1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[Raphael S] [O Labirinto e a Saga dos Planos (Versão do Criador)] [L]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Raphael S, 26 Jan 2008.

  1. Raphael S

    Raphael S Desperto

    Ela ficou muito surpresa pelo fato do Senshi saber exatamente onde a técnica ia acertar. Bravo não pensou duas vezes dando um pequeno salto à frente e desviou da cobra que apareceu, ele ficou irritado por não ter percebido sozinho o truque e aproximou-se rapidamente deixando o pano enrolar na espada para desferir um golpe com o cabo no abdômen dela. Ainda surpresa Elyene girou o corpo de baixo para cima puxando a espada do chão e fez um corte no peito de Bravo antes de cair sem ar ajoelhada no chão a um passo dele. Bravo sentiu o metal frio percorrendo sua carne, uma sensação horrível que começava a se transformar em dor. Levantou o braço por instinto e aplicou uma coronhada com o cabo da espada para terminar o serviço.

    - Tome isso #@%$&*, desgraçada!Durma de uma vez!

    Ela não conseguiu resistir muito e apagou com o golpe... Com ódio nos olhos o Juiz concluiu...

    - VITÓRIA DO BRAVO E SENSHI!!!

    O público gritava extasiado com a frieza de Bravo ao apagar a garota... O Arqueiro olhou preocupado para a arena enquanto que Senshi se aproximava de Bravo...

    - Ela vai acordar furiosa... O que você vai fazer?
    - EU QUE ESTOU FURIOSO SENSHI!!! ELA TENTOU ME MATAR!

    Ele tentava se conter sem sucesso, mas quando olhou novamente o corpo dela tombado no chão foi desarmado pela expressão inocente de Elyene desacordada... Por ela parecer indefesa e frágil, Bravo começou a se sentir culpado e com medo dela tentar fazer mal a sí mesma quando acordasse...

    ”Maldição essa foi uma vitória vergonhosa, me sinto muito mal por isto, mas devia acabar logo, só espero que ela tenha apagado antes de eu dizer aquelas palavras.”

    Seu peito ardia e ele encarava o público com frieza, pegou Elyene no colo agüentando a própria dor e a carregou pra fora da arena indo na direção da casa onde estava hospedado... O dono da casa o interrompeu no meio do caminho.

    - Não vai entrar com ela, minha casa vai ficar mal falada.
    - Bravo, no acampamento do Torneio tem lugar pra cuidar dela.
    - ... Hum... Obrigado Senshi.

    No acampamento do torneio haviam mais homens cuidando dos ferimentos. Enquanto um deles cuidava de Bravo, Senshi ajudava o homem que cuidava de Elyene...

    - Senshi... Quem é você afinal? Você conseguiu ver uma técnica que nem eu pude ver. O que você está fazendo aqui?
    - Eu vim aqui porque minha mãe me mandou... Ela quer que eu aprenda a lutar. Mas eu não queria estar aqui Tusa... Eu queria ver minha mãe.

    ”Pobre garoto... Abandonado por uma mãe irresponsável e eu aqui tentando revirar seu passado. Batí numa mulher e estou magoando um garoto... No que estou me tornando neste maldito torneio?”

    - Quando você decidir procurar sua mãe eu te ajudarei Senshi. Procuraremos ela juntos e eu contarei como foi corajoso neste torneio.
    - Obrigado Bravo.

    Apesar de Senshi ter respondido calmamente seu rosto mantinha tristeza enquanto estava de costas para Bravo... Quando caminharam de volta para a arena ele já estava um pouco mais animado, mas evitava falar muito, ao se aproximarem ouviram rumores estranhos da luta entre Shoat Su e Zoru

    - Eu nem sabia que esse tal de Zoru ia ter mesmo que lutar. O nome dele está sozinho na placa.
    - É porque você saiu durante a luta. O Juiz explicou que Zoru ia enfrentar o lutador que estivesse em melhor estado dos perdedores...
    - Como assim?
    - Ele ia lutar só contra o perdedor que se saísse melhor em cada rodada. Como nenhum dos perdedores estava em condições de lutar, o Juiz fez ele lutar contra um dos vitoriosos para ver se sobreviveria.
    - E o que aconteceu moço?
    - Hah, oi garoto, estava ouvindo né?
    - Hurrum.
    - Zoru parou as flechas de Shoat Su com as mãos.
    - Hã?
    - É, foi estranho mas aconteceu.

    Estava no ar um clima de mistério e surpresa de quem tinha visto a última luta... As lutas finais aconteceriam no dia seguinte e os dois aproveitaram para comer nas barracas da cidade. Assim que Senshi se afastou alguém puxou Bravo pelo braço, ele se virou e Elyene estava acordada tentando controlar a raiva...

    - VOCÊ!.. Você...Shhh...Você trate de sobreviver... Porque depois do torneio teremos outra luta. Só eu e você, sem aquele garoto.

    Ela se virou rápido e foi embora, parecia meio pertubada... Senshi voltou e ao ver Bravo pensativo o olhou com uma expressão de interrogação mas não perguntou o que aconteceu... A tarde e a noite se foram e eles dormiram...


    - AS LUTAS DA SEMIFINAL IRÃO COMEÇAR EM ALGUNS INSTANTES... AGUARDEM!

    Era dia novamente, o céu estava nublado e Bravo esperava a continuação do Torneio com Senshi. Shoat Su estava perto rodeado por muita gente, muitos arqueiros como ele estavam apoiando-o com palavras de incentivo... Shoat Su ouvia a todos mas olhava para Bravo tentando disfarçar sua preocupação.

    ”Mas o que aconteceu na luta entre ele e o tal de Zoru? Se o ferimento no braço dele estiver ruim então não preciso me preocupar. Mas se ele estiver fingindo?”

    Enquanto pensava parou os olhos sobre o jovem simples e solitário com quem tinha conversado antes do início do torneio, estava do outro lado de fora da arena sentado no chão como quem espera um amigo ou comida.

    ”Zoru??? Será que é ele? Mas ele nem é um guerreiro... Não... Seria absurdo.”

    - SHOAT SU, BRAVO E SENSHI, ENTREM NA ARENA!!!

    O arqueiro entrou com uma faixa amarrada no ferimento, quando Bravo foi entrar um garoto pequeno, da idade do Senshi falou algo que só para ele ouvir...

    - Não machuque meu irmão, por favor!

    ”Criança... Não é justo... Não me dá escolha senão tentar poupar a vida do arqueiro...”

    Bravo entrou olhando pro garoto e se posicionou esperando a autorização pra começar a luta. O tempo fechou e os primeiros pingos de do que parecia uma tempestade se formando caíram na arena...

    - Ele não vai ser fácil Bravo.
    - Eu sei... Estamos na mesma direção do vento, espero que isso nos dê vantagem contra as primeiras flechas. Assim que o Juiz autorizar eu quero que atire seu bumerangue de costas para mim como combinamos. Consegue ser preciso Senshi??
    - Mas de costas??? Num intendi...
    - LUTEM!

     
    Última edição: 8 Jun 2008
  2. Excluído014

    Excluído014 Excluído a pedido

    Meus fãs eu cheguei....eiéé...

    Voltei..só vou por a leitura em dia...ai vc posta de novo..
     
  3. Raphael S

    Raphael S Desperto

    A luta começou e Bravo não teve tempo de dar mais instruções, se jogou puxando o garoto e depois rolou no chão para escapar das duas primeiras flechas...O arqueiro olhou o movimento e respirou fundo atirando outra flecha que quase acertou Bravo... Senshi levantou o bumerangue mas não teve tempo de atirar pois outra flecha arrancou o bumerangue da mão do menino. Aproveitando e com raiva Senshi correu para cima do arqueiro enquanto a chuva desabava com toda força sobre Agridash´s Bay... Era um movimento suicida, com sua velocidade e precisão incrível o arqueiro instintivamente puxou e preparou mais uma flecha mas enquanto o alvo se aproximava Shoat Su deteve o ataque... A ponta da Flecha estava a poucos palmos e apontada para o centro da testa do menino e o braço de Shoat Su tremia com o ferimento... O garoto podia ser facilmente morto mas Senshi aproveitou a hesitação do arqueiro para desviar e acertar um fraco soco no estômago dele.

    - ESTRAGOU MEU BUMERANGUE!!!
    - Garoto... Sai daqui...

    A flecha atingiu o solo de areia da arena se enterrando até mais da metade e Senshi foi derrubado no chão com um chute rápido do arqueiro...

    - Droga, Porque deixaram uma criança participar...

    Shoat Su se virou tentando se defender... Sabia que tinha cometido um grave erro perdendo tempo com o garoto e Bravo aproveitaria este erro... Mal se virou e o samurai estava escorregando na areia molhada se jogando em um golpe para cima dele, a lâmina da espada atravessou o ar em direção ao arco e Shoat Su girou na horizontal acompanhando o movimento saindo ileso do ataque... Em seguida a madeira do arco atingiu a testa de Bravo antes que um vento forte arremessasse Shoat Su longe... Os dois estavam caídos e Senshi se levantava no meio deles... Um vergão surgia na testa de Bravo mas a chuva agia aliviando a dor.

    - Quebrou meu bumerangue e machucô meu braço.

    ”Mas que #@¨&$! Vento é esse?Amaldiçôo a mãe natureza por afastar Shoat Su de mim, de volta ao objetivo inicial... Além de conseguir me aproximar novamente agora tenho que tirar Senshi do caminh... Porra!”

    - Porra!

    Sem conseguir completar o pensamento Bravo se levantava. Shoat Su rolou rápido pra trás se levantando assustado e preparou outra flecha que saiu com pouca força mas destreza suficiente pra atingir o braço de Bravo, a dor da flecha cravada nos músculos era aguda e o sangue gotejou na areia se misturando com a água da chuva. Shoat Su puxou outra flecha e Bravo chegou a pensar que era o fim...

    - Renda-se, não quero matá-lo. Você tentou poupar várias vidas e não quero tirar a sua.

    Bravo concentrou-se em ignorar a dor, só precisava de um pouco de tempo pra se acostumar com ela e ao ser piedoso Shoat Su estava dando o tempo que ele precisava.

    - O que faz... Você pensar... Que ganhou esta luta?
    - Minha flecha está apontada para o seu coração. Apenas se renda e me dê a vitória. Ninguém aqui precisa da vitória mais que eu.
    - Bravo, o que eu faço?
    - Apenas afaste-se Senshi, ele não vai tentar te matar, e eu sei que se tentar você sabe se defender. Deixe ele pra mim, ele é meu!
    - Ora seu...

    Shoat Su soltou a flecha no meio da frase e muitos não viram direito o que aconteceu mas o arqueiro viu claramente o samurai puxar a espada na direção do coração e a flecha batendo contra a lãmina antes de desviar e atingir o chão...

    - Obrigado por me dizer onde ia acertar, sabia que poderia contar com sua precisão.
    - Um erro e você estaria morto, sabe disto. Apenas desista e continue sua vida.
    - Estou aqui para ser o melhor, então acredite quando eu digo que posso derrotar você.

    “Ele disparou várias vezes e agora eu sei exatamente a velocidade de uma flecha... Sua jornada acaba aqui Shoat Su”

    Assim que o arqueiro voltou a atirar, a flecha foi desviada novamente pla lãmina e Bravo já corria para cima do arqueiro com o braço ferido pra trás disposto a perfurar o peito do arqueiro com o alcançe da lãmina atropelando-o. Surpreso e vendo o que Bravo pretendia, Shoat Su não quis arriscar errar outra flecha e girou o arco pra trás fincando-o no chão e se jogou pra cima com o apoio do arco dando uma cambalhota... A espada passou próxima à parte de madeira cortando a corda do arco mas quando Bravo percebeu o movimento já era tarde, Shoat Su descia da cambalhota com o pé atingindo o rosto do Bravo que foi derrubado com força longe. Mal tocou o solo e Shoat Su começou a colocar outra corda sem tirar o arco do chão. Era visivel o quanto o arqueiro havia se cansado naquela defesa.
    Bravo se levantava sentindo o rosto arder... Estava cansado também mas a luta havia se tornado pessoal, Shoat Su era um adversário à altura.

    “Confie em armas e será destruído, este é o lema. Ele não me quer por perto mesmo, neste caso ele vai ter que se acostumar porque vou fazer exatamente o que ele não quer.”

    Senshi corria atrás do bumerangue... Entendia que era uma questão de honra e que seu amigo queria resolver aquilo sozinho mas tinha medo que Bravo fosse derrotado... A platéia observava cada movimento apreensiva, os olhares se dividiam entre extase pela maravilhosa luta e agonia pelos amigos do arqueiro. Bravo avançou novamente com tudo, cortou a própria cinta e atirou a bainha da espada no pulso do arqueiro antes de atingí-lo com o ombro derrubando-o igualmente com força no chão. Quando Bravo colocou a lãmina no pescoço de Shoat Su tudo parecia ter terminado. A expressão no rosto de Shoat Su era pensativa, mostrava que ele estava pronto para aproveitar qualquer oportunidade mas mesmo quando algumas crianças começaram a chorar na platéia, Bravo não deixou que tirassem sua atenção... Naquela hora, a única coisa que poderia tirar o samurai de seu objetivo seria algo absurdo... E o absurdo aconteceu.
    Enquanto Bravo ameaçava e olhava para Shoat Su, algo entrou em seu campo de visão... Algo sentado do lado de fora da arena que não fazia parte daquela situação, mas algo que ele já tinha visto antes... Erguendo um pouco o olhar e tendo o reconhecimento cada vez mais confirmado Bravo se deparou com a figura de um cão molhado e machucado que o olhava diretamente nos olhos... Era o cão da vila destruída em seu sonho. Foi o suficiente para que Shoat Su acertasse o punho do Bravo com o pé desviando da espada e rolasse para trás levantando a uma distãncia segura.

    "Devo ter tomado tanta pancada que estou tendo visões, não posso parar agora, ainda me resta força para o movimento gatosu."

    Bravo usou o golpe de avanço rápido para perfurar o oponente, Shoat Su reuniu todas as forças que ainda tinha pra desviar do ataque e eles se encararam por um breve momento na esquiva. Bravo lembrou dos animais violentos que costumava enfrentar quando estava em treinamento pois o arqueiro tinha o instinto de sobrevivência muito parecido... Shoat Su desviou girando para um lado e se abaixou puxando uma das flechas... Quando Bravo passou já recebeu o contra-ataque rápido da flecha sendo cravada nas costas pelas mãos nuas do arqueiro. O publico prendeu a respiração diante dos impressionantes ataque e esquiva... Bravo caiu formando um enorme sulco na areia com a sua espada e o cão a poucos metros continuava a observa-lo quando ele abriu os olhos... Shoat Su pegou outra flecha, se esforçando pra ficar de pé e levantou os olhos procurando ter forças pra um último ataque pois seu braço latejava de dor com o último movimento...

    - IAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!

    Bravo se levantava apenas com o apoio do braço bom sentindo a ponta da flecha nas costas superando a dor da flecha no braço e Shoat Su de repente caiu do lado dele derrubado por uma potente voadora do pequeno Senshi...

    - Agora BRAVO!!!

    O arqueiro se virou e Bravo que mesmo cansado ele ainda estava com a flecha na mão...

    “Droga arqueiro... Porque?”

    Bravo puxou a espada com o braço machucado de baixo pra cima se sacrificando no ataque assim como o arqueiro tinha feito... Shoat Su não esperava aquilo e recebeu um corte no peito deixando a flecha cair. A espada estava erguida com a lâmina ensangüentada e apenas deixá-la cair terminaria o serviço... As crianças na platéia choravam e pediam que parasse, e Bravo pensou em ignorá-las mas era um choro sincero de que estavam preocupadas com um amigo... Bravo ergueu o olhar e pode ver o rosto angustiado de jovens arqueiros tristes e também o olhar das crianças que imploravam... Uma mão segurou o cabo da espada e Bravo sentiu os dedos ensanguentados em cima dos seus impedindo mesmo que com pouca força a sua espada de cair. Shoat Su ainda resistia com o braço machucado, era um momento de desespero e Bravo sentia a obstinação e força de vontade nos olhos dele.

    - Já estou perdendo a paciência com você!

    Bravo se ajoelhou e arrancou a espada com a outra mão machucada... Após levantar-se exausto deu um chute no ferimento do arqueiro e Senshi completou o fim da luta colocando o pé no peito dele... Estava claro que não iam matá-lo.

    - VITÓRIA DO BRAVO E SENSHI!!!

    Depois disso Bravo ouviu uma voz feminina conhecida e sentiu alguém arrancando a flecha de suas costas antes de apagar...

    - Bela vitória docinho...

     
    Última edição: 5 Jun 2008
  4. Lyvio

    Lyvio Usuário

    Nossa!, ese capitulo me fez até prender a respiração, muuuito bom, esperando o próximo.
     
  5. Raphael S

    Raphael S Desperto

    Tudo estava escuro e silencioso na mente de Bravo até que as primeiras palavras de uma conversa começaram...

    - O que fazemos com ele agora?
    - Não me ouviu? Ele tem que estar pronto, se ele me venceu agora vai ter que vencer este torneio.
    - Mas afinal, se ele é só mais um samurai porque todo esse cuidado especial?
    - OLHA AQUI EU JÁ TE DISSE O QUE VOCÊ TEM QUE FAZER, ENTÃO TRATE DE FAZER ELE VOLTAR A SI.

    E Bravo acordou após ouvir aquelas palavras sem saber se tinha sido um sonho ou não, ele estava no acampamento sendo tratado por um velho e Elyene lhe fazia compania... Quando abriu os olhos viu ao fundo Senshi brincando com o estranho cachorro.

    - Ele acordou.
    - ACORDOU?
    - Ei, olha Bravo, achei um cachorro. Agente pode ficar com ele?

    “Mmmm... sinto dores formigarem por todo corpo e minha cabeça gira sem parar, perece que fui mastigado e cuspido da boca de algum boi, fico feliz por não ter um gosto bom. Será que essa doida veio se vingar justo agora?”

    - Oi Elyene, está brava ainda? Ugh... Preciso de sakê.
    - Bom docinho... É mais ou menos o seguinte... Você vai vencer esse torneio e depois agente vai lutar. Eu quero aquele colar por isso não vou deixar você morrer agora.

    Bravo olhou para Senshi e se sentiu bem ao vê-lo a salvo brincando com o cahorro.

    - H.. Hatashi faça o que quiser com ele, vc é um bom garoto.. Aug... Shoat Su, o que aconteceu com ele?
    - Bravo, Shoat Su ainda ta vivo... Ele disse que quer falar com você quando acordar.
    - O que aquele arqueiro derrotado quer com meu samurai???

    O Cão se aproximou com Senshi e cheirou Bravo que recebia o sakê das mãos da Elyene.

    - Quero falar com Shoat Su também... Por favor Elyene, cuide do Senshi.
    - Eu vou com você, não vou deixar você ser atacado por ai.
    - Me sinto melhor e sei me cuidar, só me ajude com Senshi.
    - Não estou gostando disso.
    - É uma conversa de homens, eu vou sozinho.

    Bravo se levantou e andou lentamente até a porta começando a retomar as forças... ele fez um sinal de que estava tudo bem e contrariada, Elyene o deixou ir. Quando encontrou Shoat Su em uma das casas o arqueiro parecia esperá-lo, acenou pedindo Bravo sentasse do lado dele pois estava com curativos e ervas ainda se cuidando do ferimento da luta...

    - O Motivo que pedi pra você vir é que eu tinha uma grande responsabilidade neste torneio... Eu estou cuidando do meu povo, minha vila foi tomada e destruída por animais estranhos a alguns dias, tentamos lutar contra eles mas nossas flechas são inúteis... Quando soubemos do torneio conversamos com o Juiz e ele nos disse que o poder daquele colar seria suficiente para nos ajudar...
    - ...
    - Bom, agora que perdi meu povo está sem lar e tudo o que posso pedir é sua ajuda caso você vença o torneio. Não te conheço, mas você parece ser um guerreiro muito honrado e eu não tenho escolha, se você não puder ajudar não terei mais motivo pra viver...

    Assim que terminou a frase Shoat Su pegou uma faca e colocou apontada no estômago, estava falando sério em cada palavra que dizia.

    - Seu louco, esqueça as tradições! Como pode um cara talentoso como você querer se matar? Eu concordo em ajudar você, mas você será um seguidor leal a mim.

    Depois que Bravo pegou a faca, Shoat Su respirou fundo e respondeu sem hesitar...

    - Aceito. Não precisa mais dizer nada, já estamos acertados. Quanto à sua próxima luta, deve tomar muito cuidado com Zoru, ele me venceu sem esforço... Eu simplesmente perdi a vontade de lutar na arena.

    Bravo balançou positivamente a cabeça, e deixou o arqueiro para trás. Ele queria saber o porquê da determinação do arqueiro e tinha a resposta... Voltou até Elyene esperando que ela soubesse mais sobre Zoru mas era tarde demais.

    - ONDE VOCÊ ESTAVA??? SEU IDIOTA VOCÊ PODE TER SIDO DESCLASSIFICADO SABIA?JÁ PRA ARENA VAMOS!!!
    - Ei peraí, eu tô machucado ainda, lembra???

    Ela foi cutucando Bravo tocando-o pra fora, Bravo chegou a tempo de ver Zoru ser jogado pra dentro da Arena por quatro dos samurais oficiais do torneio e descobriu que era mesmo o jovem com quem tinha conversado no início do torneio.

    - BRAVO E SENSHI CONTRA ZORU!!!

    Senshi adentrava a arena esperando o parceiro e Elyene deu um último apoio moral antes de empurra-lo pra dentro...

    - Hah, ele é quase um moleque também, não vai te dar muito trabalho, resolve isso rápido tá?

    ”Hmmm... Sou maltratado até o fim, é triste isso... Desculpe mamãe...Bom...Vou começar estudando o oponente... Zoru parece ser realmente muito normal, estas roupas me lembram algo religioso, bem simples, de mãos vazias contra minha espada, cabelo curto, e o mesmo sorriso amigável e ingênuo, não parece carregar mesmo nada além da roupa... Ele derrotou mesmo Shoat Su?”

    - EI VOCÊ NÃO PODE LUTAR SEM NADA, TOME SUA ARMA, HAHAHA!!!

    Um intrometido da multidão fez a piada e jogou uma vara velha de pescar para Zoru que sorriu agradecendo e bateu a poeira da roupa pegando-a. Zoru olhou para o Bravo meio sem entender porque a pessoa que tinha sido mais amigável com ele estava alí pra atacá-lo também. Senshi balançava o Bumerangue sem realmente muito medo do oponente, se é que se poderia considerar Zoru um oponente...

    - LUTEM!!!

    Bravo se aproximou de Zoru sem puxar a espada, não acreditava que ele fosse mesmo uma ameaça pela conversa que tiveram no início do torneio.

    - Então seu nome é Zoru, amigo?
    - Eu sou Zoru, sim. É bom vê-lo novamente.
    - É, sempre é bom ver um rosto amigável. Sabe por quê está aqui?

    Zoru riu e colocou a mão na cabeça fazendo um gesto como se não tivesse a mínima idéia do porque daquilo tudo...

    - Hehehe, na verdade não, mas da outra vez que me puseram aqui dentro um homem tentou me matar.
    - Hahahahaha, isso também aconteceu comigo. Eles só vão deixar a gente sair até um de nós ficar no chão.
    - E as pessoas precisam tentar matar as outras pra isso? Seria mais fácil pedir.
    - É mesmo... Então por quê não se deita no chão e se finge de morto, assim nós poderemos sair daqui, o que acha?
    - Hahahahahaha... Boa essa amigo.

    Embora Bravo estivesse pronto pra um ataque repentino, se sentia relaxado... Seus instintos indicavam que aquele era um pacifista e quando Zoru se deitou no chão fingindo de morto foi a confirmação de que estava certo... Quem não estava gostando era a platéia que vaiava a luta inexistente.

    - Olhe, vou colocar meu pé nas suas costas pra provar a ele que está terminado, não vai machucar, eu prometo.
    - Tudo bem.
    - Não me leve a mal amigo, é só pra convencer o juiz.

    Era a cena de vitória perfeita, só faltava Bravo olhar pro Juiz e cobrar a vitória, mas ver Zoru ali relaxado e estirado no chão fez com que um misterioso cansaço invadisse a mente de Bravo... Mal tinha se equilibrado com um pé nas costas do jovem e se ajoelhou ao seu lado. As vaias do público aumentavam, mas pareciam cada vez mais distantes... Bravo se deitou envolto numa enorme paz e sorriu imitando Zoru sentindo-se relaxado como nunca havia se sentido, já não sabia mais por que estava ali na arena.

    - QUE MARMELADA!!! ESSA LUTA FOI COMBINADA!!!
    - LUTEM!!! LUTEM!!! LUTEM!!!

    “Sinto a baba viscosa escorrendo nos meus lábios, todo o meu corpo parece imerso em pétalas de rosas, acho que sempre quis experimentar esta paz...”

    Quando os dois quase dormiram no chão da arena, Senshi se abaixou tocando o dedo indicador na testa de Bravo...

    - Dispell...

    E então toda a paz que o samurai estava desfrutando foi invadida pelo barulho da multidão e a volta dos objetivos do torneio gritando na mente do samurai... Ainda meio atordoado Bravo se ergueu e levantou sacudindo a cabeça.

    - HAH... VITÓRIA DE SENSHI E BRAVO!!!

    A decepção do juiz era visível, o público também está insatisfeito... A única satisfeita e feliz era Elyene, afinal, aquela era mais uma vitória para Bravo.

    - HAHAHAHAHA!!! Ja sabia que seria fácil, mas não imaginei que fosse tanto.

     
  6. Dinaen

    Dinaen Bebendo com um

    foi mau a demora, eh q to sem net agora, deu pau e vo t q espera nun sei quanto tempo.

    nossa, descobri q Bravo realmente é um ótimo guerreiro ao pensar na parada da flecha no coração... muito boa essa...

    agora, Dispell? naun lembro de ter sido feito encamento pro bravo dormir. vo até re-le pra v se deixei pra trás. mas, porra, o senshi tbm eh foda, de tudo faz um pouco hehe ^^

    fui, e volto assim q meu patrão sumi da sala e e anet volta lá em casa.

    flw
     
  7. Raphael S

    Raphael S Desperto

    Senshi e Bravo voltavam mas Mascared Deviant entrou na arena dando um chute em Zoru que rolou na direção deles...
    Bravo deu um pulo segurando o amigo recém acordado e Senshi começou a olhar para o novo adversário.

    - Eiii Zoru, você está bem? Eiii...
    - Oi... Já acabou? Minhas costelas doem.
    - Sim, acabou. Pode sair amigo, e obrigado pela sua ajuda.

