1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)
?

Você é a favor da existência de rodeios?

  1. Sim

    36,8%
  2. Não

    63,2%
  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Rodeio é uma prática recreativa que consiste em permanecer por até oito segundos sobre um animal, usualmente um cavalo ou boi. A avaliação é feita por dois árbitros cuja nota é de 0 a 50 cada; um árbitro avalia o competidor e o outro avalia o animal, totalizando a pontuação de 0 a 100. O rodeio divide-se em algumas modalidades, tais como "touro, cutiano, bareback, bulldoging, três tambores, sela americana, laço de bezerro e laço em dupla". A prática é bastante comum no Brasil, nos Estados Unidos, no México, no Canadá na Austrália e em mais alguns países da América do Sul. O rodeio também é alvo de críticas, sustentando que a prática desrespeita os direitos animais.
     
  2. ARABAEL

    ARABAEL Ema Infame e

    Lei nº 10.220, de 11 de abril de 2001
    Institui normas gerais relativas à atividade de peão de rodeio, equiparando-o a atleta profissional.

    O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

    Art. 1o Considera-se atleta profissional o peão de rodeio cuja atividade consiste na participação, mediante remuneração pactuada em contrato próprio, em provas de destreza no dorso de animais eqüinos ou bovinos, em torneios patrocinados por entidades públicas ou privadas.

    Parágrafo único. Entendem-se como provas de rodeios as montarias em bovinos e eqüinos, as vaquejadas e provas de laço, promovidas por entidades públicas ou privadas, além de outras atividades profissionais da modalidade organizadas pelos atletas e entidades dessa prática esportiva.

    Art. 2o O contrato celebrado entre a entidade promotora das provas de rodeios e o peão, obrigatoriamente por escrito, deve conter:

    I – a qualificação das partes contratantes;
    II – o prazo de vigência, que será, no mínimo, de quatro dias e, no máximo, de dois anos;

    III – o modo e a forma de remuneração, especificados o valor básico, os prêmios, as gratificações, e, quando houver, as bonificações, bem como o valor das luvas, se previamente convencionadas;

    IV – cláusula penal para as hipóteses de descumprimento ou rompimento unilateral do contrato.

    § 1o É obrigatória a contratação, pelas entidades promotoras, de seguro de vida e de acidentes em favor do peão de rodeio, compreendendo indenizações por morte ou invalidez permanente no valor mínimo de cem mil reais, devendo este valor ser atualizado a cada período de doze meses contados da publicação desta Lei, com base na Taxa Referencial de Juros – TR.

    § 2o A entidade promotora que estiver com o pagamento da remuneração de seus atletas em atraso, por período superior a três meses, não poderá participar de qualquer competição, oficial ou amistosa.

    § 3o A apólice de seguro à qual se refere o § 1o deverá, também, compreender o ressarcimento de todas as despesas médicas e hospitalares decorrentes de eventuais acidentes que o peão vier a sofrer no interstício de sua jornada normal de trabalho, independentemente da duração da eventual internação, dos medicamentos e das terapias que assim se fizerem necessários.

    Art. 3o O contrato estipulará, conforme os usos e costumes de cada região, o início e o término normal da jornada de trabalho, que não poderá exceder a oito horas por dia.

    Art. 4o A celebração de contrato com maiores de dezesseis anos e menores de vinte e um anos deve ser precedida de expresso assentimento de seu responsável legal.

    Parágrafo único. Após dezoito anos completos de idade, na falta ou negativa do assentimento do responsável legal, o contrato poderá ser celebrado diretamente pelas partes mediante suprimento judicial do assentimento.

    Art. 5o (Vetado)

    Art. 6o (Vetado)

    Art. 7o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

    Brasília, 11 de abril de 2001; 180o da Independência e 113o da República.

    FERNANDO HENRIQUE CARDOSO
    Jose Gregori, Francisco Dornelles, José Cechin

    Início



    LEI No 10.519, DE 17 DE JULHO DE 2002.

    Dispõe sobre a promoção e a fiscalização da defesa sanitária animal quando da realização de rodeio e dá outras providências

    O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

    Art. 1o A realização de rodeios de animais obedecerá às normas gerais contidas nesta Lei.

    Parágrafo único. Consideram-se rodeios de animais as atividades de montaria ou de cronometragem e as provas de laço, nas quais são avaliados a habilidade do atleta em dominar o animal com perícia e o desempenho do próprio animal.

    Art. 2o Aplicam-se aos rodeios as disposições gerais relativas à defesa sanitária animal, incluindo-se os atestados de vacinação contra a febre aftosa e de controle da anemia infecciosa eqüina.

