• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Revendo as Obras

Gerbur Forja-Quente

Defensor do Povo de Durin
Juro que procurei tópicos já criados e não achei.

os livros li com frequência. Sei detalhes que apenas um nerd de 15 anos ousa saber, rsrs.

os filmes, fazia tempos que não via. Desde o nascimento da minha filha para ser mais exato, portanto 2 anos.

Hoje revi O Retorno do Rei- versão extendida… nossa estou às lágrimas. Que filme lindo. Tantos mas momentos épicos e únicos, não poderiam ser feito melhores.

O discurso de Théoden (que nos livros oriunda de dois discursos: Théoden e Éomer) é de arrepiar cada cabelinho do braço! Quem não arrepiou só pode estar morto!

O discurso de Aragorn à sombra do Portão Negro de Mordor também mexe com a gente. Que tipo de homens somos? Os que vão se encher de desculpas, os que vão se queixar e encontrar todas as justificativas para serem ratos amedrontados e incapacitados? Ou seremos Homens que iremos lutar? Quem nós somos? Que dia é hoje? Dia da vitória ou o dia da desculpa? Quem somos nós? (O discurso de Aragorn fala com nossa divindade interior, com o que temos de melhor, o Grande Eu, não o pequeno eu, entendem?)

Mas o que tem de melhor nos filmes d’O Retorno do Rei, a meu ver, é a coroação de Aragorn! “hoje com começam os dias do Rei, que eles sejam abençoados “ diz Gandalf.

Depois Aragorn beija Liv Tyler, nossa eterna elfa, filha de Elrond de Valfenda.

Por fim, os hobbits ao verem O Rei, se ajoelham como manda o costume e Aragorn Elessar esgota a questão: “Meus amigos, vocês não se ajoelham para ninguém “, e com ele se ajoelham Liv Tyler, todos de Gondor, todos do Oeste! Esse momento é tão bonito que merecia estar nos livros também!

Nossa isso foi tão lindo, estou arrepiado, quase chorando.

A mensagem de Tolkien é profunda, nem sempre sabemos com o quê ela está falando. Mas ela fala com nossas entranhas, com tempos esquecidos, com heróis de palavra, não importa as consequências.

Tolkien me liga comigo mesmo, ele fala tão fundo com quem eu sou (ou fui) que sinto-me incomodado, desleixado, remisso. Me faz sentir que eu já fui melhor em outras Eras, “quando o mundo ainda era jovem “, “cavuca” em mim, resgata em mim um herói de fogo que hoje encontra um corpo mudo e fraco.

Eu não sei se conseguirei algum dia acessar esse ancestral adormecido, esse Helm Mão-de-Martelo que não aceitava desaforo, custe o que custar.

Mas é muito bom rever O Senhor dos Anéis e nos lembrarmos que todos tenhamos esse herói adormecido dentro de nós. Que se um homem foi tão longe, ele levou toda a humanidade com ele, todos podemos segui-lo. Temos que ter coragem, temos que ter fé. Aflorar o nosso melhor, combater o nosso pior. Só deitar após ver pelo menos 1 de nossos defeitos derrotados! Ê isso que me inspira toda vez que leio/assisto O Senhor dos Anéis! Obrigado Professor Tolkien!
 
Última edição:

Loveless

J'ai une âme solitaire
Usuário Premium
Comovente relato, Gerbur. Realmente o filme do Retorno do Rei é emocionante — a eucatástrofe em seu estado mais puro possível; mas não somente relativa ao protagonista, mas sim a um povo inteiro, a uma História inteira. Sem dúvidas um dos melhores filmes da história. Uma obra-prima do cinema.
 
Última edição:

Béla van Tesma

I’m hoping to do some good in the world!
Eu só vi o último filme uma única vez, no cinema.
Quero rever a trilogia inteira, estendida e pá...
Mas estou dizendo isso há tempos e nunca me organizo pra ver. :timido:
 

Giuseppe

Eternamente humano
Quando era adolescente, durante uma certa época eu assistia os DVDs da trilogia todos os dias. E não só assistia todo dia, mas também voltava e revia um milhão de vezes as cenas favoritas. Chegava até a decorar as falas, tipo fã biruta mesmo! Nunca enjoei, nem dos filmes, nem dos livros. Nunca.
 

Gerbur Forja-Quente

Defensor do Povo de Durin
Outra parte que ficou perfeita nos filmes foi a trilha sonora. Nossa, não tinha como ficar melhor. É realmente uma obra-prima.

A música do Condado é a cara do Condado.
A música de Rohan é a cara de Rohan.
A música de Gondor é a cara de Gondor.

É impressionante como essas músicas capturam a essência daquele país e passam exatamente a cultura, corpo e alma desses países.

A música de Mordor, perfeita.
A música da Laracna te transmite exatamente o pavor de estar ali, o sentimento de urgência, a iminência da morte. Excelente.

A música que o Pippin canta para Denethor, um show, fala com a alma.

As músicas da Enya… meu Deus! Intocáveis! Perfeitas! As letras! “May It be” por exemplo: “Pode ser que quando a escuridão cair, seu coração se mantenha verdadeiro”
“Pode ser a sua jornada para iluminar o dia”

Nossa, tudo a ver com os hobbits: pequenos, fracos, ignorantes, “mas naquele tempo se tornaram tão importantes quanto renomados, e atrapalharam as decisões dos Sábios e dos Grandes “.

Tudo a ver conosco. Que por mais pequenos, ignorantes e fracos que sejamos, “pode ser que a nossa jornada ilumine o dia”, “pode ser que quando a casa cair e diante dos maiores desafios de nossa vida, nosso coração se mantenha verdadeiro, honesto, corajoso, lúcido”.

Me lembra até aquela passagem bíblica: “Obrigado Senhor por esconder essas coisas dos Sábios e Entendidos, mas revelastes aos pequeninos”.

Enfim, todas as mensagens que O Senhor dos Anéis passa, são profundas contribuições a nossas almas humanas. Alicerces de nossa humanidade… bom, pelo menos da minha!

Grandes shows dos mestres Tolkien, Peter Jackson e todos os envolvidos.
 

Valinor 2021

Total arrecadado
R$250,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo