• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

RPG de Deuses (Recrutamento)

Lelyanra

Usuário
Nome: Drati Cohil

Título: Deus da Simplicidade; O Humilde; Fortuna do Viajande; Consolo dos Andarilhos

Aparência: Drati Cohil é a visão da maior simplicidade que alguém poderia ter. Um homem baixo, de meia idade, conduzindo um carro de bois parece ser a aparência que mais prefere assumir entre os mortais. Um vira-lata dócil também parece ser outra de suas formas favoritas. Sua verdadeira forma nem mesmo o Deus do Conhecimento pode tangir. Apesar de sua variedade de formas, uma coisa sempre permanece fixa. Seus olhos sempre serão de cor turquesa, da mais profunda sabedoria e serenina. O seu olhar cansado abriga sua infindável sabedoria adquirida.

Símbolo: Uma sandália de aldeão vista de cima, com um olho de cor turquesa desenhado.

Portfolio/Domínio: A Estrada, Sabedoria, Humildade e Simplicidade.

Personalidade e Descrição: Drati Cohil é o deus da simplicidade. Ele parece sempre estar sorridente, e pode afirmar que seu ego, em sua mínima instância, está repleto. Ele possui poucas ambições além de defender as estradas (Em um sentido simbólico. o destino em sí pode ser uma estrada), fazendeiros e andarílhos. Apesar de ser um deus, valoriza tremendamente qualquer tipo de vida, inclusive a de outros deuses. Sua forma rápida e abrangente de resolver as coisas, onde todas as partes permanecem iguais, faz dele o melhor conselheiro e conciliador dentre os deuses. "A arrogância dos deuses é o que os impedem de se tornarem mais poderosos." É a sua frase favorita. De fato, ele possui certa razão em falar isso, pois desde o início, o que mais fortalece Drati Cohil é a humildade.

História: Certo dia, quando os mortais eram crianças e os deuses nunca haviam lutado, O Grande Deus do Início, olhou para um jovem agricultor que arduamente fazia a colheita de sua terra em busca do grão que alimentaria sua família. Ora na época os mortais eram próximos dos deuses, seus pais. O Grande Deus tomou a forma de um urso, e aproximou-se do homem, perguntando se ele gostaria de ajuda. O agricultor, feliz, aceitou com sorriso. Ambos trabalharam por três dias, colhendo a terra e separando os grãos bons dos grãos ruins. No final, o agricultor, de mais profundo coração ofereceu metade de sua colheita ao urso que o ajudara. O urso ficou espantado, pois a colheita seria destinada a sua familia, que depois de tal doação, comeria muito menos embora fosse o suficiente. O urso disse: "Tu serás dignificado por tua pureza de coração e humildade, pequenino." Desde então, o agricultor ficou mais sábio a cada dia, fazendo apenas as pequenas coisas que ele sempre fez. Cinco séculos depois, quando sua descendência tornou-se dona do mais prospero país da terra, e seus familiares próximos a muito estavam mortos, O jovem agricultor de nome Drati Cohil começou a viajar pelo mundo, crescendo em sabedoria e diminuindo em ser. Até hoje, essa viajem ainda não terminou, embora quase todos os mundos e dimensões já tenham sido visitados por ele.

Caráter: O mais ponderado dentro os deuses. Dá conselho tanto para o mais maléfico dos deuses quanto para o mais bondoso (embora raramente os maléficos os seguem). Não há deus que tome glória em sua destruição, pois desde o inicio, O Humilde foi frágil fisicamente. De fato, seu extermínio acarretaria em nada mais do que a vergonha eterna do deus que o matou. Não existe glória sem que os menos gloriosos a reconheçam. Nunca foi a piedade que o manteve vivo todo esse tempo. Foi sua sabedoria.

Mundo: Ele possui o mesmo poder em todos os mundos; suas palavras são como espadas que penetram o espírito de forma profunda. Deuses erigiram galáxias em homenagem ao Consolador dos Andarilhos, só para elas serem preenchidas com seres simples e felizes, e depois entregues de volta.
 

Serus

Criança da Noite
Ok, assunto fechado já. E não foi apenas no fórum anyways... E a pessoa sabia onde eu morava. Mas deixemos isso para trás.

Espero que o Serus seja um bom roqueiro psicológicamente normal que saiba jogar um bom rpg. É isso que eu realmente espero.

Quanto ao Blind, putz, eu sou mais da época Black Sabbath e Iron, mas é bom tb. Dos novos por enquanto estou em Stratovarius.
Cara, eu não sou dessa época não... Mas estou com você... Black Sabbath, Iron, With Snac, Judas, ACDC... são bandas eternas...!!!
 

Vindicador

Usuário
Nome: Drati Cohil

Título: Deus da Simplicidade; O Humilde; Fortuna do Viajande; Consolo dos Andarilhos

Aparência: Drati Cohil é a visão da maior simplicidade que alguém poderia ter. Um homem baixo, de meia idade, conduzindo um carro de bois parece ser a aparência que mais prefere assumir entre os mortais. Um vira-lata dócil também parece ser outra de suas formas favoritas. Sua verdadeira forma nem mesmo o Deus do Conhecimento pode tangir. Apesar de sua variedade de formas, uma coisa sempre permanece fixa. Seus olhos sempre serão de cor turquesa, da mais profunda sabedoria e serenina. O seu olhar cansado abriga sua infindável sabedoria adquirida.

