito q ainda assisto de vez em qd.
     
  19. Sprog Bullit Rockatansky

    Sprog Bullit Rockatansky Burn Baby... burn!!!

    FAz tempão q naum assito esse programas. Lembro uma epoca (não sei se ainda passa) que chegaram a passar uma nova temporada dos chaves na tv, q nunca havia passado antes... lógico que gravado posteriormente. Mas não sei... esses ultimas não eram mais os mesmos... aquela inocência que viamos no chaves, kiko, seu madruga (o maioral)... tudo isso havia sumido...
    Prefiro ver os antigos mais de 180 vezes de que esses que passavam.
    Alias.. eles passam mesmo ou naum?... os antigos eu sei que sim 8-)
     
  20. Dimitri

    Dimitri om pah, om pah, pah

    Chaves

    Eu sei desses episódios. Eles foram gravados mais ou menos em 93 e tinha o Chaves, Dona Florina, Prof. Girafales (gordo), Chiquinha, Sr. Barriga (bem mais gordo) e a Dona Clotilde. Mas era bem inferior, inclusive tinhas uns episódios do Chapolin que eles só refilmavam um episódio antigo. Mas não tinha alguns porque o seu Madruga e o Jaiminho morreram e o Quico brigou com o Chaves. A Dona Clotilde um pouco depois de fazerem esses episódios novos morreu.
     

Compartilhar