    Art. 3o Caberá à entidade promotora do rodeio, a suas expensas, prover:

    I – infra-estrutura completa para atendimento médico, com ambulância de plantão e equipe de primeiros socorros, com presença obrigatória de clínico-geral;

    II – médico veterinário habilitado, responsável pela garantia da boa condição física e sanitária dos animais e pelo cumprimento das normas disciplinadoras, impedindo maus tratos e injúrias de qualquer ordem;

    III – transporte dos animais em veículos apropriados e instalação de infra-estrutura que garanta a integridade física deles durante sua chegada, acomodação e alimentação;

    IV – arena das competições e bretes cercados com material resistente e com piso de areia ou outro material acolchoador, próprio para o amortecimento do impacto de eventual queda do peão de boiadeiro ou do animal montado.

    Art. 4o Os apetrechos técnicos utilizados nas montarias, bem como as características do arreamento, não poderão causar injúrias ou ferimentos aos animais e devem obedecer às normas estabelecidas pela entidade representativa do rodeio, seguindo as regras internacionalmente aceitas.

    § 1o As cintas, cilhas e as barrigueiras deverão ser confeccionadas em lã natural com dimensões adequadas para garantir o conforto dos animais.

    § 2o Fica expressamente proibido o uso de esporas com rosetas pontiagudas ou qualquer outro instrumento que cause ferimentos nos animais, incluindo aparelhos que provoquem choques elétricos.

    § 3o As cordas utilizadas nas provas de laço deverão dispor de redutor de impacto para o animal.

    Art. 5o A entidade promotora do rodeio deverá comunicar a realização das provas ao órgão estadual competente, com antecedência mínima de 30 (trinta) dias, comprovando estar apta a promover o rodeio segundo as normas legais e indicando o médico veterinário responsável.

    Art. 6o Os organizadores do rodeio ficam obrigados a contratar seguro pessoal de vida e invalidez permanente ou temporária, em favor dos profissionais do rodeio, que incluem os peões de boiadeiro, os “madrinheiros”, os “salva-vidas”, os domadores, os porteiros, os juízes e os locutores.

    Art. 7o No caso de infração do disposto nesta Lei, sem prejuízo da pena de multa de até R$ 5.320,00 (cinco mil, trezentos e vinte reais) e de outras penalidades previstas em legislações específicas, o órgão estadual competente poderá aplicar as seguintes sanções:

    I – advertência por escrito;

    II – suspensão temporária do rodeio; e

    III – suspensão definitiva do rodeio.

    Art. 8o Esta Lei entra em vigor 60 (sessenta) dias após sua publicação.

    Brasília, 17 de julho de 2002; 181o da Independência e 114o da República.

    FERNANDO HENRIQUE CARDOSO
    Marcus Vinicius Pratini de Moraes
    José Carlos Carvalho

    Respeitando as normas acima e outras legislação da proteção animal, eu não sou contra rodeios, até porque faz parte da cultura, sendo ela brasileira, americana ou mexica.
     
  3. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Peão é tão atleta quanto enxadrista, na Europa da Idade Média, Inquisição era cultural também, o ambiente do rodeio já é de maus-tratos. Maltratar animais não é cultural é maus-tratos.
     
  4. ARABAEL

    ARABAEL Ema Infame e

    Por isso que eu disse se respeitar as normas e não haver maus tratos...daí tudo bem. Você pode utilizar as técnicas expostas que não maltrate os animais, desde as vacinas exigidas dos animais utilizados nos rodeios, acompanhamentos dos veterinários, até as selarias, abrigos e as guaritas de proteção, o bom trato começa lá atrás, não na arena propriamente, eu já presenciei rodeios descarados onde marcas quentes ou choque eram utilizados, até rodeios onde um touro era tratado como um bebê.
     
  5. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Não curto rodeios e menos ainda a versão mais radical que são as touradas.

    Mas tem cidades como Barretos que pra ter turismo vivem unicamente disso.

    Vai quem quer.
     
  6. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    O problema não é de quem vai, é de quem não pode sair.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  7. Neithan

    Neithan Ele não sabe brincar. Ele é Mito

    Votei em "Não" porque acho chato demais. :lol:

    Também sou contra trios elétricos, bailes funks, pagode de fundo de quintal, escolas de samba, show de sertanejo...
     
  8. BeorZenni

    BeorZenni Usuário

    acho que vcs estão falando em rodeio e pensando em tourada
    uma coisa e vc montar no boi e tentar ficar em cima dele alguns segundos
    sim, ele é provocad para ficar irritado, mas isso é tudo, terminado isso ele é bem cuidado
    nas touradas o touro é sempre morto ao final do "show" e muito maltratado durante
    eu sou sim contra touradas, isso sim é uma pratica de brutalidade contra o animal
    mas quanto aos rodeios, em nenhum dos que eu presenciei eu notei que tenha havido algum tipo de maus tratos com o animal
     
  9. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Precisa ir lá atrás e ficar, eles não vão mostrar para um estranho. É crueldade sim.
     