    Depois que o rapaz saiu da Arena, Bravo encarou Mascared Deviant e puxou o Sehshi para trás.

    - Quem é esse ai?
    - Achu que é o último mas... Não intendi... Ele é mais fraco que os anteriores... Eu não entendu.
    - ÚLTIMA LUTA SENSHI E BRAVO CONTRA MASCARED DEVIANT.
    - Mas agora a última luta? Já? Senshi, do que você está falando? Olha o tamanho deste brutamontes.

    Enquanto discutiam, o cachorro que estava com Senshi entrou e se sentou dentro da arena pouco antes do início da luta.

    “Hmm.. Por que será que o nome de Senshi vem sempre primeiro que o meu? Bom não esperava enfrentar o ultimo cara desse jeito, esperava uma cerimônia, uma troca de arena, vejo que estou num profundo esgoto, acho que até o prêmio deve ser falso.”

    - Os músculos dele são estranhos Bravo... Ele num parece ser forte de verdade.
    - Espere o melhor prepare-se para o pior e receba o que vier. Lembre-se disto... Sai cachorro, vá deitar!

    Bravo percebeu que por alguma razão a parte final do torneio estava sendo apressada.

    “Eles nem enfeitaram a arena para a última luta... Contava com este tempo pra me recuperar um pouco mais dos ferimentos mas parece que querem terminar logo com isso. Senshi está certo e fico feliz do garoto ter este dom de observação, este chefe final parece grande coisa mas nem segura as armas direito, mas eu não vou me descuidar logo agora.”

    Mascared Deviant era alto e forte, mas parecia um lutador normal usando máscara, estava carregando uma lança e um punhal. Por mais que Bravo fizesse gestos o cachorro não demonstrava querer sair da arena e o Juiz também não se importou com isso ao iniciar a luta.

    - Senshi, prepare-se!
    - LUTEM!!!


    Dada a ordem do juiz, Bravo avançou para um golpe perfurante mas preparado para desviar a lança para o lado com a espada e chutar o peito do adversário.
    Com uma reação lenta e iniciante, Mascared Deviant foi atingido pelo golpe que atravessou seu corpo, caindo mortalmente ferido.

    - HAH QUE ISSO!!! QUE CAMPEÃO É ESSE QUE CAI NA PRIMEIRA!!!
    - ESSE TORNEIO TODO É UMA FARSA!!!
    - VAMOS ACABAR COM ISSO!!!

    O Público estava totalmente indignado, Bravo não podia acreditar que tinha sido tão fácil até olhar pro Senshi e ver o garoto empalidecer...

    - Bravo... O... O... Fan... FANTASMA!!!

    Bravo viu o garoto se escondendo atrás do cachorro e sentiu alguém levantando perto de sí antes de um punhal fazer-lhe um corte nas costas... Ao olhar novamente para trás, Mascared Deviant estava de pé e não havia sangue nenhum na arena a não ser o das costas de Bravo. Tamanha foi a rapidêz que o samurai nem chegou a sentir direito a movimentação do atacante. Era um grave problema, pois Bravo estava com medo, aquele fato desconhecido era demais para ele...

    "Droga, tecnicamente eu já deveria ter ganho esse torneio afinal ele já está morto. Espero que Senshi volte a si logo, porquê estou perdendo a sanidade a cada momento..."

    - Hatashi!! Olhe pra ele, o que você está vendo?
    - NÃO POSSO TENHO MEDO!


    Senshi estava assustado demais para olhar, o cão levantou se aproximando e começou a rosnar para Deviant Mascared fazendo com que Senshi corresse. Assim que alcançou o limíte da arena o garoto bateu com força em algo como se uma parede o impedisse de sair e caiu desacordado no chão...
    O ferimento de Bravo não era muito sério, mas preocupava, Mascared Deviant puxou a lança para iniciar um movimento perfurante assim que Bravo se virou.

    "Não... Não... Isso não pode acontecer...Batou-Jutsu Tusaemoto, Reaja! "

    Com um saque rápido de espada a lâmina foi desviada e o cão avançou em cima do estranho oponente. Mascared Deviant foi mordido e derrubado e logo se afastou como se houvesse algum perigo ali por perto... Quando Bravo deu um passo pra trás, confuso em como ia fugir, começou a ventar na arena e a areia atingiu seus olhos dificultando a visão do samurai.

    "Vou morrer... É agora o momento da minha morte... Medo maldito... Sempre pensei no que aconteceria neste momento... Como lutar com o medo?"

    O som dos latidos do cão alcançou novamente os ouvidos de Bravo enquanto ele tentava limpar os olhos... Poucos segundos depois a lâmina da lança acertou seu peito perfurando a pele devagar com tempo suficiente para que Bravo a segurasse...

    "...Por Hatashi Senshi..."

    A outra mão de Bravo girou cortando a lança e com um passo ele fez um arco na altura do pescoço do oponente movimentando apenas o braço, ele sentiu o local atingido sendo rasgado facilmente. A espada tremia mas ele não podia distinguir se era sua força falhando ou se a espada fazia isto sozinha. A areia nos olhos e ouvidos não atrapalhava tanto quanto a dor na cabeça e no peito de Bravo... Após ouvir um uivo de dor do cão, sentiu algo se prendendo ao seu pescoço, quando o vento finalmente parou o cão estava na frente de Senshi protegendo-o. No chão da arena restavam apenas a roupa e o punhal de seu oponente caídos no chão... Não havia sangue, não havia corpo, não havia mais oponente...

    - COMO ISSO PODE ACONTECER? O GAROTO QUE DEVERIA TER....

    O Juiz parecia assustado e surpreso, Bravo estava com o prêmio do torneio no pescoço mas ao olhar pra trás viu que o cão também estava usando um igual, Senshi não tinha recebido o colar, era como se o cão tivesse tomado seu lugar naquela última luta.

    - O VENCEDOR DO TORNEIO É O SAMURAI BRAVO!
    - Bravo fez o oponente sumir?
    - Que poder estranho foi aquele??
    - O grande campeão não teve chance contra o Bravo!
    - BRAVO!!!BRAVO!!!BRAVO!!!CAMPEÃO!!!

    "...Tum........Tum...Tum... Meu coração ainda bate... A dor desta lança não é nada... Podem estar me aplaudindo mas meu pequeno e assustado parceiro que merece o crédito... Senshi... Se eu não pensasse que você seria o próximo a morrer eu não teria reagido... Obrigado por me tornar mais forte que meu medo amigo. Cuidar de um amigo é uma grande responsábilidade."

    A cabeça de Bravo latejava e ele não tinha forças para puxar a lança, ignorando a dor ele se aproximou andando com dificuldade para ver como Senshi estava. Elyene invadiu a arena e correu ao lado do Bravo, ela falava mas era difícil entender o que estava dizendo. Senshi levantou após levar umas lambidas do cachorro e segurou a mão do amigo. Bravo não sabia porque, mas se sentiu feliz ao ver que Senshi não tinha nenhuma corrente no pescoço. Enquanto sua visão apagava e voltava ele via Shoat Su aparecendo e ajudando Elyene a carregá-lo até o acampamento. Sentiu o puxão quando tiraram a lança e pressionaram fortemente seu peito em seguida... A escuridão estava acolhedora mas certo momento Bravo escutou um murmúrio que começou a despertá-lo...

    - Ele vai vir conosco, vai nos ajudar...
    - Não até eu disputar a caixa com ele.

    Era Shoat Su que iniciava uma discussão com Elyene e vendo que não teria paz Bravo decidiu terminar o assunto de uma vez.

    - Eu prometi... ajudar o Shoat Su só não disse quando... se você está tão interessada nessa caixa, bom... pode ficar com esse cachorro ai e ficamos certos.

    Quando Elyene reparou que o cão também tinha a corrente um sorriso malicioso e maldoso começou a surgir no rosto dela... Mas o cachorro percebeu...

    - EI VOLTE AQUI SEU PULGUENTO!!!

    Ela começou a perseguir o animal que deu vários giros em volta do tatâme de Bravo cansando-a.

    - QUE RAIVA!!! ALGUÉM PARE ESSE BICHO!!!

    Senshi olhava mas não fazia nada, estava decepcionado por perder o cachorro... Shoat Su começou a tentar explicar que o povo dele estava com fome e por isso precisava de ajuda rápido mas Bravo estava mais curioso agora com seu prêmio, virou-se de costas com dificuldade e colocou a mão na caixa... O cachorro parou na sua frente do outro lado da cama olhando para a mão dele e se sentou latindo duas vezes.

    "O que esse cachorro quer agora? Ele já ganhou essa coisa, seja lá o que for eu vou abrir"

    E Bravo finalmente conseguiu abrir a caixa.

     
  8. Excluído014

    Excluído014 Excluído a pedido

    Cara..muito bom..muito bom mesmo..
    To boba....eles so se ferram...

    Agora vou ler..Primeiro Capítulo Especial - Origens... Bravo
    Ainda to atrasada..mais amanha chego la..

    Parabens Rapha.
     
