• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Sarney recua e mantém imagem de impeachment de Collor no Senado

Morfindel Werwulf Rúnarmo

Geofísico entende de terremoto
O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), recuou nesta terça-feira (31) da decisão de excluir o impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Mello (PTB-AL) do corredor "túnel do tempo" da Casa painéis com imagens que contam os principais fatos históricos da instituição. Sarney chegou a classificar ontem o impeachment de "acidente", mas recuou um dia depois diante da repercussão negativa da retirada.

"Acabo de determinar à sessão competente do Senado, sua administração, que faça constar na referida exposição o impeachment do presidente Collor, uma vez que nós não temos nada para esconder nesta Casa",
disse o senador.

Em vídeo postado no blog do Senado, Sarney afirma que não era o curador da exposição de fotos que integram os painéis, por isso não foi sua responsabilidade excluir o impeachment do local.

A galeria, com 16 painéis, fica em um corredor entre os gabinetes dos senadores e o plenário. É um dos lugares mais visitados da Casa. O espaço passou por reforma, sem custos, segundo a Secretaria de Comunicação do Senado.

Em 2007, às vésperas da posse de Collor no Senado, a Casa já havia retirado as referências ao caso, mas recuou e algumas imagens acabaram inseridas no túnel do tempo. O painel que retrata a gestão Collor mostra, por exemplo, a aprovação de projetos como o tratamento gratuito de HIV e o "Estatuto das Micro e Pequenas Empresas".

Collor renunciou momentos antes do Senado decidir pelo impeachment, em 1992. Mesmo assim, os senadores aprovaram a perda do cargo.



Sarney classificou ontem movimento pelo impeachment de "acidente", mas recuou após repercussão negativa

Em nota, a Secretaria de Comunicação do Senado disse que a ideia dos painéis era
"a partir da Constituição de 1988 destacar os fatos marcantes da atividade legislativa",
com
"foco na produção legislativa do Congresso Nacional".

REAÇÃO


Líder estudantil e do movimento dos caras pintadas, o hoje senador Lindberg Farias (PT-RJ) rebateu as declarações de Sarney. O petista disse que o fato é uma "página da história que orgulha" os brasileiros.

"É um erro tremendo. Não se apaga as páginas da história. É um erro do presidente Sarney, um grande equívoco",
disse Lindberg.

Sarney classificou ontem o impeachment de "acidente" logo após a reinauguração da galeria de imagens do Senado, que conta a história da instituição desde o Império até os dias atuais --mas excluiu as fotos que faziam referencia à aprovação do processo de impeachment de Collor na Casa.

Lindberg saiu em defesa da importância histórica do impeachment para o fortalecimento da democracia no país.
"Na história recente do país, o impeachment foi um dos maiores movimentos de mobilização social da nossa história, então, não é acidente. É uma página da historia que muito nos orgulha."
Sarney disse que o episódio talvez
"seja apenas um acidente e não devia ter acontecido na história do Brasil".
"Não é tão marcante como foram os fatos que aqui estão contados que construíram as história e não os que, de certo modo, não deviam ter acontecido",
disse o presidente do Senado.

Procurado pela Folha, o ex-presidente Collor não quis comentar a polêmica sobre a retirada do painel.

Fonte
 

[F*U*S*A*|KåMµ§]

Who will define me?
A piadinha óbvia circulante.

Pra quem vivenciou in loco a chegada de Pedro Alvares de Cabral, a declaração da independencia às margens do rio ipiranga, a abolição da escravatura, a proclamação da república, etc, realmente o impeachment de um presidentezinho não impregna por muito tempo no cérebro.
 
Quando eu vi a reportagem na TV dizendo que o impeachment NÃO seria colocado, fiquei revoltada!!! Ainda bem que voltaram atrás... dava a entender que não queriam que os brasileiros lembrassem dos erros do passado e aprendessem com eles. É claro que sabemos que esse é o desejo dos corruptos, de fato. Mas pelo menos disfarçaram essa ânsia.

Ridículo querer fazer parecer que a história do Brasil é um conto-de-fadas imaculado!!!
 
É aquela velha história de heróis e seus mitos constantemente derrubados pela história. O problema é que a mesma história fica perturbadoramente desfigurada...
 

Valinor 2020

Total arrecadado
R$1.495,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo