1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[Raphael S] [O Labirinto e a Saga dos Planos (Versão do Criador)] [L]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Raphael S, 26 Jan 2008.

  1. Lyvio

    Lyvio Usuário

    Primeiramente meus parabés por largar esse vico terrivel e danoso e segundo...não to acreditando muito nessa história de que joshi morreu não, mesmo tu dizendo isso..., tais blefando...
     
  2. Raphael S

    Raphael S Desperto

    - Acho que Joshi nos deixou o pergaminho. Não estava comigo quando apaguei.
    - Pelo visto ele pensou em tudo.
    - Bah... Era só um pirralho de lingua grande... Vem com o Papai. Esse tapabunda aqui tem dono.

    Rapidamente o ninja arrancou o pergaminho da mão de Jin-e e o colocou por dentro da roupa novamente, mas o samurai não se incomodou em discutir com ele. Se o pergaminho fosse importante os novos integrantes do grupo resolveriam aquilo... Mas Gru e Nagie observaram o ninja sem dizer uma palavra.

    - Hahhhhhhh... Quentim quentim... Now, Go to the Hell Tower! Vamos encontrar os macumbeiros aka magos de plantão.

    Fim do Primeiro Capítulo






    Capítulo 2 - Passado esquecido


    Bom crianças, estão tão quietas depois desta última parte... Não estão gostando da História?

    - Não é isso vovó... Mesmo assim, pensamos que Joshi não ia morrer.
    - É, eu não acredito que ele morreu assim vó.
    - Hah, é verdade mesmo, agora o Joshi vai ficar assombrando eles e tenho certeza que o Dark vai querer expulsar o espírito a espadada.

    Bom, como você conhece a história a fundo que tal continuá-la em meu lugar...

    - XIIIIIIIIIIIIIIIiiiiiii...
    - Tudo bem então, Dark se levantou e começou a liderar o grupo...AAAAAAAi... Queimou meu cabelo.
    - Hahahahaha!!!
    - Fantasma intrometido...

    Hehehe, obrigado GRU, agora vou continuar e se o mocinho interromper de novo pode fazer o que quiser.

    O grupo estava desconsolado com a perda do Joshi, mas pior que isso era terem que se arrastar com uma resmungona até a torre dos magos, Blublue os abandonou no primeiro dia e tentem adivinhar quem ficou reclamando por causa disso...

    - ANDAR TANTO ASSIM VAI ACABAR COM MEUS PÉS, O DRAGÃO TINHA QUE VIR E ME CARREGAR!!!
    - OLHA MENINA, O "MEU" DRAGÃO VIVE COM AGUA E GASTOU MUITO NAQUELA LUTA, ELE FOI SE BANHAR E NADA VAI FAZER ELE VOLTAR. ENTENDEU?
    - MAS ELE PODE PEGAR A ÁGUA E VOLTAR!
    - ELE NÂO VAI VOLTAR!!!

    Blublue realmente não voltou e o tempo passou, durante dois dias eles andaram e se alimentaram com frutas e caçando animais, até que na manhã do terceiro dia avistaram as quatro famosas pontas do alto da torre mágica, ela se erguia acima das copas de árvores densas e fechadas...
    Jin-e estava bem melhor e atento, mas foi Yume que viu algo se movimentando em uma das árvores...

    - BUAAAAAAAAAAA... EU NÃO AGUENTO MAIS ANDAR!!! ME LEVA POR FAVOR!!!

    Kalin se segurou ao Jin-e pedindo ajuda e Yume fez sinal para que ficassem atentos...

    - Há algo nas árvores.
    - Menina, o que você faz aqui afinal?
    - Não falei com você pedaço de pau.
    - Fia, primeiro, só eu posso chamar o toco de pedaço de pau. Second, se alguém obedeçesse cada asneira que tú falou ae eu já tinha feito o suicídio coletivo do grupo e terceiro... Terceiro... Vou coçar meu saco.

    Após horas ouvindo GRU discutir com a garota Jin-e estava quase se oferecendo mesmo para levá-la mas a situação de perigo estava acima dos desejos de Kalin que se escondeu atrás do enorme samurai. Todos puxaram as espadas instintivamente se preparando para um ataque, então, sem mais nem menos um garoto elfo pulou de cima de uma das árvores com um pequeno punhal e correu na direção do grupo gritando...

    - IAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!

    Dark que ia correr para atacar até tropeçou e parou ao ver que era uma criança... Só apoiou a espada e sentou no chão na frente do grupo...

    - E então? Mato o Piá?
    - É uma criança, pelos deuses!
    - Dark, Apenas o pare, vamos ver o que ele quer.

    O garoto já estava bem perto fazendo cara de bravo. Dark apenas pegou uma pedra no chão e atirou sem muito esforço na mão do garoto... A arma caiu, mas o pequeno estranho rapidamente se jogou pegando o punhal novamente com a outra mão e rolou até ERK dando vários golpes na armadura que apenas fizeram barulho se chocando contra o metal,no susto, ERK desarmou o menino com um tabefe mandando-o pro chão. E viu que a orelha dele era meio pontuda...

    - Elfos?

    Do outro lado muitos Elfos começaram a aparecer entre as árvores com arcos na mão. Então a velha gritou.

    - VIEMOS VER FRAEL!!!

    E assim um dos elfos veio caminhando até o grupo...

    - Mestre Frael está na torre. Não é certo virem aqui. Se querem ficar devem conhecer as regras.
    - Sim, eu conheço e respondo por eles que estão comigo.
    - Planejam ficar?

    Nagie pediu que o Elfo esperasse e se virou para o grupo.

    - Frael é o líder dos Elfos que protegem a Torre dos Magos, não estamos com sorte pois se ele não está os Elfos só podem permitir que uma visita fique aqui caso ela vença os Elfos em competição, se quisermos ficar teremos que lutar e ganhar para entretê-los. Uma vez dentro da floresta, se perdermos seremos expulsos e nunca mais poderemos pisar aqui sem a autorização de Frael. Os Elfos são muito teimosos às vezes. A pergunta é, vocês aceitam competir para que possamos ir até a torre? Respondam com sinceridade pois serão avaliados por este elfo agora.
    - Krai, tô dentro, até porque tô vendo umas elfas gatinhas nesse fim de mundo.

    Nagie torceu o nariz percebendo as intenções de Dark e como os outros acenaram que sim com a cabeça ela se virou para o mensageiro.

    - Aceitamos.
    - EU NÃO ACEITO NADA!!! EU NEM DEVIA ESTAR AQUI!!! EU DEVIA ESTAR SENDO BEM CUIDADA E ESTOU PASSANDO FOME! SOU UMA PRINCESA E NÃO POSSO LUTAR!!!EI ORELHUDO TRAGA ÁGUA FAZ DIAS QUE ESTAMOS ANDANDO!!! AGORA!!!
    - Você ouviu a menina, nós aceitamos e ela não. Deixe-nos entrar que ela fica aqui fora.
    - EEEEEEI! NADA DISSO! Eu aceito também, não vou ficar sozinha no meio do nada.
    - ...
    - Vocês têm autorização pra entrar.

    E assim o grupo avançou, quando alcançaram a entrada da floresta os elfos desarmaram os arcos. A Velha ia na frente conversando com o Elfo e os outros faziam uma escolta até chegarem em um elevador primitivo feito com troncos entrelaçados. Conforme subiam a vista mudava, havia uma cidade nas copas, pontes ligavam as árvores com casas redondas construídas de cascas e toras, tudo muito perfeito com a iluminação das tochas. Alguns Elfos usavam roupas feitas com folhas e as crianças correndo entre as pontes dava um toque de paraíso natural ao lugar... O grupo foi levado para uma das maiores casas onde se sentaram à mesa e foram servidos iguarías dos elfos...

    Para Jin-e serviram uma Pasta meio esverdeada em cima de uma grande concha... Nagie recebeu um pão também esverdeado enquanto Kalin agarrava uma cuia de água e bebia sem pensar ignorando as pequenas conchas com ervas enroladas que tinham servido para ela. Yume recebeu cascas doces de uma planta que ela adorava e Erk coçou a cabeça confuso quando colocaram um casulo na frente dele, havia um tubo de madeira em cima mas mesmo assim era um prato bem estranho.
    Dark cochichou algo no ouvido de um dos elfos perto da porta e ficou lá esperando antes de sentar-se à mesa.

    - Bom, então vamos comer que amanhã será um longo dia.

    Como ERK estava faminto, tentou de todos os modos se alimentar depois de beber água, ele mordeu o cano e cutucou o casulo tentando arrancar um pedaço, Nagie o olhava e ria dando uma mordida no famoso pão dos elfos...

    - Você tem que sugar o líquido de dentro Guerreiro, é grosso então puxe com força.

    Erk finalmente colocou a boca no tubo e fechou os olhos... Um forte gosto de mel, ervas e grãos moídos invadiu sua boca e ele engoliu feliz a refeição. Agradecendo a ajuda da Velha Nagie.

    - Tem muita sorte, eles gostaram de você pois deram o alimento mais energético para que recuperasse suas forças... Amanhã você deve estar novo em folha.
    - AMANHÃ? VAMOS TER QUE PASSAR A NOITE AQUI??? PPUUUAAAJJJ!!! QUE COISA HORRÍVEL É ESTA?
    - Hehehe, se chama Tiras do Caracol da grande árvore, antigamente eles sobreviveram desse alimento temperado com ervas, por isso geralmente servem para os mais orgulhosos.
    - NÃO DEIXA DE SER NOJENTO, CAJADO INTROMETIDO!!!

    Jin-e quebrou uma das colheres de madeira em duas partes e começou a comer a pasta ao estilo oriental... Nagie também estava atenta ao samurai e deu-lhe um conselho.