  9. Lyvio

    Lyvio Usuário

    Realmente ta muito bom e essa de fantasma achei interessantissimos, quero o proximo cap XD.
     
  10. Dinaen

    Dinaen Bebendo com um

    manda +
    ta muito boa a explicação, mas, há duas caixinhas? o_O
     
  11. Raphael S

    Raphael S Desperto

    ..............

    ...........................
    ......................
    - Ei, ele... ELE ACORDOU!!!
    - ELE ACORDOU!!!

    Como que saindo de um pesadelo Bravo se esforçava para abrir os olhos... Era noite e o corpo dele dóia todo, a mão que tinha usado para abrir a caixa estava com uma grave queimadura e ele estava sendo carregado em uma maca improvisada. Vários jovens olhavam surpresos para ele, muitos carregavam arcos e do outro lado o samurai viu o cão sendo carregado por Senshi e outros jovens numa maca parecida. O estado do cachorro não era dos melhores, estava desacordado e todo chamuscado...
    Não dava para reconhecer a floresta pela qual o estavam levando mas ao olhar para cima de uma árvore Bravo viu a silhueta de alguém carregando o corpo de uma criança ao longe, naquele estado era dificil saber se era real... Shoat Su apareceu e por mais que Bravo quisesse explicações não afastava os olhos da imagem, ele viu o homem tirar uma espada e ameaçar a criança... Senshi o distraiu com um beliscão mas a dor não era muita comparada com as demais.

    - Bravo olha pra mim!
    - Senshi, pare com isto... Tem algo acontecendo em cima daquela árvore, verifiquem.

    Quando Bravo apontou os jovens arqueiros olharam e atiraram ao ver que o estranho ia matar a criança.... Os corpos cairam de cima da árvore e os jovens ouviram movimentação naquela direção... Após se aproximarem correndo, voltaram carregando um corpo...

    - Era só o que faltava, mais um ferido...
    - É uma criança mesmo, e o raptor?
    - Não sabemos mas quem quer que fosse sobreviveu e não estava sozinho...

    Pelo fato da criança ainda estar viva eles a colocam do lado do Bravo... Era visível o cansaço após carregar o peso por tanto tempo, mas não desistiam mesmo com a pouca iluminação das tochas. Senshi segurava a mão do samurai novamente e era reconfortante saber que o garoto não estava machucado...

    - Eu fiquei preucupadu... Pensei que você ia morrer... Tinha tanto sangue...

    Senshi chorava ao lembrar apertando ainda mais a mão do amigo enquanto a viagem prosseguia... Bravo Se virou e desceu tentando ficar de pé... Os ossos estalaram alto, e ele sentiu os músculos se contraírem por dentro, doia bastante mas apesar disto parecia que estava melhorando. Todos rwntaram impedí-lo dizendo que ele não podia levantar... Mas Bravo não deu ouvidos, eles ficaram surpresos por ele conseguir se virar e descer.

    - Estou bem... Não deve ter sido tão sério... Alguém pode me explicar como fiquei assim? Onde estamos indo? Pode começar a se explicar arqueiro.
    - Lembra que você prometeu me ajudar? Estamos indo pra minha vila... Espero estar no caminho certo mas logo descobriremos, eu vi luz e deve ter uma cidade aqui por perto...
    - Isso que é cobrança, nem esperou eu me recuperar por completo. Shoat Su, em vez de arqueiro você devia ser cobrador.

    Mais alguns passos e todos se depararam com uma clareira onde bem no centro uma grande torre de madeira se erguia acima das árvores...


    A Torre Amaldiçoada


    Shoat Su se calou, parecia preocupado. Enquanto se aproximavam ouviram o choro de crianças vindo de dentro da torre.

    - Acho que erramos o caminho Bravo.
    - Sim... Mas acho que espíritos ancestrais estão brincando em minha mente me trazendo lembranças confusas amigo. Vamos entrar.
    - Pode ser uma armadilha de ladrões.
    - Pelos ancestrais arqueiro, são crianças, precisam de nossa ajuda, a vila delas foi devastada.
    - Como sabe disso Tusa?
    - Não me pergunte Senshi... Eu apenas sei... E... Me chame de Bravo, acho que me acostumei.
    - Tá bom Bravo.

    Quando entraram algumas crianças gritaram e outras continuaram a chorar... O lugar tinha algumas camas e estava cheio de corpos de guerreiros mortos, as crianças estavam encolhidas nos cantos, algumas Bravo reconheceu do sonho, elas estavam igualmente apavoradas pois o lugar estava cheio de sangue.
    Depois do susto as crianças reconheceram a que entrou carregada pelos arqueiros e perceberam que não estavam alí para fazer mal, então correram até os viajantes abraçando-os procurando abrigo...

    - NOS TIRE DAQUI POR FAVOR!!!
    - EI LARGA O BRAVO!

    Enquanto Senshi lutava pra afastar a garota que abraçou Bravo, ela continuava implorando por ajuda pra sair dali... Shoat Su olhava aquilo surpreso...

    - Mas que inferno aconteceu por aqui?
    - O que quer que tenha sido, agora você tem mais pequenos moradores pra sua vila porque vamos tirar essas crianças daqui. Não se preocupem crianças!

    "Hum...Os corpos no chão têm cortes covardes como os do meu sonho. Quem quer que tenha morto estes guerreiros era bem rápido e não estava sozinho. Por que aquele sonho foi tão real... Sera que... Foi obra da minha espada?... Se essas crianças perderam a vila também e isso é real, será que esse cão sarnento vai atender se eu..."

    - KOTERU! Vem aqui!

    Assim que falou o cachorro acordou e pulou parando na frente do guerreiro... Estava chamuscado ainda mas os ferimentos não pareciam tão graves...

    - Então o nome dele é essi Bravo? Você não vai mais dar ele praquela mulher né?
    - Não se preocupe Senshi... O cachorro agora é seu como eu tinha prometido. Desculpe ter oferecido pra ela.
    - EEEEE Koteru!!!

    E o pequenino abraçou Koteru que abriu a boca deixando a lingua pra fora enquanto arfava e tentava ficar no lugar com o abraço. Shoat Su deu ordens pra organizarem as crianças para saírem mas Bravo ainda queria respostas...

    - Ei Shoa, ainda não me contou como eu fiquei machucado deste jeito...
    - Shoa?
    - É, considere o apelido um laço de amizade meu por você. Agora começe a falar.

    Shoat Su se sentou empurrando um corpo e começou a falar...

    - Você não deve lembrar mas quando mexeu nessa caixa ela abriu e a caixa no pescoço do cachorro abriu também não dava pra ver direito mas elas liberaram uma energia estranha que causou uma explosão quando se chocaram. Por sorte não estávamos tão perto e não nos machucamos muito... Mas você e o cão...
    - Snif... Eu pensei que você tava morto...
    - Todos nós pensamos, é um milagre você estar de pé. Aquela Elyene tentou arrancar a corrente do pescoço do cão e ficou muito furiosa quando viu que não saía... Quando meu povo entrou pra ver o que tinha acontecido ela estava fora de si segurando uma faca na mão...
    - Ela ia te matar...
    - Sim, ela estava se sentindo humilhada por ter que correr atrás de um cão e ia arrancar a sua corrente de uma vez...
    - Ai o Shoat Su e os amigos dele apontaram os arcos pra ela e agente fugiu de lá...
    - Bom... Foi isso mesmo...
    - Hmmm... Então estou ligado a um cachorro, que ótimo parente eu fui arranjar. Que lugar é este afinal?
    - Esta torre deve ser a que construíram em memória dos heróis antigos... Mas o que essas crianças fazem aqui ou porque os guerreiros que deviam proteger o lugar estão mortos isso eu não faço idéia. Apenas sei que aquela doida deve estar atrás de nós, as cordas não iam detê-la por muito tempo...
    - Cordas? O que vocês...

    Senshi tentou impedir Shoat Su de falar, mas já era tarde...

    - Não foi nada fácil, com aquela espada ela fez com que cinco de nós a ajudassem, depois de a rendermos tivemos que amarrá-la numa das árvores.
    - Ela ficou mais furiosa ainda...
    - É, eu tenho certeza que ela vai vir atrás de nós...
    - Ok, seguiremos com o seguinte plano. Vamos lá fora pra ver se tem alguma armadilha e depois tiraremos as crianças daqui.

     
    Última edição: 13 Jun 2008
  12. Lyvio

    Lyvio Usuário

    Parece que a historia central está prestes a voltar, só falta saber como bravo aprendeu a controlar as duas caixinhas.
     
  13. Dinaen

    Dinaen Bebendo com um

    sim, tbm to achando isso...
    posta +
     
  14. Raphael S

    Raphael S Desperto

    Bravo, Senshi e Shoat Su saíram da torre e assim que tentaram atravessar a clareira perceberam que aquele lugar era mais que apenas o refúgio das crianças, era uma prisão...
    De todos os lados em volta da torre aparecem espíritos samurais apontando de volta pra torre... Senshi gritou e ficou paralisado de medo sendo arrastado para dentro por Shoat Su, Bravo também sentiu o medo percorrer-lhe o corpo... Mais que um sonho aquilo parecia ser muito real...

