1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Rage

Tópico em 'Música' iniciado por Nandes, 11 Set 2005.

  1. Nandes

    Nandes Usuário

    Bem, eu dei uma procurada e vi que não existe nenhum tópico de uma das melhores bandas de power metal alemão, o Rage

    O Rage é uma das melhores bandas que ja ouvi, apesar de ter ouvido apenas 2 álbums o XIII e o recente ao vivo From The Cradle To The Stage

    O Line-Up da banda conta com o líder altamente TRU Peter "Peavy" Wagner (Vocal/Baixo) o Guitarrista Victor Smolski, e o famoso baterista Mike Terrana. Outros músicos famosos ja passaram pelo Rage, incluindo o guitarrista Manni Schmidt (Grave Digger) e o Baterista Jörg Michael (Stratovarius)

    Atualmente a banda se encontra em estúdio gravando seu novo álbum que tem previsão para março de 2006 pela Nuclear Blast. Smolski tem feitos os preparativos para a "Suite Lingua Mortis", uma música de aproximadamente 20 minutos que será executada pela banda ao lado de uma orquestra. As gravações terão uma pausa em outubro quando A banda virá ao Brasil para o festival Live'n'Louder, mas é uma injustiça ela tocar apenas 40 minutos, menos tempo do que o Shaaman!

    Mas de toda forma tentarei comparecer para ver o show deles e do Testament :D

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Faramir Estel

    Faramir Estel By Demons Be Driven

    Esses festivais no Brasil são um cuh, eles põe o Shaaaman pra tocar a mais que o Rage, sério, se eu achar o retardado que fez isso e meter o pau nele.

    Bom, a banda é foda, eu só ouvi o Lingua Mortis e o From Cradle to Stage mas já percebi que a banda detona. Os refrões são fodidos e pegajosos...a melhor que eu ouvi é War of Worlds e Down.
     
  3. Uma das minhas bandas favoritas. Resumidamente:

    O Avenger foi fundado no distante ano de 1983 e logo foi se consolidando na cena Power Metal alemã. Na formação inicial da banda, além do eterno líder Peter 'Peavy' Wagner (vocal e baixo), estava também o hoje mundialmente famoso baterista Jörg Michael (que passou pelo Running Wild, Grave Digger, Axel Rudi Pell, Saxon e atualmente tá no Stratovarius). O primeiro disco veio em 1984, chamado Prayers Of Steel. Pouco tempo depois, descobrem que já existia uma banda inglesa da NWOBHM chamada Avenger (tinha também uma brazuca que tocou no SP Metal) e são obrigados a mudar de nome, nascendo aí o Rage em 1986.

    Foram então lançados dois discos, Reign Of Fear (1986) e Execution Guaranteed (1987). As coisas começaram a crescer com o início da nova formação, que tinha além de Peavy, o guitarrista Manni Schmidt (hoje no Grave Digger) e o espetacular Chris Efthmiadis na batera. Foram lançados mais três discos: Perfect Man (1988), Secrets In A Weird World (1989), e Reflections Of A Shadow (1990). Vale lembrar que apesar de bons discos, nenhum deles pode ser considerado excepcional.

    As coisas começaram a mudar com o lançamento dos magistrais Trapped (1992) e The Missing Link (1993). São dois grandes clássicos da banda, discos maravilhosos e que são obrigatórios pra quem quer conhecer mais a banda. A formação muda novamente com a saída de Manni e a entrada de dois guitarristas: Sven Fischer e Spiros Efthmiadis (irmão de Chris), além de Peavy e Chris.

    Na seqüencia o Rage lança discos fundamentais de sua carreira, o maravilhoso Black In Mind (1995) e o ousado Lingua Mortis (1996), nada além de um disco com versões orquestradas de músicas suas. E vou falar, é o melhor disco de Metal com orquestra de todos os tempos!!!

    Na seqüencia, o maior clássico da banda, End Of All Days (1997) e o cultuadíssimo XIII (1998), outros dois álbuns maravilhosos. Porém no final de 1999 a casa caiu e logo após a gravação de Ghosts (1999), toda banda caiu fora pra montar uma banda pop, exceto é claro Peavy. Sozinho, Peavy recrutou dois músicos monstruosos: o guitarrista Victor Smolski e o batera Mike Terrana (Axel Rudi Pell, ex-Malmsteen, ex-Roland Grapow, ex-Metalium). Com a nova formação veio um disco bom, mas meio apagado: Welcome To The Other Side (2001). O relacionamento com a GUN Records já não era bom, as coisas tinham que mudar.

    Em 2001 eles assinam com a SPV e lançam dois dos melhores discos da carreira, o maravilhoso Unity (2002) e o igualmente fantástico Soundchaser (2003). Desde então, nada além do duplo ao vivo (também DVD) From The Cradle To The Stage (2004). Agora vem disco novo or aí, que com certeza será bom, até porque disco ruim do RAGE não existe.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Tempos de Jörg Michael (é o primeiro na foto).


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Peavy, Chris Efthmiadis e Manni Schmidt (ele era magro).


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Sven Fischer, Peavy, Chris e Spiros Efthmiadis.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Terrana, Peavy (já carecão) e Victor Smolski.


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Peavy ao vivo.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  4. ?

    ? Banned

    Eu tava todo empolgado pra ver o Rage no Louder, mas ver que eles vão tocar só 40 minutos foi totalmente broxante. E o Shaaaaaaaaaaman, que toca até na pracinha aqui perto em dia de feira e que não tem 1/100 da importância do Rage, vai tocar por 1 hora. Enfim, é o dinheiro :roll:

    Ah sim, os meus favoritos são o Missing Link e o End of All Days. Mas como o Luiz falou, eles não lançariam cd ruim nem se eles quisessem
     
  5. Mycow

    Mycow Andúril

    Conheci Rage a pouco tempo, q banda foda!!
    Por enquanto so ouvi o Reign In Fear, Black In Mind e o ultimo ao vivo deles..queria ter conhecido eles antes, jah vieram bastante pro Brasil?
    Realmente RAGE tocar 40 min no live n louder eh piada, se eu fosse do shaaaaaaaaaaman teria vergonha de ver eles tocando 40 min e eu 1 hora :fire:
    Ainda bem q testament ao menos vai tocar 1 hora...ainda nao sei se vale a pena ir nesse live n louder
     
  6. Thico

    Thico The Passenger

    Conheci Rage ontem.

    Tive uma sensação que eu não experimentava desde que conheci Running Wild dentre as bandas de Metal. 8-O
    Ouvi apenas o Lingua Mortis e estou deveras impressionado, é lindo, do inicio ao fim. Não paro de escutar... tem tudo para ser uma das bandas mais fodas de Metal que eu já ouvi na minha vida! Vou ouvir o The Missing Link daqui a pouco, me indiquem outros ideais para um iniciante na banda ouvir.
     
  7. Pra •••••••!! :D

    Sim. Em 1997 com o Grave Digger. Eu lembro da época, mas nem fui no show, claro. Não tinha idade... :(

    Vale!!

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  8. Bom Thico, os melhores discos pra você começar são os mais clássicos:

    End Of All Days (1997)
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Esse traz a clássica das clássicas Higher Than The Sky, além das ótimas Deep In The Blackest Hole, Voice From The Vault e Talking To The Dead, além da cover pra The Trooper do Iron Maiden.


    Trapped (1992)
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    O meu favorito, tem a melhor música do Rage (Enough Is Enough) e as maravilhosas Solitary Man, Baby I'm Your Nightmare e Medicine, fora a versão pra Fast As A Shark do Accept.


    The Missing Link (1993)
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    O favorito de muita gente. Traz a poderosa Firestorm (PORRADA), Lost In The Ice, Refuge e Nevermore.



    Vale também dar uma ouvida pros dois novos (e excelentes) da banda:

    Unity (2002)
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    A volta por cima da banda. Traz alguns dos novos clássicos da banda, como All I Want, Down, Dies Irae (o início lembra Therion :shock:) e a lindíssima Insanity.


    Soundchaser (2003)
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Pra muitos, o melhor disco da banda em anos (eu ainda gosto mais do Unity), excelente e traz as ótimas War Of Worlds, Great Old Ones, Human Metal e See You In Heaven Or Hell.





    Quando você não manja uma banda, é sempre legal ir atrás de uma coletânea. The Best From The Noise Years é difícil de achar, mas é legal, pois traz os grandes momentos da banda até o álbum The Missing Link (todos os discos da banda pela Noise Records).
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    Já a outra coletânea, Best Of Rage - All G.U.N. Years, traz os grandes momentos da fase na gravadora GUN Records. Vale a pena ouvir as duas coletâneas, que juntas, abrangem toda carreira dos alemães (exceto os dois últimos discos).
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)






    Agora, pra começar, o primeirão pra ir atrás mesmo, tem que ser esse aqui:


    From The Cradle To The Stage (2004)
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Duplo ao vivo, set-list matador, formação matadora (Mike Terrana é Deus! O solo dele é absurdo) e uma ótima gravação. Pra quem não manja nada deles, esse é o disco que você dev ir atrás primeiro. Se curtir, vá atrás dos outros. Se não gostar desse, nem se dê ao trabalho de correr atrás do resto.