    - Desde que você chegou aqui não disse uma palavra. Eles não gostam de ser ignorados, podem não ter gostado da Kalin mas gostaram muito menos do seu silêncio e do seu olhar... Te deram a mesma comida que dão aos animais aqui, Ervas misturadas à base de um musgo. Eu sei que não é bom pois eles não deixam nenhum elfo comer isso.

    Mas Jin-e não respondeu, apenas enterrou os pedaços de colher no musgo e começou a comer. Ele estava muito insatisfeito em estar longe e Joshi era o elo que estava fazendo ele se manter focado e esperançoso em voltar. Os elfos que estavam ali observavam atentos os modos de cada um. Kalin atacou o pão de Nagie que a deixou comer e finalmente Dark voltou à mesa com um generoso casulo cheio de vinho.

    - Nada como a comunicação. I'm Ready!!! Hehehe.

    Enquanto Dark começava a beber, a refeição principal foi posta à mesa, era um delicioso porco assado... Que todo o grupo atacou automaticamente.

    Yume estava totalmente dispersa em pensamentos, aquele ambiente lhe trazia muitas lembranças, a infância dela na comunidade de elfos tinha sido bem parecida. Ela foi até uma janela e lá ela viu muitas crianças elfas chorando e orando no estábulo onde o porco havia sido morto. Yume sabia que matar e preparar aquele animal foi muito penoso para os Elfos e especialmente as crianças sentiram a perda, mas eles eram visita e as regras de hospitalidade tinham que ser seguidas. Yume voltou para a mesa e sem culpa pegou um bom pedaço da carne, como Elfa Mestiça não precisava se preocupar com aquilo e aquele pensamento fez com que ela se sentisse bem. Embora aqueles choros pudessem deixar uma sensação de culpa aos outros que ouvissem, Yume tinha os próprios choros da época da infância para lembrar. Quando estavam terminando a refeição um Elfo entrou na sala...

    - Organizem-se para dormir, cabem duas pessoas em cada alojamento de hóspedes. Já está tudo preparado.

     
    Última edição: 1 Ago 2008
  3. Dinaen

    Dinaen Bebendo com um

    nuss, dps d tanto tempo consegui postar aki ^^
    trabalhando o dia td, e estudando d noite, fika foda msm, ms tenho q ler pq a história ta boa msm =)

    nuss, joshi morreu msm? hsauhsausha
    vamos repetir essa pergunta muito ainda, pelo visto ^^

    opa, pelo q vi a elfa participará mais dessa parte, certo? eh soh um palpite hehehe

    Ah, Torre dos Magos eu tbm uso na minha história hsauhsausahuhsa

    Ps.: parabéns por abandonar esse vicio... tens meu apoio ^^
     
  4. Raphael S

    Raphael S Desperto

    Com um grupo tão diferente, claro que escolher entre eles era um dilema. ERK foi o primeiro a opinar.

    - Yume, coloque o Jin-e com o Dark e deixe a Kaline com a Nagie, assim poderemos ficar conversando.
    - Colocar o Jin-e e o Dark juntos?!! Acho perigoso.... O Dark esta bêbado, não sei se Jin-e vai conseguir ser paciente com ele e... Bem, estou cansada ERK, tenho uma idéia melhor... Jin-e dorme com a Kalin, e eu junto com a Senhora Nagie e você com o Dark... Viu?! Não eh perfeito assim?!!!
    - EU QUERO DURMI CUM MUIEEEE!!!!
    - Vocês precisam entrar num acordo, só iremos quando se resolverem e o bafo deste homem está me deixando enjoada.
    - Ainda bem que meu nariz de madeira não passa por estes problemas.
    - Hah... Não vou conseguir dormir com o Dark, eu preciso descansar. Se você não quiser conversar tudo bem mas eu prefiro dormir sozinho a ter que encarar o Dark bêbado.
    - Ok ERK, mantemos a sua idéia.

    ERK estava decepcionado por Yume não querer a compania dele, Yume estava muito cansada para discutir e Jin-e não quis entrar na briga aceitando o que decidiram. Por mais que Dark protestasse, bêbado como estava não teve muita opção e foi conduzido resmungando palavras incompreenssíveis... Kalin e Nagie foram para um dos quartos redondos enquanto que Jin-e e Dark eram levados para outro... ERK e Yume seguiram até o quarto depois que ela mordeu um último pedaço de carne e se satisfez...

    A noite e o silêncio tomavam conta do lugar quando a Elfa sentiu algo bater do lado de fora do quarto... ERK não chegou a acordar e ela se levantou cuidadosamente indo na direção de onde vinha o barulho... Yume abriu a porta e percebeu que havia algo mais acima de uma das árvores... O Vulto pulou e parou do outro lado da ponte de madeira de ligação entre as árvores... Éra o garoto elfo que tinha tentado atacá-los, ele puxou uma espada pequena e a desafiou, ventava mas ele se movia com muita confiança acompanhando o balanço da ponte...

    A algumas pontes de distancia... Jin-e foi acordado por uma mão o puxando pelo braço e pelas palavras generosas que Dark ainda bêbado começava a falar dormindo...

    - Vem aqui lindinha vem... Dá um beijinho no papai aqui... Yey...

    Duas breves lutas estavam para acontecer aquela noite.
    Yume deu poucos passos na ponte e olhou sem muita preocupação para o garoto, estava muito curiosa com aquela visita noturna.

    - Você de novo?? O que esta fazendo aqui a esta hora? Isso é hora de criança estar dormindo e não querendo lutar por ai, você deveria voltar pra casa, amanhã você vem brincar....
    - Posso ser criança, mas se eu derrotar um de vocês para o meu povo vou ter mais respeito... Vou mostrar a todos que mesmo não sendo puro eu posso vencer...

    E sem falar mais ele partiu ao ataque puxando uma segunda espada e atravessou a ponte em poucos passos com espadadas bem rápidas na direção dela... Yume se surpreendeu pois muitas lembranças começaram a aparecer nítidas na mente dela... A discriminação da comunidade dela pelo fato dela ser mestiça a tinham jogado na vida de pirata. E naquele momento Yume enfrentava a fúria de um garoto como ela... ERK acabou acordando com o barulho na ponte, mas não tinha idéia do que estava acontecendo e virou para o canto tentando continuar a dormir.

    - Agora entendo... Mas, desculpe... Não posso deixa-lo me derrotar...

    Yume desviou rápido e fácil dos primeiros golpes, mas o garoto era bem ágil e continuava atacando. Ela foi obrigada a recuar um pouco pois a ponte balançava com os movimentos dele. enquanto se defendia com a pequena espada contra as do garoto o pescoço da elfa começou a ficar dormente como se algo tentasse se libertar... Ela sentiu a caixa se abrindo e sabia que se continuasse assim algo ruim ia acontecer...

    - Pare de fazer barulho Yume!!! Eu sei que você fala dormindo mas pare de fazer barulho.

    ERK Finalmente abriu os olhos e percebeu que ela não estava mais ali com ele. Yume estava preocupada em parar a luta, não sabia o que podia acontecer, então uma chance apareceu e ela aproveitou.

    - YUME!

    Assim que o rosto de ERK apareceu na janela o garoto se descuidou e Yume segurou-o pelo braço com uma das mãos e o girou acertando-lhe as costas com o cabo enquanto voltava a mão livre contra o pescoço pra segurar a caixa quase aberta. O Jovem elfo foi facilmente pro chão derrubando as espadas que sumiram na relva abaixo das árvores... Yume correu para dentro do quarto e se escondeu debaixo dos cobertores de folhas assustada enquanto tentava segurar a energia que escapava pela caixa...

    - Pára, pára, pára... Por favor...

    ERK viu o brilho na caixa quando ela passou e também viu o garoto fugindo com raiva... Ele não sabia o que fazer, aquela situação estava além do controle. Estava prestes a puxar a espada e pedir ajuda à deusa quando o brilho parou e a caixa voltou ao normal.

    - Yume, você está bem?
    - ...Estou ERK... O garoto... Ele está bem?
    - Está sim, mas pela cara que fez, foi embora morrendo de raiva.
    - Eu entendo ele...
    - Entende? O que aconteceu afinal, eu pensei que ia matá-lo.
    - Eu não sei o que aconteceu ERK, mas entendo o garoto, pode apostar que entendo. É coisa de elfo, vamos dormir ok?

    ERK se calou e voltou a deitar... Era muito tarde e Yume estava estranha. Talvez no dia seguinte ela resolvesse conversar.
    A reação de Jin-e foi severa e rápida, pegou Dark com uma mão e o chutou pela janela. Para a sorte do ninja havia um piso de madeira e ele ficou caído ali mesmo... Feliz da vida com a imagem da Yume e um galo na cabeça...

    - Lol, e daí que ela tem aquelas orelhas pontudas... Ela é gostosa pra Cacet... E tem um chute...

    Jin-e ainda olhava o corpo do ninja quando foi surpreendido por uma flecha que atingiu a entrada do quarto, abriu a porta e viu que na flecha estava um pedaço de papel com instruções indicando um lugar da cidadela dos Elfos...Ele nem se preocupou em ver quem tinha atirado a flecha, estava de mau humor e apenas caminhou até o lugar indicado atravessando as pontes. Quando chegou no ponto certo encontrou um Elfo o esperando. Era um Elfo bem grande com uma espada de lâmina verde. Ele estava em posição de luta com a espada erguida e aguardava que Jin-e se posicionasse. Não precisava ser dito nada, estava claro que a intenção era desáfiá-lo e o samurai não estava afim de lutar.

    - Você não é melhor do que nenhum visitante nosso e seu silêncio nos ofende.