    "Sinto o medo correndo nas minhas veias, mas agora não tenho como duvidar da realidade... Se o sonho estava certo e me mostrou a verdade então devo seguir o sonho e buscar o que é certo fazer."

    - Ei vocês! Podem falar? O que querem conosco?

    Num súbito de coragem Bravo avançou até um espírito, mas ele não o respondeu, algo puxou o jovem samurai com força até o chão perto da torre e os espíritos desapareceram... Caído Bravo conseguiu ver alguém numa das árvores olhando pra ele. Era um desconhecido, todo de preto com quase todo o rosto coberto e assim que percebeu que foi visto procurou algo dentro da roupa, Bravo acompanhou o movimento treinado do estranho puxando uma estrela de metal e a atirando no peito do observador... Ainda com a mão na baínha Bravo pensou que era o fim mas a estrela foi desviada no ar atingida por uma lança fantasma que apareceu durante apenas alguns segundos...

    "Droga!!! Tenho que sair daqui!"

    Bravo se virou e levantou correndo de volta para a torre. Quando falou do perigo ninguém entendeu de início, até que um dos jovens arqueiros que estava perto de uma abertura caiu no chão com uma das afiadas estrelas de metal cravada no pescoço... Enquanto as crianças gritavam, Shoat Su e os mais velhos começaram a fechar as portas e bloquear com tatãmes as aberturas do lugar...
    Senshi se recuperava do primeiro susto e abaixou puxando a estrela do pescoço do jovem morto, Shoat Su a olhou surpreso.

    - Mas que arma é essa?

    Senshi não sabia ao certo o que responder e Bravo avistou por uma fenda outros estranhos iguais ao primeiro. Ele tinha certeza que um daqueles tinha atacado a criança e também tinham sido os responsáveis pelo massacre da vila e isso deixou o samurai revoltado.

    - Se o Bravo disse que é apenas um, nós podemos com ele...

    Senshi se ergueu com expressão de poucos amigos ao dizer isso e procurou uma faca no chão... Ele estava meio alterado após ter visto os fantasmas...

    - O Problema acaba de aumentar Senshi. Shoa prepare uma flecha na esquerda e acerte o primeiro invasor.

    Ao ouvir a ordem Shoat Su puxou a flecha e preparou o arco usando um buraco na porta para mirar. Após ouvirem o corpo do inimigo caindo morto a porta foi cravejada de estrelas de metal parecidas com a primeira...

    - Estamos cercados... E não são apenas fantasmas...

    Senshi deixou cair a faca da mão ao ouvir as palavras de Shoat Su e arregalou os olhos ao perceber a nova situação.

    - Assassinos...
    - Isso mesmo garoto, são estranhos mas parecem ser muito bons no que fazem... E agora Bravo, o que faremos? Aqui em baixo somos um alvo fácil pra eles caso tentem invadir...

    Os dois, junto das crianças que estavam mais controladas olharam para Bravo esperando que tivesse alguma resposta...

    - Subam! Saiam do primeiro andar. Vamos rápido!

    Sem perder tempo foram levando as crianças pro andar de cima, lá haviam alguns quadros e armas bem antigas que não tinham mais condição de serem usadas. Quando os primeiros arqueiros se posicionaram no segundo andar, Bravo começou a ouvir o barulho de corpos caindo e homens agonizando em volta da torre... Nenhum dos estranhos entrou na torre nos minútos que se passaram...

    "Acho que já é hora de uma segunda tentativa para esta caixa... Lá de cima será mais seguro."

    Ao passar pelos arqueiros para subir ao terceiro andar, Bravo viu os jovens com seus arcos apontando e atirando nos inimigos, mas eles não estavam sozinhos... Os espíritos dos guerreiros mortos estavam com cada um deles ajudando-os a apontar nos alvos que caiam sem muita reação... Shoat Su o interceptou na subida e disse rindo...

    - Não é a toa que você ganhou o torneio e tem esse nome. Essa idéia de subirmos acabou os surpreendendo, eles parecem paralisados...
    - Shoa, eles não estão com medo?
    - Do que está falando?
    - Deles... Não está vendo?
    - Bravo, acalme-se, estamos vencendo. O que quer dizer?
    - Não... Não é nada... Continuem!

    "Agora só eu posso vê-los... Porque eu? Será esta caixa?"

    Todos os espíritos em volta olharam diretamente para Bravo... Ele viu que haviam mais lá embaixo paralisando os atacantes, o guerreiro respirou fundo e eles voltaram a ajudar os arqueiros. O número de corpos crescia do lado de fora da torre.

    - Bravo? Você está bem? Olha, eu matei um com minha faca!!!

    E Senshi apontou, todo feliz para um dos corpos... Bravo sorriu e subiu para o terceiro andar... De lá ele ficou de frente para onde havia o maior número de inimigos e segurou a caixa.

    "Eu tenho a ajuda dos mortos... Eles não queriam me atacar, estavam protegendo esta torre... Agora vamos ver o que este prêmio pode realmente fazer."

    A estranha caixa de metal se abriu e Bravo sentiu como se estivesse saído do próprio corpo junto da forma espectral que se libertou, o espectro avançou o ar e ganhou velocidade até a floresta e atravessando o corpo de três inimigos que cairam sem vida. Bravo acompanhou todo o projeto com os olhos como se fosse o espectro, quando retornou e a caixa se fechou, a visão do samurai voltou ao normal... Muitos arqueiros olharam surpresos e pararam de atacar assim que o espectro brilhante apareceu acima deles, os atacantes sobreviventes fugiram pela floresta... Assim que Bravo desceu, ouviu o grito de vitória do pequeno Senshi e o espanto nos olhos de Shoat-Su, havia algo diferente.

    - EEEEEEEE... Ganhamos!!!
    - Bravo... você... Está melhor!

    Os ferimentos de Bravo estavam mais cicatrizados e Koteru que estava sentado no meio dos arqueiros também parecia um pouco melhor.

    - Humm... Acho que esse prêmio pode ser útil afinal. Vamos Shoa, vamos tirar essas crianças deste lugar morto.

    Assim que saíram os espíritos dos guerreiros mortos apareceram novamente em volta da torre, mas desta vez os que ainda tinham alguma pele apodrecida sobre o rosto pareciam sorrir para eles e sumiram deixando que passassem...

    - Os espíritos dos mortos aparecem como se estivessem vivos neste lugar, vamos embora daqui Bravo.
    - Estes espíritos nos protegeram Shoa... Se não tivessemos a ajuda deles teriamos que enterrar parte do seu povo aqui hoje.
    - ... Entendo...
    - Não se preocupe, estamos seguros agora. Vamos dar uma olhada nos nossos inimigos.

    Ao vasculhar nos corpos eles encontraram estrelas de metais em formatos diferentes, espadas bem afiadas e com pouco peso, diferentes de todos os tipos de espadas que já tinham visto. Cordas com ganchos para escalar, garras de metal, punhais esquisitos e umas bolas de tecido que não sabiam para que servia...

    - Tem muitos corpos por aqui, vamos queimar tudo, os estranhos devem ser queimados fora deste terreno e aqui queimaremos os guerreiros.
    - Mas não vamos continuar a viágem?
    - Mudei de idéia. É muito tarde e hoje estamos protegidos aqui, vamos tentar expliar as crianças e amanhã continuaremos.

    Não tiveram muito trabalho com as crianças, apesar de não gostarem do lugar elas se sentiam seguras e confiavam em Bravo. Os arqueiros organizaram grupos, colheram frutos e caçaram para alimentar as crianças. Depois dos corpos terem sido removidos alí ficou sendo um bom lugar para descansar e Bravo falou com as crianças uma última vez antes de irem dormir.

    - Durmam bem e não se preocupem, amanhã vamos recuperar a vila do Tio Shoa e vocês vão ter um lugar pra viver.

    Aquilo confortou as crianças e com ajuda dos arqueiros elas conseguiram dormir, Senshi dormiu de barriga cheia abraçado com Koteru.Todos estavam felizes e satisfeitos com a possibilidade de reaver a vila no dia seguinte. Durante a noite um pesadelo perturbou o sono de Bravo, estava cercado por dezenas dos assassinos da torre e eles se juntavam de uma vez em cima dele, Bravo acordou assustado e todo suado...

    - Bravo? Você está bem?
    - MORTE!!!
    - Deve ter sido um pesadelo, o que você sonhou Bravo?
    - ...Eu estava... Hah, não foi nada, vamos esquecer isso Senshi, temos trabalho a fazer.

    Já era dia e todos estavam em volta do Bravo, Koteru também estava acordado e encarava o guerreiro como das outras vezes...

    - Shoa vamos sair daqui antes que a Elyene chegue.
    - Tinha me esquecido dela com toda esta confusão, não precisa falar duas vezes... Vamos embora!!!

    Duas horas depois a vegetação tinha mudado pra árvores frutíferas e plantações de arroz...