  10. Éomer

    Éomer Well-Known Member

    Depende do que for considerado crueldade. Eu já prestei assistência veterinária a alguns rodeios e não vi animais sendo mal tratados não. Até por que se necessita que esses animais tenham longevidade pois, ao contrário do que se pensa, não é todo animal que tem aptidão para esse tipo de prova. Crueldade é farra do boi, é a tourada, onde o animal é praticamente carneado vivo (aliás eu sempre torço para que o touro mate o toureiro). Rinhas de cães e galos. As condições degradantes a que eram submetidos animais circenses.
     
  11. Snaga

    Snaga Usuário não-confiável!!!

    Os touros de rodeio são os mais bem cuidados de mundo. Vivem a pão de ló e suco de laranja!!!

    Na hora do rodeio eles são sim provocados, mas nada de mais. E a história de apertar testículos é mito facilmente refutável pelo fato de éguas também participarem de rodeios. Daí pergunto: o que eles apertam nas águas para fazerem elas pularem?

    Já a tourada eu só sou a favor quando o touro mata alguém, de preferência o filho da p*ta do toureiro!
     
  12. MetallMilitia

    MetallMilitia Hammer of Metal

    Torço para que o peão caia e tenha o crânio esmagado pelo touro
     
  13. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Menos mal que o Brasil não incorporou em sua cultura as touradas. Ainda assim a farra do boi que acontece mais discretamente é algo deplorável.
     
  14. Conan

    Conan Cavaleiro Pendragon

    Eu simplemente não vejo motivo valido para se fazer isto com um animal. Mantenham a festa em si q envolve o rodeio, preservem a culturam e acabem com o show com os animais, assim como fizeram com diversos circos.

    E o fato de existirem praticas mais crueis, nao é o menor argumento pró rodeio.
     
  15. Urso Sentado

    Urso Sentado Usuário

    Não sei por que certos tree-huggers estão reclamando dos rodeios. Nunca fui em nenhum por falta de oportunidade. Os animais são bem tratados e alguns são famosos, até. Sua linhagem é vendida a peso de ouro e recebem dieta melhor do que de muita gente. Dificilmente um animal em rodeio morre (o contrário é outra história), e é uma cultura bem bacana prum país que é conhecido pelo carnaval, baile funk e futebol only.

    E concordando com a maioria, fora com as touradas.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  16. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Se bem que atualmente muita coisa eles copiam dos EUA. Essa mania que quererem transformar Jaguaiúna e Barretos duas cidades de rodeio que conheço em "Texas brasileiro" não me agrada.
     
  17. FURIA Da Rossa

    FURIA Da Rossa Rank Configurável??

    Por que sou contra: porque não há somente a modalidade "rodeio", mas também há o "laço". E já acho muito palha.
    Tourada, então, é a coisa mais imbecil de todas: o entretenimento consiste no sacrificio do animal, que não é rápido, mas bem sangrento e dura vários minutos. Imagine que um ser mais forte do que você o criou, desde pequeno, para que tenha como propósito único de vida servir à política de pão-e-circo! É pra isso que você serve?

    Não significa defender "direitos dos animais". Animais não podem ser sujeitos de direitos. O que deve haver é a obrigação unilateral dos humanos em absterem-se de sacanear os bichos. Isso porque qualquer um poderia ir a juízo dizer que está "representando" o animal e querer "os direitos de meu dependente", sem que se possa saber qual é exatamente a vontade.

    Barretos vive disso aí mesmo. Mas há outros lugares em que ainda é comum o TASER, o que só sou a favor depois de alguns choques no períneo do idealizador de qualquer evento "esportivo" desses.
     
  18. Sweet

    Sweet Banned

    Olhe um exemplo de cultura com animais:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)




    Colocar bombas no corpo e matar milhares também é cultural/religioso, igualmente como multilação do clitóris na Africa... eita cultura.

    E realmente num país como o nosso onde TODOS seguem a lei devemos ficar calmos ao ver a bárbarie, afinal, está tudo bem se segue-se a lei.
     
  19. FURIA Da Rossa

    FURIA Da Rossa Rank Configurável??

    E ainda tem gente que gosta de apoiar o relativismo cultural, que por sua vez protege atos como apedrejamento de pessoas. No caso da iraniana lá, não que o crime de adultério não seja grave, mas tal pena é irracional.

    Transportem agora esse raciocínio para os animais. Eles podem sofrer?
     

Compartilhar