    O Elfo então girou a espada sobre a cabeça e algumas folhas de árvore se desprenderam dos galhos flutuando em volta da lâmina da espada...

    - Mostre o seu melhor e quando você perder mencionaremos que se esforçou. LUTE!

    O Elfo deu uma batida no cabo da espada e as folhas voaram na direção de Jin-e como Flechas afiadas, as mais perigosas que acertariam pontos vitais Jin-e conseguiu reter com a espada, mas muitas folhas passam pelo ombro, braços e até pelo rosto do Samurai e um pouco de sangue gotejou no chão... Jin-e estava sangrando a uma distância de cinco passos de seu oponente e não estava com o menor ânimo para lutar. Apenas respondeu com um olhar que desconcertaria qualquer aldeão de sua terra mas que infelizmene não funcionava com um elfo.As folhas começaram novamente a se reunir na espada verde e quando o segundo ataque veio Jin-e girou a espada ancestral fazendo com que as chamas aparecessem e assim queimou a maioria das folhas que cairam pelos lados formando desenhos em brasa no ar. O Elfo puxou a espada para baixo indignado ao ver que seria inútil usar as folhas novamente.

    - Você irá conhecer a superioridade dos Elfos, guerreiro.
    - Sou um samurai e não vejo propósito nesta luta.
    - É a nossa vontade, você não tem escolha.

    Jin-e deu um passo pra trás pisando na plataforma e cortou as cordas da ponte com um único movimento. O Elfo soltou a espada e se segurou agilmente nas cordas enquanto a ponte caía, assim que se viu em segurança olhou Jin-e nos olhos claramente indignado com a ação do samurai...

    - Sempre há uma escolha. Não estou aqui para tirar a vida de ninguém, apenas me deixem em paz.

    O samurai voltou para o quarto e foi dormir. No dia seguinte todos foram acordados cedo... Os Elfos os levaram até uma área maior entre as árvores, era uma plataforma grande e havia uma tábua com dizeres na lingua dos Elfos dividida metade para os Elfos e a outra metade para os visitantes com um ponto em cada lado. No centro da plataforma uma Elfa vestida de azul com um cajado na mão começou a falar...

    - Duas pontuações foram definidas esta noite dando pontos a cada um dos lados. Uma das pontuações foi adiada porque um dos visitantes se recusou a lutar. Precisamos continuar as classificações que devem se definir ao fim desta noite, cada um de vocês escolherá entre AGILIDADE, FORÇA, CRIATIVIDADE ou RESISTÊNCIA e não poderão escolher a mesma modalidade. De acordo com o resultado final deixaremos que continuem o caminho até a torre ou serão exilados não podendo retornar sem a autorização de Frael.

     
    Última edição: 9 Ago 2008
  5. Dinaen

    Dinaen Bebendo com um

    putz véi, foi foda o dark agora xD

    q bom q nao fumou mais, e segue escrevendo ae
    keremos mais :]

    Ps.: Joshi, onde está vc? hsauhsaushausah
     
  6. Lyvio

    Lyvio Usuário

    Gente to meio sem tempo, vão dando continuidade que acompanho devagar.
     
  7. Raphael S

    Raphael S Desperto

    Nagie e Kalin estavam meio emburradas... Algo havia acontecido pois Yume leu os nomes delas no placar, uma tinha ganho e a outra perdido. Ela também avistou o garoto mestiço entre os Elfos que estavam ali enquanto Jin-e avistava o rival da noite anterior no meio do público. ERK foi até Nagie esperando que houvesse uma saída para aquela situação.

    - Temos mesmo que competir com eles?
    - Sim ERK, são as regras daqui, Frael inventou isso pra definir as coisas quando ele não está, por mais estranho que pareça é assim que funciona, os elfos gostam das competições. Se pelo menos Frael estivesse aqui as coisas seriam mais fáceis, não precisaríamos passar por este incômodo.
    - E o que aconteceu ontem com vocês?
    - Não quero falar nisso.
    - A velha feiticeira foi derrubada por um mago Elfo.
    - Quieto Gru!
    - Deixe de orgulho você perdeu, foi culpa minha também, estava dormindo.
    - E a Kalin venceu?
    - Ela tem a mão mais pesada do que parece, a menina que tentou atacar ela levou um soco certeiro e bateu a cabeça na parede.
    - Eu preferia que ela que tivesse batido a cabeça para parar de reclamar ontem, mas foi um golpe de muita sorte.
    - Sorte? Vocês estão me dizendo que ela derrubou uma elfa. Isso é incrível.
    - A Elfa não parecia muito bem, acho que eles escolheram mal.

    A elfa que deu as explicações olhou para o ERK e sem levantar a voz continuou.

    - Meu nome é Efryne, Se tiverem alguma dúvida perguntem. Vocês podem escolher agora.
    - Eu fico com resistência...
    - HUAHUAHUA!!! PEGOU A MINHA PROVA!!!

    ERK se virou e deu de cara com o ninja rindo, Dark chegou atrasado mas estava muito bem humorado.

    - Como assim sua prova?
    - Calma homem de lata, você vai ver.
    - Dark, isso aqui é sério, o que você andou aprontando?
    - Only in aproach mode... Conhecendo o povo local, fazendo truques, etc... Quer ver eu tirar uma shuriken da sua orelha?
    - Dark...
    - Agilidade... É a minha escolha.

    Yume interrompeu os dois, ela não quis dar tempo para Jin-e ou Dark escolherem pois sabia que seria a melhor em uma prova de agilidade. Jin-e seguiu a linha de raciocínio dela.

    - Bom eu fico com força. Nosso estranho amigo deve ser mestre em criatividade.
    - Yeap... Sábia decisão.

    Efryne apontou para um jovem elfo e começou a explicar a prova de resistência.

    - O desafio consiste em se segurar e resistir às aves, quem cair primeiro perde.

    Apesar de parecer uma prova infantil, ERK viu que havia um lugar preparado acima de onde eles estavam com cipós amarradas no sentido horizontal onde muitos pássaros diferentes descansavam... Havia uma escada para subir e uma rede de cipós fortes pra evitar a morte na queda. O Jovem elfo subiu a escada se preparando para segurar uma das cordas.

    - Esperem, foi acrescentado algo... Vocês terão que beber vinho até que um dos dois caia. Não entendo o porque da modificação mas está aprovada.
    - HAUhuahuahuahuauh!!!!

    Dark sentou gargalhando e um garoto elfo sentou-se junto com ele... Não dava pra saber como mas Dark parecia que tinha conseguido um seguidor no meio dos Elfos.

    - Eu criei essa modificaçãozinha, o muleque só foi soprar no ouvido de quem tava organizando a bagunça... Agora que você pegou meu jogo... Play the Game Man!!!HUAHUAHUAHUAHUA!!!
    - Vinho?!? Ninja maldito... Achei que ia preferir criatividade...

    ERK subiu e teve ajuda para se pendurar pois o primeiro cipó era muito fino e arrebendou, ao sinal retiraram a sustentação dos dois competidores... O elfo mais leve se deu bem, assim que agitaram as cordas começou a desviar das aves que voaram entre eles se chocando. Apesar da armadura ter protegido ERK contra os impactos das aves, o peso da armadura começava a castigar os dedos... Dois bolsões com vinho foram erguidos à frente deles enquanto o público olhava para cima vendo a estranha batalha... O elfo se jogava para um lado e para o outro, desviando e bebendo enquanto ERK ficava parado sendo acertado inúmeras vezes. O guerreiro tentou trapacear babando o vinho por dentro da armadura para beber menos mas as mãos doíam muito e ele sabia que não ia agüentar muito tempo... Éra preciso pensar rápido pois outra bolsa de vinho estava a caminho.

    - Droga eu devia ter tirado a armadura...

    Ao tentar retirar uma das partes da armadura ERK não aguentou e caiu. Dark que aproveitava para beber o vinho da prova continuava rindo do esforço do guerreiro. Um dos Elfos riscou a tabela marcando o ponto para os Elfos e Nagie olhou preocupada...

    - Terão que se esforçar mais, se não vencermos nunca saberemos o que está acontecendo na torre.
    - Venha perdedor.

    Com a ajuda moral do mal humorado GRU, ERK saiu da rede e voltou ao grupo e Efryne começou a explicar a prova seguinte...

    - Não esperavamos que esta prova fosse ser tão rápida, mas vencemos facilmente. O próximo desafio é uma corrida para testar a agilidade de vocês, e pelo visto será elfo contra elfo, o objetivo é chegar até os limites da cidadela... Vocês começam nas pontes e depois descem pelo elevador e continuam a corrida. Quem conseguir chegar primeiro no elevador terá muita vantagem nesta prova. Temos conferentes na linha de chegada que vão confirmar o vencedor.

    Um outro garoto Elfo estava se aquecendo para a prova, era mais jovem e parecia bem esperto. Yume se aqueceu rápido, as poucas horas de sono não a haviam afetado e ela se sentia bem... Ao sinal de largada os dois começaram a correr, mas logo na primeira ponte Yume percebeu que aquilo não seria tão simples... Quando os dois pisaram juntos na ponte e ela balançou forte desiquilibrando Yume e para piorar o pequeno elfo mestiço também estava correndo em uma ponte paralela a eles.
    Yume tentou abaixar para retomar o controle mas o garoto Elfo percebeu e deu um pisão na ponte fazendo com que a elfa fosse jogada pra cima, depois deu uma cambalhota e continuou a correr. Yume percebeu rápido o jogo do garoto e usou a agilidade que tinha adquirido nas batalhas em tempo de tormenta para usar os balanços como impulsos e assim pôde continuar na disputa. O Elfo tinha conseguido uma boa vantagem e alcançou o elevador ao mesmo tempo que o mestiço, eles puxaram a corda guia e começaram a descer. Yume percebeu que teria que esperar o elevador subir novamente e aquele atraso definiria o vencedor então sem pensar se aguentaria o peso ela rasgou duas tiras de pano da roupa enrolando-as na palma da mão e pulou segurando na corda para controlar a velocidade da melhor forma pudesse. No elevador os dois garotos discutiam.

    - Você não deveria estar aqui. Esta é uma prova apenas para Elfos.
    - E você devia calar a boca e se concentrar, ela está descendo.
    - QUÊ? Huh?
    - Posso não ser totalmente elfo mas percebi isso antes que você...
    - Apenas fique fora do meu caminho, vai ser punido por interferir.
    - Eu não me importo. Sei que posso terminar antes de vocês.
    - O que está tentando provar? Você ficará por último como sempre. Este é o seu lugar.
    - Então se prepare para engolir o que falou.
    - Seu mestiço irritante.

    Após a rápida disussão os dois garotos se prepararam e pularam assim que ficaram perto do chão. Estavam com uma boa diferença quando Yume conseguiu descer para seguí-los. Subitamente os dois desviaram de um caminho reto e contornaram uma grande árvore. Yume era uma pirata experiente mesmo nas missões em terra, ela sabia que para terem evitado aquele caminho havia um bom motivo mas para complicar as coisas o pescoço dela voltou a formigar obrigando-a a segurar a caixa. Usar o caminho reto era perigoso, mas parecia a única chance para ultrapassá-los.

    - DROGA!!! Eu posso controlar... Eu posso controlar...

    A vitória estava em jogo, enquanto energia se formava na caixa ela avançou correndo e atenta conseguiu perceber pedaços pontiagudos de madeira camuflados a poucos passos de onde estava se dirigindo.

    - Ok quer sair? Então faça seu trabalho, destrua!

    Diminuindo de velocidade ela parou bem na frente da armadilha soltando a caixa que se abriu na mesma hora. O espectro avançou mas não destruiu apenas a armadilha como ela queria, ele seguiu reto destruindo a vegetação em direção aos dois garotos que ainda brigavam entre sí... Eles não tiveram tempo de reagir... O espectro atravessou o corpo do elfo que caiu instantaneamente no chão e quando deu a volta o mestiço se jogou para o lado desviando... O rosto de Yume empalideceu quando o espírito entrou e se fechou na caixa... no rastro de destruição ela podia ver claramente o jovem elfo mestiço sentado olhando-a assustado. Ambos sentiam que não precisavam ir até o competidor caído para constatar que ele estava morto...

    - O...Que?O que você fez?

    Ele olhava para Yume sem acreditar e esperava que ela dissesse algo...

    - E-Eu não .... Naum era a intenção... Isso... Não era para ter acontecido...

    Os Elfos da chegada viram tudo o que aconteceu. Eles vieram andando e pegaram o corpo do elfo morto que estava com a pele enegrecida em volta do ponto atingido. Quando voltaram para a cidadela dos elfos e explicaram o que aconteceu... Efryne ficou surpresa mas se recompôs rapidamente... Um silêncio mórbido se formou enquanto um ponto foi marcado para os visitantes por decisão dela.

    - Como o segundo corredor não pôde mais completar a prova este ponto é de vocês...
    - Eu não queria que isso acontecesse, foi um acidente.
    - Todos sabíamos dos riscos, havia armadilhas no trajeto, você se saiu bem. Agora a próxima prova...
    - PÁRE!!! Não fale assim, ele morreu. Você não pode simplesmente continuar as provas, temos que enterrar o garoto.
    - Não sei de que comunidade você veio, nem a quanto tempo está com estes humanos, mas aqui nós seguimos as regras.
    - Vocês sempre seguem essas malditas regras. Maltratam até mesmo os que nasceram diferente mas vivem com vocês.
    - Estes humanos corromperam você, mas sendo nossos convidados vocês vão seguir as regras desta comunidade ou terão que sair.
    - Yume, deixe... Não vale a pena. Você sabe que isso não vai ajudar.
    - Está bem, esquece seu orgulho não é Yume, engole ele!!! EU ME ORGULHO DE ESTAR COM OS HUMANOS!

    Nagie tocou no ombro dela e Yume abaixou a cabeça ofegante, estava com raiva mas sabia que Nagie estava certa, já tinha tido discussões semelhantes quando era pequena e nunca havia adiantado. Yume havia procurado abrigo no mundo dos humanos mas não era a solução para ela, era apenas menos pior que a compania dos outros elfos e aquilo a machucava por dentro. Dando as costas para Efryne, foi para um canto tentar tirar aqueles pensamentos da cabeça mas nenhum dos elfos parecia apoia-la nem mesmo com um olhar cumplice, apenas olhavam como se ela tivesse feito uma grande ofensa.

     
    Última edição: 21 Ago 2008
  8. Lyvio

    Lyvio Usuário

    Consegui ler ya massssa XD.

    Pensei que os elfos teriam uma reação mais complicada contra a yume.
     
  9. Dinaen

    Dinaen Bebendo com um

    Joshiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiii.
    hsahasuhsausahsauh

    véi, o dark eh foda meu, como ele consegue fazer essas paradas?
    kero soh ver quando chegar a prova dele, vai ser igual bilbo e gollum xD

    manda mais ae kra, q assim q der eu leio ^^
     
  10. Raphael S

    Raphael S Desperto

    - A Próxima pontuação será definida por força, a prova consiste em escolher um objeto mágico e levantá-lo sem ver, cada um tem seu peso e age de uma forma... Se conseguir levantar e manter o objeto no ar enquanto contamos até dez continuaremos para o próximo objeto...

    Jin-e e o Elfo que o tinha desafiado foram vendados e duas elfas passaram as mãos deles perto de cada um dos seis objetos mágicos que um mago elfo criou para a prova...

    O Primeiro objeto emanava calor, o segundo frio, o terceiro estalava, o quarto não fazia barulho, o quinto borbulhava, e o último objeto tinha cheiro de mato.

    - O visitante escolhe o primeiro objeto... Lembrando que não pode deixar o objeto cair.

    Jin-e pensava no porque daquelas pessoas com orelhas pontiagudas vestidas com plantas e outras coisas estranhas estarem dificultando tanto a passagem deles por alí. As palavras de Yume tinham feito sentido pra ele, Jin começava a apreciar ainda mais a força interna que ela tinha. Sabendo que não tinha muita escolha entre seguir as regras ou acabar lutando contra inocentes ele escolheu o segundo objeto por ter passado dias frios guardando o círculo em sua ilha amaldiçoada ele achou que não teria problemas. O que o samurai não sabia era que no mundo de Karenata a magia dos elfos podia tornar o frio natural insignificante... Jin-e teve suas mãos guiadas até o objeto e o puxou para cima e apesar do objeto não ser muito pesado ele sentiu os dedos sendo envolvidos pela dor de um frio além de qualquer um que tivesse imaginado antes.

    - 10...9...8...

    E o frio endureceu os dedos até os ossos... Era como se ele estivesse perdendo as mãos...

    - ...7...6...5...

    ...ele constatava que elas tinham virado pedra...

    - 4...3...Desclassificado.

    O resultado era amargo mas mesmo tentando com muito esforço não se abalar, por um momento Jin-e sentiu fogo se acendendo pelos braços e derrubou o objeto no chão... O espanto quanto aquela sensação nova de frio foi tão intenso que os espíritos ancestrais dele foram invocados inconscientemente... Assim que uma elfa veio e tirou a venda ele pode ver espantado o cristal de gelo caído no chão. Era algo que ele nunca tinha visto antes... Ao olhar para os outros objetos ele percebeu que aquela tinha sido uma péssima escolha... O Primeiro objeto era uma bola de fogo, o segundo era o cristal de gelo, o terceiro era uma argola de raios, o quarto uma grande pedra, o quinto um cubo de água e o sexto uma planta estranha... Para piorar o Elfo escolheu e segurou a planta durante os dez segundos bem no alto da cabeça, e mesmo com as mãos todas ensangüentadas após um ataque de espinhos da planta, não desistiu... Se retirou rindo do samurai e vitorioso foi se tratar deixando mais um ponto foi marcado para os Elfos...

    - Você está bem?
    - Meu braço está um pouco dormente mas sei que está melhorando, o que foi aquela coisa?Era frio demais.
    - Se chama gelo, não sei como era no seu mundo Jin mas aqui temos terras que ficam cobertas de algo parecido com aquilo.
    - Um terreno mortal e amaldiçoado, eu presumo.
    - Hehehe, de certa forma amigo. Aquilo que você segurou foi fruto de uma magia dos Elfos, mas eu tamém já consegui algo semelhante com a minha espada. Nos demos mal mesmo nestas provas.
    - E você está bem ERK?
    - O orgulho um pouco ferido mas tudo bem, vai passar.
    - Desculpem eu ter perdido esta. Se meus ancestrais não tivessem tentado me proteger eu teria segurado até o final.
    - Eu só queria entender porque a minha espada não funciona com você e a magia dos Elfos funciona.
    - São regras entre os planos ERK. Foram tirados de um pergaminho que nunca mais foi encontrado a muito tempo atrás.
    - De que regras está falando Nagie?
    - Os três mundos são diferentes e as pessoas dos três mundos também. A história se perdeu durante todos estes anos mas o que restou fala da existência dessas regras. Talvez a nossa magia humana não possa agir diretamente nos samurais, eu também tentei curar ele e não consegui, por outro lado a dos Elfos funcionou.
    - Mas ERK derrubou alguns samurais com magia.
    - Isso porque é a espada da Deusa. Os deuses estão acima destas regras. A única variação que já encontramos foi Ala... Joshi.
    - JOSHI???
    - Sabemos que o pai de Joshi era elfo, mas a força dos poderes dele nós nunca pudemos entender... Ele era a mais habilidosa e poderosa criança de sua idade de toda a Torre e não foi escolhido para esta missão apenas por ser filho da Celes, ele era o único com chances de sobreviver ao labirinto.
    - O Joshi... é meio elfo?

    A cabeça da Yume parecia girar com aquela informação... O sentimento de perda dela havia aumentado, Joshi também era como ela.

    - Humm... Agora estamos nas mãos daquele louco do Dark.

    Assim que ERK terminou de falar Efryne já estava com as regras da última prova e começou a anunciá-la.

    - Chegamos a prova de criatividade, acima das árvores está nosso pássaro festeiro. Ele tem este nome pois é atraído por música e cores, onde houver algo interessante e animado, ele estará perto... A prova consiste em atrair o pássaro e pegá-lo "Sem machucá-lo". Caso alguém machuque o pássaro será deslassificado...Vocês terão magos Elfos à disposição que farão magias materiais e hipnóticas do que vocês quiserem para entreter o pássaro. Vocês só não podem falar o que querem, terão que imitar ou fazer gestos para que os magos criem seus itens...
    - Eita, meu pequeno ajudante vai ser meu rival???
    - Vamos lá moço humano.
    - É Dark fio, Dark. D A R K. Understand?
    - SIM!
    - Essas crianças... Yeap, Let´s Go!

    Nagie se aproximou de Dark e falou para que apenas ele ouvisse...

    - Tente ser bem descritivo nas ações porque os magos vão fazer o que entenderem e pode não ser exatamente o que você quer.
    - Relaxa tia, e assiste.

    O pequeno elfo era confiante mas tinha gostado muito do jeito do Dark, assim sendo deixou ele começar a prova. Dark olhou para cima e viu um pássaro muito estranho com longas patas e uma espécie de frufru de penas no topo da cabeça, era amarelo andava de um jeito engraçado e olhou Dark de volta com os olhos arregalados e expressivos.
    Dark deu uma enorme gargalhada e todos se olharam, não entendendo o que estava acontecendo com ele... Assim que se sentiu satisfeito ele se calou e apontou para as jarras de vinho que sobraram da Prova do ERK e começou a fazer gestos para que multiplicassem aquele vinho e assim eles fizeram tomando grande parte do espaço alí com Jarras de vinho.. Em seguida Dark pegou a espada do ERK e a colocou contra o sol fazendo o reflexo atingir o chão. Os Elfos encheram o lugar de Reflexos e muitos tiveram que tampar os olhos para não serem ofuscados. Começou a apontar outras cores e com um pouco de dificuldade os Elfos fizeram a vontade dele e logo toda a plataforma estava iluminada com várias cores sob o sol fraco da tarde... A Ave olhava curiosa mas não se mexia e o elfo sorria imaginando que a prova estava ganha quando Dark fez seus últimos pedidos... Após ter conseguido Música dos Elfos ele pegou o vinho e o bebeu e fingindo que estava bêbado, até alí não era novidade para o grupo... O que fez toda a diferença mesmo foi quando ele apontou para a multidão e os elfos magos entenderam que teriam que obrigar todos a fazer a mesma coisa, naquele ponto a história mudou radicalmente...

    - Hã? Já acabou??? Hic?

    Duas horas haviam se passado, os elfos alí nem lembravam das caras assustadas que fizeram quando Dark completou o serviço. Todos em volta estavam dançando e caindo bebados... Dark abraçado com a ave dava uma risadinha enquanto também embebedava o animal pensando se continuava ou não a festa... Yume e ERK bebiam juntos e Jin-e sorria ao ver os elfos finalmente se divertindo.

    - Bah, Vô tenta caça um elfa gatinha bem beuba pra mim jah que a Yume soh qué o afeminado do ERK. Essa festa vai vara a noite e o passarinho baladero vai seh o nosso mascote. Huahua.

    Yume estava bem tonta por causa da bebida. E ERK já estava sem a parte de cima da armadura todo feliz sendo abraçado por ela.
    - Eeeee! Darkinho, meu herói!!!
    - Ei... Eu sou o ERK! VENCEMOS!!!
    - É impressão minha ou estamos dançando sozinhos??!! Ahhh... E essas luzes?!! .... São tão lindas!!!

    Apesar das luzes já terem acabado com o início da noite, Yume estava tão alterada que acreditava que os vagalumes que rodeavam o lugar ainda faziam parte da dcoração. Dark estava atravessando a plataforma indo em direção a uma bela Elfa quando Yume apareceu e deu um beijão nele. Ela não percebia que estava bêbada demais assim como os outros...

    - Uia... Vem aqui!
    - Hahahahaha!!!

    Mas logo ela correu para fugir e perseguir vagalumes. Os Elfos cantavam e começaram a trazer comida de dentro das casas redondas. Muitos caiam nas redes de proteção e ficavam lá mesmo...

    - Gezz... Ok, de volta ao plano B...

    Jin-e estava alegre mas bem consciênte... O efeito não tinha sido tão forte nele e o samurai estava acostumado a bebidas fortes. Mas ele não era o único que não estava sendo totalmente afetado pela magia dos elfos.

    - O que você queria? Deixar magia elfa ser usada dessa maneira é um desperdício...

    Virando-se Jin-e deu de cara com o cajado discutindo com Nagie e também viu Yume arrastando ERK semi nu vindo na direção dele.

    - JIN-E!!!VAMOS DANÇAR!!!

    O samurai coçou a cabeça olhando pros dois e depois olhou para GRU e a maga.

    - Que desperdício... que desperdício de magia...
    - Fique quieto GRU, deixe o povo se divertir.
    - Aquele Ninja é louco, a maioria dessas pessoas teria morrido por causa dessa estupidez.
    - GRU, continue atento pra ninguém cair da amurada e eu não quero mais falar sobre isso. A festa vai continuar.

    Vendo que não tinha muita escolha Jin foi com eles. Nagie estava mais preocupada em impedir que os elfos caíssem da rede então seria melhor ele continuar a se divertir naquela festa. Havia mais uma pessoa com a mesma opinião do GRU, mas não havia nada a ser feito naquele momento e a festa seguiu o resto da noite.

     
    Última edição: 3 Set 2008
  11. Lyvio

    Lyvio Usuário

    kkkkkkkkkkkkkkk, esse capitulo foi uma comédia... o drak fez loucura até ganho bejin de yume lol....continue ta ótimo.
     
  12. Raphael S

    Raphael S Desperto

    Na tarde seguinte Jin-e foi o primeiro do grupo a acordar e viu alguns elfos arrumando a bagunça da noite anterior, havia muita comida no chão e enfeites rasgados por toda parte... Jin lembrava de ter sido beijado pela Yume e estava meio desconcertado. Yume e todos os outros não estavam em seus juízos na noite anterior... Yume abriu os olhos sentindo algo em cima de si e viu que estava numa carroça de palha com o pássaro festeiro dormindo em cima dela... ERK acordou abraçado com a armadura e Dark saiu de uma das casas com uma Elfa toda desarrumada com um grande sorriso no rosto...
    Já era bem tarde e Efryne também tentava se recompor...

    - Ponto... Pros visitantes...
    - Mas isso empata e como vão resolver essa coisa idiota? Todos nós já competimos.

    Kalin estava bem levantada na frente da Elfa esperando uma resposta... E a resposta veio da maneira mais inesperada possível...

    - Ainda falta um último componente do grupo de vocês...
    - Você ta doida? Não tem mais ninguém...
    - Vocês... ainda tem o Cajado.
    - QUÊ?!Huh?
    - Depois que comerem e se arrumarem voltaremos com a última prova que será a disputa de magia.

    E assim a Elfa saiu para curar a dor de cabeça enorme que estava sentindo. Dark pegou outra bolsa de vinho e um pouco de carne.

    - Eis o remédio. Santo Graal!!!Oh My God!

    Yume ouviu as palavras da Elfa e olhou para o pássaro lembrando vagamente que deu um beijo no Dark ou talvez no Jin-e na noite anterior.

    - Ufa, podia ter sido pior... Preciso de um banho.

    Jin-e começou a fazer perguntas para os elfos e conseguiu um pouco de atenção. Um jovem elfo contou pra ele que com itens mágicos pessoas sem inclinação natural podiam fazer magias, ele também contou que um grupo de Magos na torre ajudava a desenvolver esses itens e aperfeiçoar as magias que se espalhavam pelo reino e por isso a torre mágica era tão importante.

    Anoiteceu e o grupo foi alimentado e levado de volta ao chão, lá em uma extremidade de um círculo desenhado com folhas estava um cajado verde cravado em pé na terra. Nagie cravou GRU na outra extremidade dentro do círuculo antes que Efryne começasse a falar, Yume e Kaline não estavam com eles mas os elfos avisaram que viriam depois...

    - Bom, esta é a última prova e vai definir se vocês têm ou não permissão de seguir adiante. Deixarei que três de vocês possam participar desta prova. Quando iniciar vocês dirão um meio de defesa para o tipo de ataque que lançarei do meu cajado contra o de vocês. Caso haja uma falha em um dos modos de defesa, o cajado ira receber o dano. Depois vocês têm chance de criar um ataque para seu cajado usar e eu tentarei defender. O cajado que conseguir resistir será o vencedor. Como será combinado, apenas dois de vocês podem escolher o mesmo ataque ou defesa. Eu provavelmente não precisarei combinar mais de dois tipos contra vocês.
    - Estou preparado, esse pedaço da madeira verde não vai ter chance.
    - ATAQUE Planta venenosa.


    A elfa não esperou para atacar GRU, várias raízes com espinhos começam a crescer dentro do círculo .

    - EEEEEEeei, não é assim não fia, eu vou defender nosso toco.

    Dark deu um passo à frente e uma linha azul apareceu no chão vinda de GRU formando um circulo de energia menor ligando-o ao cajado.

    - DEFESA Lâminas de vento seu cajado veiu!!
    - Não entendi direito... O que nosso cajado pode fazer?!?!
    - Circulo de fogo nessas plantas malditas.

    A mesma coisa aconteceu com ERK e Jin-e. Quando Nagie viu que ERK não tinha entendido ela tentou explicar o mais rápido que pode pois sem a escolha de ERK a defesa seria enfraquecida.

    - É um círculo de magia para duelos dos elfos... Neste duelo vocês podem invocar praticamente qualquer tipo de magia que vai ser usada pelos os cajados. Não deixem que GRU seja destruído, se vocês estão no comando então FAÇAM AS COISAS DIREITO!!!

    Nagie acabou de falar e a defesa saiu combinada, o fogo interrompeu as plantas com eficácia e o vento afastou as plantas fazendo cortes invisíveis, mas por estarem com pouca força um dos espinhos conseguiu atingir GRU e Efryne sorriu...

    - Bom, agora o cajado de vocês vai começar a perder força com o veneno. Aproveitem seus ataques... Vocês terão poucos.
    - GRU, desculpe, você está bem?
    - Estou ERK, concentrem-se e escolham bem escolhidos agora é hora do nosso ataque!
    - Destrua a terra e derrube esse cajado.
    - Bah, que buraco nada samurai, Gru, ATAQUE Chuva de fogo!!!
    - Para completar eu escolho tempestade de raios!!!

    A terra dentro do círculo começou a tremer e pequenas núvens negras se formaram, a tempestade de raios e fogo estava pronta pra atacar.

    - Redoma de vento combinada com escudo de vento!!!


    Quando o chão sumiu a partir da fissura formada pelo ataque um forte vento manteve o cajado elfo no mesmo lugar impedindo que as vibrações avançasseem sobre ele, a chuva de fogo foi barrada pelo escudo de vento caindo para os lados. Mas os raios atingiram em cheio e lascas de madeira do cajado dos elfos cairam no chão após ele absorver o dano, Efryne era orgulhosa e não queria usar um terceiro tipo de defesa e isso custou a ela um belo prejuízo.

    - ATAQUE TEMPESTADE DE GELO!!!
    - Só gelo? Uia que mulher burra. Gru Barreira de fogo completa contra o pedaço de pau número 2.

    Uma barreira de fogo cobriu GRU de todos os lados inclusive por cima, ERK sorriu e também preparou sua defesa.

    - Pra que bloquear, Gru evite os pedaços de gelo com vento!!
    - Ok, vou dar mais força a defesa de vento e quero que ela sopre o gelo de volta ao cajado, assim temos um contra-ataque mesmo em defesa.
    - Orraaaaaaa!!! Eu bolo um churrasquinho e vocês tem que assoprar???Ceeeeeerto!!!

    Assim o cajado dos elfos tomou mais um consíderável dano e a elfa deu um passo pra trás olhando com raiva para eles.

    - Não foi tão forte assim, o cajado de vocês já está começando a perder a força.
    - Ainda é nosso ataque portanto GRU aproveite o frio e devolva outra tempestade de gelo pra ela.
    - BOA HOMEM DE LATA!!! Eu quero um ataque de porcos... PIG ATACK!!!
    - DARK!!!
    - Ouch, tô pensando no churrasco pós prova uai!
    - GRU, folhas cortantes, são pequenas e bem difíceis de defender.
    - TIME STOP!!!

    O gelo e vários porcos apareciam indo para cima do adversário quando subitamente paralizaram no ar. A escolha do Jin-e não foi afetada por ter aparecido depois então as folhas se chocaram contra o gelo e começaram a girar se espalhando por todo o círculo e ferindo os dois cajados. A Elfa caiu e se levantou. Ela estava ferida pelos cortes e também furiosa.

    - Vocês vão pagar por isso... Tenho mais alguns ataques antes que o tempo volte ao normal, Pixies vampiras, ATAQUEM!!!

    Muitas fadinhas vermelhas aparecem em volta de Gru voando em volta dele.

    - Afe ateh para o tempo eh? Intaum belezaaa... Rajada de Vento! Hummm... vocês fazem essas gatinhas em tamanho normal?
    - Dark...
    - Ora, vamos gente? Seis num gosta de muié? Vamos até fazer um favor mandando elas pro cajado não é GRU?
    - Isso aqui é sério, se perdermos não podemos continuar.
    - O ERK está certo. Você pode se concentrar nos ataques?
    - PAREM DE DISCUTIR, ESTÃO PERDENDO A DEFESA.
    - Droga!

    O vento tinha sido muito fraco e as Pixies atacaram GRU Sugando uma boa quantitade da força dele, os três sentiram o efeito do ataque e Dark ajoelhou no chão perdendo as forças.

    - Kraiu, que isso?
    - Vocês também são atingidos com o cajado.
    - E agora que você fala velha?
    - Bom, creio que vocês só tem mais um ataque e com a força que restou não vão sobreviver...
    - Mas você também não irá suportar quando seu Time Stop se dissipar certo?
    - Preocupe-se com você cajado intrometido, você vai perder antes da minha mágica terminar.
    - Vamos ao ultimo ATAQUE então.
    - Intão eh assim! Coloca tudu ki vc tive nesse ultimo ataque seu cajadu velhu!!Abraço de Gaya, quero bracinhos de terra puxando esse FDP pro túmulo. Nome bunitu ein??
    - Bom, como não tem jeito, Tempestade de fogo!
    - Vou juntar umas cobras venenosas ao ataque do Dark.
    - Bom humanos, farei a terra tremer para vocês.

     
  13. Lyvio

    Lyvio Usuário

    Piriguete bebada não? boazinha ela parece muito na dela.
     
  14. Raphael S

    Raphael S Desperto

    Um terremoto começou no círculo e as garras de terra se desfizeram mas as cobras conseguiram atingir o alvo, marcas de dentadas apareceram no corpo da elfa, a tempestade se desfez sem efeito chocando-se na área onde o tempo estava paralizado...

    - Agora vocês não tem energia pra evitar meu ataque... Valeu a pena deixar atacarem novamente.

    Ela falava meio vacilante com o efeito dos ferimentos mas continuou o ataque...

    - Agulhas venenosas pra terminar o serviço... ATAQUE.

    Apareceram agulhas vermelhas no ar apontadas para Gru do outro lado da magia paralisada.

    -Vamos lá, GRU, um último esforço! ENTERRE-SE!
    - Putz essa vadia num si acaba!!! E perai, enterrar??? Que magia suicida é essa ERK?
    - GRU se tiver um pouco de energia ainda tenta usar vento para desviar as agulhas contra o outro cajado.
    - O que podemos fazer? Acho que vamos perder essa luta.
    - Você já perdeu a defesa ERK, de novo, isso não vai ajudar.
    - Mau ERK, mau menino...

    As magias de Gru sairam fracas mas ele conseguiu se enterrar, mesmo assim algumas agulhas o alcançaram e ERK se ajoelhou sentindo as pontadas... O vento nem chegou a alterar muito a força das agulhas... A Elfa sorriu e quando o ataque terminou GRU lentamente foi retornando a posição inicial todo sujo de terra...

    - ...

    Efryne não teve tempo de demonstrar o susto ao vê-lo retornar, o time stop terminou e todo o gelo da tempestade e os porcos destruíram o cajado elfo que caiu em pedaços. Ela caiu ensangüentada do outro lado do círculo... Nagie andou até GRU e o recolheu do chão.

    - Nunca... Nunca mais deixe eu me arriscar assim.
    - Não reclame, eles foram bem.
    - ... Isso porque eu que quase morri lá não é?
    - *rs* Ela não sabia da sua resistência ao veneno...
    - É... E também não sabia que se posso te aturar por todo esse tempo, eu posso aturar os outros também.
    - Não reclame, se não fosse por mim você estava morto agora.

    Os elfos recolheram Efryne e o pequeno elfo mestiço saiu detrás de uma árvore indo até o grupo. Os círculos mágicos desaparecem debaixo dos pés dos três vencedores.

    - Como eu sabia o que queria usar? O que fizeram com a minha cabeça?
    - Calma Jin, nós ficamos um tempo conectado e vocês tiveram um pouco de acesso ao meu conhecimento mas devo dizer que no começo vocês pensaram sem mim, foram criativos.
    - Of Course, aliás, porque diabos eu usaria martelos de fogo quando sei que porcos é muito melhor?
    - Não vou discutir isso com você Dark.
    - Ei humanos, vocês têm autorização para ir até a torre... E eu queria ir com vocês

    Kaline e Yume desceram o elevador artesanal acompanhadas por uma Elfa, tinham tomado banho e estavam com as roupas limpas e arrumadas, o grupo estava junto novamente e com um possível novo integrante.

    - Goooood, carregue a bagagem.
    - Vocês não tem bagagem.
    - Ok, ok guri... Arrange algo pra carregar. Apenas fica de bico fechado e carrega algo que tá no grupo.
    - Não Dark, ele não vai conosco.
    - Prurque? O outro pirralho podia, eu tento não matar esse.
    - Vem comigo garoto.

    Yume puxou o pequeno para um canto e ele olhou bem nos olhos dela com o mesmo olhar obestinado de quando se encontraram na ponte.