Símbolo: Uma sandália de aldeão vista de cima, com um olho de cor turquesa desenhado.

Portfolio/Domínio: A Estrada, Sabedoria, Humildade e Simplicidade.

Personalidade e Descrição: Drati Cohil é o deus da simplicidade. Ele parece sempre estar sorridente, e pode afirmar que seu ego, em sua mínima instância, está repleto. Ele possui poucas ambições além de defender as estradas (Em um sentido simbólico. o destino em sí pode ser uma estrada), fazendeiros e andarílhos. Apesar de ser um deus, valoriza tremendamente qualquer tipo de vida, inclusive a de outros deuses. Sua forma rápida e abrangente de resolver as coisas, onde todas as partes permanecem iguais, faz dele o melhor conselheiro e conciliador dentre os deuses. "A arrogância dos deuses é o que os impedem de se tornarem mais poderosos." É a sua frase favorita. De fato, ele possui certa razão em falar isso, pois desde o início, o que mais fortalece Drati Cohil é a humildade.

História: Certo dia, quando os mortais eram crianças e os deuses nunca haviam lutado, O Grande Deus do Início, olhou para um jovem agricultor que arduamente fazia a colheita de sua terra em busca do grão que alimentaria sua família. Ora na época os mortais eram próximos dos deuses, seus pais. O Grande Deus tomou a forma de um urso, e aproximou-se do homem, perguntando se ele gostaria de ajuda. O agricultor, feliz, aceitou com sorriso. Ambos trabalharam por três dias, colhendo a terra e separando os grãos bons dos grãos ruins. No final, o agricultor, de mais profundo coração ofereceu metade de sua colheita ao urso que o ajudara. O urso ficou espantado, pois a colheita seria destinada a sua familia, que depois de tal doação, comeria muito menos embora fosse o suficiente. O urso disse: "Tu serás dignificado por tua pureza de coração e humildade, pequenino." Desde então, o agricultor ficou mais sábio a cada dia, fazendo apenas as pequenas coisas que ele sempre fez. Cinco séculos depois, quando sua descendência tornou-se dona do mais prospero país da terra, e seus familiares próximos a muito estavam mortos, O jovem agricultor de nome Drati Cohil começou a viajar pelo mundo, crescendo em sabedoria e diminuindo em ser. Até hoje, essa viajem ainda não terminou, embora quase todos os mundos e dimensões já tenham sido visitados por ele.

Caráter: O mais ponderado dentro os deuses. Dá conselho tanto para o mais maléfico dos deuses quanto para o mais bondoso (embora raramente os maléficos os seguem). Não há deus que tome glória em sua destruição, pois desde o inicio, O Humilde foi frágil fisicamente. De fato, seu extermínio acarretaria em nada mais do que a vergonha eterna do deus que o matou. Não existe glória sem que os menos gloriosos a reconheçam. Nunca foi a piedade que o manteve vivo todo esse tempo. Foi sua sabedoria.

Mundo: Ele possui o mesmo poder em todos os mundos; suas palavras são como espadas que penetram o espírito de forma profunda. Deuses erigiram galáxias em homenagem ao Consolador dos Andarilhos, só para elas serem preenchidas com seres simples e felizes, e depois entregues de volta.

Lelyanra

Desculpe a demora para responder, eu tive uma semana extremamente puxada no serviço, como poucas vezes já tive. Quanto a sua divindade, tá tudo certo. Inclusive, está de parabéns, é um deus muito interessante e que tem muito a adicionar se entrar no contexto.
 

Galad

O último dos Noldor
Bom, eu estava esperando o Oromë, mas ele avisou que ia dar uma eusentada e tals. Vou postar ainda essa semana o começo da construção da prisão.
 

Oromë

Purge 'em all
Fiquem tranquilos, acho que posto hoje ainda o início da construção da prisão. Se não o fizer hoje, faço até amanhã de noite. :mrgreen:
 

Raphael S

Desperto
Bom, deixando claro que só enquanto Kaiken está lá. Se ele diver que se afastar do cavaleiro negro aí entra o processo de insanidade, o que ainda pode variar dependendo da situação, tipo o cavaleiro negro não vai ficar insano do nada no meio de um lago de tranquilidade, agora se alguém pisar no dedão dele, sai da frente.

A deusa da luz tá apagadinha...

By Raphael Silvério
Timer
 

DaniloStinghen

Senhor do Destino
Assim, quem começou a ficar doido foi o sidekick do Pow, não o próprio Pow. Então, a menos que você queira poupar o capetinha, você pode dar uma editada no post, Raphael.
 

Raphael S

Desperto
Nah, ficou meio dificil de entender quem tinha ficado doido mas deixei o Pow mesmo, assim vai ficar mais interessante.

E por falar nisso o ataque do povo do Aracnel meio que encaixou com a história do meu personagem. Vou ter que fazer um flashback e vamos ver no que vai dar.

By Raphael Silvério
Continum Espaçus Tempus
 

Valinor 2020

Total arrecadado
R$1.495,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo