1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Realengo

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Haleth, 8 Jun 2011.

  1. Haleth

    Haleth There's no such a thing as a mere mortal

    [align=center]real
    en
    go
    le
    em
    go
    tas

    dor
    de
    doze
    dois
    meses
    de
    pois

    reale
    grem
    reale
    ntem
    reale
    ngo[/align]

    [size=xx-small](pois é, peguei essa mania concretista agora. Fazer o que, né?)[/size]
     
  2. Mavericco

    Mavericco I am fire and air. Usuário Premium

    Lembra-me Haroldo de Campos:
    http://www.youtube.com/watch?v=J0GBxIAX7oA
    (final do vídeo)
     
  3. ricardo campos

    ricardo campos Debochado!


    Augusto de Campos (irmão de Haroldo) outro grande na arte concreta Maverico.Arnaldo Antunes também faz alguns muito bons. A Manu está postando coisas interessantes aqui nesse estilo, sou suspeito de falar porque gosto muito de poemas concretos.O poeta saindo da zona de conforto e navegando em águas profundas.:sim:.O mineiro Roberto Brum tem um livro muito interessante de poemas concretos. A nova geração não deixando a peteca cair.:sim:
     
  4. Mavericco

    Mavericco I am fire and air. Usuário Premium

    Confesso que leio pouca poesia concretista. Não consigo entender a grande maioria; e algumas eu acho que são muito subjetivas e pessoais. Não é o caso da Manu; algumas estrofes meu detector de metais pôde captar bem até:

    reale
    grem
    reale
    ntem
    reale
    ngo


    Onde o quarto verso lembra-me mais "ontem" que "alentem" propriamente dito.

    Ou em:

    dor
    de
    doze
    dois
    meses
    de
    pois


    Onde "de / pois" lembra-me mais desculpas (de pois, de porquês, de causas, de razões) que "depois", sinônimo de após.

    Mas é por aí mesmo. Aos trancos e barrancos vamos descobrindo novos feudos!
     
  5. Tayana

    Tayana Usuário

    Me lembrou movimentos literários também. Gostei Manu. ^^
     

Compartilhar