    - Você não pode vir conosco.
    - O homem de preto disse que eu posso e eu quero ir.
    - O homem de preto não manda no grupo e ir conosco não vai resolver os seus problemas. Você é muito novo, precisa crescer e ficar mais forte antes de sair daqui.
    - Mas vocês tinham um garoto que nem eu no grupo, aquele homem disse que não vai me matar, eu só não quero continuar neste lugar onde me odeiam.
    - Eu sei como se sente, mas o garoto que estava conosco morreu por minha causa e eu não quero passar por isso de novo. Me escute, fique bem forte e então saia deste lugar.
    - Você não sabe como me sinto, porque eu deveria te dar ouvidos?

    Ele estava quase explodindo de raiva, Yume devolveu o mesmo olhar e deu alguns passos em direção ao grupo mas parou e disse as últimas palavras antes de ir embora.

    - Eu também sou uma mestiça. Antes era uma vergonha, mas hoje me orgulho disso. Se for fraco e vier conosco eu mesmo te mato.

    Yume se juntou ao grupo e eles adentraram a floresta indo de encontro a famosa torre. O pequeno não a seguiu, ele entendeu finalmente que a raiva não ia fazer dele melhor que os elfos.

    Fim do segundo capítulo.



    Capítulo 3 - A Torre Mágica

    Já andavam a algum tempo e Yume olhou para trás quando o olhar do Bravo apareceu novamente na mente dela deixando-a tonta por um momento... Assim que a estranha sensação passou ela viu que estavam nos limites da floresta dos Elfos avistando a famosa Torre Mágica comentada em toda Karenata. Eram guiados pela fraca luz que GRU emanava nas mãos da Velha Nagie e assim que chegaram à Margem ela ditou algumas palavras mágicas fazendo um rastro de terra aparecer acima das águas para o grupo poder passar, do outro lado podiam ver a luz na entrada da torre, mas ao dar os primeiros passos...

    - AAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHGGGG!!! TEM UM BICHO AQUI!!!

    Kalin se segurou no braço do ERK que estava logo atrás dela, A velha não chegou a olhar para trás e continuou atravessando o caminho...ERK olhou pra baixo e um caracol marinho virou as antenas pro lado da garota totalmente alheio a situação e continuou o lerdo passo atravessando a faixa de terra de volta para a água...

    - Humpf, nada demais, menina mimada.
    - Mas essa coisa é nojenta!!!
    - "Escuta aki minha fia, acabou o vinho eu não to com o mínimo de sako sobrando, mais uma dessa e tu vai aprender a nadar. Noob.
    - Ai, Dark... Deixa de ser grosso com a menina... Não se preocupe Kalin, ele eh chato assim mas tem lá suas qualidades... Errr... Não to lembrando de nenhuma agora, mas ele tem sim...

    Empurrada, Kalin pisou com nojo por cima do bicho atravessando a faixa de terra e logo todos chegaram do outro lado onde uma porta aberta da torre mostrava um ambiente fino do lado de dentro cheio de espelhos e cristais flutuantes. Assim que entraram o brilho de GRU mudou formando uma escada de cristais no meio da sala sem saídas, a porta atrás deles se fechou desaparecendo e a escada não parou continuando a se formar...

    - O que foi GRU? Ande logo com isso, não temos tempo a perder...
    - É cajado chato, quanto mais cedo vocês resolverem isso, mais cedo eu me separo de vocês...
    - Hum...A porta nem deveria estar aberta e eu não parei a escada... Protect.
    - ARMADILHA!

    Mal Nagie percebeu o que estava acontecendo e GRU lançou a magia sobre si mesmo e a sala toda escureceu. Todos foram atingidos pela escuridão e por um som ensurdecedor que os derrubou como se caíssem em uma escuridão sem fim... As conseqüências do que estava por vir entrelaçaria ainda mais o destino dos três daquele ponto em diante...

     
  15. Dinaen

    Dinaen Bebendo com um

    hasuhsausahuashsa
    véi, o dark ta começando a me lembrar um camarada meu hsauhasuashuash
    muitob bizarro msm
    parabéns, ri muito aki
    xD
    mals a demora, tava com uns probleminha, mas ja estou d volta ^^

    agora eh a Torre hehehe
    vo ter q trocar o nome na minha história xD

    manda mais ae kra
     
  16. Raphael S

    Raphael S Desperto

    Segundo Capítulo Especial - A Vida de Bravo... O Torneio.
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    Última Carta de Elyene a irmã.

    "Alessa, já faz quase um ano que eu enfrento esta situação... Depois que Bravo veio pra cá e acabou com seu casamento eu pensei que vocês ficariam juntos, mas vejo ele saindo em jornadas e vocês não tomam nenhuma atitude... Enquanto isso fico com uma esperança egoísta de que vocês briguem e eu possa tê-lo para mim... É muito difícil continuar esperando e me sinto mal por pensar assim. Estou tomando uma decisão que será melhor para nós duas, vou embora amanhã e..."

    Carta interrompida...

    - DROGA!!! Já faz duas semanas que eu olho para isto e não tenho coragem para terminar...
    - Hum... Sem inspiração?
    - Black? O que faz aí?
    - Estava passando e ouvi você xingar...
    - Não é da sua conta...

    Outra pessoa pisou no belo e impecável piso de madeira da casa da Elyene, era Bravo, a jovem puxou a carta enrolando-a...

    - É sobre quem tia?

    Em seguida o rosto sapeca do Senshi aparecendo por baixo do braço do Bravo mostrou que o samurai não estava sozinho.

    - Humf... O que querem aqui?
    - Eu vi algumas pessoas estranhas ontem de noite... Contei pro Bravo mas só tivemos tempo agora... Querem dar uma saída pra ver do que se trata?
    - Boa tarde Black e Elyen, gostariam de vir conosco? Eu e Senshi vamos partir logo, vocês vêm?
    - É Elyene! Vão sozinhos. Está tentando ver o quê? Deixe-me sozinha com meus afazeres, provavelmente é algum grupo de viajantes... SENSHIIIIIIIIIIIII!!!

    O Garoto pulou que nem um gato tomando a carta da mão da Elyene e ela puxou uma espada da parede na mesma hora... Correndo para fora atrás dele.

    - DEVOLVE!!!!
    - Ficou nervosaaaa. É importante!!!

    Black olhou Bravo com um misto de interrogação e despreocupação e caminhou até o lado de fora da Casa para ver no que a perseguição ia dar...

    - Bom, vou com vocês, não estou querendo ficar em casa. Mas e o que vai fazer quanto aos dois?

    Elyene corria atrás do Senshi que tinha dado a volta e vinha na direção do Bravo pronto para entregar a carta...

    - Yare Yare...Vou ter que dar um jeito nesses dois anh?

    Bravo segurou Senshi e tomou a carta da mão dele. Estava curioso mas não queria arranjar problemas com Elyene.

    - Hatashi!! Quantas vezes eu te disse pra não pegar coisas dos outros???...Desculpe Elyene...
    - Mantenha esse moleque longe das minhas coisas.
    - Então, vamos Black, já que a tia Elyene não vem, né?

    O papel estava amassado e Bravo o segurou tentando ler algo mas um animal pulou rápido arrancando-o da mão do Bravo e o entregou a Elyene.

    - Hah, obrigado Koteru.

    O cachorro se coçou um pouco e como de costume olhou para o Bravo, como sempre, nos olhos.

    - AU!!!
    - E... Koteru... VOCÊ ESTÁ SUJANDO MEU PISO!!!
    - AUFF!!!
    - SAIAM DAQUI!!! ME DEIXEM EM PAZ!!!

    Enxotados pela jovem sairam da casa e após alguns minutos estavam no meio da floresta procurando os estranhos.

    - Bom Bravo... Devia ser aqui.
    - Ora garoto, não tem nada aqui.

    Então algo pulou de cima de uma árvore fugindo e Koteru saiu atrás correndo em disparada...

     
    Última edição: 11 Set 2008
  17. Lyvio

    Lyvio Usuário

    Bem, esse é o tipo de capitulo chato que tem que ter sempre para organizara historia, já percebi, ou não?

    O ultimo antes do especial foi bom.
     
  18. Raphael S

    Raphael S Desperto

    - Hey, parece que Koteru achou algo!!

    Os três correram atrás de Koteru que corria em disparada... Após algumas árvores Bravo pressentiu que aquilo podia ficar perigoso...

    - Estamos indo ao precipício.

    Finalmente conseguiram ver o fugitivo, era uma espécie de demônio, feito de carne viva e corria desesperado fugindo do Koteru. Assim eles foram se aproximando de um lugar conhecido pelos habitantes da vila como poço das almas. Era uma rachadura no solo de aproximadamente vinte metros com pedras íngremes e cortantes que significavam morte certa para qualquer escalador despreparado. Algumas pontes faziam a travessia de um lado a outro da rachadura e eles seguiam para uma destas pontes, A fissura tinha uma névoa branca que dava ao lugar o nome que tinha, era difícil ver alguma coisa abaixo...

    - Bravo, tem algum plano? Precisamos fazer o cachorro parar.
    - Senshi! Este é o bumerangue com lâminas? Tente cortar as cordas do outro lado da ponte, assim o demônio não vai ter como passar!!

    Senshi pegou o bumerangue e tentou... A arma foi para longe e muito rápida como se uma rajada de vento a levasse e Senshi parou com a mão estendida como se o controlasse... Mas ao bater na corda da ponte o bumerangue apenas caiu...

    - DROGA, Muito longe!

    O demônio continuava fugindo e Koteru não desistia da perseguição... Assim que o demônio atingiu o meio da ponte Bravo viu que não conseguiria alcança-los apenas correndo.

    - Vou resolver isso de uma vez.

