1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Rejeitados Pelo Diabo (The Devil's Rejects, 2005)

Tópico em 'Cinema' iniciado por pkerbel, 22 Fev 2006.

  1. pkerbel

    pkerbel B-A-N-A-N-A-S

    Rob Zombie segue explorando a América mais profunda e violenta

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Se nota que a Rob Zombie lhe encantam os filmes de terror sujos e sórdidos, os westerns crepusculares de tom épico e romântico e os road-movies polvorentos com destino trágico, quase mítico. Não em vão, Rejeitados Pelo Diabo (The Devil's Rejects, 2005) participa do dito para ser uma hábil continuação da Casa dos 1.000 Cadáveres (House of 1000 Corpses), aquela estimável e perturbadora revisitação, com todas as distâncias que se queiram, dos lucros e características do capital O Massacre da Serra Elétrica.

    Mediante esta sequência, protagonizada pela família de sádicos e cruéis assassinos freaks surgidos da mais enfermiça versão da América Profunda e do que já causaram sensação na anterior película, Zombie penetra em outros excitantes territórios, não se limitando a oferecer mais do mesmo, isto é, a um grupo de adolescentes idiotas que não advertem que acabarão sendo reduzidos a carnificina em mãos dos perversos monstros de plantão.

    Aqui, em mudança, encontramos que o ponto de vista adotado é o dos vilões, de maneira que são eles os que açambarcam a atenção, chegando a converter-se em personagens tão odiosos como curiosamente simpáticos. O diretor conta com o acerto de seguir caracterizando as suas criaturas como diabos irredentos que gozam infringindo o mal, mas depois nos damos conta de que o muito esperto esconde na manga: a queda na obsessão vingadora por parte de um xerife (William Forsythe) que se erige em martírio dos vilões protagonistas atinge uns níveis de brutalidade de tal grau que, como espectador um tanto perverso, tendes a sentir piedade e certa empatia com a sedutora mas letal Baby, o entranhável palhaço Capitão Spaulding e o selvagem Otis, interpretados de forma mais do que convincente por Sheri Moon Zombie, Sid Haig e Bill Moseley, respectivamente.

    Os carrascos se tornam vítimas devido à sede de vingança do representante da lei. Um dilema moral surge: Por quem sofremos? De quem nos pomos parte? Dos assassinos sem escrúpulos que arrastam um historial sanguinário indescritível ou desse xerife irritado, anjo vingador, com métodos que se assemelham aos próprios da diabólica família de psicopatas?

    Zombie demonstra possuir nervo na direção e ser um interessante criador de atmosferas inquietantes e de momentos especialmente de pesadelo através de sua obra referencial, sentido visual e montagem. A violência crua e sem titubeos reina no ambiente já desde a primeira cena que dá início ao bestial cerco da unidade de SWAT à casa dos horrores. O filme começa com emoções fortes e não decai em nenhum momento em seu objetivo de gerar uma considerável coleção de depravadas ações e atitudes sem incorrer num desnecessário mau gosto.

    Ainda que é evidente que o filme nos conta uma história minúscula, o verdadeiro é que esta resulta efetiva para conseguir o desejado, para cumprir suas pretensões de oferecer um pesadelo de irônico posicionamento moral cuja crueza se vê atenuada por um sentido do humor negro não apto para todos os gostos e uma seleção musical que, sem dúvida, encarrega-se de desdramatizar as tragédias para indicar-nos que nada do que ocorre convém tomar-se muito a sério.

    Rejeitados Pelo Diabo é um intenso e bizarro divertimento com um desenlace que eleva a proposta a um nível tão épico como amoral em sua mitificacão do mau e que, em definitiva, confirma Rob Zombie como diretor a ter muito em conta por seu provado conhecimento do terreno que pisa (com passo firme... e polêmico).

    VÃO VER! ESTÁ EM DVD!

    Classificação: ****

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    Última edição: 22 Fev 2006
  2. Tisf

    Tisf Delivery Boy

    Eu achei o trailer chique demais.

    Além disso tem a marca "dirigido por Rob Zombie" que por si só já valeria a pena.
     
  3. Hobbit Bonzinho

    Hobbit Bonzinho Usuário

    Casa dos 1.000 Cadáveres (House of 1000 Corpses),

    Esse é um dos piores filmes que eu já vi na minha vida.
     
  4. pkerbel

    pkerbel B-A-N-A-N-A-S

    Os dois primeiros filmes de Zombie serão obras de culto algum dia, estou seguro. Seu cinema pode incomodar, mas é um criador de atmosferas aterrorizadoras e de situações mais do que perversas e sádicas graças a seus brutais personagens e o seu radical mise en scène. Seus filmes são experiências malsãs, inquietantes, que se desfrutam sempre e quando te agrada esse cinema imperfeito, sujo, visceral e com muitos pontos de loucura.
     
  5. Hobbit Bonzinho

    Hobbit Bonzinho Usuário

    Atmosfera? Aquela edição cheia de firulas, imagens "aterrorizantes" no meio do nada, e que te dá uma dor de cabeça incrível? Aquilo lá é um trabalho porco, digno de Michael Bay e Tonny Scott.
     
  6. Omykron

    Omykron far above

    eu acho legal os filmes de horror do zombie.

    ele pelo menos mostra o lado demoniaco e sujo das pessoas, sem contar o bizarro.

    house of 1000 corpse eu curti pacas... mesmo lembrando muito o massacre da serra elétrica...
    concordo com o tisf, que ainda vão ser cultuados por mostrar o pior lado sempre...
     

Compartilhar