    EDIT: Biografia bem resumida tirada do Whiplash:

    Biografia - Rage

    imagemspace('pics/rage.jpg');

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    Por
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Peter “Peavy” Wagner fundou uma banda chamada Avenger, no início dos anos 80, quando a New Wave of British Heavy Metal (NWOBHM) levou o heavy metal ao posto de grande estilo musical em todo o mundo. Na Alemanha, país de origem do Avenger, muitas outras bandas estavam surgindo, e prometendo muito para a época. Foi em 1985 que saiu o primeiro álbum do Avenger, “Prayers of Steel”, que contava com Peavy no baixo e vocal, Jochen Schroder e Alf Meyerrakten nas guitarras e Jorg Michael na bateria. Neste mesmo ano, saiu o EP “Depraved to Black”, o último lançamento do Avenger. No ano seguinte, Peavy rebatiza a sua banda com o nome Rage, e então sai o primeiro registro desta “nova” banda: “Reign of Fear”. Infelizmente nesta época o Rage, mesmo excursionando ao lado de grandes bandas como Running Wild, U.D.O., Motorhead e Saxon, não conseguiu adquirir uma grande repercussão, mesmo lançando um álbum por ano. “Execution Guaranteed”, o último álbum do Jorg Michael, “Perfect Man”, “Secrets in a Weird World”, “Reflections of a Shadow” e “Extended Power” estavam nas lojas, mas o Rage não estava entre as bandas favoritas dos fãs.

    O posto de undergrund foi deixado com o lançamento de “Trapped”, em 92, dando ao Rage a mesma fama que tinha o Avenger no seu último lançamento. Nesta época o Rage além de obter ótimos resultados no seu país natal, conseguiu realizar uma turnê no Japão. A formação da banda permanecia a mesma dos últimos cinco álbuns. Para aproveitar o sucesso de “Trapped”, a banda lançou no mesmo ano um novo EP, intitulado “Beyond the Wall”, somente lançado no Japão. No ano seguinte o sucesso se manteve: saiu “The Missing Link” e um outro EP exclusivo japonês, “Refuge”, que marcava a saída do guitarrista Manni Schimidt. Nesta época também foi lançada uma coletânea, a primeira do Rage, intitulada “10 Years in Rage”, saindo no mercado em 1994. Em 1995 saiu o então novo álbum, chamado “Black in Mind”.

    O álbum lançado em 1996 foi uma das maiores surpresas que o Rage apresentou ao seus fãs até hoje. “Língua Mortis” era o primeiro registro alemão com a união do heavy metal à música clássica. Para gravar este álbum, a banda viajou até a República Tcheca para registrar em estúdio a participação da orquestra sinfônica de Praga, juntamente com a presença do pianista Christian Wolff. A banda realizou uma série de shows ao lado da orquestra, inclusive em grandes festivais de 96 como o Dynamo Open Air na Holanda, e o Wacken Open Air na Alemanha. Por incrível que pareça, no mesmo ano a banda lançou um novo álbum, “End of All Days”, e um novo EP exclusivo no Japão, “Higher than the Sky”. No ano seguinte sai um novo EP, “Live From the Vault”, uma gravação ao vivo no Japão.

    Em 1998 foi lançado o décimo terceiro álbum do Rage, com o simples título de “XIII”, novamente contando com a presença de Christian Wolff e da orquestra de Praga. Com certeza, “XIII” foi novamente um sucesso absoluto, e neste mesmo ano ano sairam dois novos CDs, que contavam com versões ao vivo e acústicas, “In Vain I-III” e “In Vain – Rage in Acoustic”, respectivamente. A banda não perdeu tempo, em 99 saía um novo álbum, “Ghosts”, que contava com duas novidades: a presença de um novo baterista, o conceituado Mike Terrana, e ainda, de um multi-instrumentista russo, Victor Smolski.

    No começo de 2000 a nova formação do Rage estreou ao vivo direto no festival alemão Wacken. Novas turnês mundiais cercaram o Rage após o lançamento de “Welcome to the Other Side” e o mais recente álbum de Peavy & Cia., “Unity”.
     
