1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Regravações: até que ponto é ou não interessante?

Tópico em 'Música' iniciado por Fúria da cidade, 29 Abr 2006.

  1. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Regravar um sucesso antigo de alguma banda do passado que você admira e curte muito tem suas vantagens e desvantagens.

    De um lado é legal pra se tentar realizar novos arranjos e deixar aquele sucesso antigo tão atual como nunca.

    Por outro lado várias bandas deixam a desejar na qualidade e a regravação não chega nem aos pés do original.

    Mas o que ultimamente tem se visto é que várias bandas pra se manter na midia não conseguem lançar coisas novas sem ter que apelar pra pelo menos 2, 3 ou mais regravações em seus trabalhos senão quase ninguém compra seus CDS.

    Eu não tenho nada contra regravações, mas acho que hoje virou algo banalizado.. todo mundo fazendo.

    Daí pergunto até que ponto isso é ou não interessante.:think:
     
  2. Jujuba!

    Jujuba! Habitante de Othrya

    Hmmm... eu particularmente nem acompanho muito as bandas novas.

    Mas de fato, tem muitas regravações que são tosquíssimas. E outras que ficam perfeitas com a nova roupagem, tipo "no fun" com os sex pistols e "twist and shout" com os beatles (para vocês verem que eu REALMENTE não acompanho muito as bandas novas! hehehehe!)
     
  3. Silenzio

    Silenzio Visitante

    Só sei que regravar o Stormblast foi uma das atitudes mais idiotas de todos os tempos que o Dimmu poderia ter.
     
  4. Vovin

    Vovin Steve Vai, The Mars Volta

    Não sei se entra nesse conceito, mas as versões em português de músicas estrangeiras que muitos "artistas" brasileiros fazem são pra mim um atestado de falta de criatividade.
     
  5. Idril

    Idril Usuário

    Sim existem regravações e versões em outros idiomas que ficam muito boas e interessantes, bem como existem exemplos que ficam melhores que as versões originiais - vide a maioria das músicas do Roberto Carlos, que ficaram melhores nas vozes de outros cantores (Fera Ferida - Maria Bethânia, etc).

    A grande maioria faz isso com uma infinidade de músicas.

    Falta de criatividade, o mercado musical tem uma tendência só (Pop), etc. Daí vemos esse bando de regravações, versões & afins de péssima qualidade.
     
  6. Quickbeam

    Quickbeam Rock & Roll

    A crise na indústria fonográfica mundial parece ter piorado essa tendência à opção menos arriscada de se fazer regravação. No Brasil, que já vinha sofrendo da síndrome do disco ao vivo, isso só agravou o quadro desolador de apatia no "mainstream". A última década parece atolada de acústicos, ao vivos, tributos e covers.
    As grandes gravadoras parecem ainda perdidas com os novos tempos, não sabendo criar um novo tipo de negócio que minimize os graves problemas atuais (pirataria e compartilhamento de músicas). Nesse ambiente, a regravação deixa de ser uma forma de exercício artístico para virar um cálculo empresarial. Invariavelmente, a regravação é a primeira música de trabalho, funcionando como um "gancho" para o disco novo por ser familiar. Pior ainda são aqueles que regravam os próprios sucessos ao invés de lançar material inédito.
    Seria maravilhoso se pudéssemos ouvir só regravações do quilate de "Superstar" com Sonic Youth, "Mesmo que Seja Eu" com Marina, "Hurt" com Johnny Cash, "Zumbi" com Caetano Veloso, "Respect" com Aretha Franklin etc.
     
  7. ombudsman

    ombudsman O Eto'o brasileiro

    Seu Jorge e Ana Carolina sempre pioram as musicas do Chico
     
  8. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    O caso dos acústicos daria até uma discussão a parte.
    No começo quando a MTV lançou essa proposta começou até muito bem. O Titãs que andavam em decadência conseguiram se reerguer graças ao seu acústico.

    E bastou o exemplo deles que todas as bandas que andavam meio em baixa na midia correram atrás como se fosse algo vital.. Não curto isso.
     

Compartilhar