    Com confiança Bravo tocou na caixa abrindo-a e o espectro saiu atravessando rapidamente a distãncia e desviando de Koteru. O Demônio pareceu sentir a energia do espectro pois quando estava perto de ser atingido apenas apontou o dedo pra trás e com um movimento fez o espectro voltar, Bravo não queria acreditar no que via mas o espectro desviou de Koteru e voltava com a mesma sede de sangue na direção de quem estava na frente, Senshi.

    - Hatashi!! Cuidado!!

    Bravo puxou o garoto e ordenou que o espectro voltasse para a caixa. Assim que a caixa fechou Bravo sentiu medo que seu espectro pudesse se descontrolar novamente e matar um de seus amigos, Senshi havia sido salvo por pouco.

    - Koteru! Volte!
    - Acho que está um pouco além da minha capacidade ajudar vocês nisso Bravo. Chame o cahorro e amanhã deixamos armadilhas pela área.

    Senshi ainda corria chamando o cachorro. O demônio parou do outro lado da ponte e puxou uma espada de metal contorcido de dentro do próprio corpo, Koteru estava a pouco de alança-lo e o demônio apenas sorriu ao cortar as cordas da ponte... Senshi viu o cão desaparecer em queda livre em meio à névoa do abismo...

    - KOTERU!!!NÃO!!!

    Senshi pulou e um vento o impulsionou para cima, ele chegou perto da borda da ponte e olhou para baixo sem saber se ia conseguir salvar Koteru mas deu alguns passos para trás tomando coragem para pular...

    - Droga...Koteru... Calma Senshi!! Nós vamos dar um jeito de trazer o Koteru de volta!

    Bravo agarrou Senshi pouco antes do pulo, mas o garoto ainda se debatia tentando se soltar...

    - Droga, Droga, como eu deixei isso acontecer!!
    - É MEU CACHORRO!!! EU...EU POSSO SALVAR ELE!

    Tudo aconteceu tão rapidamente, havia uma angústia no peito do Bravo... O Demônio já tinha desaparecido e nem era mais tão importante... Os uivos do cão caindo junto com a ponte era perturbadora... Olhando para baixo só havia a névoa, nada mais...

    - Ninguém desce lá embaixo mas nós tentaremos ok? Amanhã traremos cordas e faremos o que for possível.

    Black estava sendo gentil, era difícil aquela reação vinda dele...

    - Black, não podemos esperar até amanhã, o pior pode acontecer!! Não tem nenhuma corda por aí?
    - Claro que não, não sabíamos que isso ia acontecer.
    -Vamos até a vila buscar cordas Senshi! Não podemos deixar Koteru lá!
    - Vamos logo Bravo, ele deve estar machucado.

    Eles voltaram para a vila, mas começava a anoitecer e um resgate naquelas condições seria dificil...

    - Eu sabia que não daria tempo.
    - Bravo?
    - Alessa?

    Black respondeu primeiro mas Alessa estava em uma janela olhando para eles... Senshi correu para longe sozinho vendo que não iam conseguir voltar a tempo.

    - O que estão fazendo? Onde foram?

    Alessa era muito bonita, seu rosto era claro como marfim, e o olhar preocupado dela deixava Bravo desconcertado. Ela era nobre, a tradição em forma de pessoa e mesmo usando uma roupa simples passava a impressão de alguém superior. Saiu vestindo um kimono azul com desenhos de mulheres fazendo trabalhos diários de tear e pintar.

    - Err...Oi Alessa, como vai?
    - Não desvie a conversa Bravo, o que vocês três faziam na floresta juntos. O Black não estava implicando com vocês estava?
    - Eu só fui pra ajudar o garoto. Não estou interessado em ouvir isso vindo de você.
    - Bom, nós acabamos de perder o Koteru...Ele caiu em um abismo, o Hatashi esta muito abalado, eu acho melhor eu ir dar um pouco de consolo a ele...Com licença.
    - Black, calma. Porque você sempre age assim?

    Bravo deixou os dois discutirem e atravessou uma parte da vila sabendo que não era muito difícil saber onde Senshi estava... Em momentos de tristeza ele subia em uma arvore antiga e olhava para o horizonte. Bravo o encontrou encolhido num dos galhos e foi fácil perceber as lágrimas rolando nos olhos do garoto que já havia ajudado Bravo a sair de boas enrascadas.

    - Não era pra isso acontecer... Porque ele apareceu afinal se eu ia perder ele? É seu cachorro, mas quem cuida sou eu... SNIF... Você nem tem idéia das coisas que ainda vão acontecer... EU... Eu... Não quero perder ninguém.

    Era uma situação difícil.

    - Você tem razão Senshi, mas já passamos por muitas situações difíceis. Não é uma que vai nos abalar certo? Amanhã vamos descer aquele abismo e achar o Koteru, então tudo vai ficar bem e vamos pegar aquele demônio maldito. Ok??
    - ...Se você diz.
    - Também gosto do Koteru, mas não posso perder você também naquele abismo.
    - ...Eu... Eu entendo. Sabe, um dia teremos que nos separar também.
    - Bom... Achoq ue temos que aproveitar este tempo juntos. Todos perdemos pessoas Senshi, não somos eternos, mas não perdemos Koteru ainda. Podemos procurar por ele.
    - Tá... Tá bem... Eu preciso entender isso... Eu tenho uma missão perigosa a cumprir ainda e tenho que aprender a controlar este sentimento de perda.
    - Você é apenas uma criança, não exija demais de sí mesmo.
    - Bravo... Obrigado por cuidar de mim.
    - Hahahahaha, eu achoq ue é você que cuida mais de mim Senshi, mas temos que descansar agora, vem comigo?
    - Vou ficar mais um pouco...

    Bravo viu que Senshi parecia um pouco consolado mas não ia sair dali tão fácil. Saber que ele estava melhor deixou o samurai mais tranquilo e ele deixou o garoto ficar na árvore. Ja era noite e haviam tochas acesas na vila e em piras coloridas... Ao passar por um pequeno espaço entre duas casas Bravo foi jogado contra a parede por uma mão bem decidida e conhecida.

    - COMO VOCÊ TEM CORÁGEM DE ME DEIXAR SOZINHA COM O BLACK DEPOIS DE TUDO O QUE ACONTECEU? E QUE HISTÓRIA É ESSA DO KOTERU? BLACK DISSE QUE IRIA AO AMANHECER RESOLVER ISSO, MAS SENSHI NÃO VAI FICAR SEM AQUELE CACHORRO! NÓS VAMOS RESOLVER ISSO AGORA MESMO ENTENDEU?

    Uma mulher prevenida vale por duas, Alessa estava com uma roupa de luta bem mais justa e carregava cordas enroladas no ombro... Ela falava alto e decidida olhando Bravo nos olhos e esperando qualquer reação da parte dele... Não era uma boa idéia enfrentar o abismo de noite mas com Alessa as coisas difíceis ganhavam um novo significado, era muito difícil dizer não a ela...

    - VAMOS DIGA ALGO? DO QUE PRECISA?

    "Droga, não devia ter deixado ela lá com o Black"

    - Claro que eu gostaria de salvar o Koteru agora mesmo!! O Senshi está inconsolável!! Mais você sabe tanto quanto eu que não é prudente ir agora! Amanhã de manhã logo cedo nós vamos resolver isso ok?

    "Ela não vai me deixar em paz..."

    - Então eu vou sozinha, quem sabe eu também caio no precipício das almas. Sinceramente eu esperava mais de você.

    E assim Alessa saiu andando rumo a floresta...

    "Nossa...O que eu sou?? Uma mulher tem mais coragem do que eu?? Eu sou tão estúpido a esse ponto??"

    - Ei Alessa!! Espere!!Não vou deixar você correr esse risco sozinha!

    Alessa parou e deu um sorrisinho vitorioso, mas logo fechou a guarda novamente...

    - Hum... Não podia esperar menos de você.

    Os dois demoraram pouco tempo para chegar ao precipício, ela estava preocupada por isso não falava muito, mas ao começar a dar nós nas cordas da ponte arrebentada ela iniciou um diálogo.

    - Então... Já faz quase um ano... Vamos casar?
    - O demônio que cortou essa ponte era muito forte e...CASAR??!!??? Err...Acho que esse não é o momento certo para falar nisso Alessa, só temos que salvar o Koteru...

    Brava ela amarrou a corda na cintura e se jogou para baixo...

    - VOCÊ ESTÁ ME ENROLANDOOO!

    Por alguns momentos Bravo não ouviu nada e ficou preocupado, então finalmente ouviu a voz dela...

    - Bravo, me puxe de volta, é muito alto e não dá para ver nada lá embaixo. Precisamos de mais cordas.

    Algumas luzes começaram a aparecer vindas do interior da floresta e elas pareciam se aproximar de onde eles estavam.

    - TEM ALGUMA COISA VINDO PARA CÁ!! SUBA RÁPIDO!!

    Bravo viu o rosto dela novamente e estendeu a mão... Quando ela alcançou a mão dele finalmente conseguiram ver o que estava acontecendo... Alessa colocou cabeça na borda do precipício vendo junto com Bravo uma grande caravana de viajantes com tochas enfeitadas e muitos samurais diferentes os seguindo... Um dos primeiros olhou diretamente para Bravo e perguntou.

    - Olá, Viemos para o Torneio, veio vai nos conduzir à Kaeijatei, Campeão?

     
  19. zannah

    zannah The Red

    Menino, cada vez que leio, fico mais interessada :joy:

    Parabéns pelo ótimo trabalho

    :abraco:
     
  20. Lyvio

    Lyvio Usuário

    Esse foi muito bom, kkkk, e essa de casar foi muito engraçado, e o koteru, morreu mesmo?
     

Compartilhar