    - Nossa Shoa, que terras bonitas!!!
    - Que bom que você gosta Senshi, nos dedicamos muito a nossos campos e plantações...
    - Moço, estamos com fome.

    Uma das crianças puxou a roupa de Bravo pedindo comida e Senshi pegou uma fruta pro garoto. A beleza da paisagem verde e o contraste das flores coloridas com as plantações de arroz mudou drasticamente ao virar uma curva quando eles se depararam com a vila destruída... As casas estavam em pedaços e a terra toda remexida, ao longe podia se ouvir o impacto de patas pesadas se aproximando com velocidade...

    - São eles... Protejam-se!!!

    Shoat Su e os outros arqueiros subiram nas árvores ajudando as crianças a subir também, mas uma permaneceu com Bravo soltando a fruta ao perceber o perigo...Bravo puxou a criança se escondendo com ela atrás de uma das árvores e assim que a primeira criatura apareceu Senshi ficou desesperado.

     
    Última edição: 15 Jun 2008
  15. Dinaen

    Dinaen Bebendo com um

    pode postar, to esperando ^^
    os espiritos sao bonzinhos, todos podem avançar sem medo pro próximo post, rs
     
  16. Lyvio

    Lyvio Usuário

    hum..., se ler o ultimo capitulo da hostória geral, acho que há um nexo nisso, a torre estava sendo atacada por Dark que tinha abandonado o grupo...hum...será?
     
  17. Raphael S

    Raphael S Desperto

    - SÃO... AS FERAS DE METAL!!! BRAVO SAI DAI!!! VOCÊ NÃO PODE CONTRA ESSES BICHOS!!!

    Eram criaturas de aparência felina como leões com a pele formada de um metal escurecido e desgastado, os olhos tinham um brilho vermelho intenso e emanavam barulhos pertubadores... Os arqueiros atiraram sem parar mas as flechas apenas bateram e cairam sem penetrar o metal, após tomarem o lugar uma das criaturas avistou Bravo e avançou furiosamente na direção dele... Em cima de uma árvore Senshi era segurado pelos arqueiros e continuava em seu ataque de desespero.

    - ESTAMOS TODOS MORTOS!!! ESSAS ÁRVORES NÃO VÃO AGUENTAR!

    Bravo olhou rapidamente pra trás procurando Koteru para tentar um plano, mas viu que não teria apoio.

    - Ei cachorro, volta aqui seu, seu... COVARDE!!!

    "Droga, o que estou falando? A alguns dias atrás eu adoraria estar fazendo a mesma coisa, mas a situação mudou, estas vidas dependem de mim... Como pude mudar tanto em tão pouco tempo? Terá sido Senshi ou esta caixa? Senshi, não vou te deixar sozinho."

    Koteru corria ao longe, fugindo dos estranhos seres e não adiantava chamar. Enquanto a criança gritava, Bravo deu um passo para o lado da árvore abrindo a caixa. O espectro atravessou o corpo da fera a poucos metros fazendo com que ela se desfizesse em fumaça negra que subiu para o topo de uma das árvores. Um dos arqueiros caiu da árvore assim que exalou o cheiro e as folhas da árvore murcharam quando a fumaça as tocou... Com o barulho da queda, as outras quatro feras avançaram sobre o corpo... Senshi sentiu um calafrio ao ver o resultado do ataque... estava perplexo e murmurava baixo palavras que mesmo que os arqueiros ouvissem não entenderiam...

    - O Bravo pode... ele conseguiu matar uma delas... ele é mais forte que eu... ele... ele... pode destruir as feras mortais do labirinto.

    "Só faltam quatro e se eu tiver entendido bem o que posso fazer com esta coisa..."

    Ao terminar o pensamento Bravo abriu a caixinha novamente deixando usando a visão do espectro e se concentrou conseguindo desviar a rota de vôo para matar mais duas feras de uma vez, as duas restantes ao serem atingidas pela fumaça venenosa debandaram correndo uma para cada lado... Enquanto Senshi descia, Shoat Su pulou para outra árvore escapando por pouco que a fumaça o atingisse, ele desceu e foi até o corpo, mas era tarde demais, o pobre arqueiro que ele conhecia desde pequeno estava destroçado. As crianças ficaram tão assustadas que não conseguiam mais gritar, os arqueiros começaram a descer das árvores com elas. Bravo se aproximou para consolá-lo, mas para Shoat Su aquilo ainda não estava terminado.

    - Ele está morto... Não podemos deixar esses animais vivos, não sabemos o que podem fazer.
    - Bom Shoa, cada um correu para um lado, acho que vamos que ter que nos dividir.
    - Vamos atrás do Koteru, ele não pode ficar sozinho com aquela fera.
    - Tudo bem pra você Bravo?
    - Sim Senshi, vão vocês dois e eu vou pro outro lado, os outros podem cuidar das crianças. Seremos responsáveis se eles destruírem alguma outra vila e como armas normais não podem nada contra eles assim que eu acabar com aquele eu volto pra procurar vocês. Espero que o cachorro além de observador seja esperto pra abrir a caixa na frente daquele bicho. Tem certeza que eram só estes?
    - Temos, nós ficamos dias procurando acabar com eles e muita gente morreu.
    - Hum... Vamos, não percam tempo, VÃO!

    Bravo partiu sozinho em uma linha reta na esperança que a fera não pensasse em mudar de direção... Do mesmo modo Senshi e Shoat Su seguiram na direção contrária procurando Koteru e a outra Fera... Algumas horas depois Bravo pensou em desistir pois não tinha mais pistas do animal. Ao parar para tomar fôlego ele percebeu que estava sendo seguido e antes que pudesse dar atenção aos barulhos estranhos que estava ouvindo gritos o levaram a clareira de uma outra vila. Lá ele avistou a fera fugitiva fazendo a a entrada de uma casa em pedaços com as garras pesadas de metal...

    "Monstro maldito, te peguei!"

    Bravo liberou o espectro e a fera foi atingida sem resistência desfazendo-se, a fumaça negra entrou na casa e quando o espectro voltou Bravo caminhou até perto do pátio se sentindo culpado. Ele não tinha pensado nas pessoas que podiam estar dentro da casa e estava pronto para chamar por alguém quando vários dos assassinos vestidos de preto pularam das árvores e por cima dos telhados cercando-o... Haviam vinte aproximadamente, quatro um pouco feridos, provavelmente sobreviventes da torre atrás de vingança... Apesar do poder da caixa eram muitos para conseguir deter e Bravo deu dois passos pra trás tentando calcular o mais rápido que podia se conseguiria atingir a todos.

    - Escolheram o cara errado. Tudo acaba aqui assassinos!

    Por mais que ele quisesse que o poder se expandisse somente um espectro saiu da caixa e isso deu tempo de sobra para rapidez dos estranhos assassinos, eles puxaram as espadas todas ao mesmo tempo para atacar ignorando o poder que estava matando seus companheiros... Bravo guiava o espectro sem sentir seu corpo sendo atingido por algumas das estrelas de metal e seus cálculos já tinham alcançado um mal resultado...

    "Vinte...Matarei sete e os restantes terão me fatiado... Acho que vou morrer...Se..."

    A respiração dele estava acelerada com o medo e a adrenalina então o pensamento foi interrompido pelo som doce de uma flauta... O espectro já tinha morto os sete como previsto e continuou um a um até matar a todos os restantes...
    Enquanto observa os movimentos do espectro, Bravo reparou que os assassinos restantes haviam sido derrubados ou paralizados, todos eles foram atacados antes por serpentes de fogo que ainda brincavam no chão enquanto a música terminava... Assim que o espectro voltou a caixa Bravo se virou e pode olhar de onde a música tinha vindo. Com uma certa dificuldade para se manter de pé diante do sangue que jorrava dos ferimentos Bravo viu na frente da entrada de um templo uma bela jovem com roupas cerimoniais de casamento olhando-o concentrada em terminar as últimas notas na belíssima Flauta-Punhal que ele reconheceu como sendo um artefatos místico0 das histórias que a mãe dele contava... A jovem terminou a canção e sorriu pra ele antes de falar...

    - Olá samurai, eu me chamo Alessa, vai me dizer seu nome ou me ignorar por ter salvo sua vida?
    - Humpf... Eu sou o Bravo.

    E desmaiou por falta de sangue.

    Fim da Origem de Bravo e Complemento do Capítulo Especial

    Alguns Anos Depois

    Conversa entre Bravo e Senshi no meio de uma floresta...

    - Então é assim que termina Hatashi?
    - Não termina Bravo, ainda tem muito mais. Eu tenho minha missão.
    - Se cuide, não fique muito exposto, muitos vão querer machucar você por minha causa.
    - Eu bato em todos eles! Aprendi com você né?
    - Vamos nos ver de novo garoto?

    Senshi fez uma pausa, olhava e não conseguia fazer uma segunda brincadeira com o Mestre e amigo de mais de dois anos...

    - Você sabe o que vai acontecer se nos encontrarmos de novo não é?
    - Hum...Vamos nos despedir ao meu modo então...