    Última edição: 13 Set 2005
    • Ótimo Ótimo x 1
  9. ?

    ? Banned

    Eu pretendo comprar o DVD. Eu já vi o disco 1 (o show) e é muito foda. E na disco 2 ainda tem o making of e todos os clipes da banda :D
    O único porem é que sabe-se lá por que eles tiraram a Enough is Enough do DVD (mas tem no CD duplo). É uma pena :(
     
  10. Nandes

    Nandes Usuário

    Foi isso mesmo que eu fiz, geralmente quando eu quero conhecer bandas eu procuro por esses álbums ao vivo fodões ou coletâneas, esse álbum é um dos melhores ao vivos que eu ja ouvi \,,/
     
  11. Nandes

    Nandes Usuário

    Boas novas :D

    Em uma votação no site do
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    você escolhia a banda que mais queria ver no festival.

    Segundo uma mensagem de uma das organizadoras do Live'n'Louder na
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , com a vitória da banda nessa enquete o tempo de show da banda aumentou de 40 minutos para Uma hora :shock:

    Agora é certeza que eu vou \,,/
     
  12. É sério isso?!? Que legal!! :D


    Eu já tinha entrado no site e votado umas 8 vezes no Rage! :lol:

    Vamo aí maluco, vou comprar meu ingresso assim que entrar o cascalho mensal.
     
  13. Mycow

    Mycow Andúril

    Q FODA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Finalmente eles perceberam e aumentaram um pouco!! Organizadores troxas!! :fire:
    Agora o live vai ser bem mais foda!!!

    Qto tempo nao via uma noticia boa dessas
     
  14. Mike Terrana confirmou que vai fazer solo de 5 minutos nesse show.
     
  15. Nandes

    Nandes Usuário

    Putz :?

    Num tempo curto como o deles nem o Terrana não deveria fazer solos, ainda mais um de 5 minutos :roll:
     
  16. Goba

    Goba luszt

    Pra conhecer, fui atrás do From The Cradle To The Stage, como o Lord sugeriu, e PQP. O.O

    A banda passa todo o show com um repertório de animar defundo, com o som pesado, bem trabalhadíssimo e empolgante. Destaque para o único membro da banda que eu já conhecia trabalhos, o Mike Terrana. Em todas as músicas a virtuose com pedal duplo é absurda, e o fraseado dele é monstruoso, usando o pedal duplo como um "tom" adicional para as frases (semelhante ao que fazem Mike Portnoy, Aquiles Priester, etc). O solo? Damn, o cara é foda. Mas a principal característica dele é a velocidade que unida ao trabalho com acentuações e rudimentos dá um solo arrebatador.

    Com certeza vou atrás de mais material. :wink:
     
  17. Em 1999, o Roland Grapow (esse mesmo que você pensou) veio ao Brasil abrir o show do Gamma Ray e divulgar seu disco solo, Kaleidoscope. O baterista era o Terrana e ele solou. Cara, foi algo sobre humano. Ele é cheio dos malabarismos e tal, você vai ficar empolgado pra ••••••• com o solo dele. Não tem como não ficar. :wink:

    Então já está recomendado no meu post lá em cima os discos mais legais do Rage. Dá uma ouvida que você vai curtir! :wink:
     
  18. Nandes

    Nandes Usuário

    Po Lord, faltou o Black In Mind, que pra mim é o melhor de todos :D
     
  19. Vamo lá:


    Black In Mind (1995)
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    É impossível falar de Rage sem citar esse álbum, por diversas razões: foi o primeiro álbum da banda com a nova formação (Peavy, Sven Fischer, Spiros Efthmiadis e Chris Efthmiadis) e o primeiro pela G.U.N. Records, num contrato que fez a banda chegar ao topo da popularidade no underground metálico alemão, mas fez também eles se tornarem inexpressivos fora de seu próprio país. E é daqui também que saíram alguns dos maiores clássicos da banda, como a faixa-título (embora eu pessoalmente ache a versão "Balada Sinfônica" da mesma disparadamente melhor), a macabra Alive But Dead, a emocionante Sent By The Devil e a jamais lembrada, mas lindíssima The Crawling Chaos (você NUNCA mais irá esquecer esse refrão após ouvi-lo apenas uma vez).
     
  20. ?

    ? Banned

    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    :D
     

Compartilhar