    Bravo fez uma reverência ao estilo oriental curvando-se ao Senshi que respondeu da mesma forma...
    Alguns dias depois Senshi chegava sujo e com fome a uma vila estranha e isolada onde foi recebido por um enorme samurai que saía de casa com um pequeno garoto...

    - Ta perdido menino? Não sabe que essa aqui é a ilha amaldiçoada?
    - Eu... Tô com fome...
    - Jin, ele tá abandonado?
    - Se estiver você ganhou um amigo Taroshi.
    - JIN-E???
    - É isso mesmo, você me conhece? Quem é você?
    - AG..JIshi...Sem...GULP
    - Tá nervoso garoto...
    - Her... JinSenShi... NÃO!... *respira* Jo...shi... JOSHI! Meu nome é Joshi. Muito prazer! É a fome, num liga não... Demora pra chegar aqui.
    - Seja bem vindo então, tem bagagem?
    - Naum... Nadinha.
    - Hahaha... Você é muito estranho Joshi, vamos pra dentro que eu vou te apresentar ao mestre. Você come e conta a sua História, mas não espere muita ação por aqui, o lugar só tem fama...
    - Acho que isso vai mudar...
    - Como?
    - Vamos comer? EEEEEEEEEEEEEEEEE!!!

    E assim Senshi assumiu a identidade de Joshi separando-se de Bravo.

    Fim do Capítulo Especial

     
    Última edição: 15 Jun 2008
  18. Lyvio

    Lyvio Usuário

    Bem, estava apenas esperando e fui o primeiro, xd, vamo lá pode postar mais e mais raphael. Quanto ao cachorro gostei dele e como o bravo pegou a segunda caixa e essa Alessa...?
     
    Última edição: 15 Jun 2008
  19. Raphael S

    Raphael S Desperto

    - É O JOSHI!!! JIN, NÃO DEIXE QUE ELES ATIREM.

    Jin-e girou a espada cortando alguns dos arqueiros ao meio e os outros pularam com medo de ser atingidos... Os guerreiros que estavam protegendo o velho finalmente alcançaram Jin-e e o acertam nas costas no momento que ele empurrava o corpo de Dark para fora da amurada e os dois caíram no mar....Jin caiu ensangüentado com um golpe profundo de espada nas costas mas tentou se levantar rápido e erguer o rosto de Dark... Apesar da vista dele estar um pouco turva ainda pode ver que os arqueiros restantes se empenhavam em manter o alvo que se aproximava. Não dava para ver muito... Apenas a cabeça e um pouco do cabelo de cor diferente... Os fios loiros encobriam parte do rosto do jovem, era como se ele estivesse de olhos fechados lutando contra o mar e a tempestade unicamente para continuar naquela direção... E, era mesmo Joshi.

    - EI DARK! Mantenha-se de pé! DARK!!! PODE ME OUVIR?
    - ...Mamãe?
    - ... Dark seu...

    Jin-e ouvia com dificuldade mas Dark estava usando suas últimas forças da maneira mais inútil como sempre... O Samurai não conseguiu deixar de se alegrar com a resposta porque significava que ele ainda estava vivo e assim empurrou o corpo de Dark escorado do lado da amurada e o soltou... Os arqueiros estavam prestes a atirar as primeiras flechas quando Jin-e pegou a espada e começou a dar golpes contra a viga recêm colocada da amurada... Tudo tremeu e os arqueiros atiraram sem rumo... Enquanto Yume e ERK lutavam pra se manter vivos a espada do guerreiro começou a brilhar e saiu das mãos dele assim que o corpo do Joshi foi atirado para cima por um redemoínho que saiu do mar.

    - AGORA!

    Os cabelos de Joshi esvoaçavam na direção do vento quando ele parou suspenso no ar e gritou... A espada de ERK se jogou contra o mago atirando-o para fora da amurada e segurando forte o pergaminho nas mãos Joshi se impulsionou girando para dentro da barreira... Não houve tempo de reação para os arqueiros...

    - NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃO...

    Assim que o pergaminho atravessou a barreira toda a cidade foi envolvida por uma luz que ofuscante... Sem pensar nas consequências Jin-e puxou o corpo de Dark e entrou pela abertura da amurada...

    -----
    .............

    .....

    - O que é aquilo?.....
    ......................................................

    - Soc...SOCORRO!!!

    ...Splagth...

    Ao abrir os olhos Jin-e pensou estar no inferno... ERK ficou preocupado ao se ver novamente naquele lugar amaldiçoado, apesar do chão e paredes continuarem estranhos agora haviam diversos caminhos de entrada para a grande abertura em que estavam e as feras de metal estavam ali mais famintas do que nunca atacando o restante do exército invasor...

    - JIN, PRECISAMOS FICAR JUNTOS! ERK!!!

    Era a voz de Joshi, mas a confusão era tão grande que estava dificil localizá-lo.As feras de metal dilaceravam os guerreiros assustados e os ninjas tentavam fugir mas alguns também foram pegos... Por fim Joshi se destacou no meio de toda a confusão, ele correu no meio das feras pegando a espada de ERK e depois começou a procurar os integrantes do grupo...
    Jin-e Estava meio longe dos outros mas gritou para Joshi antes de erguer o corpo do Dark e se afastar das Feras que não paravam de chegar...

    - Mas o que é isto?

    Os movimentos estavam pesados... O ambiente estava pesado, mas Jin-e só percebeu quando tentou se mexer...Em um segundo Joshi apareceu ao lado dele e o samurai ficou ainda mais confuso pois tinha visto ele distante... Jin-e pensou que fosse perder os sentidos quando as palavras do garoto começaram a soar como trovões na cabeça dele...

    - Me ajude... Temos que chegar até os outros...

    Uma das feras de metal se aproximou e pulou... Os sons metálicos e o barulho de serpentes era horrível... Joshi girou a espada e uma barreira dourada apareceu. Quando Jin-e pensou que iam morrer a fera se chocou contra a barreira como se tivesse batido contra uma parede de metal...

    - ME AJUDE! PRECISAMOS DO DARK, TEMOS QUE LEVAR ELE ATÉ OS OUTROS!
    - Precisamos?... Fale baixo, ou minha cabeça vai explodir.
    - JIN! Eu vou ajudar a carregar o Dark, Não posso perder nenhum de vocês três e não pretendo perder a Yume também. AGORA VAMOS!!!

    Sem relutar Jin-e continuou a andar e se sentiu melhor assim que Joshi o tocou... Estava mais rápido e conseguia carregar o Dark melhor. Yume e ERK estavam sendo cercados na fuga dos outros ninjas que corriam pelo estranho lugar... Quando Jin-e viu que Joshi não conseguiria salvá-los decidiu tentar invocar os espíritos ancestrais pois de todas as horas, aquela era a que mais precisava deles. Assim que Jin-e ergueu a espada aconteceu algo que o samurai não conseguia acreditar... Corpos ensangüentados e dilacerados se levantaram e seguraram, mesmo que com dificuldade os pés de algumas das feras... Yume e ERK os avistaram e começaram a vir na direção deles...

    - Muito bom Jin...

    Jin....

    JIN...

    - JIN!!!

    Assim que o grupo se reuniu Joshi ergueu o cabo da espada novamente envolvendo-os com a mesma proteção de antes.Jin-e e os outros não conseguiram ver mais nada... ERK se ergueu rapidamente e puxou a Yume assim que sentiu como se um grande peso lhe tivesse saído das costas, ao abrir os olhos ele viu que estavam em uma floresta e um grande círculo de luz atrás deles subia acima dos céus...

    - Venham, não temos muito tempo.

    Havia um caminho de onde eles estavam até uma pequena e velha cabana de madeira ao longe... Joshi correu soltando a espada do ERK no chão...

    - Onde estamos?
    - Eu não deveria estar aqui ERK... Me esquecí totalmente que só tinha que deixar vocês no círculo.
    - O Dark está bem?
    - Ele estava acordado quando entrei com ele no círculo.
    - Sim, estamos vivos... Mas como eu dizia... Onde estamos?
    - Pirralho dos Infernos...
    - DARK!
    - ...vinho...vinho...
    - Ele está delirando.
    - Acho que só Joshi sabe onde estamos.
    - E isto tudo confirma o que eu suspeitava, Joshi estava nos guiando, mas já sabia exatamente o caminho.

    Alguém saiu da cabana... Parecia uma mulher... Jin-e estalou as costas e viu que conseguiria suportar o ferimento por mais uma hora então decidiram ir atrás do garoto. Quando Joshi alcançou a mulher ela o abraçou por um bom tempo... ERK que estava à frente do grupo ouviu as últimas palavras do garoto e caiu ajoelhando-se no chão ao ver o rosto da mulher...

    - ...labirinto estava com medo, mas eu consegui mãe... Estão todos aqui com vida. Consegui cumprir minha missão.
    - DEUSA!!?

     
  20. Dinaen

    Dinaen Bebendo com um

    estive afastado, mas acabei de ler ^^
    manda ae, a história principal voltou, e agora surgiu a Deuas? o_O
    hsauhsau
    muito louco isso kra. continua.
     

Compartilhar